clicRBS
Nova busca - outros

Artigos em Emprego das letras

A cedilha de David Coimbra

Quando você escreve, leitor, você é um AFLITO ou um DESPREOCUPADO? Estes usam o idioma com a feliz inocência de quem caminha sem olhar onde pisa; aqueles estão atentos a cada letra, a cada palavra que escrevem.

ler completo
Argélia ou Algéria?

Um leitor pergunta por que nós escrevemos “Argélia”, quando o mundo todo parece preferir “Algéria”. A explicação é histórica: quando o mundo optou pelas formas francesas, “Alger” e “Algérie”, nosso léxico já usava “Argel” e “Argélia” há muito tempo.

ler completo
tuitar

Afinal, o que faz quem usa o Twitter? Tuíta, twitta ou tweeta? Há controvérsias, mas sem fundamento algum.

ler completo
homem não é o masculino de mulher

“HOMEM não tem feminino, MULHER não tem masculino” — ao menos na gramática, esclarece o Doutor.

ler completo
os seis melhor colocados

No torneio final, jogam os seis MELHORES colocados ou os seis MELHOR colocados? E MAIS BEM colocados, pode usar? O Doutor adverte: esta é uma encruzilhada perigosa.

ler completo
translineação com dígrafos

Ao dividir CLASSIFICADO no final da linha, uma leitora deixou CLASSI de um lado e FICADO do outro. Seus colegas a acusam de “assassinar a língua portuguesa”, mas o Doutor vem em sua defesa.

ler completo
portfolio, portfólio ou portifólio?

As palavras de origem estrangeira sofrem adaptações ao entrar em nosso idioma. Isso é muito bom, mas nem sempre é muito simples: é portfolio, portfólio, portifólio ou porta-fólio?

ler completo
Luísa

Sara A., corujíssima avó de São José dos Campos (SP), tem uma questão sobre a grafia correta do nome da netinha que vai nascer em breve: “Uns apostam que é Luisa, outros Luísa; outros mais, Luiza e Luíza. As alegações vão desde o “assim é mais bonito” e “o da bisavó era assim, com z [...]

ler completo
regras para formar novas siglas

Beatriz Campetti gostaria de saber se existem regras para a formação de uma sigla e se existe um limite para o número de caracteres. Prezada Beatriz: não existem regras. As siglas são formadas à vontade do usuário, mas a maioria delas fica restrita ao ambiente em que são utilizadas (eu trabalhei no Banco do Brasil [...]

ler completo
Punta del Este

  A leitora Lisiê estranho a correção que fizeram na redação de seu filho. “A professora pediu que os alunos falassem sobre o local onde costumam passar as férias. Meu filho está na quarta série e escreveu sobre uma viagem nossa a Punta del Este, mas a professora corrigiu para Punta de Leste. Fui à [...]

ler completo
saite, mause e clique

Maneco V., do Rio de Janeiro, diz que tem recebido críticas por escrever alguns termos usuais na Informática da forma em que são pronunciados — saite, mause, clique, etc. — e gostaria de saber o que o Doutor pensa sobre isso. Meu caro Maneco: tens recebido críticas de quem, cara-pálida? De professores de Português? Aposto [...]

ler completo
Estados Unidos e Nova Iorque

Um leitor americano escreve, comentando a concordância “os EUA são” e fazendo alguns reparos ao que foi dito sobre Nova Iorque. O Doutor agradece e retruca.

ler completo
formação de abreviaturas

Nem todas as palavras têm, ou merecem ter, uma abreviatura específica.

ler completo
Erexim

Existe alguma razão para escrevermos nomes de origem indígena com X, e não com CH? O Doutor explica que sim.

ler completo
o X do xópin

1) Prezado Doutor: li sua resposta acerca das opções de uso, em língua portuguesa, para a palavra Shopping Center e fiquei curiosa… Por que a sugestão da escrita xópin, xópins? Não seria admissível escrever”chópim ou chópin? Por que a preferência pelo X, uma vez que são poucas (relativamente) as palavras portuguesas iniciadas com esta letra? [...]

ler completo
viajem ou viagem?

Professor, saudações! Gostaria de saber quando empregamos as palavras  viagem e viajem. Obrigada  Tsiu. Minha cara Tsiu: em primeiro lugar, lembra sempre que todos os substantivos terminados em –agem (com exceção de pajem e do obscuro lajem) são grafados com G. Viagem é o substantivo. Dele deriva o verbo viajar, que, naturalmente, é obrigado a [...]

ler completo
úmido, umedecido

Caro professor: como é, mesmo? Se algo se molha, fica ÚMIDO, e se eu o molho, fica UMEDECIDO (e não umidecido)? Grato. Rebelo Meu caro Rebelo: não é bem assim. Se algo se molha, fica úmido ou umedecido; se eu o molho, fica também úmido ou umedecido. O problema não é estar no pólo passivo [...]

ler completo
os sons do X

Olá, professor Moreno: prestarei um concurso em que teremos de ministrar uma aula expositiva; um dos temas do programa é “Os sons do X“. Seria possível alguma orientação a respeito? Conheço cinco diferentes tipos, porém fiquei sabendo que são nove. Marta O., professora Prezada Marta, tua pergunta tem uma pequena imprecisão inicial, que vou eliminar [...]

ler completo
Pequim ou Beijing?

Veja  por que vamos continuar usando Pequim, Nanquim e Cantão, em vez de Beijing, Nanjing e Guangzhou, como recomenda o governo chinês. Oi, professor! Um dia desses, durante um bate-papo com um amigo, surgiu uma discussão que não conseguimos encerrar. Falávamos sobre o Extremo Oriente, quando mencionamos a cidade de Pequim. Aí então o papo [...]

ler completo
O nome do Y e do W

Como é, em Português, o nome das letras W e Y? Dabliú e ipissilone não é nome em Português, ou é? Obrigado.  Odilon d’Almeida — Curitiba Meu caro Odilon: apesar das controvérsias, o nome do Y é mesmo ípsilon, com as variantes populares bem conhecidas de ipsilone, ipissilone ou até mesmo “pissilone”, como se pode [...]

ler completo