Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Dunga e Lúcio

28 de junho de 2009 2

Um é gaúcho de Ijuí, o outro se formou no futebol do Rio Grande e hoje carrega a faixa que o próprio Dunga já levou na seleção brasileira. Dunga e Lúcio são as maiores expressões da conquista da Copa das Confederações. A final contra os Estados Unidos foi espetacular. Uma virada de dois a zero para três a dois que aponta a maturidade do time brasileiro. Houve outras figuras extraordinárias na partida contra os norte-americanos, como Luiz Fabiano e Felie Melo, mas Dunga e Lúcio estiveram acima de todos os outros.

Dunga amadurece como treinador, à medida que tem o controle absoluto do grupo e consegue incutir nele algumas de suas melhores qualidades. Determinação, inconformidade com a derrota, coragem e valentia. O Brasil raramente alcança momentos de brilho jogando bola, mas a capacidade de reação à adversidade é impressionante. Há um esquema de jogo que é seguido à risca. O time brasileiro nunca mais se viu acossado pelo adversário como se fosse a Lituânia. Ao contrário, o Brasil propõe o jogo e, mesmo no insucesso, insiste. Quando mexe na equipe, Dunga tem sido feliz. Aconteceu de novo contra os EUA. André Santos e Ramirez tinham chegado no seu limite. Daniel Alves e Elano entraram inteiros e deram resposta. Dentro de campo, a liderança outrora exercida por Dunga está a cargo de Lúcio. O ex-zagueiro colorado incorporou a camisa da seleção à pele. Como Dunga, não é brilhante, mas confiável. Você o vê em ação e sente que ele está dando o melhor que pode. A atitude contagia os demais.

Agora, o Brasil vai cumprir a formalidade da classificação à Copa. Depois, Dunga poderá insistir com este grupo ou, pontualmente, abrir vagas. Com o crédito que acumula desde que assumiu o cargo de treinador da seleção, pode tomar uma ou outra decisão com total autoridade. Como já disse mais de uma vez, eu gostaria que o Brasil jogasse mais bonito. Porém, rendo-me aos fatos. Não há como criticar Dunga, a não ser em questões menores de convocação/escalação. No espectro mais amplo do seu trabalho, Dunga dá uma resposta muito além do satisfatório. Como técnico, disputou dois títulos importantes, Copa América e das Confederações. Conquistou as duas.

Este jornalista reconhece o mérito e dá parabéns, nas figuras de Dunga e Lúcio, a todo time brasileiro campeão ontem na África do Sul.

Postado por Maurício Saraiva

Comentários (2)

  • Dirceu diz: 28 de junho de 2009

    É um cara de estrela, diferentes do magos do futebol como o falastrão Luxemburgo, Felipão o que manda bater, Muricy que monta e destroi um time.
    Em reusmo uma cara que cria uma nova via para tecnicos os que são empregados e excutam o trabalho para o qual foram contratados. Apenas um treinador e nada masi, assim deveria ser o futebol.

  • Daniel P Correa diz: 29 de junho de 2009

    Bom texto. Mas eu diria que o Brasil esta jogando bonito até, na medida do possivel. Nao é facil pegar estes times retrancados e furar o bloqueio.

    O Dunga corrigiu um problema serio do time que era o isolamento do Robinho na ponta esquerda. Kaka aparecendo por là tem dado uma grande ajuda.

    O que falta é um pouco mais de qualidade na jogada pelo meio.

    abraço

Envie seu Comentário