Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2009

Confiança ofuscada

30 de outubro de 2009 0

Amedrontados ante à divulgação de dados sobre os consumidores norte-americanos, que mostraram uma redução nos gastos e na confiança na economia, os investidores optaram por realizar lucros em Wall Street, contagiando os negócios nos mercados mundiais.

Depois de subir 5,91% na véspera, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) registrou queda de 3,41% e volume de R$ 7,107 bilhões. O Ibovespa encerrou outubro com 61.545 pontos, o que significa alta de apenas 0,05% no período, quando o ouro (2,61%) e os CDBs (0,65%) foram os ativos mais rentáveis. Nos três meses anteriores, as ações haviam liderado com folga o ranking.

Seguindo o rumo do Exterior, onde continuou se apreciando até fechar a US$ 1,4740 por euro, ante mais de US$ 1,50 na semana anterior, a moeda dos EUA teve uma jornada de altos e baixos no Brasil. Após ser negociado a R$ 1,7210, o dólar terminou cotado a R$ 1,7570, com 1,5% de valorização na sessão, encerrando o mês com 0,85% de baixa.

Apesar da indefinição das bolsas europeias pela manhã, os ativos domésticos abriram com tranquilidade, mas bastou Wall Street funcionar para provocar alteração radical nos ânimos dos pregões. A Bolsa de Nova York (Nyse) acabou perdendo 2,51% um dia após a euforia com o retorno do crescimento trimestral do PIB dos EUA. Sinais da economia real pesaram mais nos investimentos do que estatísticas oficiais.

Postado por Marçal

Ajustamento de carteiras

30 de outubro de 2009 0

São Paulo/Bovespa -3,41%

Buenos Aires/Merval -4,06%

Nova York/Nyse -2,51%

Nova York/Nasdaq -2,50%

Amparados em dados indicando queda nos gastos dos consumidores nos EUA, os investidores optaram por fazer ajustes em suas carteiras, já visando o próximo mês, ao mesmo tempo em que embolsaram o lucro obtido nas últimas jornadas. Esse movimento derrubou os preços nos mercados de Nova York e de São Paulo.

Depois de três meses na liderança das aplicações, a Bovespa fechou outubro com apenas 0,05% de alta, bem atrás do desempenho do ouro, que liderou as aplicações com valorização de 2,61% no período. Os CDBs obtiveram 0,65% de rentabilidade média no mês.

Postado por Marçal

Dólar sobe 1,5% no dia e recua 0,85% no mês

30 de outubro de 2009 0

Dólar comercial R$ 1,7550 (compra) e R$ 1,7570 (venda). Alta de 1,50%

Dólar flutuante R$ 1,7800 (compra) e R$ 1,8500 (venda). Baixa de 0,54%

Ágio: +5,29%

Variação do dólar no mês: -0,85%

No ano: -24,72%

Variação do real no mês: +0,85%

No ano: +32,84%

Euro comercial R$ 2,5859 (compra) e R$ 2,5894 (venda). Alta de 0,79%

Contagiado pela evolução da moeda dos EUA no Exterior, onde teve outra jornada de apreciação, sendo negociada em torno de US$ 1,4750 por euro em Frankfurt, o dólar encerrou o mês cotado a R$ 1,7570 no Brasil. Pela manhã, entretanto, chegou a ser vendido até R$ 1,7210. Foi uma sessão de forte volatilidade, também provocada pela disputa em relação à média do dia apurada pelo Banco Central. Chamada de Ptax, essa média serve de liquidação dos contratos no mercado futuro de dólar.

Postado por Marçal

Garantia de lucro nas bolsas

30 de outubro de 2009 0

Um movimento de realização de lucros ganhou força, derrubando as cotações nos principais mercados mundiais. Neste momento, Wall Street despenca 2,3%, e a Bovespa perde mais de 4%, operando em torno de 61 mil pontos.

No mercado de câmbio, o dólar flutuou bastante, mas agora é negociado a R$ 1,7550, com valorização em relação ao dia anterior. A véspera do feriadão está bem complicada e não deve mais mudar de rumo.

Postado por Marçal

Sem vontade de ir às compras

30 de outubro de 2009 0

A Bovespa cedeu mais de 0,3% logo na largada, depois reagiu subindo quase 0,8% e agora opera quase na estabilidade. O dólar é vendido (11h30min) a R$ 1,7280.

Wall Street abriu em baixa, de cerca de 0,4% neste momento, numa jornada em que os investidores demonstram mais interesse em embolsar lucros, afinal, ontem o Dow Jones subiu mais de 2%, do que assumir novas posições.

Assim como ocorria com Paris e Frankfurt, a bolsa de Londres também passou a operar no negativo na Europa.

Postado por Marçal

Retração nos primeiros negócios

30 de outubro de 2009 0

Depois de três sessões de um vaivém trepidante, em que avançou ontem 5,91% após desandar 7,56% em dois dias, a Bovespa começa a operar registrando pequena baixa, o que revela cuidados para assumir posições em véspera de feriadão. A tendência se definirá a partir da abertura das operações nos EUA. O dólar segue com pequena baixa, negociado (11h) a R$ 1,7290.

Na Europa, as bolsas continuam mesclando altas e baixas, com destaque para um discreto avanço em Londres, que na véspera havia subido menos do que os outros mercados do continente. Ou seja, parece que está ocorrendo uma compensação. Wall Street começa a operar daqui a 20 minutos.

Postado por Marçal

Sinais de cautela

30 de outubro de 2009 0

As bolsas orientais fecharam a semana com ganhos refletindo à reação da véspera nas bolsas ocidentais, que foram favorecidas pela interrupção técnica da recessão nos EUA. Os mercados europeus, entretanto, mostram indefinição de rumo ao mesclarem altas e baixas.

No Brasil, ainda como reflexo do retorno do crescimento do PIB norte-americano, o dólar caiu nos primeiros negócios da sessão, mas apresentou uma ligeira reação, sendo vendido neste momento (10h) a R$ 1,73.

São sinais de falta de consenso entre os investidores quanto à recuperação do mercado. Também pesa o fim de semana prolongado, pois segunda-feira será feriado do Dia dos Finados. Os investidores pensam duas vezes antes de tomar posições por tempo maior.

Postado por Marçal

Reação fulminante

29 de outubro de 2009 1

Mais do que um teste de fogo quanto à capacidade de recuperação da economia, a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no terceiro trimestre permitiu a redenção do mercado, que se encaminhava para repetir o péssimo desempenho dos dias anteriores.

Antes do anúncio de que o PIB norte-americano voltou a crescer após um ano, o mercado asiático havia fechado com acentuadas quedas, e as bolsas europeias operavam no vermelho. No Brasil, o dólar abriu muito pressionado, movendo-se rapidamente até R$ 1,7740, mas, assim que saiu a informação, a cotação despencou na mesma velocidade, encerrando o dia a R$ 1,7310, com baixa de 1,37% em relação ao preço da véspera.

Depois de desandar 7,56% em dois pregões, no rastro da virada de rumo do mercado europeu, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) disparou logo na largada, intensificando o ritmo até consolidar ganho de 5,91%. A movimentação somou R$ 7,317 bilhões no pregão, no qual a reação foi liderada por Vale ON (8,87%), Vale PNA (8,58%) e Gerdau PN (7,71%).

Com meia hora de atraso em relação à Bovespa, a abertura em Wall Street confirmou uma jornada espetacular. A Bolsa de Nova York (Nyse) avançou 2,05%, reaproximando-se de 10 mil pontos. O Ibovespa saltou para 63.720 pontos, revigorando os ânimos dos investidores. Muitos, especialmente quem entrou no finalzinho de quarta-feira ou nesta quinta-feira bem cedo, devem se sentir tentados a embolsar lucros o quanto antes.

Postado por Marçal

Valorização tentadora

29 de outubro de 2009 0

São Paulo/Bovespa +5,91%

Buenos Aires/Merval +4,00%

Nova York/Nyse +2,05%

Nova York/Nasdaq +1,84%

Graças à divulgação do PIB dos EUA, que interrompeu quatro trimestres de queda (antes da abertura dos negócios), as bolsas dos EUA e do Brasil dispararam logo na largada, ampliando a alta no decorrer da sessão. Apesar do otimismo com o crescimento econômico dos EUA, parte dos investidores podem realizar lucros na sessão de amanhã. O ganho acumulado hoje, de cerca de 2% em Nova York e de 6% em São Paulo, é bastante tentador, especialmente em comparação ao rendimento das aplicações de renda fixa em ambos os países. Quem perdeu 7,56% em dois dias no Brasil, por exemplo, vai ter de esperar para recompor a carteira, mas os que entraram hoje não hesitarão em vender, pois chance igual não é todos que acontece.

Postado por Marçal

Sobe e desce extraordinário

29 de outubro de 2009 0

Dólar comercial R$ 1,7290 (compra) e R$ 1,7310 (venda). Baixa de 1,37%

Dólar flutuante R$ 1,7800 (compra) e R$ 1,8600 (venda). Estável

Ágio: +7,45%

Variação do dólar no mês: -2,31%

No ano: -25,84%

Variação do real no mês: +2,37%

No ano: +34,84%

Euro comercial R$ 2,5659 (compra) e R$ 2,5691 (venda). Baixa de 0,51%

Depois de abrir pressionado pela terceira sessão seguida, o dólar intensificou a tendência de valorização, ultrapassando R$ 1,77 em menos de duas horas de funcionamento do câmbio, mas desinflou com rapidez após a divulgação do retorno de crescimento na economia norte-americana. No Exterior, a moeda dos EUA foi transacionada praticamente sem alteração.

Postado por Marçal

Fulminante mudança de ânimos

29 de outubro de 2009 0

Em meia hora de transações, a Bovespa já disparava mais de 2% e agora, após a abertura em Wall Street, a valorização chega a 2,5%. Em Nova York, o Dow Jones avança mais de 0,5% nos primeiros 10 minutos de operações.

A reversão no rumo da atividade econômica nos EUA mexeu também com os ânimos dos investidores, que não hesitaram em partir para as compras. É preciso compensar as perdas dos últimos dias.

Postado por Marçal

Reação super rápida

29 de outubro de 2009 0

Graças ao anúncio do PIB dos EUA, pouco antes do começo da jornada, a Bovespa já abriu o dia com desempenho positivo e, em 10 minutos, já supera 1% de valorização. Depois de permanecer no vermelho toda a manhã, os mercados europeus imediatamente passaram a operar no azul e, em menos de meia hora, as bolsas de Paris e de Frankfurt avançam mais de 1%. Mais contida, a Bolsa de Londres sobe cerca de 0,5%. 

Postado por Marçal

Economia dos EUA reage

29 de outubro de 2009 0

O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA apresentou crescimento de 3,5% no terceiro trimestre deste ano, conforme projeção anunciada agora a pouco pelo Departamento do Comércio daquele país. Esse aumento acaba com uma sequência de quatro trimestres de retração.

Na Europa, a Bolsa de Frankfurt já reverteu a tendência, sendo a primeira no continente a passar a operar com alta. Paris e Londres também mudaram de rumo. Os dados do PIB podem melhorar os ânimos dos investidores, abalados nos últimos dias com dados negativos sobre a economia dos EUA e mundial.

Postado por Marçal

Cautela total

29 de outubro de 2009 0

As bolsas asiáticas amargaram outra jornada negativa, com destaque para perdas de 2,34% em Xangai, de 1,83% em Tóquio e de 1,48% em Seul. A instabilidade predomina nos mercados europeus, que operam com pequenas baixas. Essa tendência deve permanecer, pelo menos, enquanto não sair os números do PIB dos EUA no terceiro trimestre do ano, com previsão de divulgação ainda hoje.

No Brasil, conforme a ata do Copom, o Banco Central defende a cautela por causa do cenário ainda incerto quanto à recuperação econômica. Apesar dos preços mais atraentes devido à acentuada queda nos pregões anteriores, a aversão ao risco deve continuar entre investidores na abertura dos negócios na bolsa. No mercado de câmbio, o dólar abriu acima do nível da véspera, sendo negociado neste momento (10h30min) a R$ 1,7740.

Postado por Marçal

Amarga realização

28 de outubro de 2009 0

Influenciada pelo desempenho das commodities, que tiveram os preços ajustados para baixo para compensar uma nova valorização do dólar no Exterior, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) registrou a maior queda (4,75%) desde 2 de março e volume financeiro de R$ 9,054 bilhões.

Esse comportamento seguiu os principais mercados mundiais, especialmente Wall Street, que amargou perda de 1,21%. Além do anúncio de indicadores negativos nos EUA, os investidores optaram por realizar lucros ante à expectativa com o Produto Interno Bruto (PIB) do país no terceiro trimestre do ano. Com divulgação prevista para hoje, analistas consideram o resultado do PIB um teste de fogo quanto à recuperação da economia.

No Brasil, o movimento de venda de ações ganhou força devido à desvalorização do petróleo, que atingiu US$ 77,46 por barril em Nova York, e a apreensão em relação à divulgação do balanço da Vale. Depois de encerradas as operações, a mineradora informou que o lucro entre os meses de julho e setembro caiu 61,3% em comparação com igual período de 2008.

Todas as blue chips tiveram desempenho negativo na jornada, levando o índice a encerrar na menor pontuação (60.162) desde 24 de setembro. Em dois dias, o Ibovespa perdeu 7,56%, passando a acumular perda de 2,2% em outubro. O ganho acumulado no ano, que chegou perto de 80% na semana passada, retrocedeu para 60,22%, tornando o mercado mais acessível para quem pretende ingressar agora.

Postado por Marçal