Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Definido o apito para Criciúma x JEC

25 de agosto de 2016 0
Célio Amorim apareceu em segunda escala do jogo - Foto: Cristiano Estrela/Agência RBS

Célio Amorim apareceu em segunda escala do jogo – Foto: Cristiano Estrela/Agência RBS

Célio Amorim será o árbitro da partida entre Criciúma e Joinville. Ele terá como assistentes Rosnei Hoffmann Scherer e Clair Dapper. Célio Amorim apareceu numa segunda escala. Na primeira, Péricles Bassols seria o árbitro, mas ele foi chamado para apitar uma partida da Copa Sul-americana.

Confira a lista de relacionados do JEC para a partida contra o Criciúma

25 de agosto de 2016 0

A lista de relacionados do JEC para a partida de desta sexta-feira, contra o Criciúma, teve algumas mudanças. As novidades foram as inclusões do lateral-direito Everton Silva; e dos meias Carlos Alberto e Thomás. Por outro lado, quem perdeu espaço em relação ao jogo contra o Luverdense foram os volantes Tinga e Luis Meneses e o meia Juninho. Ligger, lesionado, também saiu.

Lista de relacionados para a partida desta sexta
Goleiros: Jhonatan e Samuel.
Zagueiros: Jaime, Fabiano Eller e Danrlei.
Laterais: Everton Silva, Diego, Fernandinho e Reginaldo.
Volantes: Naldo, Paulinho Dias, Kadu e Bertotto.
Meias: Bruno Ribeiro, Bruno Farias, Carlos Alberto e Thomás.
Atacantes: Giva, Heliardo, Jael e Fernando Viana.

OPINIÃO: Lisca não tem motivos para se aborrecer

24 de agosto de 2016 3
Lisca questionou levantamentos na tarde desta quarta - Foto: Divulgação/Assessoria JEC

Lisca questionou levantamentos na tarde desta quarta – Foto: Divulgação/Assessoria JEC

O texto (leia aqui) explica o que houve nesta quarta na entrevista coletiva do técnico Lisca. A dúvida é: havia necessidade deste debate? Na avaliação do blog, não. O primeiro questionamento se baseia numa estatística informada pelo colega Gabriel Fronzi, que em nenhum momento cita Lisca como responsável pelos dez jogos do JEC (leia o post aqui).

E Lisca justifica o aborrecimento porque jornalistas do Nordeste repercutiram o fato considerando que o treinador do JEC era o responsável pela campanha nestes dez jogos. Bom, aí há dois erros: dos jornalistas, por interpretar equivocadamente os números, e do próprio Lisca, por se preocupar com algo que não tem nada a ver com o momento dele. A vida dele está em Joinville, não no Nordeste.

Lisca também falou da campanha do JEC em casa, lembrada pela coluna Toque de Letra da edição impressa do Jornal A Notícia de quarta-feira. Alegou que teve 300% de evolução – na verdade, teve 162%. Antes, o JEC fez seis jogos, empatou quatro e perdeu duas vezes. Com Lisca, ganhou duas, empatou uma e perdeu outra. No entanto, a campanha do Joinville continua como a pior como mandante da Série B. Houve evolução, mas ela só pode ser exaltada, como quer Lisca, se o objetivo for atingido.

Ainda sobre o levantamento dos dez jogos: Lisca afirmou que, só no período dele, o Joinville é o 12º colocado. É verdade. Mas, no ano passado, PC Gusmão chegou à 36ª rodada da Série A com 22 pontos em 20 jogos pelo JEC. Ocupava a 14ª colocação numa hipotética classificação só daquele período. No entanto, nesta rodada, o JEC perdeu e foi rebaixado. Ou seja, o que vale é a meta do clube, não o resultado do treinador.

Lisca tem todas as condições de tirar o JEC desta situação. Já o fez no Ceará. Recebeu todo o apoio da diretoria. Pediu e teve a saída de 13 jogadores. Ganhou outros nove atletas (e deve receber mais nos próximos dias). Teve o tempo que outros treinadores não tiveram – sete dias entre o jogo do Brasil-RS e do Sampaio Corrêa, mais sete dias do jogo do Sampaio até jogo do Bragantino, dez dias entre o jogo do Goiás e do Oeste, 16 dias na parada da Série B, mais uma semana entre o jogo do Luverdense e do Criciúma. Só aí são mais de 40 dias para trabalhar.

Portanto, não tem motivo para se aborrecer, afinal, ele aceitou o desafio de tirar o Joinville desta situação. E aí ele comprou o pacote. Recebeu elogios no início e agora é cobrado. É preciso paciência para que os resultados apareçam, mas a exigência será maior porque ele assumiu a responsabilidade de tirar o JEC desta situação. E o tempo está acabando.

Um discurso mais coerente com a realidade do Joinville seria esquecer o desempenho individualizado e focar no resultado para o clube. O pacote é esse: o trabalho começou há seis jogos, mas o desafio veio acompanhado de um ônus de 14 rodadas anteriores. A evolução citada por Lisca, se for confirmada nas rodadas seguintes, será a melhor resposta.

Leia mais
Lisca questiona levantamentos feitos pela imprensa de Joinville

Clubes de Santa Catarina tentam alterar TAC para liberação de bebidas nos estádios

23 de agosto de 2016 0

O Joinville esteve presente na reunião da Associação dos Clubes Catarinenses, que aconteceu na segunda-feira. Na pauta, alguns temas interessantes, como a comercialização do nome do próximo Campeonato Catarinense e também a provável liberação de bebida alcoólica nos estádios.

A questão da bebida alcoólica é debatida ano a ano na reunião dos clubes. Em 2009, foi assinado um termo de ajustamento de conduta pela Federação Catarinense de Futebol (FCF) e pelo Ministério Público de Santa Catarina proibindo a bebida nos estádios catarinenses. A medida começou a valer em 2010.

O promotor Rodrigo Cunha Amorim alegava à época de que mais de 80% da população eram favorávéis à medida e que ela ajudava a diminuir a violência nos estádios. De lá para cá, a proibição se manteve ativa, mas sempre com o desejo dos clubes de reverter a decisão. Agora, há até um acordo entre os clubes para que o caso seja reavaliado.

Na próxima semana, os clubes têm o plano de buscar esta reavaliação do termo de ajustamento de conduta junto ao Ministério Público de Santa Catarina. É o passo que falta para conseguir a liberação. Se não houver acordo, a medida de 2009 continuará valendo, sem autorização para venda e consumo nos estádios.

Jaraguá Futsal derrota o JEC/Krona pelo Estadual

23 de agosto de 2016 0
Clássico marcou a abertura da segunda fase do Estadual - Foto: Assessoria JEC/Divulgação

Clássico marcou a abertura da segunda fase do Estadual – Foto: Assessoria JEC/Divulgação

Na noite de segunda-feira, pela primeira rodada da segunda fase do Estadual de Futsal, o Jaraguá venceu o JEC/Krona por 3 a 1 na Arena Jaraguá. Alex abriu o placar para o Tricolor, mas Alemão, Yuri e Alvin viraram o marcador para os donos da casa. Os dois times voltam a jogar pelo Estadual no dia 31.

Antes do retorno ao Catarinense, tanto JEC/Krona quanto Jaraguá terão pela frente compromissos válidos pela Liga Nacional de Futsal. Na sexta-feira, ocorrerá a última rodada da primeira fase, com todos os duelos às 19h15. O JEC/Krona recebe Marreco-PR no Cau Hansen. O Jaraguá visita o Minas.

Veja como o JEC mudou na escalação da primeira rodada do turno e na primeira do returno

22 de agosto de 2016 2
Bruno Farias é uma das novidades do returno - Foto: Divulgação/JEC

Bruno Farias é uma das novidades do returno – Foto: Divulgação/JEC

O Joinville que entrou em campo diante do Luverdense, na sexta-feira, teve apenas um jogador que também foi titular diante do mesmo adversário no jogo do turno, em Lucas do Rio Verde: o zagueiro Danrlei. O curioso é que, na ocasião, nem como zagueiro ele atuou: foi lateral-direito.

O volante Kadu, titular na sexta, também jogou no turno, mas ele estava no banco de reservas. Outro dado que mostra bem as mudanças do JEC: na sexta, dos 14 atletas que estiveram em campo, só Jhonatan, Danrlei, Naldo, Kadu e Juninho estavam no elenco do JEC quanto o Tricolor começou a Série B.

Ou seja, dos 14 que estiveram em campo, nove sequer pertenciam ao grupo de atletas no começo da Série B. É o caso dos laterais Reginaldo e Fernandinho; do zagueiro Ligger; do volante Bertotto; dos meias Bruno Farias e Bruno Ribeiro; e dos atacantes Giva, Jael e Heliardo. Este é o tamanho da transformação do JEC de um turno para o outro.

JEC vai à CBF para reclamar dos erros da arbitragem

21 de agosto de 2016 0
JEC reclamou que Gleidson Oliveira (D) não marcou um pênalti sobre Heliardo - Foto: Salmo Duarte

JEC reclamou que Gleidson Oliveira (D) não marcou um pênalti sobre Heliardo – Foto: Salmo Duarte

Os erros da arbitragem nas partidas contra o Vila Nova-GO e diante do Luverdense fizeram o Joinville se mobilizar nos bastidores. Inconformado com o prejuízo – o clube calcula que perdeu, pelo menos, quatro pontos em razão dos erros –, o JEC vai enviar um representante à CBF nesta semana para relatar os erros e cobrar a escalação de árbitros mais experientes em seus jogos.

A tendência é de que o advogado Leonardo Roesler, que costuma circular na CBF como representante do clube em encontros oficiais, seja este representante do JEC para relatar as queixas tricolores.

Léo, inclusive, já havia enviado um DVD à entidade com erros da arbitragem, pedindo mais atenção aos jogos do Joinville. Agora, o Tricolor entende que é preciso estar presente no Rio para a cobrança ser maior.

O Joinville avalia que houve prejuízo no gol marcado (e não validado) por Fabiano Eller contra o Oeste; no pênalti marcado a favor do Vila Nova e que definiu o confronto; e no pênalti não marcado sobre Heliardo diante do Luverdense.

Confira a análise de JEC 1 x 1 Luverdense

19 de agosto de 2016 2

Quando a fase não é boa, nada ajuda. Pelo segundo jogo consecutivo, o Joinville volta a sofrer com um erro gravíssimo da arbitragem. E esta falha de Gleidson dos Santos Oliveira interferiu diretamente na definição do resultado. O pênalti não marcado em Heliardo foi escandaloso. Um erro tão absurdo quanto o pênalti marcado a favor do Vila Nova, na última rodada do turno. Por aí, o JEC perdeu pontos preciosos.

No caso da noite de sexta-feira, o problema está na escalação do árbitro. Esta é apenas a terceira partida apitada por Gleidson dos Santos Oliveira na Série B. Como os erros tem acontecido sucessivamente, o Joinville precisa exigir a escalação de árbitros mais rodados em seus jogos.

Primeiro tempo do JEC foi bom, mas equipe caiu na segunda etapa - Foto: Divulgação/JEC

Primeiro tempo do JEC foi bom, mas equipe caiu na segunda etapa – Foto: Divulgação/JEC

Feita esta observação, é preciso reconhecer também que não foi só o erro de arbitragem que definiu o placar. No primeiro tempo, o JEC pecou ao perder tantas oportunidades. Teve, pelo menos, cinco chances claras – duas com Giva, duas com Jael e uma com Naldo. Marcou apenas um gol.

Depois, no segundo tempo, a equipe caiu. Ficou ainda mais fraca após a saída de Bruno Farias. A entrada de Heliardo fez o Tricolor perder o meio. Com Giva e Bruno Ribeiro abertos, Kadu marcando pouco e Heliardo por dentro, o Luverdense foi ganhando espaço. Não teve grandes chances, é verdade, mas tinha a bola sob seus domínios. Quando chegou, levou perigo.

Na primeira oportunidade, num cruzamento, Hugo perdeu de cabeça. Na segunda, Sérgio Mota fuzilou Jhonatan e empatou. Depois disso, houve nervosismo no campo e nas arquibancadas. O descontrole impediu o JEC de acertar. Os erros de passe se acumularam e as finalizações também não acertavam o gol.

Num cenário como esse, tudo ficou mais complicado. O empate foi inevitável. E o JEC continua afundado na zona do rebaixamento, sem dar esperanças de que vá mudar sua condição em pouco tempo.

Observação: desde a chegada de Lisca, o Joinville passou apenas o jogo de estreia do treinador – contra o Sampaio Corrêa, lanterna do campeonato, sem sofrer gol. Como a equipe cria sem a mesma efetividade, não consegue acumular bons resultados.

Num campeonato definido nos detalhes como a Série B (ainda mais na zona do rebaixamento), sofrer gols em todos os jogos é um grande problema. Algo que Lisca teve tempo para corrigir – foram quase 40 dias só de treino desde a sua chegada -, mas ainda não surtiu efeito. Está na hora também de o treinador mostrar mais resultados.

JEC define relacionados para enfrentar o Luverdense. Confira a lista

18 de agosto de 2016 1
Giva será titular do JEC nesta sexta-feira - Foto: Maykon Lammerhirt

Giva será titular do JEC nesta sexta-feira – Foto: Maykon Lammerhirt

O Joinville divulgou na tarde desta quinta a lista de relacionados para a partida desta sexta, contra o Luverdense, na Arena. O técnico Lisca selecionou 22 jogadores. São nove atletas diferentes em relação à lista dos convocados para a última partida, contra o Vila Nova. Entre as novidades, estão: os goleiros Jhonatan e Samuel Pires; o zagueiro Jaime; o lateral-esquerdo Diego; os volantes Luiz Meneses e Bertotto; o meia Bruno Farias; e os atacantes Fernando Viana e Giva.

Lógico que, no caso de Samuel, Jaime, Bruno Farias e Giva, as novidades acontecem porque eles são recém-chegados ao clube. No entanto, com as mudanças no elenco, alguns jogadores que estavam esquecidos voltam a receber oportunidades, como o volante Luiz Meneses e o atacante Fernando Viana. A ausência foi de Everton Silva, suspenso.

Lista de relacionados para a partida desta sexta
Goleiros
: Jhonatan e Samuel.
Zagueiros: Jaime, Fabiano Eller, Danrlei e Ligger.
Laterais: Diego, Fernandinho e Reginaldo.
Volantes: Naldo, Paulinho Dias, Kadu, Bertotto, Luiz Meneses e Tinga.
Meias: Bruno Ribeiro, Bruno Farias e Juninho.
Atacantes: Giva, Heliardo, Jael e Fernando Viana.

CONFIRMADO: JEC estará no game Fifa 17. Veja detalhes

17 de agosto de 2016 1
JEC já esteve presente no game Fifa 16

JEC já esteve presente no game Fifa 16

A exemplo do que aconteceu no ano passado, o Joinville voltará a ser representado no game Fifa Soccer. O Tricolor, que esteve presente na edição do Fifa 16 por ser um clube da Série A, está mantido no Fifa 17, jogo que tem lançamento previsto para o fim de setembro no Brasil.

O blog já havia noticiado a possibilidade de o Tricolor figurar no produto da EA Sports (leia mais em JEC deve ser confirmado no Fifa 17. Confira detalhes). Agora, a praticamente um mês e meio do lançamento, a informação está confirmada.

A notícia de certa maneira surpreende os fãs tricolores pelo fato de o JEC estar na Série B e não passar por um bom momento no Campeonato Brasileiro. No entanto, há alguns motivos que explicam a inclusão.

O primeiro é o fato de que nem todos os clubes da Série A foram licenciados pela EA Sports. Deste modo, equipes da Série B, como Vasco, Bahia e Goiás, devem aparecer no jogo. O segundo motivo foi a iniciativa do próprio JEC de procurar a EA Sports para ser incluído.

A ideia do JEC é óbvia: expor ainda mais a marca num produto diferente e expandi-la para outros países – o game é mais vendido entre os simuladores de futebol do mundo.

Além de Fifa, o Joinville também trabalhava para ser incluído no game PES (Pro Evolution Soccer) 17. No entanto, neste caso, a negociação está mais difícil. A Konami, produtora do jogo, ainda não sinalizou de forma positiva para o Tricolor.