Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "iPad"

iOS 9.1 chegou e por enquanto os problemas diminuíram no meu iPhone

22 de outubro de 2015 1
Foto: Justin Sullivan / AFP

Foto: Justin Sullivan / AFP

O primeiro mês do iOS 9 foi um fiasco. Muito do que foi anunciado em funcionalidades e em economia de espaço no lançamento da versão foi retirado logo na sequência. Quando os bugs tomaram conta dos iPhones e iPads mundo afora, a Apple voltou atrás e, com as atualizações 9.0.1 e 9.0.2, o sistema passou a ocupar ainda mais espaço que antes. Chegou ao ponto de eu ter que excluir os aplicativos mais básicos, ficando com poucos escolhidos cuidadosamente. Eu não tinha espaço para nada mesmo sem ter nada mais no telefone (que é de 16 gb).

Pois, acabou de ser lançada a versão 9.1. A primeira coisa que notei é que me devolveram 800 mb de espaço, aproximadamente. A segunda, que o bug que me impedia de mexer na tela por um tempo parece ter desaparecido. Ficarei de olho.

Eu sou usuário novato de iPhone e, como meu aparelho anterior era um Samsung de entrada que travava a cada meia hora, ainda não tive A grande experiência que por tanto tempo me foi vendida para que eu trocasse de marca. De que adianta ter um supercomputador nas mãos se ele trava, não tem espaço e nem memória para realizar as operações básicas, se desliga eventualmente e ainda apresenta falhas durante as ligações?

Para disfarçar os problemas, a empresa lançou novos emojis e mais algumas coisinhas, mas nosso posicionamento é de não atirar confete até termos certeza de que tudo funciona – e não vai causar novos problemas.

Espero que no iOS 9.1 estejam todas as correções que faltavam para o iOS 9 finalmente mostrar a que veio.

Lista de apps para o multitarefas do iPad

03 de outubro de 2015 0

imageSe você curtiu os recursos multitarefas do iPad que chegaram com o iOS 9, pode acompanhar na App Store os aplicativos que estão adaptados a eles. No post linkado na frase anterior, explicamos como usar as funções Slide Over e Split View e ressaltamos que nem todos os apps estavam rodando ainda.

Navegando pelos destaques da App Store ontem, cheguei numa lista de aplicativos que já foram atualizados. No menu superior, você tem a opção “Apps e jogos ótimos para o iOS 9″. Clicando ali, encontra a relação do que funciona no multitarefas. Facilita bastante a vida de quem não quer ficar testando, mas ir direto em opções prontas pra rodar.

Eu confesso que estava muito ansiosa aguardando esse recurso e, por puro esquecimento, acabei não usando muito depois que ele foi disponibilizado. Quem sabe com novos apps isso não muda. :)

iOS 9.0.1 tem mais problemas, mas atualização para o 9.0.2 já está liberada

30 de setembro de 2015 34
Foto: Johannes Eisele / AFP

Foto: Johannes Eisele / AFP

Mais problemas no iOS 9.0.1. O dos contatos ficou pequeno perto do que vem acontecendo conosco e com os leitores do blog. No post linkado aí atrás, tem vários comentários de pessoas reclamando do novo sistema operacional. Agora, não consigo compartilhar sites no LinkedIn no iPhone. A janela de compartilhamento abre e fecha. Além disso, o meu iPhone 5S perde com muita frequência a conexão wi-fi e, quando entra no 3G, demora pra carregar o conteúdo. Isso deve ser em função daquele recurso que identifica um sinal fraco de wi-fi e muda para o plano de dados. É legal ficar atento, porque isso aumenta o gasto com internet.

Eu estranhei entrar tão rápido a atualização para o 9.0.1, até porque o 9 estava funcionando bem pra mim. Na atualização, a Apple informava que ela corrigia vários problemas, mas pra muitos usuários, na verdade, ela criou problemas. Ontem, o iPhone 5S do Diogo desligou do nada, com mais de 90% de bateria, e ele não conseguia ligar. O susto durou 40 minutos, e o telefone só voltou a funcionar depois de um tempo conectado a um computador. O mais incrível: por acaso eu tinha ligado pra ele nesse intervalo de tempo, e a ligação chamou normalmente pra mim, mas ele não atendeu porque o telefone parecia estar desligado. Quando o iPhone reviveu, tinha mesmo uma chamada perdida.

Vendo os nossos problemas e lendo os comentários dos leitores do blog, só posso torcer para que o iOS 9.0.2 funcione bem. Ele já está disponível, mas vou instalar apenas à noite.

Os recursos que nós já testamos no iOS 9

18 de setembro de 2015 0
Você arrasta a barra entre os dois aplicativos para definir o tamanho deles na tela

O recurso Split View é ativado no iPad Air 2 pressionando o dedo entre dois aplicativos

A versão 9 do iOS chegou e já está rodando nos nossos dispositivos Apple. Fizemos testes em um iPhone 5S e um iPad Air 2. As novidades anunciadas soam muito bem, mas desapontam os brasileiros. A atualização do Maps, com adição de itinerários do transporte público, fica devendo: nas quatro cidades que busquei o serviço, Caxias do Sul, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, encontrei a mensagem “informações de transporte público indisponíveis para esta cidade”. O News, novo app com serviço de notícias, também é restrito a americanos e europeus.

O que de cara nos interessou foi o mais de 1 GB liberado no meu celular. O sistema novo é mais compacto, o que alivia o uso de espaço no telefone e, segundo a empresa da maçã, a bateria deve ganhar até uma hora a mais de funcionamento. Quem é heavy user de iPhone sabe que os aparelhos de 8 e 16 GB exigem uma certa dança de aplicativos e backups constantes na nuvem, já que não cabe tudo na memória interna do celular. Cada megabyte adicional e minuto longe do carregador é bem-vindo.

bateriaA interface mudou em questões de design e organização de alguns itens no menu. Nos Ajustes, há agora uma tela específica sobre a bateria, que possibilita o Modo de Pouca Energia: trata-se de uma funcionalidade que reduz temporariamente o consumo de energia até que o aparelho possa ser completamente carregado, desativando ou reduzindo a verificação de e-mails, as atualizações em segundo plano, as transferências automáticas e mesmo alguns efeitos visuais.

O uso do espaço do telefone também mudou, aparecendo dentro de uma aba Armazenamento e iCloud dentro do Geral.

A Siri em português, com todo o respeito à sua inteligência artificial, segue burra. Ela tem muita dificuldade para entender alguns comandos, pouca variação de respostas e é muito inferior à sua versão em inglês. Em uma comparação lado a lado, o assistente do Google ganha em precisão de entendimento de sentido e palavras com facilidade. Ainda há um longo caminho para a Apple nesse campo.

Uma novidade legal, contudo, é que ao deslizar a tela para a direita aparecem Sugestões da Siri, com os últimos contatos e aplicativos utilizados. É como um atalho para acessar rapidamente aquilo que você mais usa no seu aparelho.

Diogo testando o modo desenho do aplicativo Notas

Diogo testando o modo desenho do aplicativo Notas

Alguns detalhes como os ícones de exclusão de e-mails e a maneira como você troca de aplicativos, que passam a aparecer como camadas e não separados horizontalmente, são retoques de design que mostram capricho.

O app de Fotos também mudou. Agora, há dois álbuns a mais: Selfies e Capturas de tela. Ele organiza sozinho as fotos que você já tinha salvas no seu device e segue mantendo tudo no Rolo da Câmera.

Tem novidade também no app Notas. Agora, você pode desenhar. Já havia há tempo apps de desenho na loja, mas era preciso baixar um aplicativo exclusivamente para isso, ocupando memória.

As mudanças apenas para iPad:

slideover1Finalmente a Apple conseguiu dividir a tela, função que o Android tem há muito tempo. Para tanto, é só deslizar a tela da direita para a esquerda que aparecem os aplicativos compatíveis. Você pode então deslizar para um lado ou para outro para escolher qual aplicativo deve ficar na tela inteira, ou deslizar de cima para baixo no lado direito para voltar à escolha de aplicativos.slideover2

No entanto, com exceção do iPad Air 2, nesse recurso, chamado pela Apple de Slide Over, é possível usar um aplicativo só por vez. Quando você escolher o segundo app, o que estava aberto anteriormente congela.

Devido à memória RAM, o Air 2 é o único que possibilita usar os dois apps ao mesmo tempo, o que a empresa definiu como Split View. O recurso funciona com os apps nativos e alguns que já estão otimizados para isso. Os desenvolvedores têm trabalho pela frente! Quanto ao tamanho dos aplicativos na tela, é possível também escolher uma separação dois terços e um terço, ao invés de meio a meio. O Split View funciona também com o iPad na vertical

Nos testes que fizemos da função Picture in picture (PIP), só conseguimos fazer o vídeo rodar enquanto se usa outro aplicativo se ele estiver incorporado em alguma página da internet. Você coloca o vídeo em tela cheia e vai encontrar um ícone no canto inferior direito que possibilita que ele passe a rodar menor, também no canto direito inferior do seu iPad. Depois de fazer isso, você clica no botão home e então pode usar qualquer outro app que quiser. Você também pode redimensionar o tamanho da janela do vídeo que está rodando ou colocá-lo em qualquer um dos outros três cantos. Não conseguimos usar o PIP dentro do app ou do site do YouTube, seja rodando no Safari ou no Google Chrome. Se alguém conseguir, por favor, deixe a dica nos comentários.

pip2

Outra mudança, mas essa nem todos devem curtir, é que os ícones no iPad diminuíram dentro das pastas, reunindo quatro aplicativos em cada linha, e não mais três. Tem gente que prefere ver os ícones maiores para identificar rapidamente.

Pra fechar: achamos linda a nova fonte, que está presente em todos os dispositivos que podem ser atualizados com o iOS 9 (iPhones 4S, 5, 5s, 5c, 6, 6 Plus, 6s e 6s Plus; iPads 2, com tela retina, Air 1 e 2 e todas as versões do mini; iPod touch de 5ª geração). Sai a Helvetica Neue e entra a San Francisco, já usada no Apple Watch.

Tem mais recursos para descobrir com o uso e, claro, esperamos as dicas de quem também estiver experimentando.

Apple em dose dupla: iOS 9 e iPad Pro

14 de setembro de 2015 0
Tim Cook durante a apresentação do iPad Pro. Foto: Josh Edelson / AFP

Tim Cook, CEO da Apple, durante a apresentação do iPad Pro. Foto: Josh Edelson / AFP

Quarta-feira tem liberação de iOS novo. O 9 chega com novidades que vão desde design até segurança. Os guris que fazem o Blog do iPhone testaram todos os betas e contam algumas das mudanças neste post. Eu estou ansiosa para experimentar as alterações no calendário e ver como vai se comportar a Siri, que passa a identificar a voz do dono do aparelho quando ele falar “E aí, Siri”. O novo sistema também vai identificar quando um sinal de wifi é muito ruim e transferir você para a rede de dados que você assina.

Mas, apesar da ansiedade em experimentar tudo, como eu já expliquei aqui no Spot no lançamento do iOS 8, não devo instalar o iOS 9 no primeiro dia. É legal dar um tempo para evitar problemas em decorrência da grande quantidade de downloads a partir dos servidores da Apple. Quem baixar e quiser contar nos comentários se foi tudo bem e o que achou do novo sistema pode ajudar a mim e aos demais internautas.

Aproveito o post para falar da apresentação do iPad Pro, que aconteceu no mesmo evento em que a Apple mostrou os iPhones 6S e 6S Plus (o Diogo escreveu sobre a câmera). A tela do novo tablet tem 12,9 polegadas, e ele tem área 78% maior que a do iPad Air 2, o modelo imediatamente anterior, segundo a empresa. Acho grande. O Air 2 me serve perfeitamente com sua tela de 9,7 polegadas. Ele está sempre comigo, então é importante caber na minha bolsa. E ele é leve (437 gramas), um dos motivos que me levaram a comprá-lo como substituto do iPad 2. O iPad Pro pesa 713 gramas (nos dois casos, são os dados do modelo só com wi-fi).

A Apple caprichou em pontos que sempre foram prioridade para Steve Jobs: design, resolução da tela e áudio. A tela de 12,9 polegadas é retina, claro, e tem 5,6 milhões de pixels. Para melhorar a experiência de ouvir músicas ou o som de filmes e jogos, ele vem com quatro alto-falantes que, conforme a Apple, oferecem 61% a mais de volume que os modelos anteriores.

A empresa da maçã vem dizendo que ele não é só um iPad grande, mas um grande iPad. Depois de achar que o iPhone 5 era grande, não caberia em alguns bolsos, era longo demais e acabar comprando um e adorando, não vou dizer aqui que definitivamente não gostei. Acho que para o principal uso do meu iPad hoje, ele não é o produto ideal. Mas…

Ah, não dá pra ignorar que ele vem com uma stylus. Quem viu a apresentação de Steve no lançamento do primeiro iPhone sabe o quanto ele era contra isso.

Apple vs Google: a briga que causou uma revolução

28 de julho de 2015 0

O mundo mudou, mas não foi por causa do iPhone, como acreditam os Apple maníacos. Foi por causa da internet. “O que os consumidores mais queriam era levar a internet consigo para onde fossem.” Para isso, Apple e Google passaram a buscar soluções móveis em uma disputa que causa crescimento tecnológico a todos. Smartphones, tablets e o que mais vier são só as consequências disso.

No livro Briga de cachorro grande: como a Apple e o Google foram à briga e começaram uma revolução, de Fred Vogelstein, estão os bastidores do crescimento e do confronto entre duas das maiores empresas do mundo.

Larry Page, CEO do Google, questiona as disputas judiciais, que são parte central na obra. “Deveríamos estar criando coisas maravilhosas que não existem, certo? Ninguém progride sendo negativo. E as coisas mais importantes não envolvem o lucro de um e o prejuízo de outro. Há muitas oportunidades por aí. E podemos utilizar a tecnologia para produzir coisas realmente novas e importantes para melhorar a vida das pessoas.”

O livro mostra a gigantesca diferença entre a cultura das empresas. O Google possui uma postura menos rígida, mais aberta à experimentação por parte de seus colaboradores. Contrata os melhores engenheiros recém saídos das melhores faculdades e os estimula a manter o clima de criatividade dos campi. A Apple é dura, trabalha colocando uns funcionários contra os outros. Ela se vê acima do resto da indústria e acredita que todos querem copiar as tecnologias que usa. “E mesmo quando alguém lhe mostrava que alguma coisa já existia antes, que não havia sido inventada por ele, Jobs continuava acreditando que fora uma invenção da Apple. De nada adiantou mostrar os outros lugares em que o multitoque havia sido usado antes, ou os lugares nos quais a rolagem já era feita com os dedos, ou a expansão do zoom das coisas [com os dedos]; nada daquilo o convenceu.”

Até a forma de fazer dinheiro era diferente: “o negócio da Apple dependia da venda de seus dispositivos por um preço bem superior ao custo de produção e da utilização desse dinheiro para desenvolver novos produtos. A abordagem do Android era o extremo oposto disso. O Google estava prestes a expandir a plataforma sem considerar o custo ou o lucro desses dispositivos. Ganhava dinheiro com publicidade, não com hardware.”

O livro também mostra como a briga entre as empresas modificou o mundo e o mercado, especialmente o de consumo de entretenimento.

“O iPod e o iTunes mudaram a maneira pela qual as pessoas compravam e ouviam música. O iPhone mudou as expectativas das pessoas em relação aos seus celulares. O iPad, no entanto, estava virando pelo avesso cinco indústrias. Estava mudando a forma pela qual os consumidores compravam e liam livros, jornais e revistas. E modificava a maneira pela qual eles assistiam a filmes e à televisão. As receitas desses negócios totalizavam cerca de 250 bilhões de dólares, ou aproximadamente 2% do PIB.”

Ao fim da obra, admiro ainda mais Larry e Sergey por criarem uma plataforma para uso das massas. Nas citações de seus líderes fica clara a defesa por um mundo mais igual, com acesso a tecnologia para todos. Do outro lado, Jobs, cuja personalidade me faz questionar muita coisa, inclusive o quão vilão foi Bill Gates lá na criação do computador pessoal.

Alternando entre acordos firmados e segredos guardados, Briga de cachorro grande mostra muitas das ramificações da história deixadas de lado em outras biografias. O autor questiona não só o passado, mas os papéis desempenhados por Google e Apple no futuro da humanidade e nos seus hábitos de consumo. Enquanto a disputa persistir, tenho a opinião de que seguiremos ganhando.

Gênios, geniosos e altamente capacitados, esses caras me inspiram a crescer e a trabalhar mais pesado a cada livro que leio sobre eles.

Leitura recomendada!

Você usa o Google+?

21 de julho de 2015 2

imageAo me inscrever em um curso online, na tarde de domingo, fui convidada pelos professores a participar da comunidade dos alunos no Google+. Imediatamente acessei o app no iPad e entrei no grupo. Vi que algumas pessoas manifestavam sua ansiedade pelo início das aulas e outras se apresentavam. Não escrevi nada e saí.

Ontem à noite, naquela tarefa básica de eliminar os apps do multitarefa, vi o Google+ e resolvi entrar pra navegar um pouco. Sério, acho que fazia quase um ano que isso não acontecia. Fiquei pensando: por que a rede social do Google não pegou?

No tempo em que eu naveguei, descobri que os comentários mudam automaticamente abaixo das postagens (vai trocando de um para outro), vi que as fotos entram bem grandes, o que é super legal, e percebi que faço parte de boas comunidades focadas em internet e tecnologia, alguns dos meus principais interesses. O Google+, se bem configurado, pode ser uma ótima forma de se manter atualizado a respeito de assuntos que curtimos, sem a bolha do Facebook repetindo postagens que estão bombando entre os amigos.

Eu devo ter percebido essa possibilidade de me informar por ali quando configurei o meu perfil. Mas então, por que, sabendo que é legal e sendo uma admiradora das ferramentas do Google, eu não uso? Pode ser muita rede social para pouco tempo no meu dia? Pode. Pode ser porque todo mundo está no Facebook? Pode. Pretendo ter certeza do motivo a partir do início do curso. Como muitas atividades acontecerão na comunidade, vou me obrigar a entrar, e aí vamos ver se essa rede me pega ou se largo de vez.

20 anos da Folha na web

09 de julho de 2015 0

imageA Folha de S. Paulo celebra hoje 20 anos de noticiário na internet. Em 9 de julho de 1995, entrou no ar a FolhaWeb. A reportagem que conta parte da história online do jornal, publicada na edição impressa de ontem, informa que o mundo online era algo tão novo, que a matéria que apresentava a FolhaWeb tinha o texto “entenda o que é a internet”. A rede mundial de computadores tinha começado a funcionar de modo comercial dois meses antes.

Sou uma grande admiradora da Folha. Acho um jornal classudo, de credibilidade e inovador, tanto em projeto gráfico quanto em títulos criativos e pautas diferentes. Sobre a internet, bom, aí já começamos a falar da Folha lembrando que foi o primeiro site de jornal a cobrar por conteúdo. Acredito que o pagamento dá mais valor ao trabalho feito por empresas de comunicação sérias. Sou assinante digital da Folha há mais de um ano e, graças à internet, posso ler no iPad a edição do dia. Durante muito tempo, só pude ler a Folha quando viajava para o centro do país. A internet derruba barreiras.

A rede mundial de computadores é o assunto do caderno Tec da Folha nesta semana. Uma linha do tempo se espalha pelas páginas e há muitos dados de conectividade. Apenas uma página é dedicada aos 20 anos da Folha na internet. A maior parte do caderno tem dados bastante atuais sobre quem acessa o que na rede. Eles são resultado de uma pesquisa do Datafolha realizada em junho deste ano. Ela mostra, por exemplo, que 78% dos jovens entre 16 e 24 anos têm um smartphone ou vivem em um lar com um. E conta que alguns deles nem precisam mais de computador, fazem tudo no celular.

Seja no papel, nos sites, no mobile, a crença da Folha é a mesma que a minha: devemos entregar conteúdo relevante, seja na plataforma que for. Foi assim, inclusive, que me apresentei, no primeiro post do Spot.

Parabéns, Folha, pelos 20 anos na web. Tenho certeza que seguirei me inspirando!

Apple Music e iOS 8.4: é hoje!

30 de junho de 2015 1

applemusicassina
É pra ser uma terça-feira e tanto essa! Hoje, a Apple coloca no ar o Apple Music e libera o iOS 8.4. A data de lançamento do serviço de streaming da empresa da maçã estava confirmada para 30 de junho há tempo e eu já escrevi sobre ele aqui no Spot. No fim de semana, saiu o horário. O diretor do Apple Music, Ian Rogers, publicou em seu blog quando o iOS 8.4 será liberado. No fuso horário de Brasília: meio-dia. O serviço de streaming só funciona com essa versão do sistema operacional – e as próximas, lógico! A primeira transmissão da rádio Beats 1 no Apple Music começa às 13h com o DJ Zane Lowe, então o iOS será liberado uma hora antes.

Isso tudo me deixa muito confusa e dividida. Já escrevi sobre o meu receio de instalar um novo iOS no dia em que ele é lançado. Por mais que a Apple invista muito em servidores, há chances consideráveis de ocorrerem problemas. Eu costumo esperar, mas com o Apple Music no ar, cogito arriscar. Não pretendo baixar ao meio-dia, quando grande parte das pessoas estará fazendo isso, mas hoje à noite talvez eu não resista. Pra decidir, vou ler blogs pra conferir como foi a tarde, se houve problemas, se as pessoas conseguiram numa boa.

O importante, para quem quiser arriscar a instalação no primeiro dia, é fazer um backup completo dos arquivos. Isso resolve um dos problemas que podem acontecer, que é a perda de dados, mas já vi amigos desesperados porque o iPhone não ligava mais depois de uma tentativa de instalação mal-sucedida.

As formas para acessar o serviço de streaming estão na imagem deste post. Se alguém estiver com ele rodando hoje à tarde e quiser me contar, a caixa de comentários está aí! Boa sorte pra nós! :)

As minhas impressões sobre o iOS 9

10 de junho de 2015 0

 

Foto: Justin Sullivan / Getty Images North America / AFP

Foto: Justin Sullivan / Getty Images North America / AFP

Entre as novidades que a Apple apresentou na WWDC (Apple Worldwide Developers Conference ou Conferência Mundial de Desenvolvedores da Apple, em tradução livre), o que eu acho que mais vou usar são algumas das funções do iOS 9. O novo sistema operacional para iPhone e iPad era realmente o que mais me provocava expectativa antes da conferência acontecer. Diversos blogs e veículos de informação já trataram da WWDC. Aqui, eu pretendo dizer o que eu mais curti no novo iOS. Se a Apple mantiver a forma de agir de sempre, o sistema chega aos nossos dispositivos em setembro.

* Uso de dois apps ao mesmo tempo no iPad - \o/ pôxa, Apple, finalmente, né! Como é triste não poder colocar rodar um vídeo no youtube enquanto se faz outra coisa no iPad. Essa, pra mim, é uma melhoria e tanto. No Android, isso já é possível há tempo, e eu realmente não entendia por que, iOS novo atrás de iOS novo, seguíamos tendo que usar um app por vez. Pela demonstração na WWDC, o vídeo do youtube fica rodando no cantinho. Ufa! Agora, sim!

* Proactive - será uma espécie de Google Now, adaptado às nossas principais atividades no iPhone ou no iPad. Ele vai “aprendendo” o que costumamos fazer mais e facilitando a nossa vida para chegar aos apps ou às informações que eles oferecem. Vai rodar no Spotlight – o sistema de busca do iOS, acessado arrastando o dedo pra baixo a partir do meio do iPhone em qualquer tela. PS: para quem usa o iOS 6 ou inferior, o Spotlight é a tela que fica à esquerda da principal. No iOS 9, ele volta para essa posição, com o Proactive. Vamos ver. Eu não me entendo muito com o Google Now, até já escrevi sobre isso aqui no Spot, então estou com expectativa em relação a essa novidade.

* iCloud Drive - o sistema de armazenamento na nuvem da Apple ganha um app nativo. Vamos ver. Eu uso o iCloud mais para backup e compartilhamento de fotos entre dispositivos, mas talvez esse app faça com que eu veja mais vantagens. Por enquanto, uso mais o Google Drive.

* Notas - o app de notas vai permitir que se escreva com as mãos e se desenhe. Ajuda no fato de não ser mais preciso ter um app exclusivo para isso instalado, mas não é nenhuma grande inovação. Há vários apps do tipo na App Store há bastante tempo. Eu uso o Bamboo.

Uma mudança que eu achei beeem legal: a Apple se preocupou que o novo iOS rode em dispositivos mais antigos. Promete que o iOS 9 será compatível com todos os aparelhos que rodam o 8. Considero essa uma mudança bastante significativa. Não poder atualizar o sistema operacional porque ele deixa o seu aparelho lento é bastante frustrante. E pra quem cuida, um iPhone e um iPad podem durar bastante. No entanto, da forma que funcionava até agora, era preciso se contentar ou em permanecer com o iOS anterior – sem as sempre tão propagadas novidades – ou em conviver com um sistema lento. Das duas opções: nenhuma! Espero que isso realmente melhore! :)