Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2011

Bovespa registra reduzido ganho

30 de junho de 2011 0

Em nova jornada de valorização das bolsas mundiais por conta da aprovação do pacote de medidas de austeridade na Grécia, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou novamente perto da estabilidade, com alta de somente 0,11% e 62.403 pontos. Em junho, acabou consolidando perda de 3,43%. No ano, a queda atinge 9,96%.

Wall Street registrou ganho de 1,25% na sessão. Na Europa, as altas atingiram 2,13% em Madri, 1,53% em Londres, 1,48% em Paris, 1,13% em Frankfurt e 1,12% em Atenas. Apesar da aprovação do ajuste fiscal, a bolsa grega teve o pior desempenho no continente pelo segundo pregão seguido.

Dólar tem menor valor desde auge da crise global

30 de junho de 2011 0

Atrás do desempenho da moeda dos EUA no mercado externo, onde apresenta nova desvalorização, o dólar emplacou a quarta baixa seguida no câmbio brasileiro, no qual fechou no menor patamar de preço desde 1º de agosto de 2008.

Trata-se, portanto, da menor cotação do dólar desde o pior momento da crise financeira global marcada pela quebra do banco de investimentos norte-americano Lehman Brothers, em 15 de setembro de 2008.

No mercado de divisas de Nova York, o euro sobe quase 1%, recuperando a marca de US$ 1,45.

Dólar comercial R$ 1,5600 (compra) e R$ 1,5620 (venda). Baixa de 0,64%

Dólar flutuante R$ 1,5800 (compra) e R$ 1,6800 (venda). Baixa de 0,59%

Ágio: 7,55%

Variação do dólar no mês: -1,14%

No ano: -6,24%

Variação do real no mês: +1,15%

No ano: +6,66%

Euro comercial R$ 2,2650 (compra) e R$ 2,2680 (venda). Alta de 0,01%

Bovespa fecha praticamente estável

29 de junho de 2011 0

Numa sessão de forte flutuação, em que chegou a indicar queda de 0,4% e alta de 0,5%, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou praticamente estável, com ganho de apenas 0,05% e 62.333 pontos, descolando-se dos demais mercados mundiais, que consolidaram boas valorizações em decorrência da aprovação do plano de austeridade na Grécia.

Na Europa, a Bolsa de Atenas subiu apenas 0,49%, mas as altas alcançaram 2,08% em Madri, 1,88% em Paris, 1,73% em Frankfurt e 1,54% em Londres. Nos EUA, Wall Street registrou ganho de 0,6% e a Nasdaq terminou com alta de 0,41%.

Dólar atinge menor valor em dois meses

29 de junho de 2011 0

Acompanhando uma nova baixa da moeda dos EUA no mercado externo, o dólar emplacou a terceira desvalorização no câmbio brasileiro, no qual encerrou com a menor cotação desde 27 de abril. No mercado de divisas de Nova York, o euro avança cerca de 0,6%, sendo negociado acima de US$ 1,44 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5700 (compra) e R$ 1,5720 (venda). Baixa de 0,38%

Dólar flutuante R$ 1,5800 (compra) e R$ 1,6900 (venda). Baixa de 0,59%

Ágio: 7,51%

Variação do dólar no mês: -0,51%

No ano: -5,64%

Variação do real no mês: +0,51%

No ano: +5,98%

Euro comercial R$ 2,2647 (compra) e R$ 2,2678 (venda). Alta de 0,11%

Bovespa tem maior alta em quatro meses

28 de junho de 2011 0

Contagiada pelo comportamento dos principais pregões externos, que subiram por conta da perspectiva de aprovação do plano de austeridade na Grécia, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou com valorização de 1,77% e 62.303 pontos. Trata-se do melhor desempenho diário desde 16 de fevereiro.

Nos EUA, Wall Street avançou 1,2%, e a Nasdaq consolidou ganho de 1,53%. Na Europa, as bolsas subiram 1,46% em Paris, 0,88% em Frankfurt e 0,78% em Londres, mas foi o pregão grego que liderou essa reação. A Bolsa de Atenas registrou alta de 2.66%.

Dólar tem menor valor em três semanas

28 de junho de 2011 0

Numa jornada de expectativa quanto à votação do pacote de medidas no Parlamento da Grécia, a moeda dos EUA se depreciou nos principais mercados mundiais. No câmbio brasileiro, o dólar encerrou com a menor cotação desde 3 de junho. No mercado de divisas de Nova York, o euro se valoriza cerca de 0,7%, sendo negociado em torno de US$ 1,4360 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5760 (compra) e R$ 1,5780 (venda). Baixa de 1,13%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7000 (venda). Baixa de 0,58%

Ágio: 7,73%

Variação do dólar no mês: -0,13%

No ano: -5,28%

Variação do real no mês: +0,13%

No ano: +5,58%

Euro comercial R$ 2,2622 (compra) e R$ 2,2652 (venda). Baixa de 0,58%

Bovespa registra pequena alta

27 de junho de 2011 0

Na abertura de uma semana decisiva quanto à crise das finanças na Grécia, onde um plano de austeridade será votado pelos parlamentares até quinta-feira, as bolsas europeias tiveram desempenho misto, com destaques para alta de 0,31% em Paris e baixa de 0,19% em Frankfurt. Wall Street emplacou valorização de 0,91%, e o índice Dow Jones voltou ao patamar de 12 mil pontos.

A cautela prevaleceu no Brasil, onde a Bolsa de São Paulo (Bovespa) avançou apenas 0,33%, encerrando com 61.216 pontos. Mesmo com novo recuo do preço do petróleo em Nova York, as ações da Petrobras subiram quase 1% conforme números preliminares.

Dólar fecha abaixo de R$ 1,60

27 de junho de 2011 0

A moeda dos EUA voltou a se desvalorizar nos principais mercados mundiais. No câmbio brasileiro, o dólar encerrou abaixo de R$ 1,60. No mercado de divisas de Nova York, o euro se aprecia cerca de 1%, sendo negociado próximo de US$ 1,43 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5940 (compra) e R$ 1,5960 (venda). Baixa de 0,50%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7100 (venda). Estável

Ágio: 7,14%

Variação do dólar no mês: +1,01%

No ano: -4,20%

Variação do real no mês: -1,00%

No ano: +4,39%

Euro comercial R$ 2,2754 (compra) e R$ 2,2784 (venda). Alta de 0,27%

Bolsas têm outra rodada de perdas

24 de junho de 2011 0

Em outra jornada de apreensão nos principais mercados mundiais, devido à situação das finanças na zona do euro, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) recuou 0,28%, encerrando com 61. 016 pontos. Influenciadas por nova baixa do petróleo no Exterior, as ações da Petrobras caíram mais de 1,5% conforme números preliminares.

Em Nova York, a commodity retrocedeu abaixo US$ 91 por barril, e Wall Street amargou baixa de 0,96%, o que decorreu mais do enfraquecimento da economia norte-americana do que pela instabilidade financeira na Europa.

Dólar fecha acima de R$ 1,60

24 de junho de 2011 0

Acompanhando a tendência do mercado externo, no qual a moeda dos EUA se valoriza pela terceira vez seguida, o dólar voltou a fechar acima de R$ 1,60 no câmbio brasileiro. No mercado de divisas de Nova York, o euro retrocede quase 1%, sendo negociado abaixo de US$ 1,43 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,6020 (compra) e R$ 1,6040 (venda). Alta de 0,94%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7100 (venda). Estável

Ágio: 6,61%

Variação do dólar no mês: +1,52%

No ano: -3,72%

Variação do real no mês: -1,50%

No ano: +3,87%

Euro comercial R$ 2,2692 (compra) e R$ 2,2722 (venda). Baixa de 0,48%

Economia dos EUA abala mercados

23 de junho de 2011 0

Numa jornada sem negócios no Brasil devido ao feriado, os mercados globais foram fortemente abalados pelo crescimento no número de pedidos do seguro de desemprego na economia dos EUA, onde atingiram 429 mil entre 12 e 18 de junho, ante 420 mil solicitações na semana anterior.

Por conta da perspectiva de liberação da parcela de 12 bilhões do empréstimo acertado no ano passado com a União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI), a Grécia, curiosamente, acabou ajudando para a redução do ritmo de queda em Wall Street. Depois de despencar quase 2% na sessão, a Bolsa de Nova York (Nyse) encerrou com baixa de apenas 0,49%, mantendo acima de 12 mil pontos.

As commodities não tiveram a mesma sorte, amargando acentuadas perdas. Em Nova York, o ouro caiu mais de 2% e o petróleo quase 5%. O barril da commodity fechou a US$ 91,02.

Na Europa, as bolsas encerraram com perdas de 2,77% em Madri, de 2,73% em Milão, de 2,16% em Paris, de 1,77% em Frankfurt, de 1,71% em Londres e de 1,75% em Bruxelas.

Bolsas caem após declarações de Bernanke

22 de junho de 2011 0

Declarações do presidente do Federal Reserve _ o banco central dos EUA _, Ben Bernanke, que revisou para baixo as previsões de crescimento, desemprego e inflação naquele país, provocaram reversão de tendência em Wall Street, que acabou amargando perda de 0,66%. Seguindo o mesmo ritmo, depois de subir cerca de 0,7%, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) fechou com queda de 0,37% e 61.194 pontos.

Na Europa, as bolsas fecharam praticamente estáveis, não repetindo o entusiasmo da véspera, quando avançaram cerca de 2% por conta da perspectiva de aprovação pelo Parlamento grego de um voto de confiança ao governo. Ou seja, os investidores optaram por realizar lucros, pois a partir de agora a situação é mais complicada: os parlamentares precisam aprovar as medidas de austeridade propostas para tirar a Grécia da crise.

Dólar se estabiliza no Brasil

22 de junho de 2011 0

Apesar de ligeira valorização da moeda dos EUA no Exterior, o dólar encerrou estável no câmbio brasileiro, onde as entradas de recursos voltaram a superar as saídas na semana passada. Conforme o Banco Central, o saldo foi positivo de US$ 2,18 bilhões entre os dias 13 e 17, o que compensou parte das saídas de quase US$ 3 bilhões das primeiras semanas do mês. No mercado de Nova York, o euro recua cerca de 0,4%, sendo negociado abaixo de US$ 1,44 por dólar.

Dólar comercial R$ 1,5870 (compra) e R$ 1,5890 (venda). Estável

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7100 (venda). Estável

Ágio: 7,61%

Variação do dólar no mês: +0,57%

No ano: -4,62%

Variação do real no mês: -0,57%

No ano: +4,85%

Euro comercial R$ 2,2802 (compra) e R$ 2,2832 (venda). Baixa de 0,27%

Bolsa avança pela terceira vez seguida

21 de junho de 2011 0

Influenciada pela reação nos principais mercados mundiais, que fecharam com ganhos por conta da possibilidade de aprovação pelo Parlamento grego das medidas de ajuste econômico, a Bolsa de São Paulo (Bovespa) registrou alta (0,42%) pela terceira vez seguida, encerrando com 61.423 pontos. Wall Street fechou com ganho de 0,91%, enquanto a Nasdaq (setor tecnológico) obteve alta de 2,19%.

Dólar recua pela terceira vez

21 de junho de 2011 0

Acompanhando o comportamento da moeda dos EUA no Exterior, onde apresenta perda em relação as demais divisas fortes, o dólar emplacou a terceira baixa seguida no câmbio brasileiro.

No mercado de divisas de Nova York, o euro se valoriza em torno de 1%, recuperando o patamar de US$ 1,44 por dólar.

Esse desempenho deve-se, em parte, a expectativa favorável quanto à liberação pela União Europeia e pelo FMI de nova parcela do empréstimo acertado com a Grécia no ano passado para que o país possa pagar dívidas por vencer.

Dólar comercial R$ 1,5870 (compra) e R$ 1,5890 (venda). Baixa de 0,38%

Dólar flutuante R$ 1,6000 (compra) e R$ 1,7100 (venda). Estável

Ágio: 7,61%

Variação do dólar no mês: +0,57%

No ano: -4,62%

Variação do real no mês: -0,57%

No ano: +4,85%

Euro comercial R$ 2,2862 (compra) e R$ 2,2893 (venda). Alta de 0,39%