Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2008

A FILA ANDA

31 de março de 2008 4

   Uso esta expressão comumente utilizada nos dias atuais pra explicar que um relacionamento amoroso terminou, pra ilustrar um momento bem interessante no Grêmio. Quem poderia imaginar, por exemplo, que Rudnei, renegado em 2007, poderia ser a solução tão cantada por Celso Roth pra equilibrar as ações do meio-campo do time? Vi com atenção seu retorno diante do rebaixado Quinze. Esteve ativo e ligado enquanto pôde. Correu, marcou e atacou enquanto as pernas agüentaram. Estava eu, sábado na cabine do estádio Centenário me preparando pra narrar Juventude e Grêmio, quando ouvi com surpresa a escalação do Grêmio anuciada pela repórter Juliana Bolson. Lembro que ainda comentei com o Batista, fora do ar, o que estaria levando Celso Roth a abrir mão de Júlio dos Santos pra colocar Rudnei numa partida daquela importância. Minha dúvida foi sanada nos primeiros minutos do confronto. O jogador de novo foi intenso, e extremamente participativo. Junto com Perea e Reinaldo, infernizou a defesa caxiense. Caiu de rendimento na etapa final. O condicionamento ainda não é dos melhores. Bom pra ele, é que o treinador vai dar sequência de jogos. Rudnei será titular contra o Atlético em Goiânia. A favor de Rudnei, o fato de que marca mais e chega mais fácil a frente do que Júlio dos Santos. É mais veloz. Por enquanto, Roth acertou. A fila andou.

Postado por Jader Rocha, POA

Classificado

30 de março de 2008 4

A não ser que aconteça o maior milagre da história do futebol gaúcho, o Inter está classificado para as semifinais do Gauchão. É indesmanchável a vantagem construída naturalmente em Canoas no domingo. Até fazer o primeiro gol, o  time colorado jogava pouco futebol e era contido pela Ulbra. Mas o movimento inesperado de Fernandão voltando ao meio combinado com o avanço de Guinazu acabou com o esforço da equipe canoense. Depois, a goleada só não foi maior porque o Inter desperdiçou chances, se desconcentrou quando fez três a zero, tomou um gol, retomou o interesse no jogo e poderia ter feito mais dois ou três.

Na projeção dos demais classificados, Sapucaiense e Caxias só não encaminharam suas passagens à próxima fase porque não conseguiram confirmar em gols as grandes atuações que tiveram em São Leopoldo e no Passo D%27Areia. O time do técnico Círio Quadros poderia ter feito mais dois gols depois do dois a zero, desperdiçou e sofreu um gol nos acréscimos. Basta ao Inter SM vencer por um a zero no Presidente Vargas. O Sapucaiense joga por um empate, é perigoso fora de casa, faz muitos gols. Vaga em aberto.

O Caxias tinha um a zero no placar, o goleiro do São José fez um milagre num chute à queima-roupa de Kempes e, na sequência, Poty empatou aos 47 do segundo tempo. Nei, camisa um do Zequinha, foi o melhor em campo e manteve seu time com chances para o jogo da volta. Vaga em aberto. Porém, considerando as circunstâncias dos resultados dos jogos de São Leopoldo e Porto Alegre, acredito que Inter de Santa Maria e Caxias levam pequena vantagem para que cheguem às semifinais. 

Postado por Maurício Saraiva

Ganhou o melhor

29 de março de 2008 4

 O Grêmio é melhor time do que o Juventude e ganhou o jogo no estádio Centenário. O técnico Zetti estreou e fez sua equipe jogar mais do que joga. O Juventude foi bravo, ameaçou o goleiro Marcelo Grohe com vários lances de perigo e bateu no teto.

O time do técnico Celso Roth, por sua vez, atuou de acordo com o que reza a cartilha do Gauchão. O meio povoadíssimo e marcador para que Róger pudesse desfilar. Zagueiros centrados e laterais comedidos, ainda que Paulo Sérgio às vezes esquecesse a prudência e se mandasse à frente. No setor central, Rudinei foi importante no trabalho de vai e vem, mas cansou de novo na metade do segundo tempo. Nunes, embora sempre prestigiado pelos treinadores, ainda pratica um esporte um tanto diferente de futebol. Se tivesse nome, seria faltobol, quem comete mais faltas, ganha.

Seja como for, o Grêmio conseguiu um extraordinário resultado e encaminhou sua classificação. Pode perder até por um a zero no jogo de volta, tem mais qualidade e melhores opções de banco. Porém, o futebol requer concentração permanente. O Juventude pode, por que não, chegar em Porto Alegre e fazer o crime. Só o torcedor pode acreditar nesta ilusão de que o time de Caxias afrouxa com o Grêmio e retesa contra o Inter. A equipe caxiense fez o seu melhor, e o melhor do Juventude está longe do melhor do Grêmio. 

Postado por Maurício Saraiva

PROJEÇÕES

28 de março de 2008 5

   Conforme o prometido, arrisco minhas projeções pros confrontos das quartas-de-final do Gauchão:

JUVENTUDE X GRÊMIO - Não há como negar ou fugir da realidade. O Grêmio, pelos números, pela campanha, pela qualidade do plantel e até mesmo pelo retrospecto contra a equipe de Caxias, é o favorito pra seguir adiante no Gauchão. Zetti vai ter que mexer bastante, principalmente com o brio dos jogadores. A reta final de primeira fase do Juventude foi de queda na produção coletiva.

SAPUCAIENSE X INTER/SM - É, pra mim, o confronto mais igual dos quatro. Os dois se equivalem na qualidade e na maneira como atuam. Uma pequena vantagem pro Sapucaiense que, guiado pelo competentíssimo Círio Quadros, é mais ofensivo. Mas não diminui a capacidade de atacar do Inter de Paulo Porto, candidato a melhor técnico do Gauchão, de novo.

SÃO JOSÉ X CAXIAS – Encontro de dois times que estão em ascensão no campeonato. O São José cresceu na hora certa e o ponto de desequilíbrio neste confronto pode ser a dupla Fabiano e Júnior Paulista, respaldada por um esquema que lhes favorece. Daril e Jonas, os volantes do time do André Luís carregam o piano, pros outros dois se destacarem na frente. O Caxias tem um grupo coeso, experiente. Gustavo, Marília, Cris, Léo Mineiro e Kempes, formam o esqueleto de uma equipe entrosada e rápida.

ULBRA X INTER – Usando os mesmos argumentos do Grêmio, o Inter é disparado o favorito. Acrescente-se o melhor ataque, Alex e Guiñazu em grande fase e o retorno aguardado com ansiedade pelos colorados de Nilmar…Na Ulbra, o mérito pela classificação é todo de Beto Almeida. Conseguiu recuperar a equipe, recolocando-a no rumo da classificação. É preciso aliar, ainda, qualidade. Jacques, aquele mesmo dos tempos de Grêmio, pode ser o ponto favorável.

Postado por Jader Rocha, POA

Quem decide

28 de março de 2008 0

O próprio Alex talvez não acreditasse que estariam depositadas nele as maiores esperanças dos colorados de uma jogada individual capaz de decidir a partida. Ele começou o ano sendo importante na conquista do torneio de Dubai, mas Guinazu e Nilmar foram mais falados. Depois, no Gauchão, jogou de ala contra o Inter SM na estréia e foi mal no Beira-Rio contra o Veranópolis. Só no terceiro jogo o meia jogou bom futebol. A partir da primeira atuação convincente, Alex cresceu tanto, que virou o melhor jogador do time. Para tanto, Fernandão passou a jogar numa função mais recuada, o que diminuiu a produção do camisa nove colorado.

No Grêmio, ao contrário, Róger assumiu com naturalidade a tarefa para qual foi contratado. Em princípio, sem a condição física ideal, aparecia esporadicamente com um ou outro lance diferenciado. À medida que foi melhorando o condicionamento, o meia começou a participar mais dos jogos e virou o centro do time. Está animado, entendeu que o Grêmio é sua última chance de dar certo em clube grande. Aliás, o clube gaúcho tem tradição de acolher com sucesso talentos desenganados do centro do país. Mais uma vez, está dando certo.

No Interior, o destaque maior não está nas individualidades, mas nos comandantes de times de qualidade média que tiram o máximo do que têm. Neste quesito, Paulo Porto e Círio Quadros são top de linha. Farão um confronto muito interessante com Inter SM x Sapucaiense. Este duelo vai garantir um semifinalista vindo da segunda divisão. Muito legal.

 

 

Postado por Maurício Saraiva

A ESTRELA E O EMERGENTE

27 de março de 2008 1

   Foram tempos difíceis, tenho a consciência disso. Quem me acompanha em todos os meus espaços sabe bem o quanto eu ficava angustiado ao ver cada convocação da seleção brasileira e nela os nomes de Vágner Love e Afonso. Quanta escassez, quanta incapacidade pra marcar! Mas foram outros tempos. Enfim voltamos a ter centroavante e com o %22C%22 maiúsculo. Por mais que muitos ainda o critiquem, afirmando que ele não é craque, que é preciso ter uma sequência forte, não adianta. Alexandre Pato tem estrela, carisma e, acima de tudo, talento. Não é à toa que as estréias deste menino desde que foi alçado a profissional no futebol, tem sido manchete. Pato é diferenciado sim. O gol de ontem no morno amistoso contra os suecos é prova concreta e definitva. Vamos à Pequim com um nove de verdade que certamente vai nos ajudar a buscar o ouro inédito.

 

   Enquanto isso, a milhares de quilômetros de Londres, Círio Quadros vai fazendo história. O Sapucaiense, amador até 2005, já é um dos oito melhores do Gauchão. Quem apostaria? Quem imaginaria? O time é modesto, mascoeso, objetivo. O treinador tem um modo especial de ser e trabalhar. É ofensivista sim e não abre mão de ter essa característica na sua equipe. Coloca o Sapucaiense nas quartas contra o Inter/SM e se candidata às semifinais. Abram o olho com esta equipe. Como escrevi dias atrás, o Sapucaiense veio pra ficar e fazer bonito na Série A do Gauchão. No próximo post, arrisco algumas projeções sobre os confrontos da próxima fase!

Postado por Jader Rocha, POA

A justiça do campo

27 de março de 2008 5

As vitórias de Inter e Grêmio sobre seus adversários da última rodada já eram esperadas. Talvez não se imaginasse que o time de Celso Roth mataria a questão em 25 minutos com quatro gols. Mas o favoritismo da dupla grenal se reforçou, dois grenais finais se desenham e prometem muito bom futebol caso as equipes decidam só jogar bola.

A justiça do campo se deu pela classificação do Sapucaiense e do São José. Eles venciam ou ficavam fora da próxima fase. Os demais resultados interessavam aos concorrentes, e eles não foram competentes para evitar a classificação de quem não entrou como favorito. Um em cada grupo, São José e Sapucaiense estão nas quartas-de-final pela justiça do campo. Já o Juventude e a Ulbra se classificaram contando com resultados paralelos.

O apaixonante em futebol é que as verdades de hoje podem ser desmentidas já no fim-de-semana. Quem há de negar que Inter, Grêmio, Inter de Santa Maria e Caxias entram na condição de favoritos ? Fizeram as melhores campanhas, jogam a segunda em casa, têm melhores times do que os respectivos advesários. Porém, basta que vacilem se desconcentrem ou subestimem seus rivais para que o favoritismo se transforme em nada.

Serão emocionantes as quartas-de-final do Gauchão. Aliás, o campeonato de 2008 está fantástico. Alta média de gols, menor número de faltas por jogo, muitos golaços, grandes destaques individuais, belas surpresas com os times que vieram da Segundona…Ah, a segunda divisão de 2007 vai colocar um time na semifinal com absoluta certeza. Inter SM e Sapucaiense vão fazer um grande duelo.

Postado por Maurício Saraiva

OBSERVATÓRIO

25 de março de 2008 2

   Aproveito o assunto trazido pelo Maurício no post anterior pra destacar aqui que a torcida da dupla Gre-Nal vai ter um papel diferente nos jogos deste meio de semana. Mais do que torcer ou se aventurar a secar o adversário, estes torcedores ganham a chance pra poder observar bem detalhadamente os jogadores que terão a oportunidade de mostrar algo pros treinadores. Será que estes mesmos jogadores têm potencial suficiente pra se tornarem titulares? Ou ainda. Será que os times reservas de Inter e Grêmio são confiáveis, têm potencial pra manter aquilo que os titulares vem fazendo? Taí uma ótima vitrine. Os dois times brigam, no bom sentido é claro, pra terminar com melhor campanha. Não nesta fase. Esta já é do Grêmio. O regulamento da competição indica que os pontos são cumulativos. Quem chegar a decisão com o maior número de pontos possíveis, manda o jogo final. Por enquanto Grêmio trinta e três, Inter vinte e nove. Quatro de diferença. Os questionamentos serão muitos ao final das partidas da super quarta-feira de futebol. Aos que entram nas equipes da dupla, sorte. A hora de aparecer é esta!

Postado por Jader Rocha, POA

Hora do plano B

25 de março de 2008 1

Grêmio, Inter e Inter de Santa Maria estarão com reservas em campo amanhã. Posições definidas e quartas-de-final começando logo no fim-de-semana levam estes três clubes à escalação de jogadores que terão chance de mostrar o quanto podem ser úteis nas próximas etapas.

O Grêmio tem menos recursos de grupo do que o Inter, e também por isso é importante ver com olhos atentos os jogadores que estão entrando. Até Rudinei volta a ter oportunidade, ele que se destacou no Quinze de Campo Bom em 2006, veio para o Grêmio e sentiu a camisa pesar toneladas. Quem sabe agora encare a chance de outra forma…Júnior está há um ano sem jogar 90 minutos, espera a vez. De resto, opções conhecidas, como Jonas e Reinaldo ou Tadeu na frente.

O Inter dará chances a Derley, quase ninguém o viu jogar até agora, e repete a escalação de Adriano com Gil no ataque. Fernandão e Iarley ganham a semana para trabalho de recondicionamento, o que será especialmente bom para o capitão colorado. O camisa nove do Inter não joga bom futebol há algum tempo. Parte deste decréscimo tem a ver com a nova função exercida no ataque, mas outra parte diz respeito só ao momento técnico por que passa Fernandão. Como já escrevi neste blog, nada tão grave que o tire do time. É preciso dar tempo ao jogador para reencontrar jogando sua melhor qualidade.

Postado por Maurício Saraiva

RETA FINAL

24 de março de 2008 3

   Em dias de final de Big Brother, de paredões, de especulações de quem vai se tornar o novo milionário do país, vivemos dias intensos também no Gauchão. A quarta-feira nos reserva horas de angústia, sofrimento, alegria e comemoração. Grupo Um: Grêmio e Caxias, por méritos, já se garantiram entre os oito. Esportivo, Ulbra e Sapucaiense estão atrás das duas vagas restantes. São times parelhos, de campanhas bem parecidas. Círio Quadros é, pra mim, o técnico revelação desta Primeira Divisão. Levou um time sem grandes investimentos até esta rodada final em chances de classificar. No início, se apostava que o Sapucaiense cairia. Veio pra ficar e fazer bonito nos próximos anos. A Ulbra recuperou o rumo com a chegada de Beto Almeida. Sua experiência e grande conhecimento das coisas do nosso futebol, foram de fundamental importância pra que a equipe de Canoas pudesse, ainda, projetar algo no campeonato. Já o Esportivo se reencontrou no meio da competição. Passou por momentos bastante distintos. Foram quatro derrotas em sequência e a pressão em cima do jovem técnico Cristian de Souza aumentou consideravelmente. A direção agiu certo em mantê-lo. Mostrou competência e frieza, tanto que a classificação é bastante viável. Grupo Dois. Os Inter sobrararam. Dependendo do que possa fazer daqui pra frente, Paulo Porto, se torna nome certo na lista de possíveis melhores treinadores da competição, de novo. É bom ver o Inter de Santa Maria na primeira divisão e brigando pra chegar, não apenas pra cumprir tabela ou escapar do descenso. Juventude, São Luiz e São José estão na mira das duas vagas. Juventude e São Luiz, pra mim, são os favoritos. Muito em função daquilo que fizeram até aqui. O São José é franco atirador. Enfim, uma quarta como a próxima, é daquelas imperdíveis. Os jogos do grupo do Inter serão às sete e meia da noite. Os do Grêmio, às quinze pras dez. Anote, se programe. Torça ou seque.

Postado por Jader Rocha, POA

Histeria do apito

23 de março de 2008 10

Está demais, muito além do razoável e bem perto do inconcebível. O mundo do futebol gaúcho decidiu massacrar a arbitragem em níveis perigosos.

O árbitro Leandro Vuaden tinha a esperá-lo em Veranópolis uma faixa onde estava escrito que ele era persona non grata na cidade. Depois, no jogo, não influiu na vitória natural do Inter sobre o time local. Ainda assim, não faltaram entrevistas raivosas pós-jogo a atribuir ao árbitro o que não lhe era de direito.

O bandeira que anulou o que seria o segundo gol do Veranópolis não pode ser crucificado. Na transmissão da RBSTV, precisei ver três vezes o replay, a última vez em quadro paradao, até concluir que o jogador que fez o gol estava em condição legal por centímetros. Como antes, na hora do gol, considerei que estava centrímetros à frente do zagueiro do Inter. Meu colega de profissão, Batista, fazia o jogo para o canal fechado e, mesmo depois de ver o replay, ainda acreditava que Quito estava impedido. Ou seja, o lance era de tal grau de dificuldade, que é uma covardia dizer que o bandeira prejudicou o Veranópolis. Como seria covardia dizer que beneficiou o VEC, caso o auxiliar tivesse validado o gol.

Sugiro que paremos todos para pensar. Os árbitros estão sendo criticados antes das partidas, durante os jogos com gestos teatrais dos treinadores e simulações dos jogadores. Uma, a de Xavier pretextando ter sido agredido, beirou o ridículo. Termina o jogo e os personagens não falam de tática ou técnica. Preferem dissecar a atuação do juiz. Não serei eu a propor o cancelamento da liberdade de expressão. Mas, convenhamos, estamos todos massacrando o ser humano que está atrás da figura do juiz de futebol.

Espero que este post seja o único que o leitor verá em que nem falei de futebol.

Postado por Maurício Saraiva

INSPIRAÇÃO

20 de março de 2008 5

   Não adianta. Tem dias que a gente acorda e por mais que se faça uma força enorme, tua inspiração pras questões profissionais e pessoais não vem. Você fica sem saber como agir. Tem a idéia que com o passar das horas a situação possa mudar….mas que nada! Tudo continua na mesma. As explicações existem. Se eu soubesse, claro que tentaria solucionar. Enfim, lidamos com isso e com o inverso. Certamente você já começou algum dia tendo as mais improváveis e impensáveis idéias. E, rapidamente, as colocou em prática, tudo em benefício, repito, profissional e pessoal. É um golaço!

   Ontem, por exemplo. O Inter viveu um desses dias de %22não inspiração%22. Esqueceu o bom futebol de rodadas passadas do Gauchão, aqui no RS. A Chapecoense, com o propósito de defender-se e buscar contra-ataques, agüentou ao máximo. Cometeu pênalti, não marcado pelo juiz mineiro, criou poucas chances, mesmo assim exigiu a boa performance de Renan. Parou aí. Dois a zero, classificação adiantada, presença entre os dezesseis, proximidade com o sonho de voltar à Libertadores. Tudo isso é louvável e é o que se tira da noite passada em Chapecó. Falta, agora, recuperar o bom futebol. Falta, agora, recuperar algumas individualidades. Quando tiver um time mais técnico e qualificado pela frente, é bem capaz do Inter sentir. E pra que isto aconteça não vai demorar não. A inspiração tem que estar de volta já!

Postado por Jader Rocha, POA

Pouco, quase nada

20 de março de 2008 2

O Inter em Chapecó jogou pouco, quase nada. Enquanto houve onze contra onze, Renan foi um dos destaques da partida, o que é sintoma da má produção colorada. Não houve trabalho coletivo, os passes errados aconteceram em quantidades industriais, atuações individuais pobres, tudo solucionado pela precipitação do volante da Chapecoense. Ele fez uma falta por trás em Fernandão e foi justamente expulso.

Foi quando o Inter começou a se classificar. O time catarinense já aparentava cansaço, o que se tornou irreversível na expulsão de um dos seus marcadores. Aí, Alex fez o primeiro e Adriano, depreciado em 2008, mostrou sua utilidade ao garantir a classificação.

Mas é pouco, quase nada. No entanto, traz um fator positivo. A construção de um time campeão se faz assim, aos trancos.

Raramente se vê fluir uma equipe vitoriosa desde o primeiro jogo de uma competição. Abel Braga fez bem ao substituir Gil por Adriano, como antes havia escolhido com acerto Andrezinho para começar na vaga de Magrão. Ainda não foi desta vez que o Inter mostrou bom futebol na dificuldade, mas teve a qualidade de definir quando o adversário deu o lado.

No próximo post, vou tratar desta doença do futebol brasileiro, a falta.

Postado por Maurício Saraiva

AO ATAQUE

18 de março de 2008 5

   Estava tentando fazer um exercício de raciocínio, buscando na memória quais os jogadores de ataque que o Grêmio tinha no seu elenco nos anos anteriores. Coloco isto porque a direção gremista tem afirmado que vai em busca de atacantes. Soares, lesionado, abriu esta brecha. O entrosamento entre ele e Perea vinha funcionando, crescendo a cada jogo. E é impressionante como o time sentiu. Só pra lembrar: Grêmio e Caxias, zero a zero e Santa Cruz dois Grêmio três, dois gols de homens da defesa e Tadeu salvou os homens de frente. Tadeu marcou, muito bem. Mas o detalhe é que nem ele, nem Reinaldo, nem André Luis e muito menos Jonas, não conseguem repetir a movimentação proporcionada por Soares e Perea. Tanto que não há nenhuma confirmação de Celso Roth de qual jogador é o novo parceiro do colombiano até a volta de Soares. Falta a entrada de Rodrigo Mendes, inativo desde a lesão no ano passado. Confesso que estou bastante curioso pra saber como ele vai voltar. Mas isso é assunto pra daqui a alguns dias. Reforçar o setor ofensivo tem que ser considerado uma das prioridades. O Brasileirão é logo ali, onze de maio pra ser bem específico. Pro Gauchão não são mais aceitas inscrições. Uma alternativa é esperar pelo desfecho dos estaduais, o mercado paulista por exemplo, garante sempre boas opções. Uma coisa pode se levar em conta e é quase definitivo. A fotografia do ataque gremista muda. Chegam uns, outros vão, faz parte da rotina de um grande clube.

Postado por Jader Rocha, POA

Chance de reconquistar confiança

18 de março de 2008 3

O torcedor colorado ficou abalado com os acontecimentos da semana passada. Os que cruzaram comigo por aí estavam atônitos. Não confiavam mais no time, mas também não tinham-se tornado céticos e desesperançados. Na verdade, é como se tivessem sofrido um abalo na fé.

As grandes atuações com goleadas neste Gauchão aconteceram contra adversários flagrantemente inferiores. Brasil de Pelotas, São José e Guarany de Bagé fora de casa, São Luiz de Ijuí no Beira-Rio. A movimentação era intensa, troca de passes surpreendente, uma conclusão atrás da outra e muitos gols. Ou seja, uma idéia de futebol aprovada também porque reproduzia a estrutura de time vencedora em Dubai contra a Inter de Milão. Porém, ao enfrentar na semana passada um Juventude pouca coisa melhor do que os adversários já citados, o resultado foi uma derrota com goleada e o abalo geral entre os vermelhos.

Nesta quarta-feira, contra a Chapecoense, o time de Abel Braga tem a chance de reconquistar a confiança de sua torcida. Não bastará vencer por dois de diferença. Será necessário convencer com bom futebol. Uma vitória convincente em Santa Catarina representará uma reapresentação de candidatura ao título da Copa do Brasil, objetivo maior do Inter este ano. Lá estarão  todos os titulares disponíveis, só falta Nilmar. Fernandão, incomodado pelas críticas, pode dar resposta. Iarley, que começou o ano a pleno, caiu de produção e também deve crescer no jogo importante. A partir da estabilidade proporcionada por Guinazu, a melhora poderá se transformar em vitória e classificação. 

Postado por Maurício Saraiva

ERRAR É HUMANO

17 de março de 2008 3

   Foi um final de semana desastroso pro automobilismo brasileiro na estréia da Fórmula Um. O melhor desempenho, pasmém, de Rubens Barrichello. Poderia ter sido o sexto, não fosse o erro de Ross Brown, o todo poderoso da Honda. Não esteve atento aos detalhes da corrida e o chamado pra Rubinho ir aos boxes, rendeu a desclassificação. Quem errou feio, e eu, sinceramente, espera que não fosse acontecer, foi Felipe Massa. O tal controle de tração, tão enaltecido pelos pilotos já era. Agora é no braço! Na primeira amostra, Massa decepcionou. Não teve competência pra segurar a Ferrari e o resultado, abandono e explicações, muitas por sinal. Errando e ansioso esteve Nelsinho Piquet. A adaptação a Fórmula Um ainda acontece, mas já era pra, no mínimo, ter um resultado aceitável. Erros são da natureza humana. Não somos máquina, ah isso não! Magrão, por exemplo. Errou no Centenário em um dos gols do Juventude e tratou de reestabelecer-se. Talvez não tenha sido a pleno contra o São José. Mas, além de Marcão, quem rendeu? No Grêmio, erros coletivos, assim definidos e citados por Celso Roth ao final da vitória apertada diante do Santa Cruz, quase comprometeram o domingo. A atuação, no conjunto da obra, foi pior do que na última quinta. Valeu pelo resultado. Roth terá que treinar bastante o posicionamento dos homens da defesa se não quiser passar por este aperto de novo, algo quase que inevitável, na medida em que o campeonato afunila e os jogos passam a ser mais difíceis. Corrigir os erros faz parte de nossas rotinas. Persistir neles, aí não dá! 

Postado por Jader Rocha, POA

De onde menos se espera...

17 de março de 2008 3

Entre tantos jogadores bem pagos da dupla grenal, foi Evilásio o autor da obra do fim-de-semana. O atacante do Sapucaiense fez gol de Maracanã na vitória sobre o Esportivo em Bento Gonçalves no sábado. Vamos mostrar hoje de novo no TVCOM Esportes. Uma preciosidade de movimento, rapidez, habilidade e raciocínio rápido para dar o leve toque que tirou o zagueiro e, a seguir, chutar de bate-pronto uma bola muito difícil. Antes, o goleiro do mesmo Sapucaiense havia feito a defesa do campeonato. Eliandro evitou o gol do Esportivo numa bola chutada a meio metro dele. Classificando ou não, o time de Sapucaia já é sucesso ao garantir permanência na primeira divisão para o ano que vem. Até lá, já terá seu estádio remodelado e não precisará mais jogar em casa emprestada.
Fenômeno ainda maior é o Inter de Santa Maria. Se mantiver este ritmo de recuperação da pequena turbulência que viveu no meio do returno, vai decidir o primeiro lugar do grupo com o Inter no Beira-Rio. Na seleção do campeonato, aquela que se faz ao fim da competição, já posso antecipar meu voto para melhor treinador. Paulo Porto, do Interzinho.

= Foram naturais as vitórias da dupla grenal no sábado e domingo. O Inter trotou para vencer o São José, ainda assim vivo para disputar a última vaga dos classificáveis. O Grêmio sobrou no primeiro tempo contra o Santa Cruz, mas precisou suar mais na segunda etapa para confirmar a vitória. Encaminha-se a final com dois grenais eletrizantes, o que só não vai acontecer se Grêmio ou Inter sofrer um crime dos times que são tecnicamente inferiores.

= Não perca o TVCOM Esportes desta segunda-feira. Todos os gols do Gauchão, os principais gols do Brasil e sempre uma atração especial no estúdio ou nas reportagens para festa do nosso telespectador. Hoje, sete da noite, grande abraço !

Postado por Maurício Saraiva

O CIRCO ESTÁ DE VOLTA!

14 de março de 2008 1

   Cheguei no início da madrugada em casa depois de narrar o empate do Olímpico. Liguei a tv e fiquei assistindo ao primeiro treino da nova temporada da Fórmula Um. Sou um cara que admira o esporte, desde os tempos de Nelson Piquet, campeão em 87, tri aliás. Foi o primeiro ano que me intereressei de verdade pelo esporte. Estava curioso pra saber, por exemplo, como iria se comportar o filho do tri campeão na estréia pela Renault. Assim como o próprio Nelsinho, também me decepcionei. Claro que é necessário dar o desconto que o ano está começando, os pilotos estão passando pelo período de adaptação com as novas regras e os carros e isso tudo conta e muito. Imagine se um piloto experiente tem dificuldades…Mas confio muito no Nelsinho. Tem a audácia e a frieza do pai. É também arrojado. Demonstrou tais virtudes nos duelos com Lewis Hamilton na GP2, acesso à Fórmula Um, em 2006. Quem não teve a chance de ver os confrontos Nelsinho x Hamilton a dois anos, que se prepare! Felipe Massa entra de novo como um dos favoritos. É possível que erre menos do que no ano passado, eu acredito nisso. Terá, segundo a própria equipe, as mesmas condições de Haikkonen. Na teoria uma coisa, na prática…No final da noite teremos as primeiras impressões verdadeiras do desenho que se traça pra temporada 2008. A Austrália é o palco. Vale a pena ficar acordado até mais tarde!

Postado por Jader Rocha, POA

QUEM DIRIA!

14 de março de 2008 3

   O empate em zero com o Caxias veio na hora certa pro Grêmio. Era inviável pensar que a equipe de Celso Roth, sob o comando de Celso Roth, pudesse terminar a fase classificatória com cem por cento de aproveitamento. Méritos do Caxias que soube como parar o time gremista. Roger não é e nunca será atacante. Celso Roth tentou mesmo assim durante 45 minutos. Corrigiu no segundo tempo, mas com Reinaldo, visivelmente fora de ritmo, foi complicado. Quem diria que a equipe se ressentiria da ausência de William Magrão. Nunes, se esforça, marca com dedicação, mas tem, limitações que o impedem de ter um futuro promissor. Como reserva, até vai. Magrão vem crescendo de produção, amadureceu com a sequência de jogos e hoje é inquestionável a sua titularidade. Júnior terá que esperar a vez. Soares é outro que fez falta. Velocidade e precisão nas finalizações são boas características deste atacante que vinha entrosando a cada rodada com Perea. A campanha é mesmo com o empate ontem, muito satisfatória e o Grêmio vai garantir o primeiro lugar no grupo. Domingo em Santa Cruz é uma boa oportunidade!

Postado por Jader Rocha, POA

O primeiro tropeço

14 de março de 2008 4

O primeiro empate do Grêmio de Celso Roth traz algumas lições implícitas que o treinador, experiente como é, saberá tirar do tropeço.
Mais forte do que nunca, a sensação de que o elenco está incompleto em quantidade e qualidade saltou aos olhos. Se o técnico precisa mexer no time e diz “aquece, Reinaldo” ou “aquece, André Luiz”, a chance de sucesso diminui bastante. Se um dos atacantes titulares, Soares, se machuca e o técnico apela para improvisar seu jogador mais criativo na frente, o prejuízo vai aparecer no meio. Na saída do jogo de ontem, Paulo Pelaipe me disse : “não vamos para o Brasileirão só com o que temos, não”.
A outra lição decorrente do empate não é nova. Apenas reforça a característica especial do futebol como um dos raríssimos esportes em que o pior pode ganhar do melhor, ou ao menos empatar com ele. O Caxias abdicou de atacar para exercitar a arte da defesa. Diante de tamanho empenho defensivo dos caxienses, o Grêmio teve pouca alternativa. Insistiu, este seu mérito, mas não conseguiu abrir novos caminhos, aí, seu defeito.
De qualquer forma, o Gauchão segue sendo um campo de provas da dupla grenal para as competições mais difíceis.
E mantenho a opinião de que moram em Porto Alegre os dois principais candidatos ao título da Copa do Brasil este ano.

Postado por Maurício Saraiva