Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Posts de julho 2011

Kiron Jabour leva o Quiksilver Pro

29 de julho de 2011 0

Terminou nesta quinta-feira (28/7) em Puerto Escondido, México, a etapa nível 4 estrelas do circuito mundial de surf. O Quiksilver Pro PE teve vitória do brasileiro naturalizado havaiano, Kiron Jabour, em uma final 100% havaiana.

O surfista de 20 anos, nascido no Recife (PE) e criado no North Shore de Oahu (HAW) totalizou 16.50 pontos para derrotar os compatriotas Ezekiel Lau (2º), Billy Kemper (3º) e Clay Marzo (4º). Com a vitória, Kiron levou um prêmio de US$ 12 mil e somou 1000 pontos no ranking unificado da ASP.

Os representantes do Brasil não foram muito bem na “Pipeline Mexicana”, e os melhores foram o paulista Thiago Camarão e os catarinenses Ricardo dos Santos e Gabriel Galdino, eliminados nas oitavas de final.

O próximo evento da ASP na América do Sul, é o Arica Pro Challenge, que acontece no Chile de 2 a 7 de Agosto.

Resultado do Quiksilver Pro Puerto 2011

1 Kiron Jabour (Haw)

2 Ezekiel Lau (Haw)

3 Billy Kemper (Haw)

4 Clay Marzo (Haw)

5 Olamana Eleogram (Haw)

5 Hank Gaskell (Haw)

7 Alvaro Malpartida (Per)

7 Christian Corzo (Mex)

17 Thiago Camarão (Bra)

17 Ricardo dos Santos (Bra)

17 Marco Giorgi (Uru)

25 Gabriel Galdino (Bra)

33 Ian Gouveia (Bra)

33 Franklin Serpa (Bra)

33 Sidney Guimarães (Bra)

49 Dennis Tihara (Bra)

49 Vinícius Fornari (Bra)

49 Nathan Brandi (Bra)

65 Felipe Cesarano (Bra)

65 Cristiano Bins (Bra)

81 Nelson Neto (Bra)

81 Gustavo Berlotto (Bra)

New York se prepara para receber o tour

28 de julho de 2011 1

O ano de 2011 vem sendo marcado por uma sensível mudança nas convicções da ASP, entidade que gere o surf mundial e realiza o ASP World Tour. O retorno do Rio de Janeiro ao tour, a entrada de duas etapas na terra do “Tio Sam”, e a possível realização de uma etapa em Manly Beach, Austrália, no ano que vem, demonstram claramente o caminho que a entidade pretende seguir nos próximos anos. A aproximação do esporte com as grandes metrópoles se dá no momento em que o surf busca valorização, seja por meio de espaço na grande mídia ou em grandes premiações.


O Quiksilver Pro New York marca a estreia de Nova Iorque no circuito e a volta da elite mundial à costa leste dos Estados Unidos. O evento acontece dos dias 1 a 15 de setembro, em Long Beach, e é válido como sexta, das 11 etapas que compõe o Circuito Mundial 2011 da ASP (Association of Surfing Professionals). A competição contará com os 34 melhores surfistas do planeta e mais dois convidados, distribuindo a maior premiação da história do surf, num total de  US$ 1 milhão.

Além do surf de alto nível, o Quiksilver Pro New York também terá uma área na praia para um festival com esportes de ação (skate, motocross, BMX), concertos, moda e área de alimentação.

O local de New York, Balaram Stack, de 19 anos, vencedor do New York UnSound Pro em 2010, recebeu um dos dois convites para competir contra os melhores do mundo no Quiksilver Pro New York. Considerado um dos maiores talentos de New York, Balaram se juntou ao time da Quiksilver quando tinha apenas 14 anos de idade.

O segundo e último wildcard será definido através do Quiksilver Pro New York ASP World Tour Trials, apresentado por UnSound Surf, com suporte de Vitamin Water.

Gwadinina entre as mais pedidas

27 de julho de 2011 0

Umas das músicas mais pedidas pelos ouvintes do Programa Swell da rádio Atlântida é o hit Gwadinina, do cantor e surfista Tom Frager. Nascido em 1º de Julho de 1977 em Dakar, Senegal, África, Frager cresceu em Guadalupe, onde descobriu sua paixão pelo surf.


Surfista dedicado, rapidamente tornou-se um dos melhores surfistas da sua geração, conquistando diversos títulos em Guadalupe e integrando a equipe francesa de surf. Em 2002, junto com outros quatro surfistas formou o Gwayav, grupo que lançou o primeiro album apenas quatro anos mais tarde.


O sucesso não foi expressivo, mas a banda conseguiu vencer grupos conhecidos como Alpha Blondy, em grandes festivais de música. O segundo álbum, “Better Days”, lançado em 2009, veio para estabelecer a reputação de Tom Frager, com o hit francês “Lady Melody”, grande sucesso e responsável por tornar-lo conhecido.


Misturando reggae, pop, soul e jazz, o som de Frager é um prato cheio para os amantes do surf e da boa música. Vale a pena conferir!


Gwadinina


Jordy Smith levanta o cheque em J. Bay

26 de julho de 2011 0

Terminou no último domingo (24/7) em Jeffrey’s Bay, África do Sul, a quarta etapa do ASP World Tour. Em ondas mexidas que pouco lembravam as clássicas condições que o pico sul africano pode oferecer, o filho da terra, Jordy Smith, venceu o australiano Mick Fanning, sagrando-se bicampeão da etapa. Pela vitória, Smith recebeu um cheque de Us$75 mil e 10.000 pontos na corrida pelo título mundial, que o colocam agora na segunda posição da tabela.


O paulista Adriano de Souza, que chegou a J.Bay como número 1 do mundo foi derrotado ainda na terceira fase justamente pelo melhor brasileiro na etapa, o catarinense Alejo Muniz. Inspirado e mandando bons aéreos, Alejo só foi parado pelo australiano Joel Parkinson nas quartas, finalizando na quinta colocação. Assim como Mineirinho, o cearense Heitor Alves e o potiguar Jadson André também foram barrados na terceira fase, enquanto o carioca Raoni Monteiro ficou no caminho ainda na repescagem.


Entre os destaques da edição 2011 do Billabong Pro J. Bay, estão os australianos Joel Parkinson e Adrian Buchan, ambos semifinalistas e bons pontuadores durante toda a competição. Aliás, Buchan foi disparado o melhor goofy footer da competição, surfando de costas para as direitas com muita determinação. O campeão, Jordy Smith, resvalou apenas na quarta fase, quando foi mandado para a repescagem pelo inspirado Buchan. O sul africano colocou seu nome três vezes entre os melhores somatórios da competição, incluindo o melhor deles (18.30 de 20 pontos possíveis) na quinta fase (2ª repescagem).


Com a terceira colocação na etapa, Joel Parkinson sai de J.Bay na liderança da corrida pelo título mundial, com Smith em segundo, Mineirinho em terceiro e Mick Fanning na quarta colocação. O norte americano Kelly Slater, que preferiu não interromper uma viagem pelas Ilhas Fiji para disputar a competição, caiu para a sexta posição na tabela, atrás do aussie Taj Burrow. Os outros brasileiros no ranking do WT: Alejo Muniz (13º), Jadson André (16º), Heitor Alves (23º) e Raoni Monteiro (28º).


A próxima etapa do World Tour acontece em Teahupoo, Taiti, a partir de 20 de agosto, e define quem fica e quem sai da elite mundial para o restante da temporada. Após a etapa serão definidos os novos top 34, respeitando o ranking unificado da ASP (World Ranking).



Confira a bateria final do Billabong Pro Jeffrey’s Bay:

ASP confirma etapa do WT no paraíso

26 de julho de 2011 0


Na última segunda-feira (25/7), a ASP anunciou a realização do Volcom Fiji Pro para o calendário do ASP World Title 2012, etapa que marcará o primeiro evento do World Tour patrocinado pela Volcom e o tão desejado retorno da elite mundial aos picos de Cloudbreak e Restaurants, realizado pela última vez em 2008, com o Globe Pro Fiji.

“Estamos muito animados com a oportunidade de sediar nossa primeira etapa do ASP World Tour em Fiji. Ter o campeonato realizado em Cloudbreak, ou até Restaurants, é uma ação que tem tudo a ver com a Volcom, que tem uma longa história com Tavarua. Este é um passo muito importante para a marca e será maravilhoso poder proporcionar aos atletas um evento com surf de alta qualidade”, disse Richard Woolcott CEO da Volcom.

Depois de um hiato de três anos do Dream Tour – o Globe Pro Fiji, aconteceu pela última vez em 2008, e teve Kelly Slater como vencedor, o Volcom Fiji Pro será realizado de 2012 até 2014, com chances de expandir sua realização além da licença atual de três anos.

“Nossa parceria com a Volcom cresceu ao longo dos anos através dos investimentos no evento cinco estrelas em Pipeline e agora, com uma licença para uma etapa do ASP World Tour. A ilha de Fiji incorpora a nossa missão de colocar os melhores atletas do mundo nas melhores ondas, e é com certeza um passo a frente. Estou confiante de que todos os atletas gostarão desta notícia”, disse Brodie Carr, CEO da ASP Internacional.

É importante lembrar que o norte americano, decacampeão do mundo, Kelly Slater não esteve presente recentemente, em Jeffrey’s Bay, no Billabong Pro pois, juntamente com muitos outros surfistas, se encontrava a surfar as ondas magníficas de Fiji!


Campeões das edições passadas da etapa do ASP World Tour de Fiji:

2008: Kelly Slater (USA)

2007: Evento não aconteceu

2006: Damien Hobgood (USA)

2005: Kelly Slater (USA)

2004: Damien Hobgood (USA)

2003: Andy Irons (HAW)

2002: Michael Lowe (AUS)

2001: Evento não aconteceu

2000: Luke Egan (AUS)

1999: Mark Occhilupo (AUS)


www.volcom.com/fijipro

SuperSurf ASP Master começa hoje no Rio de Janeiro

26 de julho de 2011 1
O bicampeão brasileiro Ricardo Toledo e o cearense Fábio Silva se classificaram na triagem dos surfistas de 36-49 anos e na dos que têm 50 anos ou mais as duas últimas vagas foram conquistadas por Zé Alla e Lula Menezes. A disputa da triagem para o SuperSurf ASP World Masters Championship na Praia do Arpoador aconteceu num clima descontraído e reuniu grandes nomes do surfe brasileiro na segunda-feira de ondas de 2 pés com boa formação no Arpoador.
Agora será a vez dos ídolos da história do Circuito Mundial estrearem no Rio de Janeiro. A previsão é iniciar a competição às 8 horas nesta terça-feira e todos competem desde a primeira fase das categorias Master e Grand Master.

No total, 32 surfistas disputaram a triagem Master e a Grand Master contou com dezesseis participantes, incluindo algumas lendas vivas como Rossini “Maraca” Maranhão, os irmãos Otavio e Fabio Pacheco, Paulo Proença e Wadih Mansur, que fazem parte das primeiras gerações do surfe brasileiro. Destes, só Fabio Pacheco passou as duas baterias para chegar na final, mas terminou em último e não conseguiu a classificação para o SuperSurf ASP World Masters. Além dele, Antonio Abrantes também ficou de fora e Zé Alla e Lula Menezes festejaram a conquista das vagas.

Na triagem Master, a batalha final foi mais emocionante e decidida no último minuto, quando o cearense Fábio Silva surfou sua melhor onda na bateria para superar o carioca Sergio Noronha na briga pela segunda vaga. O vencedor foi o paulista Ricardo Toledo, bicampeão brasileiro de 1991 e 1995, que achou boas ondas em todas as três baterias que disputou no Arpoador na segunda-feira. O baiano Armando Daltro também fez belas apresentações, mas acabou em quarto lugar e agora espera que algum estrangeiro não compareça, pois ele é o primeiro substituto da lista.


Confira AQUI, o link AO VIVO da competição.

COLETIVA DE IMPRENSA

Outra grande atração da segunda-feira foi a coletiva de imprensa com as principais estrelas do SuperSurf ASP World Masters Championship no Copacabana Praia Hotel. A maioria das atrações internacionais também compareceu, mas os componentes da mesa foram o tricampeão mundial Tom Curren, o bicampeão Master Gary Elkerton, outro campeão Master, Cheyne Horan, que venceu duas vezes a etapa do Brasil no Arpoador na década de 70, além dos brasileiros Daniel Friedman, Fábio Gouveia e Renan Rocha.

Todos se mostraram bastante felizes pelo retorno da competição que não acontecia há 10 anos e por estarem de volta ao Brasil. “Fiquei muito contente quando soube da volta do evento e principalmente em poder rever e compartilhar bons momentos com os amigos que há muito tempo eu não via. Cada um seguiu seu caminho e este evento é a chance de podermos estar todos juntos de novo, inclusive com as gerações mais novas”, falou Cheyne Horan, campeão mundial Master de 1999 que já completou 50 anos de idade e vai estrear na Grand Master.

Ele chegou até a arriscar responder as perguntas em português e arrancou aplausos dos presentes na coletiva. Grande atração do evento, Tom Curren só participou das duas últimas edições do Mundial Masters da ASP e foi vice-campeão na estreia dele na categoria em 2000 na França. Até hoje, é o único surfista que foi campeão mundial amador Junior (1980) e Open (1982) e do circuito profissional da ASP três vezes, em 1985, 1986 e 1990. Foi perguntado a ele se falta o título Master para completar o ciclo de conquistas no surfe mundial.

“Muitas pessoas me falam isso, mas para mim o mais importante é estar aqui revendo todos que competiram comigo no passado, podendo ter este convívio novamente, mas num clima diferente, de confraternização”, disse Tom Curren. “Mas, claro que existe a competição e todos estão aqui para isso, então tem um objetivo que é vencer. Não é como antigamente, o clima é diferente, mais relaxado, sem tanta pressão por resultado. Estou feliz por estar aqui no Brasil de novo para competir e espero que dê boas ondas durante essa semana para que todos possam sair felizes daqui”.

Já Gary Elkerton lamentou a enorme lacuna de 10 anos sem realização do Mundial Masters e elogiou a iniciativa dos brasileiros em resgatar a competição. “Para muitos de nós, que ficamos 10, 15 anos competindo, parar de repente é complicado. Eu procurei trabalhar em outras coisas, mas a vontade de competir está dentro da gente. É importante ter esse evento para que possamos continuar nossa carreira, mesmo que num patamar diferente”, falou o bicampeão da categoria Master, que vai tentar o tricampeonato no SuperSurf ASP World Masters Championship.

O maior ídolo do surfe brasileiro em todos os tempos, Fábio Gouveia, também comentou sobre isso. “Eu senti falta do evento. Lembro que quando estava parando de competir a nível profissional, eu via esta categoria Master como uma válvula de escape, só que foi bem na hora que não teve mais o Mundial. Estar aqui agora com todas essas feras e com a possibilidade de competir de novo com eles é quase um sonho para mim e para todos os brasileiros que até agora não tiveram a chance de participar desta categoria”, falou Fábio Gouveia.

Durante a coletiva, chegou a ser comentado sobre um Circuito Mundial Masters, mas Renan Rocha preferiu valorizar a realização do SuperSurf ASP World Masters Championship. “Acho muito boa a idéia de um circuito, com etapas em lugares como Fiji, África do Sul, Bells Beach, mas é preciso destacar a iniciativa da Editora Abril (que adquiriu os direitos do evento por três anos), da Hang Ten e dos outros patrocinadores que viabilizaram este evento aqui no Brasil que há 10 anos não rolava. Com ele, ganhei motivação de novo e espero que a categoria só cresça daqui pra frente”.

O carioca Daniel Friedman é o único brasileiro que já participou desta competição, na última delas em 2001 na Irlanda. Ele também venceu uma etapa no Arpoador em 1977, na segunda edição do Circuito Mundial de Surfe Profissional. Daniel destacou a verdadeira confraternização entre ídolos de várias gerações como maior atrativo do evento. “É muito legal ter todos estes surfistas que fizeram a história do esporte se apresentando ainda em algum lugar. Ótimo que será aqui no Brasil. Fui para a Irlanda e senti lá o clima totalmente descontraído de todos. Isso é uma verdadeira confraternização. Tem o lado competitivo, mas o mais importante é essa reunião dos ídolos de várias gerações”.

FORMATO ESPECIAL

Nesta terça-feira todos estarão se apresentando no Arpoador. O início do SuperSurf ASP World Masters Championship está previsto para as 8 horas, mas vai depender das condições do mar. O formato da competição é especial para a categoria, não sendo utilizado em nenhum outro evento no mundo. Todos são divididos numa mesma fase e competem outras vezes com adversários diferentes, somando os pontos das suas colocações nas baterias. O vencedor marca 10 pontos, o segundo lugar ganha 7, o terceiro leva 4 e o último fica com 1 ponto.

No encerramento das fases classificatórias, os oito que conquistarem mais pontos avançam para as quartas de final, quando os duelos passam para o formato homem-a-homem, que prossegue até a final. Na Master, os 24 participantes são divididos em seis baterias com quatro atletas. Nesta categoria, cada um compete um mínimo de cinco vezes com adversários diferentes. Depois, os resultados das baterias são computados e os oito maiores pontuadores avançam para continuarem a busca pelo título mundial Master nas quartas de final.

Na Grand Master, o sistema de disputa é o mesmo, mas com um número menor de competidores. Então, os dezesseis participantes são divididos em quatro baterias e cada um entra no mar quatro vezes para definir os oito que somarão mais pontos, de acordo com as colocações obtidas. Todos já estão escalados nas rodadas classificatórias do SuperSurf ASP World Masters, faltando apenas os nomes dos que sairão classificados da triagem na segunda-feira.

Com o patrocínio da Peugeot e co-patrocínio da Pioneer e Hang Ten, o SuperSurf ASP World Masters Championship vai distribuir um prêmio recorde de 220 mil dólares no evento que também conta com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. A Abril Midia adquiriu os direitos de realização do Mundial Masters da ASP por três anos no Brasil e a competição poderá ser acompanhado ao vivo pelo www.supersurf.com.br


PRIMEIRA FASE DA TRIAGEM MASTER 36 a 49 anos:

1.a: 1-Armando Daltro (BRA), 2-Renato Phebo (BRA), 3-Jeronimo Telles (BRA), 4-Rosaldo Cavalcanti (BRA)
2.a: 1-Carlos Santos (BRA), 2-Rodrigo Jorge (BRA), 3-Mauro Pacheco (BRA), 4-Frederico Delfin (BRA)
3.a: 1-Pedro Muller (BRA), 2-Junior Maciel (BRA), 3-Alex Miranda (BRA), 4-Ismael Miranda (BRA)
4.a: 1-Ricardo Toledo (BRA), 2-Crhistiano Spirro (BRA), 3-Rodolfo Lima (BRA), 4-Renato Coutinho (BRA)
5.a: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Sergio Noronha (BRA), 3-Roni Ronaldo (BRA), 4-Sergio Penna (BRA)
6.a: 1-Ricardo Tatuí (BRA), 2-Savio Carneiro (BRA), 3-Caia Souza (BRA), 4-Hugo Pacheco (BRA)
7.a: 1-Guga Arruda (BRA), 2-Kiko Ferreira (BRA), 3-Nelson Ferreira (BRA), 4-Frederico D´Orey (BRA)
8.a: 1-Piu Pereira (BRA), 2-Dadá Figueiredo (BRA), 3-Eduardo Chalita (BRA), 4-Eraldo Gueiros (BRA)


QUARTAS DE FINAL DA TRIAGEM MASTER:

1.a: 1-Crhistiano Spirro (BRA), 2-Armando Daltro (BRA), 3-Carlos Santos (BRA), 4-Junior Maciel (BRA)
2.a: 1-Pedro Muller (BRA), 2-Ricardo Toledo (BRA), 3-Renato Phebo (BRA), 4-Rodrigo Jorge (BRA)
3.a: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Ricardo Tatui (BRA), 3-Dadá Figueiredo (BRA), 4-Kiko Ferreira (BRA)
4.a: 1-Sergio Noronha (BRA), 2-Piu Pereira (BRA), 3-Guga Arrruda (BRA), 4-Savio Carneiro (BRA)


SEMIFINAIS DA TRIAGEM MASTER:

1.a: 1-Ricardo Toledo (BRA), 2-Armando Daltro (BRA), 3-Pedro Muller (BRA), Christiano Spirro (BRA)
2.a: 1-Fabio Silva (BRA), 2-Sergio Noronha (BRA), 3-Piu Pereira (BRA), 4-Ricardo Tatui (BRA)


FINAL DA TRIAGEM MASTER – os dois primeiros se classificam para o evento principal:

1-Ricardo Toledo (BRA), 2-Fabio Silva (BRA), 3-Sergio Noronha (BRA), 4-Armando Daltro (BRA)

PRIMEIRA FASE DA TRIAGEM GRAND MASTER – 50 anos ou mais:
1.a: 1-Odalto Castro (BRA), 2-Fred Rozario (BRA), 3-Otavio Pacheco (BRA), 4-Rossini Maranhão (BRA)
2.a: 1-Antonio Abrantes (BRA), 2-Fabio Pacheco (BRA), 3-Larry Ipanema (BRA), 4-Paulo Proença (BRA)
3.a: 1-Zé Alla (BRA), 2-Marcio Mundin (BRA), 3-Roberto Andrade (BRA), 4-Ronaldo Alvarenga (BRA)
4.a: 1-Lula Menezes (BRA), 2-Renato Larica (BRA), 3-Italo Marcelo (BRA), 4-Wadih Mansur (BRA)

SEMIFINAIS DA TRIAGEM GRAND MASTER:

1.a: 1-Fabio Pacheco (BRA), 2-Antonio Abrantes (BRA), 3-Fred Rozario (BRA), 4-Odalto Castro (BRA)
2.a: 1-Lula Menezes (BRA), 2-Zé Alla (BRA), 3-Marcio Mundin (BRA), 4-Renato Larica (BRA)

FINAL DA TRIAGEM GRAND MASTER:

1-Zé Alla (BRA), 2-Lula Menezes (BRA), 3-Antonio Abrantes (BRA), 4-Fabio Pacheco (BRA)

BATERIAS DA PRIMEIRA FASE DO EVENTO PRINCIPAL MASTER – 36 a 49 anos:

1.a: Barton Lynch (AUS), Rob Bain (AUS), Flavio Padaratz (BRA), Richard Lovett (AUS)
2.a: Gary Elkerton (AUS), Brad Gerlach (EUA), Richie Collins (EUA), Guilherme Herdy (BRA)
3.a: Derek Ho (HAV), Victor Ribas (BRA), Kaipo Jaquias (HAV), Jojó de Olivença (BRA)
4.a: Tom Curren (EUA), Jake Paterson (AUS), Shea Lopez (EUA), Renan Rocha (BRA)
5.a: Mark Occhilupo (AUS), Fabio Gouveia (BRA), Marty Thomas (EUA), Fabio Silva (BRA)
6.a: Luke Egan (AUS), Peterson Rosa (BRA), Nathan Webster (AUS), Ricardo Toledo (BRA)


PRIMEIRA FASE DO EVENTO PRINCIPAL GRAND MASTER – 50 anos ou mais:

1.a: Shaun Tomson (AFR), Hans Hedemann (HAV), Buzzy Kerbox (HAV), Daniel Friedman (BRA)
2.a: Wayne Bartholomew (AUS), Glen Winton (AUS), Peter Townend (AUS), Iain Buchanan (NZL)
3.a: Michael Ho (HAV), Simon Anderson (AUS), Ian Cairns (AUS), Lula Menezes (BRA)
4.a: Cheyne Horan (AUS), Terry Richardson (AUS), Terry Fitzgerald (AUS), Zé Alla (BRA)


CAMPEÕES MUNDIAIS MASTER (35 a 44 anos) E GRAND MASTER (45 ou mais):

2001: Gary Elkerton (AUS) e Mark Richards (AUS) em Bundoran – IRLANDA
2000: Gary Elkerton (AUS) e Michael Ho (HAV) em Lafitenia – FRANÇA
1999: Cheyne Horan (AUS) e Wayne Bartholomew (AUS) em Lafitenia – FRANÇA
1998: Joey Buran (EUA) e Buzzy Kerbox (HAV) em Puerto Escondido – MEXICO
1997: Terry Richardson (AUS) foi o primeiro campeão em Cloudbreak, Tavarua Island – FIJI

Calendário gaúcho profissional 2011

22 de julho de 2011 0

A FGS (Federação Gaúcha de Surf), publicou em seu site o calendário do Circuito gaúcho profissional para 2011.

Etapas do Circuito Gaúcho Profissional

22 e 23 de outubro, em Cidreira

12 e 13 de novembro, em Xangri-lá

10 e 11 de dezembro, local a definir

Este calendário pode ser alterado sem aviso prévio, conforme a necessidade da Federação Gaúcha de Surf. www.fgsurf.com.br

Chile e Bahia recebem ASP World Star

22 de julho de 2011 0

Chile e Bahia vão sediar as próximas etapas do ASP World Star na América do Sul. O primeiro destino é o Chile, com a volta do Arica Pro Challenge nas grandes ondas de El Gringo, nos dias 2 a 7 de agosto.

A premiação total é de 50 mil dólares e o vencedor marca 750 pontos no ranking mundial unificado da ASP e no do ASP South America Surf Series 2011, circuito que define o campeão sul-americano profissional da temporada.

Um mês depois, mais 500 pontos estarão em jogo na Bahia, nos dias 1 a 3 de setembro.A etapa masculina nível 2 estrelas de 25 mil dólares é uma das novidades do Billabong Eco Surf Festival, que mudou para a Praia do SESC, em Salvador. Ela será iniciada logo após o Billabong Pro Junior Series, que nos dias 29 a 31 de agosto fecha a disputa pelos títulos sul-americanos masculino e feminino da categoria Sub-20 na mesma praia da capital baiana.

No ano passado, o evento também finalizou o ASP South America Pro Junior Series em Salvador, mas a decisão foi seguida por uma etapa feminina do ASP World Star, vencida pela havaiana Coco Ho. Em 2009 foi masculina e o cearense Marcio Farney festejou sua única vitória no Circuito Mundial da ASP.

O Arica Pro Challenge também aconteceu dois anos atrás, com o peruano Gabriel Villaran ganhando o desafio nas ondas enormes de El Gringo. A segunda edição do campeonato era para acontecer no ano passado, mas o terremoto que devastou o Chile meses antes da data do evento, provocou o seu cancelamento. Em 2011, tinha sido marcado para o mês de junho e chegou até a sair do calendário, mas os organizadores locais redobraram os esforços para que o campeonato fosse realizado este ano, sendo confirmado para os dias 2 a 7 de agosto em Arica.

ASP SOUTH AMERICA PRO JUNIOR SERIES

Também em agosto acontece a reta final do ASP South America Pro Junior Series 2011. Os campeões sul-americanos da temporada na categoria Sub-20 serão definidos em três etapas, duas em Santa Catarina e uma na Bahia. Além dos títulos, esta fase decisiva vai indicar quatro surfistas para o sexteto masculino que irá representar a América do Sul no Circuito Mundial Pro Junior da ASP e as duas integrantes da equipe feminina.

Na única seletiva deste ano, no mês de abril em Itajaí, os vencedores foram o catarinense Gustavo Machado e a paulista Juliana Meneguel. A próxima é o Mormaii Pro Junior nos dias 12 a 14 de agosto na Praia da Ferrugem, em Garopaba, no sul de Santa Catarina. Na semana seguinte, de 19 a 21 no litoral norte, o Hurley Pro Junior na Prainha de São Francisco do Sul. Na etapa de Garopaba, as duas categorias são nível 1 estrela, com 5 mil dólares de prêmio para a masculina e 2,5 mil dólares para a feminina. Na de São Francisco do Sul, a Hurley dobrou a premiação masculina para 10 mil dólares, passando para o nível 2 estrelas, mantendo a feminina em 2,5 mil dólares.

Já o Billabong ECO Surf Festival oferece um total de 17,5 mil dólares no encerramento do ASP South America Pro Junior Series 2011 na Bahia. A categoria masculina será nível 3 estrelas e distribuirá 15 mil dólares em Salvador. A decisão do Pro Junior começa na segunda-feira 29 de agosto e termina na quarta-feira, dia 31. Mas, o evento prossegue na Praia do SESC com a etapa do ASP World 2-Star na quinta-feira, sexta e sábado, de 1 a 3 de setembro na capital baiana.

CALENDÁRIO DAS PRÓXIMAS ETAPAS DA ASP SOUTH AMERICA EM 2011

3-Star – Ago 02-07 – Arica Pro Challenge em El Gringo, Arica – CHILE – US$ 50.000
Pro Junior – Ago 12-14 – Mormaii Pro Junior na Praia da Ferrugem, Garopaba – Santa Catarina – US$ 7.500
Pro Junior – Ago 19-21 – Hurley Pro Junior na Prainha, São Francisco do Sul – Santa Catarina – US$ 12.500
Pro Junior – Ago 29-31 – Billabong Pro Junior Series na Praia do SESC, Salvador – Bahia – US$ 17.500
2-Star – Set 01-03 – Billabong Eco Surf Festival na Praia do SESC, Salvador – Bahia – US$ 25.000
6-Star – Set 27-02 – Florianópolis Surf International na Praia Mole, Florianópolis (SC) – US$ 145.000
6-Star – Out 04-09 – Santa Catarina Pro na Praia Brava, Itajaí – Santa Catarina – US$ 145.000
6-Star – Out 11-16 – SuperSurf Internacional – praia a ser definida no litoral paulista – US$ 145.000
6-Star – Out 18-23 – Brazil Open of Surfing na Praia do Arpoador, Rio de Janeiro (RJ) – US$ 145.000


Brasileiros em J-Bay

21 de julho de 2011 0

Foi finalizada na manhã desta quinta-feira (21/7), em Jeffreys Bay, África do Sul, a fase de repescagem da quarta etapa do Dream Tour 2011. O campeonato, que estava paralizado há 2 dias, voltou em boas ondas de até 1 metro de altura para a realização das seis baterias restantes da segunda fase.

O cearense Heitor Alvez, fez bonito na repescagem e passou pelo norte-americano Patrick Gudauskas numa bateria acirrada. Já o carioca Raoni Monteiro perdeu a revanche para o taitiano Michel Bourez, que já havia derrotado o brasileiro na abertura do Tour, em Snapper Rocks, Austrália. Heitor junta-se agora a Adriano de Souza, Alejo Muniz e Jadson André na terceira fase da etapa, que deve acontecer nesta sexta-feira em J. Bay.

Adriano de Souza e Alejo Muniz se enfrentam, e apenas um dos dois avança para o quarto round. O potiguar Jadson André e o cearense Heitor Alves, enfrentam o norte-americano Damien Hobgood e o australiano Adrian Buchan, respectivamente. A primeira chamada para as baterias da terceira fase do Billabong Pro acontece às 2hs da madrugada (horário de Brasília) desta sexta-feira (22/7).


Confira o evento AO VIVO, AQUI!

Bateria Raoni Monteiro x Michel Bourez

Bateria Heitor Alves x Patrick Gudauskas

Bateria Adriano de Souza x Gabe Kling


BATERIAS RESTANTES DA SEGUNDA FASE


7: Damien Hobgood (USA) 15.00 def. Taylor Knox (USA) 6.00

8: Michel Bourez (PYF) 17.07 def. Raoni Monteiro (BRA) 14.03

9: Adam Melling (AUS) 14.00 def. Brett Simpson (USA) 11.80

10: Heitor Alves (BRA) 14.90 def. Patrick Gudauskas (USA) 13.84

11: Kieren Perrow (AUS) 12.23 def. C.J. Hobgood (USA) 9.43

12: Matt Wilkinson (AUS) 11.20 def. Chris Davidson (AUS) 6.70


BATERIAS DA TERCEIRA FASE


1: Jeremy Flores (FRA) vs. Daniel Ross (AUS)

2: Damien Hobgood (USA) vs. Jadson Andre (BRA)

3: Bede Durbidge (AUS) vs. Dusty Payne (HAW)

4: Adrian Buchan (AUS) vs. Heitor Alves (BRA)

5: Julian Wilson (AUS) vs. Kieren Perrow (AUS)

6: Jordy Smith (ZAF) vs. Travis Logie (ZAF)

7: Mick Fanning (AUS) vs. Kai Otton (AUS)

8: Joel Parkinson (AUS) vs. Matt Wilkinson (AUS)

9: Owen Wright (AUS) vs. Adam Melling (AUS)

10: Adriano de Souza (BRA) vs. Alejo Muniz (BRA)

11: Michel Bourez (PYF) vs. Tiago Pires (PRT)

12: Taj Burrow (AUS) vs. Josh Kerr (AUS)

Comentarista toma susto em J-Bay

20 de julho de 2011 0

O comentarista do Billabong Pro, em J-Bay, Nick Williams, deparou-se com um tubarão com mais de 3 metros de comprimento, enquanto surfava, no beach break de Seal Point, na manhã desta terça-feira (19/7).

“Estou casado há dois dias e agora vou morrer”. Isso foi o que pensou o comentarista, diante do susto sofrido em alto mar, já que havia se casado com Nadine em J-Bay no último sábado. Em entrevista ao site Waves, Nick diz: “Lembro de ter pensado: ‘vou ver essa coisa me atacar”.

Nick, nascido em Durban, na África do Sul, é comentarista do Billabong Pro há muitos anos e nunca tinha passado por um susto desses.