Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "vídeo"

YouTube está aprendendo qual o melhor thumbnail para seu vídeo

14 de outubro de 2015 0
Reprodução / Google Research Blog

Reprodução / Google Research Blog

O blog do Google Research sempre traz algumas explicações e bastidores legais das práticas do Google. Por isso, eu sigo e sempre dou uma olhada no seu perfil no Twitter.

Vi um post recente que fala das melhorias nas thumbnails no YouTube, as imagens estáticas que representam o vídeo antes de ele rodar ou na área de relacionados, e me interessei.

Os thumbnails são muito importantes para a descoberta de novos conteúdos. Quando você assiste a um vídeo, são eles que podem atrair seu próximo clique. Eles são também a primeira impressão, o que faz com que canais estabelecidos, especialmente os que monetizam seu conteúdo no site, façam imagens especiais, trabalhadas, para chamar a atenção do usuário.

Através de um trabalho com Deep Neural Networks (DNN), os profissionais do Google ‘treinaram’ um programa, alimentando-o com exemplos positivos desses canais, para que ele saiba qual o padrão de um bom frame.

Novamente, o Google se beneficia do grande número de pessoas que usam seus serviços. Como eles têm de canais de pets a jogos de videogame, podem usar todo esse material como orientação para as escolhas da máquina.

Através de um cálculo de pontuação de qualidade, dada pela semelhança com os frames ditos corretos, são escolhidos os thumbnails com os melhores resultados. Em comparações feitas com o algoritmo anterior, 65% das vezes a solução mostrou imagens consideradas mais adequadas do que as que eram oferecidas anteriormente.

Recentemente, o novo método foi introduzido no YouTube, então se você sobe vídeos por lá deve notar uma melhora nas escolhas automáticas.

Essa é mais uma prova de que as máquinas não precisam pensar, mas sim entender instruções e critérios. Se elas aprenderem a escolher as melhores imagens, com foco correto, melhor enquadramento, tipografia mais legível ou qualquer outro parâmetro usado, isso pode influenciar até a ordem em que imagens aparecem na pesquisa do Google, com critério qualitativo somando-se ao algoritmo.

Eu já fiz um post sobre o programa da empresa que tentava legendar fotos a partir de seus elementos. Acho bem legal esse tipo de pesquisa e dou a maior força. :)

Câmera do iPhone 6S é mesmo tudo isso?

11 de setembro de 2015 0
Vice-presidente de Marketing Global da Apple Phil Schiller apresenta os novos iPhones em evento da empresa. Stephen Lam / Getty Images / AFP

Vice-presidente de Marketing Global da Apple, Phil Schiller, apresenta os novos iPhones em evento da empresa. Foto: Stephen Lam / Getty Images / AFP

No anúncio do iPhone 6S, a Apple parece reforçar a sua busca por oferecer a câmera ideal sempre à mão de seus clientes. Os números impressionam os desavisados, mas há mais por trás de megapixels e resolução de vídeo a se levar em conta.

Vale lembrar que tamanho não é o mesmo que qualidade. O aumento das fotos de 8 para 12 megapixels influencia a dimensão final da imagem, não o quão boa é a captura. Apesar de a Apple falar em uma nova tecnologia no sensor e em uma leitura de pixels diferente, poucas são as especificações técnicas da câmera que chegaram ao público. Sobre a objetiva, sabe-se que a abertura equivale a f. 2.2, ou seja, é uma lente rápida, boa para situações de pouca luz – o que não é nenhuma novidade nos telefones.

Nos vídeos, a filmagem em 4K já era esperada. Esse é um passo que pode aumentar a popularidade dos smartphones na mão de entusiastas do cinema. Foi um choque quando uma DSLR foi usada pela primeira vez nas telonas e quando começaram a fazer curtas com os iPhones. Porém, cada vez mais caminhamos para um mundo em que mesmo as ferramentas mais simples podem oferecer resultados de ponta.

Ainda sobre os vídeos, uma funcionalidade legal é a de tirar fotos de 8mp enquanto filma, mas com filmagens a 4K já seria naturalmente mais fácil extrair um frame de altíssima qualidade se necessário. E se você pensa em brincar com a velocidade da filmagem, saiba que terá de abrir mão da resolução, já que as gravações em 4K terão somente 30 quadros por segundo. Deve-se gravar em 1080p para 60 ou 120 quadros e em 720p para até 240 qps no modo slow motion.

O time-lapse recebeu uma certa atenção e o produto final deve ficar mais próximo de vídeos do tipo hiperlapse, com estabilidade melhorada através de um ajuste inteligente que mede os quadros anterior e seguinte para posicionar a imagem. Vale testar.

Posso me enganar, mas a tão bajulada Live Photos, que é a captura de pouco mais de um segundo de movimento para caso você queira ver o que aconteceu imediatamente antes ou depois de uma fotografia, parece-me destinada ao fracasso. O recurso já existe em outras marcas e nunca explodiu em popularidade. É mais provável que o vejam como um vídeo com tempo limitado do que como uma foto que acontece por mais tempo. Na comparação, a Foto com Som da Samsung me interessa muito mais, pois remonta aos audioslides, capturando o áudio ambiente por alguns segundos após o clique.

No dia deste post, as cinco câmeras mais populares no Flickr, rede social povoada por fotógrafos, são, em ordem, iPhone 6, iPhone 5s, iPhone 5, Galaxy S5 e iPhone 6 plus. O 6S deve encontrar seu espaço nessa lista em breve. A mentalidade mobile dá muito mais importância para uma câmera que está com você em todos os momentos do que para algo com cara profissional, com muito peso. Some isso ao processamento da câmera, que deixa as fotos com cara de prontas mesmo sem edição, e a expectativa do usuário comum é alcançada com sucesso. O profissional usa pela praticidade, mas, enquanto os arquivos RAW forem deixados de fora dos smartphones, há ainda muito mercado a ser ocupado pelos fabricantes de compactas e mirrorless.

Por que o Instagram passou a a aceitar outros formatos além do quadrado?

29 de agosto de 2015 0
Agora é possível controlar a intensidade da aplicação de filtros nos vídeos

Agora é possível controlar a intensidade da aplicação de filtros nos vídeos

Desde a atualização 7.5, o Instagram passou a oferecer a opção de usar fotografias e vídeos em seu formato original, sem a necessidade do corte quadrado. Agora, com o uso de um botão no canto da tela ou dois cliques sobre o conteúdo, é possível manter as orientações horizontal e vertical ou dar o corte padrão do app. Segundo o blog do Instagram, aproximadamente uma em cada cinco postagens na rede não obedecem o formato quadrado, o que faz com que os usuários procurem outros apps para adicionar bordas e manter intacto o aspecto original do arquivo.

A onda do Facebook, dono do aplicativo, é oferecer cada vez mais serviços dentro de seus produtos para que as pessoas não precisem sair dali para nada. O app de fotos estava falhando nesse aspecto. Eu noto que cada vez é mais comum a revisão de decisões a partir da expectativa do cliente. Isso também se reflete na segunda mudança do Instagram. A partir desta versão, todos os filtros para as fotos passam a ser disponibilizados para os vídeos, inclusive com controle de intensidade.

O controle do aspecto pode fazer mais do que deixar as pessoas felizes, pode haver aí uma melhora da qualidade dos vídeos, valendo-se da sensação cinemática que a horizontalidade dá e do uso de todo o enquadramento. Às vezes, eu tiro uma foto já com o formato quadrado selecionado no celular, pensando em postar. Talvez esse seja o início da morte dessa funcionalidade nos telefones. O impacto da mudança no design da rede é mínimo, porque o material será automaticamente centralizado no tamanho quadrado padrão, mas os benefícios são muitos. O Instagram foi das elites, virou popular e segue buscando espaço no grande público. E parece acertar cada vez mais, versão após versão.

Publicação de vídeos de assassinato de jornalistas provoca debate nas redações

27 de agosto de 2015 0

A comunidade mundial assistiu com horror ao assassinato ao vivo de dois jornalistas do canal americano de televisão WDBJ7, a repórter Alison Parker, de 24 anos, e o repórter cinematográfico Adam Ward, de 27 anos, durante a gravação de uma entrevista. O assassino filmou a própria ação, desde que estava com a mira pronta até começar a atirar. Depois de postar as imagens em seu Twitter, o criminoso cometeu suicídio.

O dia foi de discussões nas redações sobre usar ou não os vídeos do câmera e do assassino. A minha opinião é sempre contra mostrar o momento da morte de alguém, então este post não terá nem um, nem outro.

Apesar de esse ser um caso de vingança, ataques a jornalistas são mais comuns do que se imagina. Segundo a International Federation of Journalists, pelo menos 70 membros da mídia foram assassinados neste ano. Mais dezenas e dezenas de exilados, sequestrados, desaparecidos, ameaçados e feridos encorpam os dados. E engana-se quem pensa que é culpa da cultura belicosa no Exterior. Segundo o The Guardian, até o ano passado éramos o oitavo país mais mortal para a classe. Mundialmente, em 90% dos casos os criminosos não pagam pelo que fizeram. Mais um fato alarmante? O número de profissionais mortos é maior em épocas de paz do que em períodos de guerra.

Os jornalistas são os portadores de muitas más notícias, o que cria uma certa má fama. Mas só quem vivencia acontecimentos trágicos deste lado do bloco de notas sabe das noites mal dormidas e das marcas que levamos a cada fatalidade em que trabalhamos.

A nossa luta é por estradas mais seguras, ruas mais seguras, festas mais seguras, escolas mais seguras, enfim, vidas mais seguras. Quem sabe quando todos esses pedidos forem alcançados, alguém possa pensar em tornar a nossa profissão um pouco mais segura também.

Desafio de GIFs animados mostra que dá pra fazer muito com ideias simples

18 de agosto de 2015 0
Imagem: Lynda.com/reprodução

Imagem: Lynda.com/reprodução

Conhecimento move o mundo: na animação, o ditado se aplica fielmente. Com o uso de conceitos como tempo e espaço, o domínio sobre transições e movimentos dá vida a elementos na tela.

Os softwares Flash, After Effects, Blender e Cinema 4D são algumas das ferramentas que permitem esse trabalho. Então o Lynda, que oferece aulas também desses programas, criou um curso de GIFs animados chamado 5 Day Mograph Challenge, que serve para quem trabalha com isso ou quer aprender mais. O curso, em inglês, é feito com base em um desafio. Esta é sua segunda edição.

Os trabalhos dos alunos estão sendo publicados em um tumblr que já tem coisas muito legais. O que mais me interessa é ver os diferentes resultados em torno de um mesmo tema e a criatividade do grupo. Os cinco assuntos são férias, sobremesa, Vegas, dinheiro e fotografia.

Dá pra fazer o curso, grátis por enquanto, ou pelo menos tirar umas ideias dos trabalhos. De qualquer maneira, vale conferir.

Vídeo reúne os 118 gols de Cristiano Ronaldo pelo Manchester United

17 de agosto de 2015 0

image

O que um blog do UOL fez ontem me faz acreditar cada vez mais no jornalismo de curadoria. Temos, nós jornalistas, também o papel de reunir o que circula pela internet, é notícia ou história e empacotar da forma mais fácil para nossos leitores, ouvintes, telespectadores. Enfim, para quem consome informação.

Falo de um post do Trivela para mostrar um vídeo com os 118 gols que o ídolo Cristiano Ronaldo marcou na sua passagem pelo Manchester United. O motivo para compilar as imagens foi a data de ontem. No dia 16 de agosto de 2015, fez 12 anos da estreia do jogador português no clube inglês. Eu convivo com homens e aprendi que assistir a um gol é um momento meio que sagrado, então imagino que, para quem é fã do CR7, cada um dos 47 minutos do vídeo vale a pena.

Com áudios originais e uma abertura legal, o vídeo circulava pela rede. Cabe a nós localizar informações, checar e oferecer bem empacotadas. Foi o caso aqui.

Iron Maiden lança clipe de novo CD com game como tema

15 de agosto de 2015 0

Screenshot_2015-08-15-01-19-22

O álbum The book of souls, da banda britânica Iron Maiden, está em fase de pré-venda. Seu lançamento será no dia 4 de setembro. Para causar um agito entre os fãs, o Iron lançou ontem o vídeoclipe da música Speed of light, que em menos de 24 horas já passava de 1,2 milhão de visualizações.

O clipe relembra jogos clássicos de videogame e fliperama. Para mim, a lembrança mais clara é do jogo Tartarugas Ninjas para arcade, um dos meus grandes vícios de infância. No final, ao estilo Doom ou Quake – ou até mesmo Half-Life – Eddie sai explodindo inimigos e jorrando sangue na tela.

O Iron já apostou em computação gráfica em outros vídeos, mas a relação com jogos nunca foi tão forte. Para os gamers, talvez Californication, do Red Hot Chilli Peppers, tenha sido até então a grande produção que deixou os fãs com vontade de “jogar” um vídeoclipe.

O Iron volta com tudo depois dos problemas de saúde do vocalista, Bruce Dickinson. Eu curto muito a banda, fico na espera com esse baita teaser do grupo e já até encomendei a minha cópia digital do CD via iTunes. Up the irons!

Atualização do Facebook para iOS foca nos links

07 de agosto de 2015 0

imageAs explicações do Facebook na App Store quando tem atualização disponível costumam ser genéricas e repetitivas. As mudanças são apresentadas durante o uso do app. Dessa vez também foi assim. No primeiro acesso após a atualização no iPhone, o Facebook me mostrou uma novidade: encontrar um link para adicionar à minha publicação. Tirei um print para postar aqui e cliquei. Fui levada para uma tela com uma série de links, a maioria relacionados aos assuntos que eu gosto, ou seja, a ideia de novo é reforçar a vida dentro da bolha. Se eu gosto disso, vou ver isso. No Facebook, a possibilidade de conhecer novas opções está cada vez mais distante.

Mas não pensei só no algoritmo que restringe a nossa visão de mundo. Pensei também que o Mark Zuckerberg está atirando para todos os lados (e aqui não se trata de algo ruim).

image

Recentemente, foi anunciado que as postagens com vídeo apareceriam mais na timeline dos internautas. Agora, com esse novo botão, imagino que ele decidiu apostar em links. As fotos, que por um bom tempo tiveram o maior alcance, parece que estão ficando para trás. Na minha cabeça, faz sentido. Link é o que faz a internet, e vídeo é a mídia própria do mobile.

E, é claro, pelo que já construiu e pelo domínio que tem hoje, Mark deve saber bem o que faz. :)

 

Dica de aplicativo para câmera lenta: Slow Fast Slow

04 de agosto de 2015 0

Um dos motivos que me fez demorar tanto para comprar um telefone novo é que eu queria um com algumas especificações de vídeo, incluindo câmera lenta. O iPhone 5s grava em 120 fps, o que dá uma margem legal para a edição da velocidade – o vídeo normalmente tem 25 ou 30 fps, o que permite o uso quatro ou cinco vezes mais lento sem qualquer “pulo”.

Resolvi colocar no modo câmera lenta e tentar capturar alguns dos raios da noite passada. Depois de alguns minutos, uma imagem de poucos segundos que era interessante surgiu. Fiz o corte no app nativo de vídeos do celular, mas não soube como editar a velocidade por ali. Fui à App Store.

Rapidamente, em uma busca por slow motion, encontrei alguns aplicativos que poderiam resolver meu problema. O Slow Fast Slow é a minha dica. Com o uso de curvas e pontos para ajustar a velocidade, o app acaba se tornando muito fácil de usar.

image

Além de corte e ajuste de velocidade, ele oferece escolha do tom do áudio, reversão de vídeo e salvamento nos formatos original e quadrado, com a opção de cortar a imagem ou deixar bordas.

image

Era o que eu precisava, algo simples e prático. Compartilho o resultado abaixo. App recomendado!

Veja como foi fotografado o plano de fundo do Windows 10

26 de junho de 2015 0

O novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 10, deve ser aberto ao público no dia 29 de julho. Como as imagens dos sistemas da empresa são vistas por milhões, talvez bilhões de pessoas, cada escolha do próximo plano de fundo padrão pode criar um novo ícone visual para uma geração.

Desta vez, a imagem padrão é uma fotografia, criada a partir de objetos físicos, hologramas e design visual. Basicamente, a imagem é uma superfoto criada em estúdio sob a direção de Bradley G. Munkowitz, também conhecido como GMUNK.

Segundo a própria descrição do vídeo de bastidores, nem todas as imagens são criadas da mesma forma. O uso de lasers, máquinas de fumaça, filtros coloridos e mais uma parafernalha faz a Microsoft ser cool novamente, segundo alguns comentários no YouTube. Para mim, ela segue sendo um gigante que, sempre que puder, vai ostentar seu poderio. Será que a empresa do Bill Gates vai se recuperar nos próximos anos? A Paula fala um pouco sobre isso em outro post.

O fato é que a ideia ficou legal. Mas será que precisava tudo isso de produção? Será que vale toda a grana e todo o trabalho investidos pra dizer que o resultado foi feito da maneira antiga, sendo que um bom designer com um Photoshop em mãos poderia chegar ao mesmo produto final? Tenho minhas dúvidas. Só sei que, com tanta infraestrutura robótica e visual por trás, a fotografia ficou como coadjuvante no processo.

Windows 10 wallpaper