Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 19 março 2010

Focos de estresse

19 de março de 2010 0

Embalado pelo nervosismo no mercado externo, o dólar avançou ao maior valor (R$ 1,7990) em três semanas, enquanto a Bolsa de São Paulo (Bovespa) amargou perda de 1,24%, retrocedendo pela primeira vez em 10 dias abaixo de 69 mil pontos.

Após oito altas seguidas e de alcançar o maior nível desde o auge da crise global, em outubro de 2008, a Bolsa de Nova York (Nyse) cedeu 0,35%, mas a baixa refletiu mais o interesse em realizar lucros do que preocupação com os problemas no cenário europeu. É que, na véspera, números da inflação e do desemprego dos EUA renovaram as expectativas quanto à aceleração da atividade econômica.

O déficit no orçamento da Grécia continua complicado, o que gerou rumores de que o governo poderá recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) em busca de recursos. Apesar de constantes declarações de apoio, a União Europeia ainda não definiu ajuda em dinheiro aos gregos.

Com exceção de Londres, as bolsas do Velho Mundo fecharam com perdas, contagiando os mercados ocidentais. Além de dificuldades na zona do euro, como os problemas nas contas públicas da Espanha e de Portugal, a Índia tornou-se um novo foco de estresse global. O banco central indiano elevou o juro para 5% ao ano como estratégia de controle da inflação.

Um dos integrantes dos BRICs, sigla para o bloco de economias emergentes formado também por Brasil, Rússia e China, o país é grande consumidor de ouro, minérios e produtos agrícolas. Segundo em população e sétimo em extensão territorial do mundo, a Índia está entre as 14 nações com Produto Interno Bruto (PIB) acima de US$ 1 trilhão.

Bolsas caem no Brasil e nos EUA

19 de março de 2010 0

Seguindo o comportamento das bolsas dos EUA e das Europa, que amargaram perdas na jornada, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou com baixa de 1,24% e pontuação de 68.835. Depois de oito altas consecutivas, Wall Street registrou queda de 0,35%.

Dólar atinge maior valor do mês

19 de março de 2010 0

Contagiado pelo desempenho no Exterior, onde a moeda dos EUA teve outra jornada de valorização, sendo negociada em Nova York neste momento e US$ 1,3532 por euro, o dólar chegou a superar R$ 1,80 no câmbio brasileiro, encerrando a R$ 1,7990. É a maior cotação desde o fechamento de fevereiro.

Dólar comercial R$ 1,7970 (compra) e R$ 1,7990 (venda). Alta de 0,56%

Dólar flutuante R$ 1,8000 (compra) e R$ 1,9000 (venda). Estável

Ágio: +5,61%

Variação do dólar no mês: -0,44%

No ano: +3,21%

Variação do real no mês: +0,44%

No ano: -3,11%

Euro comercial R$ 2,4326 (compra) e R$ 2,4354 (venda). Baixa de 0,04%

Dólar se valoriza no mercado europeu

19 de março de 2010 0

A moeda dos EUA têm uma jornada de apreciação no Exterior, contribuindo para a pressão de alta da cotação do Brasil, onde o dólar é vendido a R$ 1,80. Em Frankfurt, segundo maior centro financeiro do Velho Mundo, atrás apenas de Londres, o euro fechou a semana valendo US$ 1,3519. Com sede nesta cidade alemã, o Banco Central Europeu (BCE) fixou o câmbio oficial de US$ 1,3548 por euro.

Dólar retoma marca de R$ 1,80

19 de março de 2010 0

A reversão de tendência dos negócios em Wall Street, que agora perde cerca de 0,5%, aprofundou a aversão ao risco dos investidores brasileiros. A Bolsa de São Paulo (Bovespa) registra queda de quase 1%, e o dólar voltou a ser vendido no patamar de R$ 1,80.

Confira as cotações:

Incertezas persistem nos mercados

19 de março de 2010 0

As bolsas mundiais registram valorizações, mas bastante moderadas em razão da persistência de temores em relação à Grécia, que não descarta à possibilidade de recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para compensar a ausência de ajuda concreta da União Europeia.

Fora da Bolsa de Madri, que recua por conta da debilidade da economia da Espanha, outro foco de apreensão global, os demais mercados da Europa operam com desempenho positivo. Na Ásia, a maior parte das bolsas fechou com ganhos, com destaques para Tóquio (0,75%), Xangai (0,71%) e Seul (0,65%). Wall Street abriu no azul, mas reduziu o ritmo e agora está praticamente estável.

No Brasil, o dólar abriu a sessão a R$ 1,80, recuou um pouco pela manhã, mas permanece pressionado, sendo vendido agora a R$ 1,7910. Forte oscilação marca os negócios nesta abertura de jornada na Bolsa de São Paulo (Bovespa), que, após subir cerca de 0,4%, recua em torno de 0,3%. Há dúvidas entre investidores de manter ou não suas posições no fim de semana, afinal o cenário externo ainda é incerto.

Confira as cotações: