Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Fatores do campo

30 de junho de 2009 2

É dentro de campo que futebol se decide. Não significa que fatores externos não induzam determinado resultado, mas não é essencial. Já houve decisão de campeonato decidida no apito, claro. Armando Marques errou contagem de pênalti e houve dois campeões paulistas no mesmo ano. Márcio Resende de Freitas – de novo ele – errou contra o Santos na final e o Botafogo foi campeão em 1995. Quem, no entanto, haverá de assegurar que houve desonestidade ?

Diante disso, prefiro tratar das coisas do jogo Inter x Corínthians. Dois times de qualidade parecida, embora joguem diferente. No primeiro jogo, os colorados tinham quatro desfalques e sentiram a queda de qualidade. Os paulistas jogavam só com uma ausência de titular, André Santos, e não sentiu o impacto. Mesmo desfalcado, o Inter esteve muito perto de fazer gol e obrigou o goleiro corintiano a ser o melhor em campo. O dois a zero se explicou pelo primeiro tempo e por Ronaldo.

Agora, o jogo é diferente. A pressão de fazer dois sem levar nenhum e levar para os pênaltis pesa sobre os colorados. O time de Tite tem qualidade suficiente para alcançar a façanha. A volta de Nilmar multiplica a qualidade da equipe e contagia os torcedores. Não bastasse, aumenta o rendimento de Taison e desafoga D`Alessandro. Fazer dois a zero vai requerer uma capacidade de superação acima do limite. Três a zero, porém, dependerá ainda mais da comunhão com a torcida.

Do outro lado, há um Corínthians maduro, bem treinado por Mano Menezes e disposto a modificar uma sina recente, qual seja, não render fora de casa como no Pacaembu. O título a Copa do Brasil ano passado foi perdido longe de São Paulo. De lá prá cá, o Corínthians amadureceu com o título da série B do Brasileirão e o paulista deste ano. Ademais, agregou a qualidade superior de Ronaldo Nazário. O 4.3.3 de Mano é agressivo e consegue se defender bem. Jorge Henrique é peça-chave na engrenagem. Douglas articula tudo, Elias vai e vem. Bom time.

Cercando os fatores do campo, dirigentes tentam embretar a arbitragem. Ricardo Marques é tranquilo e apita bem. Tomara que consiga isolar todo o entorno e seja insignificante para o resultado final do torneio.

Postado por Maurício Saraiva

Comentários (2)

  • Leonardo diz: 30 de junho de 2009

    Ola Mauricio!

    Nao concordo, quando voce menciona, “anormalidade” vencer por um escore de 2 ou 3 gols. Acho que nao foi “anormalidade” o Corinthias ter ganho por 2×0 em SP. Acho que sao duas grandes equipes e que o Corinthias entra como campeao, agora se saira campeao, ja eh outra coisa. A situacao esta em aberto. Um grande abraco.

  • Thiago diz: 30 de junho de 2009

    Como seria bom se os campeonatos fossem decididos exclusivamente pelos jogadores. Mas em relação ao Corinthians não é assim. É uma vergonha! Um escândalo! Basta olhar o vídeo e confirmar os absurdos equívocos da arbitragem que decidem jogos e campeonatos. CHEGA! JÁ PASSOU DOS LIMITES DO TOLERÁVEL ESSES ERROS DE ARBITRAGEM SEMPRE BENEFICIANDO O CORINTHIANS!

Envie seu Comentário