clicRBS
Nova busca - outros

Artigos em Como se escreve

anti-EUA

A ortografia é vasta demais para ser regulada por leis elaboradas por uma simples comissão eventual. Há vários pontos que deverão ser solucionados pelo bom senso de quem escreve. Este é o caso do prefixo ANTI.

ler completo
translineação com dígrafos

Ao dividir CLASSIFICADO no final da linha, uma leitora deixou CLASSI de um lado e FICADO do outro. Seus colegas a acusam de “assassinar a língua portuguesa”, mas o Doutor vem em sua defesa.

ler completo
portfolio, portfólio ou portifólio?

As palavras de origem estrangeira sofrem adaptações ao entrar em nosso idioma. Isso é muito bom, mas nem sempre é muito simples: é portfolio, portfólio, portifólio ou porta-fólio?

ler completo
imbróglio?

Um dia desses, em uma entrevista na TV, ao comentar a confusão legislativa que se criou em torno da desastrada reforma ortográfica com que andam nos ameaçando, eu a chamei de imbroglio (“confusão, maçaroca”), vocábulo que muito aprecio, pronunciando-o à italiana — /imbrólho/. Pois duas horas não eram passadas e eu já recebia, pelo correio [...]

ler completo
sequência de advérbios em -mente

Professor Moreno, sempre tive dúvida em relação à acentuação dos advérbios de modo usados em conjunto. Explico melhor: rapidamente não leva acento, certo? Entretanto, se eu disser “Ele se afastou rapida e silenciosamente“, devo acentuar rápida? Ou considerá-lo como uma espécie de abreviação do advérbio e deixá-lo sem acentuação? H. Shimura, 17 anos — Guarulhos [...]

ler completo
Bom dia, bom-dia

Caro Professor, em uma mensagem eletrônica ou em uma carta, o cumprimento “bom dia” pode ser escrito sem hífen? Lucia — Curitiba Em qualquer circunstância, Lucia — carta, bilhete, e-mail, etc. —  a saudação vai ser escrita sem hífen: “Bom dia!”. Quando for um substantivo, no entanto, deve ser hifenizado: “Deu um bom-dia sem graça [...]

ler completo
Não compre o novo VOLP! 3ª parte

[publicado em 19/06/2009] Neste artigo, como nos dois primeiros, o tema não é o novo Acordo, do qual sou crítico declarado e inimigo irredutível, mas o Vocabulário Ortográfico que nossa Academia deu à luz, em parto desastrado e prematuro. Isso significa que não vou avaliar aqui as mudanças propostas pela última Reforma, sobre (e contra) [...]

ler completo
Mário Quintana - com acento

Foi só entrarmos no ano do centenário do Quintana e comecei a receber consultas sobre a maneira mais adequada de grafar seu prenome: devemos escrever Mario, como ele sempre assinou, ou Mário, acentuado, como manda a regra? Eu não hesito em escolher a segunda hipótese: é Mário, rimando fônica e graficamente com o inseparável armário. [...]

ler completo
hífen ou travessão

Embora muita gente misture um com o outro sob a denominação genérica de “tracinho”, o hífen e o travessão são caracteres bem diferentes.

ler completo
repetição do hífen na translineação

Prezado Doutor, com o grande sucesso do uso do computador para se redigir textos, tenho observado que raramente ocorre a separação das sílabas das palavras (translineação), pois os programas se incumbem de ajustá-las ou passá-las para a outra linha, com exceção das formas pronominais. Neste caso, como proceder quanto ao traço de separação? Deve-se colocar [...]

ler completo
nomes de idiomas em maiúsculas

Um implacável leitor estranha, no Sua Língua, o nome dos idiomas escrito com inicial maiúscula. O Doutor defende sua opção.

ler completo
doce-de-coco

Uma leitora quer saber se apelido composto também deve ser escrito com iniciais maiúsculas.

ler completo
Luísa

Sara A., corujíssima avó de São José dos Campos (SP), tem uma questão sobre a grafia correta do nome da netinha que vai nascer em breve: “Uns apostam que é Luisa, outros Luísa; outros mais, Luiza e Luíza. As alegações vão desde o “assim é mais bonito” e “o da bisavó era assim, com z [...]

ler completo
regras para formar novas siglas

Beatriz Campetti gostaria de saber se existem regras para a formação de uma sigla e se existe um limite para o número de caracteres. Prezada Beatriz: não existem regras. As siglas são formadas à vontade do usuário, mas a maioria delas fica restrita ao ambiente em que são utilizadas (eu trabalhei no Banco do Brasil [...]

ler completo
Punta del Este

  A leitora Lisiê estranho a correção que fizeram na redação de seu filho. “A professora pediu que os alunos falassem sobre o local onde costumam passar as férias. Meu filho está na quarta série e escreveu sobre uma viagem nossa a Punta del Este, mas a professora corrigiu para Punta de Leste. Fui à [...]

ler completo
saite, mause e clique

Maneco V., do Rio de Janeiro, diz que tem recebido críticas por escrever alguns termos usuais na Informática da forma em que são pronunciados — saite, mause, clique, etc. — e gostaria de saber o que o Doutor pensa sobre isso. Meu caro Maneco: tens recebido críticas de quem, cara-pálida? De professores de Português? Aposto [...]

ler completo
Estados Unidos e Nova Iorque

Um leitor americano escreve, comentando a concordância “os EUA são” e fazendo alguns reparos ao que foi dito sobre Nova Iorque. O Doutor agradece e retruca.

ler completo
formação de abreviaturas

Nem todas as palavras têm, ou merecem ter, uma abreviatura específica.

ler completo
Erexim

Existe alguma razão para escrevermos nomes de origem indígena com X, e não com CH? O Doutor explica que sim.

ler completo
pronúncia do X

Marcelo R., de Passo Fundo (RS), gostaria de saber se há regras gramaticais e de fonética para determinar pronúncia correta do X. “Eu sempre pronunciei, por exemplo, esdrúxulo como /esdrúcsulo/ e não /esdrúchulo/, tóxico como /tócsico/ e não /tóchico/ — o que gerou uma aposta entre amigos, após algumas garrafas de vinho (a dúvida persistiu [...]

ler completo