Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Posts com a tag "instagram"

Chuva em 15 minutos, avisa o app do Yahoo

21 de setembro de 2015 0

imageNem todos os apps instalados no meu iPhone estão com as notificações ativadas. E, claro, os que estão têm configurações diferentes (com ou sem som, aparecendo na tela bloqueada, com banner). Antes de definir isso, eu costumo fazer um teste, porque acho que as notificações podem facilitar muito a nossa vida, mas também impactam diretamente na bateria, então procuro evitar aquelas que não acrescentam muito.

Neste post, vou falar de duas que, por acaso, apareceram ao mesmo tempo no meu telefone na semana passada. Eu capturei a tela quando tive a ideia de abordar o assunto aqui no Spot.

Uma delas é o aviso do app de clima do Yahoo de que deve chover em 15 minutos. Até conhecer esse app, eu andava meio decepcionada com os aplicativos de clima. Baixava, usava um pouco, apagava, baixava outro. E assim seguia a vida. O do Yahoo, pra mim, é cheio de vantagens, além da notificação da chuva! Tem previsão para até 10 dias, horário do nascer e do pôr do sol, índices de precipitação, serviço de localização que funciona e, muito importante, atualização rápida. Eu o consulto mais de uma vez por dia, além de ser avisada quando está pra cair água (quem mora em Caxias do Sul sabe o quanto o tempo pode variar por aqui em apenas algumas horas).

A outra notificação que apareceu naquele dia informava a publicação de uma foto no Instagram. Além das curtidas e comentários em fotos suas – o mais comum -, o app permite que você opte por ser avisado quando algum perfil que você segue postou algo. Pra quem gosta ou trabalha com imagem, é uma boa forma de não perder as atualizações daquele fotógrafo bala! :)

Fotógrafa brasileira ganha 10 mil dólares em concurso pelo Instagram

15 de setembro de 2015 0
Foto: Adriana Zehbrauskas/ @adrianazehbrauskas/ Getty Images Instagram Grant Recipient 2015

Foto: Adriana Zehbrauskas/ @adrianazehbrauskas/ Getty Images Instagram Grant Recipient 2015

A Getty Images anunciou os vencedores do concurso feito em parceria com o Instagram, o Getty Images Instagram Grant, e tem uma brasileira no meio deles. Cada ganhador receberá US$ 10 mil e orientação de um fotojornalista premiado da Getty Images. Os trabalhos serão expostos na Photoville, o maior evento anual de fotografia de Nova York.

Adriana Zehbrauskas nasceu no Brasil e mora no México. Tem em seu portfólio muito do cotidiano latino-americano, como é o caso da foto acima, um retrato em família feito após uma ida à igreja. Segundo a assessoria da Getty, Adriana tem a intenção de usar a bolsa para financiar o projeto “Next of Kin: Family Matters”, que reunirá retratos de 43 famílias de estudantes desaparecidos da escola rural de Ayotzinapa no ano passado.

A fotógrafa trabalha principalmente com fotos em preto e branco, em sua maioria com pretos muito densos ou tendendo à subesposição. O estilo de edição não é difícil de igualar, mas a variedade de temas e a proximidade com os fotografados mostram o engajamento da profissional e resultam em um material de qualidade que se destaca entre muitos feeds da rede social.

O concurso teve mais de 1.200 inscritos em 109 países, e as avaliações foram feitas com base nos trabalhos já publicados no Instagram. A comissão que escolheu os vencedores é composta por David Guttenfelder, da National Geographic; Kira Pollack, da TIME; as fotógrafas Maggie Steber e Malin Fezehai; e o cofundador do @EverydayIran Ramin Talaie.

Os outros dois premiados são Ismail Ferdous, fotógrafo de Bangladesh, e Dmitry Markov, da Rússia.

Além dos três vencedores, os juízes reconheceram também o trabalho de cinco fotógrafos: Tasneem Asultan, de Dubai, nos Emirados Árabes; Kevin Cook, da Filadélfia, nos Estados Unidos; Igor Pisuk  de Estocolmo, na Suécia; Cassandra Giraldo, de Nova York, nos Estados Unidos; e Ako Salemi, de Teerã, no Irã. Eles vão receber uma orientação pessoal de um membro da comissão julgadora do Instagram Getty Grant.

A ideia do concurso é premiar fotógrafos que documentam comunidades sub-representadas em todo o mundo usando a rede social de compartilhamento de imagens.

Instagram com fotos de crianças refugiadas

12 de setembro de 2015 0

O polêmico caso do menino Aylan, refugiado sírio encontrado morto em uma praia turca, criou muitos debates sobre a publicação de fotografias de crianças em situações extremas. Eu já me posicionei aqui no blog contra imagens que revelam morte de maneira explícita, pois acredito que há muitas outras maneiras de comunicar: o que falta é sabermos enxergar a importância dos tantos documentos que informam, sim, sem chocar.

Um dos trabalhos que mais chama a minha atenção neste sentido é a conta de Instagram @everydayrefugees. Nela, é possível encontrar fotos de crianças refugiadas ao redor do mundo. Muitas das fotos são feitas pelo fotógrafo chefe da agência AP no Paquistão, Muhammed Muheisen, que também é um de meus fotógrafos preferidos.

O problema de refugiados é muito maior do que o problema na Síria, ele é de ordem mundial. Aqueles que conseguem fugir de seus países e passam a reconstruir suas vidas em novos lares possuem muitas necessidades básicas que também deveriam incomodar e pressionar as autoridades por mudanças em suas políticas para refugiados. As meninas e os meninos nessa situação devem ser protegidos, afinal, se não olharmos por nossas crianças, por quem faremos isso?

 

Por que o Instagram passou a a aceitar outros formatos além do quadrado?

29 de agosto de 2015 0
Agora é possível controlar a intensidade da aplicação de filtros nos vídeos

Agora é possível controlar a intensidade da aplicação de filtros nos vídeos

Desde a atualização 7.5, o Instagram passou a oferecer a opção de usar fotografias e vídeos em seu formato original, sem a necessidade do corte quadrado. Agora, com o uso de um botão no canto da tela ou dois cliques sobre o conteúdo, é possível manter as orientações horizontal e vertical ou dar o corte padrão do app. Segundo o blog do Instagram, aproximadamente uma em cada cinco postagens na rede não obedecem o formato quadrado, o que faz com que os usuários procurem outros apps para adicionar bordas e manter intacto o aspecto original do arquivo.

A onda do Facebook, dono do aplicativo, é oferecer cada vez mais serviços dentro de seus produtos para que as pessoas não precisem sair dali para nada. O app de fotos estava falhando nesse aspecto. Eu noto que cada vez é mais comum a revisão de decisões a partir da expectativa do cliente. Isso também se reflete na segunda mudança do Instagram. A partir desta versão, todos os filtros para as fotos passam a ser disponibilizados para os vídeos, inclusive com controle de intensidade.

O controle do aspecto pode fazer mais do que deixar as pessoas felizes, pode haver aí uma melhora da qualidade dos vídeos, valendo-se da sensação cinemática que a horizontalidade dá e do uso de todo o enquadramento. Às vezes, eu tiro uma foto já com o formato quadrado selecionado no celular, pensando em postar. Talvez esse seja o início da morte dessa funcionalidade nos telefones. O impacto da mudança no design da rede é mínimo, porque o material será automaticamente centralizado no tamanho quadrado padrão, mas os benefícios são muitos. O Instagram foi das elites, virou popular e segue buscando espaço no grande público. E parece acertar cada vez mais, versão após versão.

App TinType simula processo fotográfico de ferrotipia, mas sem a magia analógica

25 de agosto de 2015 0

Dia desses estava lendo sobre o processo fotográfico chamado ferrotipia (em inglês, tintype ou ferrotype), que consiste em uma foto feita sobre uma chapa fina de metal revestida de colódio e banhada em sal de prata. A ferrotipia data da década de 1850, mais de 160 anos atrás. O processo surgiu como alternativa mais barata em relação à daguerreotipia, firmando-se nas duas décadas seguintes especialmente entre fotógrafos itinerantes. Esse foi o método usado nos registros de Mathew B. Brady na Guerra Civil Americana.

Conheça o processo analógico de ferrotipia neste vídeo do Kalamazoo Valley Museum

Em meio à minha pesquisa, o Google me ofereceu o aplicativo TinType do Hipstamatic, que nada mais é que um app simulador dessa técnica. Experimentei e gostei do visual, mas vi muitas limitações para um software pago (apesar de ser US$ 0,99) que não tem nada da magia química que faz a imagem surgir em uma superfície fotossensível analógica.

 Na primeira tela, o app permite ajustar entre preto e branco, colorido ou sépia e escolher entre o formato original e o quadrado. Se você escolher o quadrado, não é possível redefinir o corte: ele centraliza.

Na segunda tela, pode-se configurar o ruído do grão da imagem e a moldura, sendo que só há duas opções disponíveis.

Na terceira tela temos a ferramenta de destaque dos olhos. Ela clareia ao redor e o centro dos olhos com intensidade ajustável,  o problema é que em muitas imagens ele não reconhece onde estão os olhos e não permite a seleção manual.

A última tela é a de profundidade de campo, que permite ajustar a intensidade do desfoque a partir dos olhos, caso tenham sido identificados na tela anterior, ou do centro da imagem, sem direito de escolha do ponto focal.

Na hora de salvar, há a opção de compartilhamento no Instagram ou do envio por outros meios.

Como um app final, talvez ele deixe bastante a desejar. Junto com o Photoshop Express ou os próprios ajustes do Instagram, dá pra se beneficiar do visual bacana do filtro, especialmente para os aficionados em imagens antigas.

Em comparação ao processo original, a única vantagem das fotos é o sorriso, que agora é mais presente. Naquela época, o tempo de exposição era a principal causa da seriedade nos retratos, já que sorriso nenhum aguentava segundos e mais segundos sem amarelar.

Todas as fotografias desse post foram tiradas por mim e editadas somente no TinType.

O que acontece quando atrasa o voo de um grande fotógrafo

23 de julho de 2015 0

Foi uma noite de surpresas, a de ontem. Seguia eu pelo feed do Instagram quando parei nesta foto, postada pela National Geographic (@natgeo). O fotógrafo é Chien-Chi Chang (@chien_chi_chang), da agência Magnum (@magnumphotos). No Instagram, tem a história da foto. Chang estava no aeroporto de Viena e o voo atrasou. Ele decidiu abrir o obturador da câmera e só fechar na hora de embarcar. A longa exposição durou duas horas e meia(!) e saiu essa baita foto.

Mas ainda tinha mais. Como eu adorei a imagem, entrei no perfil de Chang no Instagram pra ver outras e segui-lo. E aí encontrei os mosaicos abaixo. Não tenho mais o que escrever: o cara é fera mesmo! Apreciem! :)

image

 

image

 

Dhavebaj Anupabsthian e suas imagens hipnóticas no Instagram

07 de julho de 2015 0

image

Ontem à noite, navegando pela revista de design do Flipboard, descobri Dhavebaj Anupabsthian. O cara, tailandês, faz essas imagens aí do lado, das quais eu realmente gosto. Sempre curti essa ideia meio que de hipnose ou que possa provocar uma ilusão de ótica conforme se olha para a imagem. Simetria também é algo agradável aos meus olhos.

Por tudo isso, li a matéria da Hypeness e corri para o Insta pra seguir o cara. Demorei pra escolher uma foto para postar aqui além do print ao lado, com várias. Acabei escolhendo essa aí de baixo. Um ponto colorido em meio ao preto e branco me agrada, assim como a forma arredondada. E ela provocou em mim essa sensação de quase vertigem, então foi escolhida.

Segundo a matéria, Dhavebaj fotografa com um iPhone e usa aplicativos de edição no tablet. Gostei muito! :)

 

 

image

Atualização do Instagram promete mudar o futuro da rede social

29 de junho de 2015 0

Screenshot_2015-06-28-22-40-33A última atualização do Instagram promete mudar o futuro da rede social, apesar de não alterar em nada a captura ou o compartilhamento de fotos. Com aproximadamente 70 milhões de fotos postadas por dia, uma melhoria na busca que organiza melhor todo esse conteúdo é a aposta da equipe do aplicativo.

Com as mudanças, os usuários poderão ver as imagens mais recentes e as mais populares para cada hashtag. Uma nova guia permitirá encontrar locais e eventos em alta ao redor do mundo, para que você fique por dentro de grandes acontecimentos.

Uma nova seção também apresentará conteúdo de assuntos variados escolhidos a dedo, baseados em usuários – melhores fotógrafos de esportes radicais – ou em interesses – melhores fotos de pontes à noite, por exemplo.

As atualizações deixam o Instagram um passo mais próximo do Twitter na organização de conteúdo, usando não só o número de curtidas, mas a quantidade crescente de pessoas falando sobre algo para classificar isso como mais interessante – trending.

Só que, por enquanto, os únicos a terem acesso a todo o potencial do novo Instagram são os americanos. Ainda não há previsão para as novas seções serem liberadas em outras partes do mundo, que têm que se contentar somente com as mudanças na busca.

Uma mensagem na Google Play Store brasileira diz:

Embora a guia Explore reformulada esteja disponível apenas nos EUA no momento, a busca também foi melhorada para todos.

Agora você pode:

*Pesquisar por localização: encontre publicações marcadas especificamente com o nome de um lugar.

*Pesquisar todas as publicações: faça uma busca rápida e avançada por nome de usuário, nome, hashtag ou localização.

Para testar as melhorias é só clicar na aba de pesquisas, que abre as opções de busca nas modalidades principais, pessoas, marcadores ou locais. Recomendo pesquisar o nome de um lugar para onde você pretenda viajar: sempre há chance de encontrar alguma nova programação para adicionar ao passeio.

E que chegue logo a nossa vez, Instagram!

Aperte o play: redes sociais oferecem mais vídeos

21 de junho de 2015 0

image

Neste sábado, dando uma olhada nas redes sociais e nos alertas que eu recebo, em menos de cinco minutos me deparei com duas notícias que reforçam o quanto a oferta de vídeos está crescendo na internet. Como na rede mundial tudo é monitorado em detalhes, é claro que essa oferta maior é decorrente de um consumo também crescente.

A primeira informação chegou pela timeline do Twitter. Era um post patrocinado do Twitter Ads Brasil comunicando que a rede social adotou o autoplay. Os vídeos passam a rodar automaticamente a partir da nova versão do app (dá para desligar a função nas configurações da conta). Essa é uma questão polêmica que já foi debatida quando Facebook e Instagram adotaram o autoplay. O principal problema é o áudio, que pode colocar a pessoa em uma situação constrangedora caso ela esteja em uma fila, por exemplo, matando tempo em uma timeline da vida. Facebook e Instagram rodam sem som, mas no Twitter, no app do iPad, rodou automaticamente com música.

Não gosto de autoplay. Primeiro porque quero ter controle do que vou ver ou não na rede social. Pode ser um vídeo de uma cena de violência, por exemplo, que me incomode naquela hora. E também porque aumenta a audiência de um vídeo de uma forma que não é realmente verdadeira. A rodagem automática dispara números, mas não diz se aquele conteúdo realmente interessou.

A segunda informação recebi num alerta de um grupo de mídia social do qual faço parte no LinkedIn. O pessoal do Planeta Y, que trabalha com monitoramento de redes sociais para instituições de ensino, postou um estudo que mostra que o Facebook está exibindo 360% mais vídeos na timeline de seus usuários. O crescimento na exibição de vídeos não é novidade, e uma atenção especial à própria timeline já dá uma ideia. No entanto, esse estudo vai mais a fundo, com gráficos e interpretação. Mesmo focado em alunos, ele serve de base para várias ações na rede do Mark Zuckerberg. Vale conferir com atenção. :)

Concurso paga 10.000 dólares para melhores fotos no Instagram

04 de junho de 2015 0

Esse post é para você que, como todo bom brasileiro, deixa tudo para a última hora. Essa é a última hora.

A agência de fotografias Getty Images diz que, por acreditar no poder das imagens para mudar o mundo, resolveu inaugurar o Getty Images Instagram Grant, um prêmio em parceria com o Instagram. Este prêmio é voltado para ajudar fotógrafos que usam a rede social para documentar histórias de importância social para comunidades mal representadas ao redor do mundo.

Acontece que hoje, 4 de junho, é a última chance para você que acha que pode levar essa disputa. As inscrições serão aceitas somente até as 23:59 no horário GMT. Três prêmios de $10.000 serão distribuídos, além da chance de ter como mentor alguns dos premiados fotógrafos da agência. Para se inscrever, os candidatos devem preencher um formulário online.

A avaliação será feita sobre as fotos da conta de Instagram do participante, com foco na qualidade do material, na capacidade narrativa visual e nos projetos e histórias contados através do trabalho. Os candidatos devem enviar ainda uma biografia, com breve descrição de seus estilos, motivações e histórias que já cobriram.

Sendo essa a última chance, nada de deixar para depois. Clique agora mesmo no formulário, faça a inscrição e lute pelos primeiros lugares. Se alguém que ficou sabendo do concurso através de nós ganhar, vale avisar e dividir a experiência conosco.

Boa sorte a todos, estamos na torcida!