Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Bulls faz parceria com alunos de fisioterapia da UFRGS

03 de fevereiro de 2017 0
Rafael (da esquerda para direita), fala sobre trabalho com o Bulls

Rafael (na ponta com abrigo da UFRGS), fala sobre trabalho com o Bulls

A prevenção de lesões será um dos trabalhos desenvolvidos pelo Bulls FA em 2017. Uma parceria com a fisioterapia da UFRGS foi proposta pelo time e aceita por três alunos coordenados por um professor.

:: Fãs de futebol americano passam dos 15 milhões no Brasil, segundo IBOPE

Os alunos vão acompanhar todos os treinamentos do Bulls e organizar grupos de atletas para fazer diagnóstico de futuras lesões. Rafael Michel, 24 anos faz parte do projeto junto com Deborah Matias, 22 anos e o Gabriel Pizetta, 23.

- O nosso trabalho é um projeto de extensão da UFRGS intitulado Saúde do Atleta de Futebol Americano, com supervisão da professora Cláudia Lima. O Bulls entrou em contato buscando uma parceria e a gente abraçou a ideia. O objetivo do trabalho é prestar atendimento fisioterapêutico de campo aos atletas e, principalmente, propor um treino visando a prevenção e diminuição das lesões no esporte, disse Rafael.

d3b4de25-f3f3-4e90-8a60-0a035f010f12

Rafael acrescenta a importância desse trabalho pelo ponto de vista de quem já atua com a fisioterapia:

- Na fisioterapia esportiva o trabalho de prevenção de lesões quanto o de reabilitação. Nós temos ciência de que é muito melhor evitar que o atleta se lesione e fique afastado dos treinos e jogos por um período do que apenas reabilita-lo após uma lesão. Muitas pessoas não conhecem essa parte da fisioterapia esportiva, e foi justamente isso que priorizamos apresentar para o time quando eles entraram em contato conosco. De fato, o futebol americano é um esporte com muito contato e, por conseguinte, com um alto número de lesões, as quais muitas vezes não são possíveis prevenir como, por exemplo, fraturas ósseas durante uma queda com um adversário. Existem, porém, muitas lesões, como lesões musculares e entorses que o trabalho de prevenção consegue, sim, diminuir a incidência. Nosso trabalho é, até onde sabemos, pioneiro no futebol americano aqui no estado (e quiçá no Brasil), e, por esses motivos, ele é tão importante, uma vez que o cenário do futebol americano no Brasil se encaminha para uma profissionalização e melhor estruturação dos times.
Apesar de ainda não termos os dados concretos, notamos, uma diminuição das lesões desde que começamos o trabalho em outubro de 2016. O Bulls vem treinando forte para o campeonato gaúcho e o nosso objetivo é qualificar ainda mais o nosso treino preventivo, a partir das nossas avaliações de pré temporada. Esperamos diminuir cada vez mais o índice de lesões dos atletas e, com isso, contribuir para o desempenho do time nesse ano que promete.

O estudante de fisioterapia também falou sobre a supervisão e responsabilidade das equipes no controle dos treinamentos para evitar que o atleta exceda a carga de atividades:

- Cabe às comissões médicas e de preparação avaliar os treinos dos atletas e indicar e orientar outras práticas que irão agregar ao desempenho esportivo e à saúde física. Nem sempre quanto mais pesado o treino melhor e a equipe deve estar sempre atenta ao rendimento do atleta e evitar possíveis casos de overtraining. É muito importante que o atleta realize outras atividades físicas como a musculação, por exemplo, porém sempre supervisionado pelos profissionais competentes a isso.

Comments

comments

Envie seu Comentário