Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2011

Bolsa sobe 1,04% no dia, mas perde 2,29% no mês

31 de maio de 2011 0

Numa sessão de acentuada volatilidade, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) registrou valorização de 1,04%, encerrando o mês com 64.620 pontos e perda de 2,29% no período. No ano, a baixa atinge atinge 6,76%. Apesar da reação dos preços das commodities, especialmente do petróleo, que avançou graças à depreciação do dólar, as ações da Petrobras e da vale terminaram com singelas baixas, praticamente estáveis. Wall Street consolidou alta de 1,03%.

Alta do dólar fica abaixo da renda fixa no mês

31 de maio de 2011 0

Acompanhando a tendência de depreciação da moeda dos EUA no Exterior, o dólar caiu pela quarta vez consecutiva no câmbio brasileiro. Com isso, encerra maio com pequena valorização (0,45%), mas abaixo da variação do ganho das aplicações de renda fixa no período, como a caderneta de poupança (0,6578%) e os CDBs e fundos de renda fixa (cerca de 0,9%).

No mercado de divisas de Nova York, que voltou a operar a pleno após o feriado prolongado, o euro avança em torno de 1%, sendo negociado próximo de US$ 1,44 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5780 (compra) e R$ 1,5800 (venda). Baixa de 0,82%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7000 (venda). Baixa de 0,58%

Ágio: 7,59%

Variação do dólar no mês: +0,45%

No ano: -5,16%

Variação do real no mês: -0,44%

No ano: +5,44%

Euro comercial R$ 2,2704 (compra) e R$ 2,2735 (venda). Baixa de 0,03%

Bovespa recua após quatro altas

30 de maio de 2011 0

Sem negócios acionários nos EUA e no Reino Unido devido ao feriado em homenagem aos mortos em guerra, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou com queda de 0,53% e 63.953 pontos, interrompendo quatro jornadas com altas. As ações da Vale amargaram pequenas baixas, enquanto as da Petrobras cederam quase 1% na sessão. Na Europa, as principais bolsas consolidaram discretas baixas.

Dólar fecha abaixo de R$ 1,60

30 de maio de 2011 0

Num sessão de feriado nos EUA e no Reino Unido, o dólar caiu pela terceira vez seguida no câmbio brasileiro, no qual encerrou abaixo de R$ 1,60 pela primeira vez desde 3 de maio. No mercado de divisas de Nova York, que funciona apenas parcialmente, o euro retrocede cerca de 0,4%, voltando a ser negociado abaixo de US$ 1,43 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5910 (compra) e R$ 1,5930 (venda). Baixa de 0,50%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7100 (venda). Baixa de 0,58%

Ágio: 7,34%

Variação do dólar no mês: +1,27%

No ano: -4,38%

Variação do real no mês: -1,26%

No ano: +4,58%

Euro comercial R$ 2,2710 (compra) e R$ 2,2742 (venda). Baixa de 0,64%

Ibovespa sobe 3,13% em quatro dias

27 de maio de 2011 0

Num retrato fiel em relação ao seu principal parâmetro de preços, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) encerrou com 0,31% de valorização, exatamente o mesmo desempenho de Wall Street. O ritmo dos negócios em ambos mercados foi tão parelho que o Dow Jones e o Ibovespa recuaram em duas ocasiões, uma pela manhã e outra à tarde, quase no mesmo horário.

O Ibovespa avançou nas últimas quatro sessões, quando registrou 3,13% de alta, encerrando a semana com 64.294 pontos _ o mais elevado patamar desde 10 de maio.

Dólar retrocede para R$ 1,60

27 de maio de 2011 0

A moeda dos EUA apresenta forte desvalorização diante da moeda da União Europeia, apesar de vários países deste bloco econômico enfrentarem graves problemas em suas finanças públicas.

No Brasil, o dólar chegou a ser vendido abaixo de R$ 1,60, o que não ocorria desde 3 de maio, mas depois acabou recuperando esse patamar. No mercado de divisas de Nova York, o euro se valoriza cerca de 1,7%, voltando ao nível de US$ 1,43 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5990 (compra) e R$ 1,6010 (venda). Baixa de 0,99%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7200 (venda). Baixa de 1,15%

Ágio: 7,43%

Variação do dólar no mês: +1,78%

No ano: -3,90%

Variação do real no mês: -1,75%

No ano: +4,06%

Euro comercial R$ 2,2858 (compra) e R$ 2,2888 (venda). Alta de 0,14%

Bolsa sobe 2,81% em três dias

26 de maio de 2011 0

Contrariando a tendência do mercado internacional, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) emplacou a terceira valorização seguida (1,12%), voltando a fechar acima de 64 mil pontos (64.098). Em três dias, a bolsa atinge alta de 2,81%. Apesar da queda dos preços das commodities no Exterior, as ações da Petrobras e da Vale subiram mais de 1%, conforme dados preliminares.

Wall Street fechou praticamente estável, e os pregões europeus amargaram novas baixas por conta dos temores com a crise da dívida pública na zona do euro.

Dólar fecha com baixa

26 de maio de 2011 0

Seguindo a tendência dos negócios com a moeda dos EUA no Exterior, o dólar encerrou com perda no câmbio brasileiro. No mercado de divisas de Nova York, o euro se valoriza cerca de 0,5%, sendo negociado acima de US$ 1,41 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,6150 (compra) e R$ 1,6170 (venda). Baixa de 0,74%

Dólar flutuante R$ 1,6300 (compra) e R$ 1,7400 (venda). Estável

Ágio: 7,61%

Variação do dólar no mês: +2,80%

No ano: -2,94

Variação do real no mês: -2,72%

No ano: +3,03%

Euro comercial R$ 2,2825 (compra) e R$ 2,2855 (venda). Baixa de 0,48%

Bolsas têm pequenos ganhos

25 de maio de 2011 0

Apesar de avançar quase 1% por volta do meio-dia, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou praticamente estável, com valorização de somente 0,08% e 63.388 pontos.

Depois de três quedas seguidas, Wall Street consolidou alta de 0,31%. Na Europa, os maiores mercados obtiveram ganhos na mesma linha, enquanto as bolsas de Milão (1,13%) e de Madri (1%) fecharam com altas mais robustas.

A Itália e a Espanha são alguns dos países envolvidos na crise de endividamento público na zona do euro.

Dólar sobe no Brasil e opera estável no Exterior

25 de maio de 2011 0

Depois de abrir perto de R$ 1,64, a moeda dos EUA cedeu no transcorrer das operações no câmbio brasileiro. Mesmo assim, o dólar acabou emplacando valorização, apesar da estabilidade no Exterior. No mercado de divisas de Nova York, o euro é vendido em torno de US$ 1,41 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,6270 (compra) e R$ 1,6290 (venda). Alta de 0,31%

Dólar flutuante R$ 1,6300 (compra) e R$ 1,7400 (venda). Estável

Ágio: 6,81%

Variação do dólar no mês: +3,56%

No ano: -2,22%

Variação do real no mês: -3,44%

No ano: +2,37%

Euro comercial R$ 2,2936 (compra) e R$ 2,2966 (venda). Alta de 0,15%

Bovespa sobe 1,59% seguindo reação na Europa

24 de maio de 2011 0

Os mercados europeus tiveram ligeira recuperação, apesar da continuidade das preocupações com o elevado endividamento na zona do euro, especialmente da Itália, que na véspera teve uma agência de classificação de risco ameaçando reduzir a sua nota de crédito. Considerada uma das maiores do mundo, a dívida pública italiana representa cerca de 120% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Wall Street encerrou com pequena queda (0,2%), enquanto a Bolsa de Milão avançou apenas 0,24%, em linha com as altas de 0,41% em Frankfurt, de 0,39% em Londres, de 0,33% em Madri e de 0,25% em Paris.

No Brasil, a reação foi maia intensa em razão dos preços estarem bastante defasados. A Bolsa de São Paulo (Bovespa) subiu 1,59%, e o Ibovespa fechou com 63.336 pontos. As ações preferenciais da Petrobras e da Vale aumentaram cerca de 1%.

Dólar recua no Brasil e no Exterior

24 de maio de 2011 0

Atrás do comportamento da moeda dos EUA no Exterior, o dólar fechou com baixa no câmbio brasileiro, por conta de uma reação das bolsas mundiais em relação à situação das finanças na zona do euro. No mercado de divisas de Nova York, o euro se valoriza cerca de 0,7%, voltando a ser negociado acima de US$ 1,41 por dólar. No Brasil, a moeda da União Europeia encerrou praticamente estável.

Dólar comercial R$ 1,6220 (compra) e R$ 1,6240 (venda). Baixa de 0,49%

Dólar flutuante R$ 1,6300 (compra) e R$ 1,7400 (venda). Baixa de 0,57%

Ágio: 7,14%

Variação do dólar no mês: +3,24%

No ano: -2,52%

Variação do real no mês: -3,14%

No ano: +2,59%

Euro comercial R$ 2,2901 (compra) e R$ 2,2931 (venda). Baixa de 0,01%

Bovespa fecha com pequena baixa

23 de maio de 2011 0

Contagiada pela aversão ao risco que predominou no mundo devido ao agravamento dos problemas financeiros na zona do euro, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) chegou a cair 1,41%, mas encerrou com perda de apenas 0,40% e 62.345 pontos. As ações da Petrobras caíram mais de 1% por conta da depreciação dos preços do petróleo no Exterior. Wall Street amargou desvalorização de 1,05%.

Dólar sobe no Brasil e no mundo

23 de maio de 2011 0

A moeda dos EUA se valoriza nos principais mercados, inclusive no câmbio brasileiro, em decorrência dos temores mundiais com o endividamento de países da zona do euro. A nota dos títulos da dívida Itália foi rebaixada por uma agência de classificação de risco. No mercado de divisas de Nova York, o euro retrocede mais de 1%, sendo negociado em torno de US$ 1,4050 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,6300 (compra) e R$ 1,6320 (venda). Alta de 1,05%

Dólar flutuante R$ 1,6300 (compra) e R$ 1,7500 (venda). Alta de 1,16%

Ágio: 7,23%

Variação do dólar no mês: +3,75%

No ano: -2,04%

Variação do real no mês: -3,62%

No ano: +2,08%

Euro comercial R$ 2,2903 (compra) e R$ 2,2933 (venda). Alta de 0,06%

Dívida italiana causa apreensão global

23 de maio de 2011 0

A apreensão com as finanças na zona do euro se intensificou após a decisão da agência de classificação de Standard & Poor’s de rebaixar a nota dos títulos da dívida da Itália. Conforme a agência, a Itália apresenta baixo crescimento econômico e incapacidade do governo em diminuir o endividamento público. Grécia, Portugal, Espanha e Irlanda também enfrentam dificuldades financeiras.

Houve quedas genaralizada nas bolsas europeias, que também foram afetadas pelo péssimo desempenho dos mercado asiáticos. Os pregões do Brasil e dos EUA já abriram no negativo. Abaixo, alguns mercados que já fecharma nesta segunda-feira:

Xangai -2,90%

Hong Kong -2,11%

Jacarta -2,44%

Tóquio -1,52%

Cingapura -1,83%

Seul -2,64%

Paris -2,10%

Frankfurt -2,00%

Madri -1,41%

Londres -1,89%

Milão -3,32%

Moscou -3,46%

Lisboa -1,15%

Dublin -1,94% 

 

Atenas -1,37%