Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Um filme americano sobre a Amia e o Caso Nisman. Leia sobre o documentário e veja o trailer

30 de setembro de 2015 0

AMIA

Opa! Temos filme novo no pedaço – e é importantíssimo. Em 1994, o maior atentado terrorista do ocidente antes dos ataques de 11 de Setembro de 2001 ocorreu em Buenos Aires, na Argentina. A explosão da Amia – centro comunitário judaico Associação Mutual Israelita-Argentina -, matou 85 pessoas e feriu centenas. Seguiu-se a outro similar, ocorrido dois anos antes na embaixada de Israel, com 29 mortos – foram 114 vítimas, portanto. A investigação do atentando, marcada por erros de procedimento, foi assumida pelo promotor Natalio Alberto Nisman… morto horas antes de apresentar suas descobertas ao Congresso.

Veja aqui o emocionante trailer do filme:

Los Abandonados, documentário da Electrolift Creative, que conta a história do atentado à Amia, a investigação de Nisman e sua morte tem lançamento mundial online no Vimeo On Demand em 1º de outubro. O filme acompanha as investigações do atentado à Amia e o trabalho de Nisman por meio de entrevistas com jornalistas argentinos, incluindo Daniel Santoro, do Clarín, e Hugo Alconada Mon, do La Nación, autoridades como o ex-secretário de Inteligência Miguel Ángel Toma, as deputadas Elisa Carrió e Patricia Bullrich, que ajudam o diretor Matthew A. Taylor a reconstruir a cronologia dos fatos, traçar as ligações entre o atentado e o assassinato do promotor e destacar as relações entre as atividades terroristas iranianas, as dinâmicas políticas regionais e suposta corrupção dentro do governo argentino. A investigação de Nisman, nomeado promotor especial pelo presidente Néstor Kirchner em 2004, levou mais de uma década e abrangeu uma ampla análise de documentos vazados ao público, correspondências estrangeiras e escutas telefônicas.

Os trabalhos do promotor apontaram para o governo da República Islâmica do Irã como responsável por planejar o ataque e agentes do Hezbollah como executores do plano.

Nisman também concluiu que o governo de seu próprio país havia tentado encobrir o envolvimento dos suspeitos iranianos com o interesse de restabelecer relações comerciais. Em 14 de janeiro de 2015, o promotor acusou a atual presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, o ministro das Relações Exteriores, Héctor Timerman, e outras autoridades de encobrir a participação do Irã na explosão da Amia. Quatro dias depois, Nisman foi encontrado morto, com um tiro na cabeça, em seu apartamento. A morte ocorreu horas antes de ele apresentar suas descobertas ao Congresso. Anunciado inicialmente como suicídio, o crime se tornou tema de investigação internacional.

Mais de um ano depois da morte de Nisman, as investigações continuam, sem qualquer perspectiva de resolução. Ao se concentrar em lembranças individuais, o documentário apresenta visão ampla e completa da tragédia da Amia, na esperança de servir de registro dos esforços de Nisman e sua importância para a sociedade argentina e a comunidade internacional. O documentário tem lançamento mundial online em 1 de outubro. Uma exibição especial está programada para 30 de setembro em Washington D.C.

O DIRETOR

Matthew A. Taylor estava no meio de uma produção que seria sua estreia como diretor – um documentário sobre o controverso artista francês Marcel Duchamp -, quando ele e seu amigo Alan Peterson (produção/roteiro) leram sobre a morte de Nisman na imprensa americana, em janeiro de 2015. Depois de pesquisar sobre o histórico do ataque terrorista à Amia e o trabalho de Nisman, Matt sabia que ali havia uma história envolvente a ser contada com grande relevância social internacional. Então deixou de lado seu projeto sobre Duchamp e decidiu produzir Los Abandonados e fazer dele sua estreia na direção de um longa-metragem. Antes de entrar para a produção de filmes de TV há uma década, Matthew era artista de vídeo e performance que havia mostrado seu trabalho em diversas galerias e outros espaços. Profissionalmente, aprimorou estilo distinto em comerciais de TV e no show Battlefield Diaries, do canal The Military Channel.

Matthew começou a trabalhar em documentários de longa-metragem de temas variados. Já filmou em países como Polônia, França, Itália, Guatemala e Albânia. Realizou centenas de entrevistas com personalidades como Lech Walesa, Vaclav Havel, Sam Donaldson, Walter Isaacson, George W. Bush, Buzz Aldrin, Douglas Brinkley e Ron Maxwell em mais de 20 documentários de longa-metragem. Enquanto gravava entrevistas com personalidades em eventos históricos modernos como apoio a diversas produções de TV, seu foco como cineasta independente era contar a história de visionários que lutavam contra obstáculos sociais e políticos em defesa de seus ideais, perfil no qual Duchamp e Nisman se encaixam.

Além do trabalho em longa-metragem, Matthew já produziu e dirigiu mais de cem curtas dos mais variados temas, desde vanguarda a vídeos de música. Atualmente, tem diversos documentários e longas em andamento.

Matthew é fundador e proprietário da Electrolift Creative em Nova York. Após terminar o filme sobre Duchamp, pretende iniciar um longa sobre outro visionário controverso: o construtor americano Robert Moses.

 

Os Abandonados (EUA, 2015, 77 min.)

Direção: Matthew A. Taylor

Roteiro: Matthew A. Taylor, Alan Peterson e Kasey Kirby

Fotografia: Matthew A. Taylor e Kasey Kirby

Efeitos visuais: Electrolift Creative

Música: David Cebert

Produtores: Matthew A. Taylor, Alan Peterson, Michelle Taylor e Dan Fleuette

Produção: Electrolift Creative Production

Edição: Kasey Kirby e Matthew A. Taylor

Envie seu Comentário