Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 30 julho 2010

Força doméstica

30 de julho de 2010 0

Graças aos resultados financeiros das empresas brasileiras, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou com ganho (0,84%) pela 10ª vez seguida, alcançando a maior pontuação (67.515) em três meses e a liderança nas aplicações de julho, quando apresentou variação de 10,8%.

Mas a jornada foi de acentuada volatilidade na Bovespa, chegando a cair até 1,1% na abertura em decorrência da divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA, que cresceu (2,4%), menos do que o esperado (2,6%) pelos analistas no segundo trimestre do ano. Apesar de também reagir durante as operações, Wall Street encerrou praticamente estável. Na Europa, as bolsas amargaram perdas.

Os papéis da Petrobras subiram 2,42% (ON) e 0,39% (PN), beneficiados por alta do petróleo no Exterior, mas também os da Vale e da Lojas Renner foram destaques no pregão, favorecidos por balanços favoráveis divulgados após o encerramento da sessão anterior.

Depois de avançar mais de 1%, as ações da Vale fecharam com ganhos de apenas 0,35% (PNA) e 0,3% (ON), enquanto as ações ordinárias da Lojas Renner dispararam 8,22%. A bolsa emplacou alta de 8,3% em 10 sessões, na maior sequência positiva desde 2003.

No câmbio, o dólar caiu para o menor valor (R$ 1,7560) em três semanas, encerrando julho com baixa de 2,66%. No período, a caderneta rendeu 0,6157%, os CDBs tiveram rentabilidade média de 0,85%, e a inflação atingiu 0,15% segundo o IGP-M, da FGV.

Bovespa emplaca décima alta seguida

30 de julho de 2010 0

Influenciada pelo crescimento abaixo do previsto da economia dos EUA no segundo trimestre, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) chegou a cair cerca de 1% na abertura, mas reverteu a tendência, consolidando a décima valorização (0,84%) consecutiva, o que não ocorria em oito anos. O Ibovespa encerrou com 67.515 pontos. É a maior pontuação desde 30 de abril. A bolsa atingiu variação de 10,8% em julho, quando as ações lideraram com folga o ranking das aplicações. A Bolsa de Nova York (Nyse), apesar de também reagir no decorrer da jornada, fechou praticamente estável.

Dólar fecha julho com baixa de 2,66%

30 de julho de 2010 0

Contrariando a tendência no mercado externo, onde a moeda dos EUA registra pequena apreciação, o dólar recuou ao menor nível em três semanas no câmbio brasileiro, no qual encerrou o mês com desempenho negativo de 2,66%. No mercado de divisas de Nova York, o euro está sendo negociado em torno de US$ 1,3055, ante quase US$ 1,31 na quinta-feira.

Dólar comercial R$ 1,7540 (compra) e R$ 1,7560 (venda). Baixa de 0,28%

Dólar flutuante R$ 1,8000 (compra) e R$ 1,8800 (venda). Estável

Ágio: +7,06%

Variação do dólar no mês: -2,66%

No ano: +0,75%

Variação do real no mês: +2,73%

No ano: -0,74%

Euro comercial R$ 2,2897 (compra) e R$ 2,2926 (venda). Baixa de 0,57%

Bovespa reverte perda graças ao balanço da Vale

30 de julho de 2010 0

Liderada pelo desempenho dos papéis da Vale, que sobem mais de 1% na jornada, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) reverteu a tendência de queda, chegou a subir quase 1% antes do meio-dia e agora avança cerca de 0,7%, operando na faixa de 67,4 mil pontos. Se conseguir manter esse ritmo, a bolsa atingiria a marca de 10 pregões de altas, o que não ocorre há oito anos.

Na quinta-feira, após o encerramento das operações na bolsa, a Vale anunciou um lucro de R$ 6,635 bilhões no segundo trimestre do ano, com aumento de 344,2% em relação ao mesmo período de 2009.

Wall Street, que abriu para baixo devido ao menor crescimento da economia dos EUA do que o esperado, também reagiu e agora opera praticamente na estabilidade.

Confira as cotações:

Bovespa cai após nove altas

30 de julho de 2010 0

A Bolsa de São Paulo (Bovespa), que avançou 7,4% nos últimos nove pregões, na maior série de altas desde 2003, registra cerca de 0,8% de queda, operando na faixa de 66,4 mil pontos. No câmbio, o dólar abriu em baixa, reagiu levemente e agora é negociado a R$ 1,7640, com pequena alta em relação aos negócios da quinta-feira.

O desempenho da bolsa brasileira segue a tendência dos mercados europeus, que operam no negativo por conta de um movimento de realização de lucros. As perdas estã em torno de 1% em Londres, Frankfurt e Paris. Nos EUA, onde foi anunciado crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre menor (2,24%) do que o previsto (2,6%) por economistas, Wall Street cai cerca de 0,8% nas primeiras transações da jornada.

Confira as cotações: