clicRBS
Nova busca - outros

Um balaio de plurais

Na extensa correspondência do Sua Língua, selecionei meia centena de respostas rápidas sobre o PLURAL de substantivos e adjetivos. Aqui vão as primeiras vinte. Embora se trate de casos particulares, certamente o leitor vai perceber que a flexão de número obedece a princípios extremamente regulares.

porta-voz

A gentil Carla quer saber o plural de porta-voz; porta-bandeira, diz ela, “faz o plural porta-bandeiras, mas isso não seria válido apenas para coisas? Como em porta-voz são várias pessoas que respondem por outras, o plural não poderia ser portas-vozes?”.

RESPOSTA Minha prezada Carla: o problema nada tem a ver com objetos ou pessoas, mas sim com a formação do vocábulo composto. Qualquer combinação do tipo [verbo + substantivo] só pode flexionar, por motivos óbvios, no substantivo. Por isso, saca-rolhas, porta-bandeiras, porta-vozes, guarda-chuvas, etc. Sinto muito, mas *portas-vozes é uma flexão impossível.


beija-flor (1)

A leitora Mitiko gostaria de saber qual o plural de beija-flor.

RESPOSTA Minha cara Mitiko: beija-flor forma o plural beija-flores, assim como chupa-cabra e papa-pinto (que apresentam a mesma formação [verbo+ substantivo] formam chupa-cabras e papa-pintos.


beija-flor (2)

William P., de Sertãozinho (SP), diz ter pesquisado o plural de beija-flor numa gramática bem conhecida [cujo nome prefiro não mencionar para não fazer propaganda de produto ruim] e encontrou beijas-flores, “porque beija não estaria se referindo ao verbo beijar e sim ao animal beija-flor“.

RESPOSTA – Se aquele gramático disse isso, William, ele devia ter bebido (e não foi pouco!). O plural sempre foi beija-flores, porque aqui está, sim, o verbo beijar. É a formação mais comum de nossos compostos: um verbo transitivo na 3ª pessoa do singular seguido de um substantivo que exerce a função de objeto direto. Obviamente, só pluraliza o substantivo, como em pica-fumos, bate-estacas, porta-bandeiras,vira-bostas, guarda-roupas, etc.

pastelzinho

Alexandre, de Limeira, trabalha com propaganda e quer saber qual a forma correta para o plural de pastelzinho: pastéiszinhos (SZ), pastéizinhos (IZ) ou pastelzinhos (LZ)

RESPOSTA – Meu caro Alexandre, deste três marteladas na tábua e nenhuma no prego! O plural de pastelzinho é feito em duas etapas: (1) levamos separadamente para o plural tanto pastel quanto zinho, que são os elementos que compõem este diminutivo: pastéiszinhos; (2) unimos agora tudo de novo ocasião em que cai o acento e o S desaparece: pasteizinhos.


médico-hospitalar

Luís Henrique quer saber qual é o plural de serviço médico-hospitalar e se esse hífen é realmente necessário.

RESPOSTA – Meu caro Luís Henrique, escreve “serviços médico-hospitalares“. Quando um adjetivo é formado pela união de dois outros adjetivos, só o segundo vai variar. Se não quiseres usar o hífen, vais ter de decompor o adjetivo em dois elementos autônomos, aí sim com flexão dupla: “serviços médicos e hospitalares


histórico-literário

Ed S., de Porto Alegre, quer saber qual é o plural de histórico-literário.

RESPOSTA – Meu caro Ed: panorama histórico-literário, revisão histórico-literária, panoramas histórico-literários, revisões histórico-literárias. Como vês, os adjetivos compostos só flexionam o segundo elemento, seja em gênero, seja em número.


refil

Danilo C., de São Paulo, precisa saber o plural de refil.

RESPOSTA – Meu caro Danilo: apesar de refil ter vindo diretamente do Inglês refill, ao entrar em nosso idioma passará a ter o plural dos vocábulos com o mesmo perfil fonológico: barril, barris; funil, funis; refil, refis.


gado

Um leitor anônimo pergunta se a palavra gado pode ser usada no plural, em frase do tipo “Comprou trezentos e vinte e três gados“.

RESPOSTA – Meu caro anônimo: é claro que gado tem plural, como qualquer substantivo, mas seu uso é muito raro (“a doença atinge os gados vacum e ovelhum”, por exemplo). Não é o caso, no entanto, da frase que deste como exemplo. Ali não se trata de gado, mas de reses. Usa, portanto, “Comprou trezentas  reses“, ou “Comprou trezentas cabeças de gado“.


vice

Taíse V., de Nova Prata (RS), comenta uma manchete de jornal de sua cidade: “Vices-prefeitos governam municípios da região”. O plural da palavra vice-prefeito está correto?

RESPOSTA – Não, minha cara Taíse. O plural é vice-prefeitos. “Vice” é um prefixo invariável; tu só o verás no plural quando estiver substantivado: “Na reunião, estavam presentes todos os diretores e os cinco vices“.


federal

A leitora Ana Rosa L. estranha quando os noticiários falam em rodovias federais, faculdades federais, policiais federais. Pergunta: “Isso está correto? Pois que eu saiba, referindo-se ao Brasil, é tudo uma federação só. O certo não seria os policiais federal“?

RESPOSTA – Minha cara Ana Rosa: federal, aqui, é um adjetivo; deve, portanto, concordar com o substantivo a que se refere: “os policiais federais”, “as faculdades federais” do mesmo modo como temos “leis municipais”, “impostos estaduais”, etc. O fato de sermos uma só federação influi nas nossas relações jurídicas, tributárias, sentimentais, etc. mas jamais na maneira como um adjetivo se relaciona com o substantivo que acompanha.


curriculum vitae (1)

Giane gostaria de saber qual é o plural de curriculo vitae.

RESPOSTA – Prezada Giane: não existe *curriculo vitae. Ou tu usas em Latim curriculum vitae , ou em Português, na sua forma já modernizada apenas currículo. Se usares no Latim, o plural é curricula vitae; no Português, é claro que é currículos.


curriculum vitae (2)

Ney C., professor de Português, pergunta se o plural de curriculum vitae não seria curricula vitarum (genitivo plural, 2ª declinação). “Afinal, temos de passar os dois termos para o plural, não?”.

RESPOSTA – Meu caro Ney: não, não temos. Lembra que não precisamos (ou devemos) levar os adjuntos adnominais para o plural, automaticamente, quando flexionamos o núcleo do sintagma e isso vale tanto para o Latim, quanto para o Português. “Carreira de vida”, “carreiras de vida”. O plural de curriculum vitae é curricula vitae; vitae continua no genitivo singular como, aliás, podes ver no Aurélio.

[mais sobre curriculum aqui]


símbolos internacionais

A leitora Iria gostaria de saber por que não se deve colocar o s, quando estamos abreviando a palavras horas, no plural.

RESPOSTA – Minha cara Iria: porque o s é marca do plural em algumas línguas, mas não em todas. É por isso que os símbolos internacionalmente usados nunca indicam o plural: 2m, 3kg, 14h.


segunda-via

Professor, qual é a forma correta? “Eu solicitei as segundas vias das contas” ou “Eu solicitei a segunda via das contas”? Um amigo disse que a segunda via não tem plural. Ele está certo no que diz?

Walda M.

RESPOSTA – Minha cara Walda: podes escolher a forma que mais te agradar: “Mandei as cópias das onze faturas” ou “mandei a cópia das onze faturas”; “arquivei os canhotos de todos os recibos” ou “arquivei o canhoto de todos os recibos”. Nesses exemplos, eu prefiro o singular segunda-via, cópia, canhoto , mas o plural também está correto.


Vossa Excelência

Rosemary, de Campinas, gostaria muito de saber qual a verdadeira abreviatura de Vossa Excelência, principalmente no plural.

RESPOSTA – Minha cara Rosemary: isso não é um segredo; a abreviatura para Vossa Excelência é V.Exa., plural V. Exas. assim mesmo, sem aquelas letras alçadas que se usavam antigamente. É claro que os mais saudosistas podem ainda conseguir o mesmo efeito, usando, no Word, as letras sobrescritas, mas isso é um preciosismo que não tem mais razão de ser.


real (1)

Professor, sempre usei um real, dois reais, acostumando-me, inclusive, a corrigir quem fala *dez real. No entanto, para minha surpresa, ouvi dizer que não fica errado se deixarmos a palavra real no singular, e gostaria de esclarecer esta questão.

Loiva F. – Pelotas (RS)

RESPOSTA – Minha cara Loiva: não dês ouvidos a quem disser um absurdo desses. É claro que real vai flexionar no plural! Aliás, como qualquer moeda do mundo: dez dólares, dez francos, dez libras. Todas elas têm plural.


real (2)

Faz aproximadamente um mês que estamos em uma discussão a respeito do nosso real. O senhor publicou um artigo sobre isso, mas um colega encrenqueiro diz que o Sr. se contradisse, ao declarar que, seja real ou reais, continuará chamando de mil-réis. Por favor, ajude-nos a solucionar este enigma. Liliane

RESPOSTA – Prezada Liliane: pelo jeito, esse colega, além de “encrenqueiro”, ainda lê muito mal. Eu disse com todas as letras que o plural de real é reais e ponto. Brincando, disse que uso mil-réis vê bem que se trata de “mil” como nome genérico da moeda brasileira, que já mudou tantas vezes durante a minha curta existência. Portanto, ao longo do tempo, dez cruzeiros, dez cruzados ou dez reais (notaste o plural em todos eles?) sempre terminavam chamados de dez mil-réis na boca do povo. Como podes ver (e como deixei bem claro naquele artigo), isso nada tem a ver com a flexão real, reais, que continua valendo para todos aqueles que falam Português.

[Leia mais sobre o real aqui]


mala-direta

Rosangela e Silmeire, de São Paulo, precisam saber qual é o plural correto: as mala-diretas ou as malas-direta?

RESPOSTA – Prezadas leitoras: quando um composto contiver um substantivo e um adjetivo, na ordem normal do sintagma (que é S+A), ambos os elementos vão ser flexionados, assim como seriam flexionados se fossem apenas dois elementos independentes: assim como temos casas amarelas e unhas pintadas, teremos malas-diretas e onças-pintadas.


uva-passa

Carlos G. M. estranha que uma fábrica de excelentes chocolates tenha estampado em um de seus produtos a expressão “Chocolate ao leite com amêndoas e uvas-Passa“. Pergunta: “Não seria uvas-passas? Procurei no Aurélio, mas ele nada diz a respeito”.

RESPOSTA – Prezado Carlos: o Houaiss (que é muito melhor) já registra o vocábulo: uva-passa, plural uvas-passas, como tu pensavas. Eu também usaria assim, mas certamente a fábrica usou uvas-passa por interpretar esse composto de uma maneira diferente de como nós o fazemos (todas as discrepâncias quanto ao plural de um vocábulo composto nascem daí da maneira como os falantes interpretam a relação entre os elementos que o compõem). Talvez ela o esteja colocando ao lado de hora-aula, folha-padrão, etc., em que o segundo substantivo, como serve para especificar o primeiro, fica invariável: horas-aula, folhas-padrão. De qualquer forma, vamos ficar com o Houaiss.


troféu

Andréia, de São Paulo, pergunta por que o plural da palavra troféu não recebe a terminação -is, como anel, anéis.

RESPOSTA – Prezada Andréia: todos os vocábulos terminados em -éu fazem o plural pelo simples acréscimo do S: chapéu, chapéus; ilhéu, ilhéus; troféu, troféus. Os terminados em -el já são vinho de outra pipa, recebendo a terminação -is: papel, papéis; pastel, pastéis; carretel, carretéis. Evita aplicar a regra trocada; é muito comum o erro do tipo *troféis.

[leia mais sobre troféu aqui]

[leia também: Mais um balaio de plurais]

Depois do Acordo: Andréia > Andreia

(aplicável ao nome genérico)