Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Rodovia Guilherme Jensen é a mais perigosa da região para pedestres e ciclistas

18 de julho de 2012 9

Cristian Weiss
cristian.weiss@santa.com.br

A rodovia SC-474 (Rua Dr. Pedro Zimmermann) atravessa o bairro Itoupava Central e é a principal via de ligação dos moradores e trabalhadores das indústrias e empresas instaladas na região. O fluxo urbano sobre a rodovia é a causa de um cenário alarmante: em 2012 quatro pessoas morreram — dois pedestres e dois ciclistas — acidentes de trânsito. Os números negativos colocam a SC-474 como a segunda rodovia estadual mais perigosa para pedestres e ciclistas em Santa Catarina e também como uma das campeãs em acidentes com veículos.

— Tem cada vez mais carros e circula mais gente. A sinalização é ruim e é sempre um problema cruzar a rodovia para a gente que usa todos os dias — aponta a costureira Cecília Vinter, 54 anos, moradora da Itoupava Central.

FOTO: Gilmar de Souza

Pedestres e ciclistas correm risco diariamente na rodovia


Os pontos mais críticos estão desde a ligação com a BR-470, no Viaduto da Mafisa, até o Km 55, próximo ao posto da Polícia Militar Rodoviária (PMRv). Criada inicialmente para ligar os vilarejos da região e transformada em rodovia estadual no final da década de 1970 para comportar 10 mil veículos diariamente, a SC-474 alcança hoje uma média de 38 mil veículos por dia, segundo contagem da PMRv. 

— A rodovia deixou de ter características rodoviárias para ter urbanas. Mas, para isso, precisaria haver alterações. Hoje, não há calçadas nem ciclovias na pista, que absorve todo o movimento urbano. A Itoupava Central não comporta mais trânsito rodoviário — analisa o comandante da PMRv do Vale, o major Mauro Palma Resende.

A aposentada Wilma Gaulke, 63 anos, foi uma das vítimas da falta da infraestrutura da rodovia no dia 29 de fevereiro. Mesmo no acostamento, morreu atropelada por um ônibus que fazia o retorno no ponto final da linha 109, em frente ao Ambulatório Geral Guilherme Jensen.

Leia a reportagem completa no Santa desta quinta-feira

Comentários (9)

  • Erick diz: 19 de julho de 2012

    Se a administração municipal e estadual deixassem a miopia de lado, seria possivel amenizar alguns problemas, como por exemplo instalação de passarelas nas escolas situadas as margens desta rodovia. Desapropriações para criar espaço para ciclovias e area adequada para pedestres. Fiscalização mais intensa em algumas transversais onde muito motoristas e motociclistas cometem infrações. Mas tudo isto acima mencionado teremos como promessa de campanha politica em breve. Logo os politicos regionais farão deste problema seu palco de discursos eleitoreiros, para benefício proprio.

  • Leonel diz: 19 de julho de 2012

    Seria barato e eficiente se fosse criada uma simples ciclovia. Mas o problema é sempre a má vontade de nossos representantes, que preferem perder tempo criando moções. E enquanto isso, os números negativos crescem.

  • Dieter diz: 19 de julho de 2012

    Em um sábado de manhã, com tempo bom, cruzei a itoupava central sentido Massaranduba. Eu e minha namorada ficamos impressionados com a quantidade de pedestres e principalmente ciclistas, transitando pelo acostamento. Nem parecia que estavamos em Blumenau. Essas pessoas merecem os parabéns por cultivarem o hábito de pedalar. Ninguém estava passeando ou treinando. Estavam utilizando a bicicleta como meio de transporte. O mínimo que deveria existir lá é uma estrutura que lhes garantam segurança.

    Esse hábito (de primeiro mundo) infelizmente não existe no resto da cidade. Acredito a muito tempo que essa seja a melhor solução para o trânsito, mas é uma pena que o governo e uma grande quantidade de almofadinhas não pensem (ou não enxergam) o mesmo.

    “Não comprei um carro pra deixá-lo parado na garagem”
    Até quando?

  • Valmir José Tambani diz: 19 de julho de 2012

    Precisamos acordar para realidade, o bairro da Itoupava Central é o alvo de crescimento da nossa cidade, afinal, Blumenau não tem como crescer para outros bairros.É um bairro com ótima localização para empresas com rodovias próximas para escoação da produção blumenauense. Precisamos planejamento e investimento imediato sem dependermos da burocracia e de interesses políticos. Enquanto isso não acontece, seremos vítimas da falta de fiscalização do trânsito,da má sinalização, da péssima condição da rodovia e do horror que é transitar por ela.Os motoristas mau educados que utilizam a rodovia, não se importam com o s números alarmantes de acidentes quase que diários nesta rodovia.
    O projeto Blumenau 2050 é muito interessante, pena que pela demora, quando chegar o ano de 2050, esse projeto será obsoleto.

  • Tito Duarte da Silva diz: 19 de julho de 2012

    Calçadas e Ciclovias (e não ciclifaxas) nos dois lados desta via. Instalação de meio fio, para limitar os carros só na via e não totalmente aberta, com carros saindo e entrando de todos os lados.

  • Marcos Luciano diz: 19 de julho de 2012

    Como disse o Dieter, a população desse bairro está de parabéns pela cultura de utilização das bicicletas, bem como de caminhar para resolver suas necessidades de consumo. Felizmente temos a mídia, nesse caso impressa, para levantar e abrir uma discussão sobre o assunto. Estamos em uma eleitoral e o que vamos ver é uma avalanche de promessas e propostas de candidatos que irão se aproveitar desses assuntos para tomar como “seus”. Espero que a consciência dessa população consiga distinguir quais e quem são os melhores para merecerem o voto deles. Senão, a previsão do Valmir Tambani será concretizada.

  • EDSON JOSÉ LAURINDO diz: 19 de julho de 2012

    não existe rodovia perigosa, é o próprio usuaria a que torna perigosa, os desrrespeito com a sinalizacão é muito grande não adianta colacar mais sinalizaçao se as que já existem não são respeitadas,é ciclista que não param em cruzamento andan em cima da faixa de rolamento, e isso é só um ezemplo se não há ciclovias não é por isso que se deve arriscar a própria vida,isso serve pra ciclista e pedestre,quanto aos motoristas e os motociclistas sem comentários…não respeitam os retornos que foram feitos muitos maus feitos por sinal principalmente o do posto RG que formam filas ernormes todos os horarios atrasando a vida dos trabalhadores, aí vem um engravatado dizer que foi renvidicação de meia duzia de moradores da região, que pediram o sinaleiro, tenha santa paciencia.

  • Filipe Mixed diz: 19 de julho de 2012

    Moro numa das transversais da SC-474 e a utilizo todos os dias, as vezes de apé, as vezes de ônibus, e as vezes de carro. E algo que tem me chamado muito a atenção nos últimos anos é o estado de ABANDONO da mesma, o governo estadual simplesmente abandonou a rodovia. A sinalização está péssima e o os buracos e remendos dominam o asfalto. E a única coisa que foi feita nela foi a instalação dos semáforos, que em nada ajudaram e só atrapalharam ainda mais o trânsito, tanto para os pedestres e ciclistas quanto para os motoristas, simplesmente um projeto confuso sem pé nem cabeça. Essa rodovia é uma vergonha para nossos governantes e para a nossa cidade.

  • Sandro diz: 20 de julho de 2012

    Bem… o governo federal lançou um programa para a criação de BRT (onibus em vias exclusivas), VLTs (bondes urbanos) e Metrôs para cidades entre 250 mil e 700 mil habitantes. Será que a prefeitura, que tem previsto um VLT no projeto BNU 2050, apresentará até novembro deste ano um projeto para apresentar ao Governo Federal? A cidade não pode deixar passar esta oportunidade. Por que não fazer uma linha ligando terminais de onibus na Itoupava Central e o Garcia (Norte e Sul da cidade)? Isso aumentaria a capacidade do transporte coletivo e, com certeza, estimularia quem hoje só utiliza carro a mudar de modal de transporte. A cidade ganharia muito com isso.

Envie seu Comentário