Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Afoxé Olorun: antes da folia, a purificação

20 de dezembro de 2010 0

 

Quem avisa é Claudio Mizraji, que trabalha na Coordenadoria da Igualdade Racial, em Florianópolis: antes da folia se deve purificar as ruas da cidade. Por isso está previsto para 26 de fevereiro uma festa no Centro da Capital.

Ideia é fazer um grande encontro de cultura popular e afro brasileira.

Oportunidade de reforçar o manifesto pela suspensão do primeiro feriado municipal do Dia Consciência Negra, luta dos movimentos negros e sociais da cidade.

Transformar o ritual em um ato contra a intolerância racial e religiosa na Grande Florianópolis.

A agenda das apresentações artísticas e culturais está sendo montada. Um dos convidados é o Afoxé Filhos de Gandhy, do Rio de Janeiro, para o apadrinhamento do Afoxé Omo Olorum.

Afoxé

O Afoxé Omo Olorun realizou seu primeiro desfile em 2007 com mais de 300 pessoas abrindo o Carnaval da Alegria do município de São José.

Em 2009, abriu a folia em Joinville. Em 2010 foi a vez de purificar as ruas para o Carnaval de Florianópolis. Tem participado de manifestações, como o Dia da Consciência Negra.

O que é

Estudos das manifestações culturais e religiosas africanas, relatam que no século XIX, na cidade de Lagos – Nigéria (Africa), no mês de janeiro acontecia uma diversão, um cortejo festivo em que os participantes se vestiam, enfeitavam com adornos e máscaras esse cortejo era chamado de DAMURISHA (ou festa da RAINHA), temos certeza que é a raiz dos Afoxés brasileiros, e quem sabe também do nosso carnaval.

Entre 1770 e 1850, milhões de negros yorubanos foram transportados para o Brasil na condição de escravos. Esses negros influenciaram decisivamente na formação cultural do Brasil, chegando até os dias de hoje como forma de resistência cultural.

 

O Afoxé possui dentre tantas outras qualidades, uma plasticidade visual sedutora e envolvente, com a gestualidade das danças e cantigas características africanas, seu ritmo é o Ijexá que suave e cadenciado arrasta multidões por onde passa.

Portanto, o Afoxé é uma manifestação afro cultural que também se apresenta no período do carnaval, mas que não tem a representação de ser um bloco carnavalesco.

Sua função é abrir o desfile na avenida, vindo antes das escolas de samba para “limpar e purificar” a passagem contra toda “negatividade”, para que o carnaval seja próspero com paz e harmonia…

Afoxé Omo Olorun, nasceu em 2007 na cidade de Florianópolis sendo uma ramificação do Afoxé Omo Ijexá do Ile Axé Igba Afauman do saudoso Babalorixá Kafú Milodé, que por 16 anos abriu os carnavais de Curitiba.

Em 2005 Claudio Mizraji foi iniciado para o Candomblé por Babá Kafú Milodé, ganhando um cargo de importância no Ile Axé Igba Afauman com mais de 2000 filhos iniciados, sendo uma das maiores famílias de terreiro do sul do Brasil.

Em 2007 Babá Kafú como era conhecido, disse a seu filho Claudio Mizraji que ele deveria iniciar um Afoxé em sua cidade, Florianópolis, pois algo muito sério estava para acontecer e ele queria a perpetuação da tradição do seu Afoxé.

Em 2009 Babá Kafú Milodé ‘deixa nossa terra’ (morre) e vai para o Orun viver com seu pai Obaluaye. Falece no dia 5 agosto deixando um império com 14 terreiros de portas abertas em todo o Brasil e exterior.

 

Bookmark and Share

Envie seu Comentário