Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coloninha nos 50 anos: por que não o título?

17 de agosto de 2011 30

 

Dois ex-presidentes da Unidos da Coloninha são os principais responsáveis em tocar a escola no ano das comemorações do Jubileu de Ouro: Guinha (2001-2002) e Júlio Martins (2003-2004).

O primeiro é o atual presidente, o segundo é o diretor de Carnaval que prepara o desfile para 2012.

Os dois, juntos com o vice-presidente Serginho Cunha, o diretor jurídico Luciano Baracuy e autor do enredo  Sidnei Garcia participaram desta entrevista ao Blog Tamborim.

Perguntado se havia por parte das coirmãs alguma conversa sobre homenagens pelos 50 anos, Guinha brincou:

- Se a gente vai ser homenageado não sei. Mas sei que a Coloninha vai homenagear suas coirmãs.

Perguntei ainda se o fato de ser um ano de comemoração tira a escola da busca pelo título:

- Eu e Júlio sentimos que falta a gente dar algo para a Coloninha. Pode ser…

Confira a entrevista.

 

FINANÇAS

Existia uma dívida herdada que se falou girar em torno de R$ 700 mil. Parte do montante foi pago pela ex-diretoria. Hoje se supõe uma dívida ainda de cerca de R$ 300 mil. Não podemos falar em números exatos, pois até agora não houve prestação de contas da administração Leleco Matos. Assim como não ocorreu prestação de contas da diretoria que o antecedeu.

EXIGÊNCIA

Hoje, o Conselho Deliberativo está exigindo para que seja feita uma prestação de contas da gestão anterior. Precisamos saber onde estamos pisando. Existem problemas com documentos, alvarás, ação civil. A Coloninha não está parada, é que tem muita coisa para resolver. O Conselho está querendo que o ex-presidente Leleco Matos faça a prestação de contas através do seu conselho fiscal. Se isso não ocorrer por esta via, pode-se até exigir que seja feito judicialmente.

CARRO

O veículo que foi adquirido via FIA (Fundo da Infância e Adolescência) tem fim específico: Projeto Bom de Bola. Hoje, é o único projeto aprovado e sob responsabilidade direta da escola. Existe uma indicação do conselho para procedermos a devolução do veículo, que está na garagem de um vizinho. No Bom de Bola existem cerca de 35 crianças envolvidas. Em breve os alunos vão fazer seus lanches aqui na sede. Duas vezes por semana estarão aqui com a gente, isso é importante para o futuro da escola. Elaboramos um cardápio mais saudável e o custo gira em torno de R$ 1 mil mensal.

PROJETOS

Outros projetos desenvolvidos no colégio Otília Cruz, são tocados por voluntários e por meio da Associação dos Moradores da Coloninha. Nós, enquanto escola os apoiamos. Mas não estão diretamente vinculados à agremiação. Nossa intenção é trazer a Bateria e Mestre Sala Mirins também para dentro da sede. Hoje, o trabalho é voluntário. Queremos também formar convênio com a OAB Cidadã e com entidades como a Sociedade Brasileira de Saúde Bucal para fazermos atividades variadas na comunidade.

 Sidnei Garcia, autor do enredo (a direita na foto)
 
 DESFILE
O enredo dos 50 anos é a síntese dos enredos e da história da Unidos da Coloninha, desde os tempos da casinha azul. O trabalho vai ser desenvolvido a partir dos temas que foi levado para a avenida. Exemplo: Ala Este Brasil Dançador vai falar daquele enredo (1989, Carlos Magno) e assim por diante. A Coloninha virá com 23 alas, quatro carros, quatro tripés. Devemos desfilar com 2.5 mil a 3 mil componentes.

“ERÊS”

Coloquei o título do enredo como “sob a proteção dos Erês” por causa da origem da escola: uma escola infantil, uma escola que foi de crianças por três anos. Nada mais coerente do que trazer os Erês (Cosme e Damião), os santos das crianças, dos sonhos.

SAMBA

Coloquei o título do enredo como o “delira” por ser o Delira Meu Povo o mais cantado na escola, aquele que remete. Tenho o hábito de conversar com os compositores e já falei da questão do corte quando necessário, pois o samba precisa ajudar a escola.

ORIGINAL

A Coloninha terá luxo e originalidade. O objetivo é um toque de Midas em todos os lugares. Usaremos de material alternativo e da tecnologia (iluminação, movimentos), mas tudo o que o pessoal colocar nos carros e alegorias, por exemplo, terá que ter provada a sua necessidade. Não quero encrenca na avenida.

Júlio Martins, diretor de Carnaval (a esquerda na foto)

MAGUILA

Os 50 anos formam uma data atípica. De certa forma, todos nós nos sentimos criadores. Vamos trazer pessoas que fazem parte desta história. Gente que está distante ou até em outra escola, é uma comemoração. Queremos reunir as pessoas. Estamos buscando a família do Maguila para que ele que foi um grande compositor (falecido) possa estar de alguma forma presente. Teremos ainda o retorno da Ala Amigos da Coloninha, que vai ter muita gente conhecida.

APOSTA

Nossos carnavalescos são os irmãos Fabio e Michel, de Parintins, e que já trabalham com a gente no galpão. A dupla assina o figurino. Claro que nós estamos acompanhando, mas é um investimento. O Raphael Soares também era jovem e desconhecido quando chegou aqui, hoje é o carnavalesco respeitado e está na Os Protegidos.

SETORES

A Harmonia terá o comando de uma comissão, com a minha supervisão. São todos pratas da casa. O Valcione Furtado optou em não permanecer, pois já estava negociando com outra escola. Não existe mudança no comando da bateria, dos casais de mestre-sala e porta-bandeira, dos nossos intérpretes.

ENSAIOS

A bateria começa a ensaiar neste final de semana na escola Otília Cruz. Vamos fazer com o que os ensaios da escola sejam cumpridos os horários (mais cedo), pois existem queixas dos componentes. Nosso Grêmio Feminino agora é Diretoria Social. Já deu um show no jantar dançante do Dia dos Pais. O site da escola está sendo remodelado, tornando-se mais acessível a todos.

Bookmark and Share

Comentários (30)

  • jeisson dias diz: 17 de agosto de 2011

    gostaria de brindar todo o meu respeito e parabéns pelo cinquentenário da escola unidos da coloninha, desde pequeno meu pai me levava na quadra aprendi muito lá com suas rodas de samba atrás da casinha de madeira azul (antiga sede da escola) onde o cal servia a dobradinha numa janelinha, depois sai 10 anos no tamborim na bateria do mestre zuca, depois como cantor profissional cantei várias vezes na quadra da escola, mesmo sendo na época puxador da copa lord, a coloninha me recebeu, me considerou e eu fazia samba nos sábados atarde! guardo a coloninha no lugar especial no meu coração também pelo respeito que sempre teve comigo! quando eu participei de um festival de música de santa catarina chamado femic, a velha guarda da coloninha fez uma surpreza muito legal pra mim, chegaram em peso lá no cic pra torcer por mim! jamais vou esquecer isso!, e agora também no meu problema de cordas vocais, tanto o presidente guinha quanto a velha guarda se colocou à disposição para me ajudar! alô coloninha! se precisar de mim serei um eterno amigo! soldado do samba! em ajudar vcs e navegar com vcs! estou com vcs para brindar seus 50 anos! que deus cubra de graça o mar verde azul e branco do continente! que deus abençoe! o guinha seus diretores! que deus abençoe a unidos da coloninha!!!

  • Henrique diz: 17 de agosto de 2011

    Acho que a Coloninha tem que se preocupar menos com a gestão do Leleco e pensar no futuro da escola. 50 anos tem que ser especial, um desfile fabuloso, um samba inesquecível. Seria o sonho voltar a vencer justamente no jubileu. Não podemos repetir a Copa Lord quando fez 50 anos com um desfile fraco e samba que ninguém lembra. 2012 tem que ser O ANO.

  • torret diz: 18 de agosto de 2011

    é minha opinião: eu trocaria a madrinha de bateria e o casal de mestre sala e porta bandeira

  • FORMIGA diz: 18 de agosto de 2011

    GOSTEI DA REPORTAGEM E ESPERO QUE TUDO ISSO AÍ SEJA COLOCADO EM PRATICA. SE A COMUNIDADE DA COLONINHA SUBESSE O Q ELA PODE FAZER NAO TINHA PRA NINGUEM. ACHO BONITO O GUINHA DIZER QUE DEVE UM TITULO PARA A ESCOLA, É ISSO AI PRESIDENTE E VAMOS FAZER BONITO E BOLA PRA FRENTE

  • Gafanhoto diz: 18 de agosto de 2011

    Seu formiga aqui é o gafanhoto, nao tem?
    1) muito bom que presidente Guinha queira dar um título para a escola
    2) bom também que o Julio Martins também queira
    3) e também que o Alexandre (presidente do Conselho) esteja disposto a fazer a escola campeã
    São três ex -presidentes e certamente contribuiram para o estado em que está a escola hoje, até com uma dívida que dizem saber não ter valor exato. Isso é ridículo. Se Leleco Matos não fez o correto, o Conselho Fiscal tinha que fazer valer.
    Vou dizer mais, a Coloninha só não piorou por que sua comunidade é a mais apaixonada. Briga, briga, mas estão sempre juntos quando é para cantar e levar a bandeira da escola.
    Formiga, nada contra ti cara. Mas a gente é Coloninha e quer ver a escola no lugar que é dela.

    Angela, baita matéria. Um abraço e não corta.

  • Do repique diz: 18 de agosto de 2011

    madrinha de bateria não é quesito, tanto faz como fez. ela pode ser linda ou feia, pros batuqueiros também não faz a mínima diferença. serve é para atrapalhar a bateria, pois vem aquele bando de fotógrafo (E AÌ NEM FAZEM FOTO DA BATERIA QUE ESSA SIM CONTA PONTO) atrapalhar o andamento.

  • Pedro Luis diz: 18 de agosto de 2011

    é isso aí Henrique é hora de vencer mais é hora também de colocar a casa em ordem, mas a escola tinha que ter um carnavalesco forte. experimentar nos 50 anos é muita ingenuidade.

  • Saul Cunha diz: 18 de agosto de 2011

    A coloninha TINHA, um enredão nas mãos…

    Tanta coisa pra se exaltar nos seus 50 anos… As crianças (As flores que desabrocharam com a escola), o bairro onde a escola nasceu (Estreito), Os seus carnavais, o futuro(A perpetuação do carnaval e a consagração da escola)…

    Com todo o respeito Sidnei Garcia, com quem inclusive trabalhei no carnaval de 2000, na própria coloninha… Um carnaval em comemoração a 50 anos da escola, e tu me coloca Erês? Cosme e Damião… Acho forçado demais… Não vejo criatividade ai, e sem contar em ver uma escola inteira falando dos seus carnavais… Pobre demais!

    A coloninha tem condições sim de fazer um desfile pra ficar pra história, mas não com um enredo desses…

    Perguntem pra algum torcedor quais desses dois títulos de enredo eles queriam pra sua escola que se prepara pra comemorar 50 anos:

    “Na Avenida, somos um só coração”

    ou

    “Sob a proteção dos Erês, a Unidos da Coloninha se veste de dourado e vem para a Avenida, fazendo o povo delirar”

    Desculpem a franqueza viu gente!!!!

  • marcio diz: 18 de agosto de 2011

    acho que o jubileu de ouro teria que ser o tema principal, quanto aos erês poderia entrar na história mas não como título principal, essa é minha opinião, talvez eu esteja até errado, mas 50 anos é 50 anos.

  • paulinho carioca diz: 18 de agosto de 2011

    Samba inesquecível ninguém faz por datas ou por que pedem, sambas inesquecíveis surgem da inspiração abençoada, quando agente nem espera, cobrar samba inesquecível não é o foco, a escola sim, tem que fazer um lindo desfile para que ele se torne inesquecível, quanto ao samba ele pode se tornar inisquecível desde que seja bom e os componentes cantem com a voz do coração, não é só o samba que ganha carnaval.

  • paulinho carioca diz: 18 de agosto de 2011

    Dependendo do desenvolvimento do enredo, podemos falar do futuro, podemos falar dos enredos vencedores, podemos falar das crianças como inspiração para o surgimento da unidos, podemos falar da coloninha, hoje,que é uma gigante, podemos falar que a coloninha é um reduto de bambas sem ter que falar em todos os sambas e nem querer que eles venham num seguimento direto, mas o jubileu de ouro teria, na minha opinião, que ser o tema principal, discordo quando alguém acha que tem que se falar no Estreito, pois o Estreito é muito grande e se colocar a comunidade ele já estará representado, não podemos deixar o passado de lado,devemos falar de uma maneira lúdica e alegre, mas a parte mais importante é os 50 anos de história que deveria estar no título e no samba, assim penso eu!!

  • Saul Cunha diz: 18 de agosto de 2011

    Mas Paulinho, falar da coloninha sem falar do Bairro Estreito, do ninho da escola… Como é que fica?

    Você tocou no foco central, ”Dependendo do desenvolvimento do enredo”, essa é a minha reclamação, Paulinho.

    É um absurdo falar dos 50 anos da coloninha, sem falar do nascimento da escola, do seu bairro, dos seus grandes carnavais e do futuro da escola, esse sim seria um desenvolvimento redondo, criativo, fugindo do obvio…

    Aliais, desenvolvimento não é nada, o lance vai muito, além disso, no modo como tu concebe uma comissão de frente e até mesmo a roupa de uma porta bandeira, a mensagem que aquela roupa quer passar pra todos que vão assistir a sua apresentação…

  • paulinho carioca diz: 18 de agosto de 2011

    Querido Saul, quando eu falo em falar do Estreito eu digo não falar muito pois o Estreito é muito grande e tem muita coisa pra se falar, mas da um toque sem abranger muito você tem raaão, se você falar das coisas importantes que tem no Estreito serão muitas e o Figueira é uma delas, ai vem aquela ideia de se falar de futebol onde se mistura paixões,q ue para um julgamento se torna difícil, mas entendo que um toque no nome seria importante sim, como marca de identidade, valeu Saul, um abração.

  • Saul Cunha diz: 18 de agosto de 2011

    Paulinho é bem por ai guri…

    Na minha visão, neste segundo setor onde deveria ser abordado o bairro onde a escola surgiu de cara me lembrei do Figueirense e do bar do CAU… Imagine um carro com aspectos relacionados ao futebol e botequins… O mais bacana é que a escola é vizinha dessas duas paixões da população da Coloninha… Pessoas importantes do Figueirense e a própria família do Cau, desfilando nesse carro… Sei lá viu….rsss

    A Copa Lord quando completou 50 anos, fez um enredo nesse estilo amarrado de citar apenas seus antigos carnavais, e não se deu bem… Eu estive na apresentação dos protótipos na ocasião e senti essa mesma sensação ao ver a última fantasia…

    É preciso ir além…

  • aurelio pereira diz: 18 de agosto de 2011

    Amigo Guinha, fiquei feliz quando soube de seu retorno à presidência da Coloninha, espero que tenha sucesso e que se não fôr a copa lord campeã, que seja a coloninha, pois moro no Estreito e tenho muita simpatia pela velha guarda da escola, que é a essência de toda as escolas de samba, estou ajudando a nossa amiga Tânia Ramos, ao Rodolfo e ao xico quanto a MUNICIPALIZAÇÃO da Escola Otília Cruz e que aliás, TEREMOS UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA NO DIA 23.08 ÀS 19:00 HS, NA PRÓPRIA ESCOLA. Lutamos pela Municipalização e a consequente criação de uma NEI- Núcleo de Ensino Infantil, pelo município já em 2012, o que muito bem fará às famílias da região, e as crianças agradecem! No mais, parabens e òtima gestão!

  • Henrique diz: 18 de agosto de 2011

    Paulinho Carioca, a Coloninha novamente perderá o carnaval e reclamará dos julgadores se tiver um samba fraco. Sugiro que as justificativas deste ano sejam bem analisadas, pois perdemos vários pontos em hamornia e evolução por causa do componente não cantar o samba ou só cantar o refrão. Se o componente souber e gostar do samba já ganhamos pontos valiosos nestes quesitos. Não sou eu que estou falando, são os jurados que disseram isto.

    E outra coisa, não adianta ter um samba fabuloso se ele for pouco divulgado e se os cds forem entregues somente no dia do desfile, aí nem milagre.

    Quanto ao enredo, esse negócio de viajar muito normalmente não dá resultado ainda mais que o tema são os 50 anos da escola. Falar ou por no desfile o Estreito é obrigação bem como o Figueirense. Quem não se lembra daquele samba dos 25 anos (1987) que dizia “meu sonho pro ano 2000 é Coloninha sediando a seleção, o Scarpelli lotado botando gente pelo ladrão”? Foi uma citação sutil, mas muito bem colocada.

    Como eu disse acima, o desfile de 2012 tem que ser inesquecível haja vista a data importantíssima. O negócio é olhar os 50 anos da Copa Lord e buscar algo diferente, pois daquela vez não deu certo!

  • Mauro.fln diz: 18 de agosto de 2011

    Concordo plenamente com o Saul. Enredo mais do que batido. O carnaval da Copa Lord em 2005 bateu na mesma tecla…ainda que na primeira parte do desfile falasse na comunidade do Morro da Caixa, com o carro da Nossa Senhora de Monterrat, etc. Aonde está a criatividade? Tá começando por aí… acho sinceramente que a Coloninha está inteiramente perdida… ou melhor… atirando pra tudo quanto é lado sem acertat um tiro. Poderia ser ao menos um pouco criativo.

  • ZINHO diz: 19 de agosto de 2011

    Saul, acho a tua opinião muito sincera e valida. Mas no enredo que nós da ala de compositores recebemos, há uma exigencia para que se fale da comunidade no samba. O Sidney tambem explica que o enredo, como vc me mesmo cita, é vasto. Porem, se fosse falar de tudo num só enredo a escola certamente teria que vir com 50 alas e uns 5.000 mil componentes. Não a cacife e muito menos estrutura pra isto. Respeito a tua opinião e só estou comentando para te ajudar em algumas conclusões. Abç a todos

  • Saul Cunha diz: 19 de agosto de 2011

    Zinho, como eu não tive acesso a sinopse e a mesma ainda não foi divulgada, não posso falar, estou me expondo diante das noticias que estão aqui…

    Minha maior preocupação guri é com o desenvolvimento desse enredo… Alas e alegorias…

    Na questão do samba, vocês compositores, colocaram toda a poesia e emoção costumeiras e certamente teremos um grande samba, porém a plástica é minha praia e é o que mais me preocupa como disse.

    Na minha cabeça de torcedor, um enredo sobre os 50 anos da Coloninha teria esse corpo:

    O Nascimento – Da comissão de frente / Primeiro casal de MS e PB / Abre Alas, iriam compor todo esse quadro, representaria o desabrochar da escola pelas mãos das crianças… O cenário de abertura da escola seria como um grande bloco de carnaval com um imenso jardim com muitas flores, borboletas e de quebra AMPULHETAS, representando o tempo… Já que estamos voltando a 50 anos atrás.

    O Bairro onde a escola nasceu / Estreito – Vale lembrar que a Coloninha é a única escola que atravessa o continente pra defender seu carnaval… Nesse setor, é claro, homenagearíamos o famoso Bar do Cau e o Figueirense – Esse setor depois do abre alas abririam com os símbolos do carnaval e citaria aspectos do futebol e do bar, o carro seria uma homenagem a essas duas paixões da comunidade, e o bar do Cau ainda continua de pé no coração da comunidade…

    Os antigos carnavais da escola – Nesse quadro citaríamos desfiles de sucesso da escola e seus criadores como o imortal Carlos Magno.

    O Futuro / A consagração e perpetuação dos desfiles – Este setor é o que mais me chama a atenção para a criatividade – Pois apresentaríamos tudo o que a de novo no carnaval e consagraríamos na avenida o pavilhão da escola – Na minha concepção todos os protótipos da escola desfilariam neste carro, todos do barracão também, pois estaremos comemorando 50 anos, é estaríamos reafirmando perpetuação do desfiles das escolas de samba.

    O enredo certamente é vasto, mas no caso da coloninha o desenrolar da história é muito simples e abrange toda a agremiação…

    Zinho, ao dedicar um quadro somente ao bairro da escola, é claro que eu vou “pescar” os aspectos ou personalidades que se identificam com o local e com a escola. Ou seja, citaríamos o futebol e o botequim (Figueirense / Bar do Cau), aliais seria uma justa homenagem.

    É claro que eu não vou incluir nesse quadro o seu Zé da padaria… Rsss

    Abraço e boa sorte no samba!

  • João diz: 19 de agosto de 2011

    É isso ai Saul, concordo com vc.

    50 anos da Coloninha teria de ser fabuloso, pode ser simples, e luxo como diz na matéria acima, mais bem criativo, este negócio de êres, pra mim tbm não pega legal.

    Falar dos sambas antigos, dos carnavais, passado, fazer uma misturas dos anos em que a coloninha foi campãe, falar do
    figueira, mãe Malvina, seu Carica, seu Arzelino, Zebra, bar do Cal, Dauri, Dica, do bairro coloninha.

    Enfim coisas referentes ao bairro Coloninha e Estreito. É claro, que não vamos falar de tudo, mais pessoas e coisas que foram marcantes.

    Também não li a sinopse, quem sabe estamos falando demais, espero que seja algo parecido, pois esta é idéia que passa pela cabeça da comunidade.

    Abraços a todos.

  • hilario diz: 19 de agosto de 2011

    Será que o espião já levou o tema, ele vai levar pra firma, ai o samba vai vir cheio de malandragem e descritivo rsrsrs.

  • Andre.floripa diz: 19 de agosto de 2011

    Enredo previsivel. E os figurinos e alegorias? que experiencia e “cultura de carnaval” os meninos de Parantins tem fazer um desfile? É lógico que são excelentes profissionais da escultura, do movimento. Isso, sem duvida alguma. Agora virar “carnavalescos” e assumir a montagem de uma escola na avenida????? A história é bem maior.

    ANDRÉ, seu comentário passou por moderação. Obrigada.

  • BASTIDORES diz: 19 de agosto de 2011

    Pelo que ando lendo o RP não perdeu o cargo, ele anda meio chateado com esse papo de “espião cubano” rsrsrs.

  • Fátima diz: 21 de agosto de 2011

    Olá! lendo atentamente os comentários sobre os 50 anos da Unidos Coloninha vamos pensar. A Coloninha é do bairro Estreito, mas não vamos falar do bairro Estreito assim entendo, mas sim dos 50 anos da escola de Samba Unidos da Coloninha localizada no bairro Estreito, é isso! Com certeza a história começa assim era uma vez!… A questão dos Erês representativa, novamente a Coloninha não deixa os ancestrais de lado ou seja o culto Afro, já é marcante o culto afro na Coloninha, mas há o perigo de nos perder no tema sim. As crianças (3) motivação para inicio de uma escola de samba( Unidos), alegria Cosme e Damião e há o terceiro Doum. Esta alegria e energia pura isso Unidos tem de sobra. Concordo com Paulinho Carioca e os demais o tema é vasto, não tem esse ou aquele samba. Acredito no Sid, e no desenvolver do tema do enredo, na cumplicidade, que fará da escola de Samba Unidos da Coloninha a melho , não pensaremos em ganhar, em deixar marcas sim. Agradeço o Guinha no citar a Harmonia Prata da Casa. Isso sim é motivação.
    Abraços.

  • paulinho carioca diz: 22 de agosto de 2011

    Querida Fátima, com todo o respeito vou tentar dizer alguma coisa a respeito do tema já que meu nome foi motivo de seu comentário de uma maneira muito inteligente. Depois que li o tema eu entendi o que o autor do enredo quer.
    temos que entender que o enredo não é o bairro ,ce sim a coloninha,cse o enredo fosse o bairro da coloninha que esta situado no estreito seria quase obrigatorio se falar do figueira, no bar do cal até de alguns centro espirita e outras coisas que o nosso querido estreito tem,cmas cal,cfigueira e outros não fazem parte da história da coloninha e sim do bairro,cja a coloninha bairro faz parte da história da coloninha escola por ela ser fundada ali,cacho também que falar de nomes ou baluartes individualmente ficaria muitos nomes em letra de samba acho se colocarmos baluartes agrega a todos e podem até serem representados por caricaturas o algo assim, outra coisa que eu particularmente acho falta de criatividade seria colocar no samba trechos e mais trechos de sambas antigos acho legal falar alguma coisa que lembre o título exemplo: delira, chuê, corta a corda e por ai mas sem seguir a melodia original, no ano de 1987 no temo a unidos mostra a coloninha era notória que teriamos que falar do Scarpelli, da fonte da carica, marinheiros porque são coisas importantes dentro do bairro e do estreito, então, antes de criticarmos vamos ver que a história no momento não é o bairro do estreito ou coisas importantes dentro do bairro a história é a pró, acho também que esse é um ano atípico não é ano de competições internas e sim da união de forças, até os compositores na minha opinião não devem partir para a desputa ferenha de egos e sim se unirem em torno do que for melhor pra escola nesse todo especial esse é meu ponto de vista,apenas uma opinião.

  • FÁTIMA diz: 22 de agosto de 2011

    Prezado Paulinho Carioca.

    Seguindo a linha de seu pensamento concordo plenamente.
    Com todo respeito, fico feliz pelo entendimento após sua leitura tema, no sentido enredo.
    Assim fica claro para todos o objetivo do autor do tema.
    Abraços.

  • gil de souza diz: 22 de agosto de 2011

    esse conhece da coisa e sabe da história como poucos, além de ser um dos grandes poetas do samba e da música. ele tá voltando com a corda toda, faz samba com a cara da coloninha e da cidade. fera.

  • amigo do torret diz: 23 de agosto de 2011

    ola , torret, o casal de mestre sala e porta bandeira tem que continuar sim, ou vc num lembra a quanto tempo o estandarte de ouro nesse quesito naum vinha para a coloninha ? o q que naum pode continuar eh sua ignorancia e falta de entendimento de carnaval , harmonia
    ratinho e carol força poucos querem que vcs saiam da escola, mas muitos querem vcs brilhando

  • Tania Ramos diz: 25 de agosto de 2011

    Carol e Ratinho realmente merecem todo nosso respeito, nada mais justo de continuarem a ser o Nosso mestre Sala e Porta Bandeira, já provaram de que são capazes, dedicação 100% coloninha, raiz da nossa escola, além de tudo grandes profissionais…e ai o mais importante tudo isso aprenderam dentro da nossa quadra. Casal nota 10 em todos os sentidos….Quem os conhecem sabe de que eu estou falando….Milhões de beijos CAROL E RATINHO.
    Tania Ramos

  • joao diz: 3 de setembro de 2011

    thiaguinho deu um banho na protegidos agora ele nao vai desfilar, chamem ele

Envie seu Comentário