Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Ronda Rousey"

GroundAndPound #22: ouça sobre a maior luta de Rafael dos Anjos, o apetite de Aldo e muito mais

19 de fevereiro de 2016 0

12744078_1229566843724592_5359860042422614607_n

No podcast Ground and Pound desta semana, Nícolas Andrade e Pedro Trindade comentam as declarações desta semana de Ronda Rousey ainda tentando encontrar forças para se recuperar da derrota sofrida para Holly Holm. Tem ainda a luta mais importante da carreira de Rafael dos Anjos, o apetite de José Aldo e o duelo de Cowboys no UFC.

Faça o download

Ouça outros podcasts

Holly Holm se solidariza com Ronda: "Sei o que é estar passando pelo que ela passou"

17 de fevereiro de 2016 0

12348022_10153238090195770_7518464144119877385_n

O desabafo de Ronda Rousey no programa da apresentadora Ellen DeGeneres repercutiu pelo mundo do esporte. A responsável pela derrota da ex-campeã, Holly Holm se pronunciou sobre o assunto e se disse solidária à dor de Ronda.

Leia mais notícias sobre Holly Holm
Leia mais notícias sobre Ronda Rousey

“Me dói ver que ela está sofrendo, porque sei como é estar passando pelo que ela passou. Tive muita ajuda para parar de me sentir assim. As pessoas me diziam que não era o fim do mundo, e eu respondia que era exatamente o que parecia, o fim do meu mundo. Quando você se dedica de corpo e alma a alguma coisa, e é derrotada de forma devastadora, o sentimento é terrível. Não há nada pior”, disse a campeã ao portal Sherdog, em entrevista traduzida ao Combate.

Holm se refere à derrota sofrida para Anne Mathis quando a atual campeã do UFC era detentora de cinturão no boxe e acabou derrotada pela desafiante.

Atualmente, Holly Holm se prepara para encarar Miesha Tate no dia 6 de março no UFC 196. Na mesma noite, Rafael dos Anjos encara Conor McGregor.

 

Ronda diz que namorado foi motivação para se "manter viva" após derrota

16 de fevereiro de 2016 0

021616-13103-rondarouseyfight-750x435

A derrota para Holly Holm mexeu de verdade com a cabeça da ex-campeã Ronda Rousey. Nem o histórico de invencibilidade foi capaz de animar a lutadora após o nocaute sofrido na Austrália. Em entrevista ao programa da apresentadora Ellen DeGeneres, a atleta contou como encontrou forças para se manter lúcida para o futuro pós-luta.

Leia mais notícias sobre Ronda Rousey

“Eu estava literalmente sentada, pensando em me matar e que ”eu não sou nada e ninguém dá a mínima para mim”. Mas levantei a cabeça e vi Travis (Browne). Olhei para ele, e estava tipo eu preciso ter seus bebês. Preciso me manter viva”, disse Ronda.

A lutadora afirmou ainda que sua terceira luta pelo cinturão em nove meses pesou física e mentalmente na luta contra Holm.

Ronda pode retornar ao octógono ainda em 2016, mas isso ainda não está definido pelo Ultimate.

 

Ronda Rousey projeta novo duelo contra Holm em 2016: "Desejo a revanche"

19 de janeiro de 2016 1

10437621_10153219380794382_6295201312964514426_n

A ex-campeã dos galos femininos, Ronda Rousey, já projeta um novo confronto contra Holly Holm para recuperar seu cinturão. No primeiro semestre, Ronda vai se dedicar ao cinema onde foi convidada para participar de alguns filmes de Hollywood. Mas, na segunda metade do ano, os planos envolvem sua volta ao octógono.

“Eles não me deram data ou local ainda. É uma decisão que precisa ser tomada em conjunto. Estou aguardando as opções que o UFC tem para mim. É claro que desejo a revanche, é o que eu quero “, disse Ronda ao portal TMZ.

Holly Holm tem luta marcada para o UFC 197, em 5 de março, contra Miesha Tate. Na mesma noite Rafael dos Anjos encara Conor McGregor. Resta saber se Holm mantém seu cinturão e sai em condições de lutar novamente em 2016 contra Ronda.

Se Tate vencer, abre-se a possibilidade para um terceiro duelo contra Ronda.

 

Após nocaute, Ronda Rousey recebe suspensão médica de seis meses

17 de novembro de 2015 2

12208483_1173566159324661_1257032506725281275_n

Ronda Rousey vai demorar para superar o nocaute sofrido para Holly Holm no final de semana. Por pelo menos seis meses (180 dias), a ex-campeã ficará longe de suas atividades por conta da suspensão médica que o UFC aplica aos atletas após o evento. O tempo de afastamento varia de acordo com os resultados dos exames pós-lutas realizados pelos atletas.

Ronda precisou ser hospitalizada e passou por cirurgia plástica na boca. Para retornar antes dos 180 dias, a americana vai precisar de um novo laudo médico e exames de ressonância magnética em seu crânio.

Holm, por sua vez, recebeu afastamento de apenas sete dias, que é o período obrigatório para qualquer lutador. Os resultados só foram divulgados hoje, pela falta de uma comissão atlética em Melbourne.

Ronda Rousey agradece apoio dos fãs e manda recado: "Eu vou voltar"

16 de novembro de 2015 2

12243137_1175168492497761_435414884512850159_n

A ex-campeã dos pesos galos do UFC Ronda Rousey mandou uma mensagem para seus fãs nesta segunda feira. Ainda se recuperando do nocaute sofrido para Holly Holm no final de semana, na Austrália, Ronda afirmou que espera voltar em breve ao octógono e que seu foco agora é cuidar de sua saúde.

“Eu queria agradecer a todo mundo pelo amor e apoio. Agradeço as preocupações pela minha saúde, mas estou bem. Como mencionei antes, vou tirar um tempo, mas eu vou voltar”

Ronda ainda não falou sobre revanche ou futuro no MMA. O que se sabe, é que a americana, antes da luta, planejava cinco combates antes de se aposentar. A americana deve revelar nas próximas semanas se há alguma mudança nestes planos. Para o UFC, o ideal seria uma revanche entre a nova campeã e a antiga detentora do cinturão.

A mulher que finalizou o preconceito no UFC

29 de setembro de 2015 0

11951336_10153689075344382_9149362796202617679_n

O ano era 2011. Dana White, chefão do UFC declarou ao portal TMZ: “Sabem quando vocês verão mulheres lutando no UFC? Jamais”. Quatro anos depois, uma mulher é a grande estrela da maior companhia de MMA do mundo. Ronda Rousey sempre impressionou técnicos e torcedores, desde os tempos do judô. Em 2007, quando esteve no Pan do Brasil, foi aplaudida pelo ginásio lotado de brasileiros mesmo vencendo Mayra Aguiar na final.

A empatia foi tanta, que fez com que Ronda voltasse ao país neste ano para um combate. Após a vitória, a campeã deixou seu cinturão como presente ao Instituto Reação, do Rio de Janeiro, como forma de incentivo às crianças e agradecimento aos brasileiros.

O gesto é só mais um na grande carreira da campeã dos galos do UFC que hoje em dia é a queridinha da companhia. São 15 vitórias e nenhuma derrota na carreira do MMA. Suas lutas não costumam passar do primeiro round. Ronda nunca pareceu ameaçada em sua divisão, por isso, sempre lutou contra um adversário bem maior, o preconceito.

Não foram poucas as críticas antes de sua estreia, em 2013, contra Liz Carmouche. Foram diversos lutadores e especialistas que criticaram o UFC por colocar mulheres em um evento predominantemente masculino. A sequência de vitórias no início fez com que os fãs do MMA passassem a respeitar a atleta, porém, rótulos como “musa do UFC” deixavam de lado o seu talento. Em cada uma das seis lutas que fez até agora, a campeã derrubou barreiras e calou os críticos.

Atualmente, Ronda é uma das atletas mais bem pagas do UFC, e com justiça. Após os afastamentos de Jon Jones e Anderson Silva, a carência de ídolos no esporte abriu uma lacuna e uma oportunidade de crescimento para os demais atletas. A americana mostrou mais uma vez porque é campeã e tomou a frente se oferecendo para campanhas, filmes e eventos ganhando assim, cada vez mais, o respeito e a admiração de todos no meio.

Sua carreira não será longa. Ronda que parar aos 31 anos, em 2018. Para ela, mais do que qualquer título ou recorde, o mais importante é ter conseguido erguer a bandeira do MMA feminino em um universo dominado pelos homens e ter aberto portas para que outras atletas possam brilhar no futuro. Em resumo, independentemente dos resultados, Ronda Rousey deixará a carreira como uma verdadeira campeã.

Texto publicado na coluna De Fora da Área, da Zero Hora desta terça-feira.

Criador de instituto, Flávio Canto comenta doação do cinturão de Ronda: "Ela é inspiração para essa garotada"

07 de agosto de 2015 0

ronda-doa-cinturao

O ex-judoca Flávio Canto é o convidado do Trocação Pura deste sábado. Na entrevista a Sérgio Boaz ele contou um pouco sobre sua convivência com Ronda Rousey durante o período da campeã no Rio de Janeiro e explicou a doação do cinturão da americana ao instituto Reação, onde ele é um dos diretores.

Após vitória, Ronda deixa seu cinturão no Rio de Janeiro para ajudar instituição de caridade

“Foi uma surpresa pra mim o cinturão. A gente competia na mesma época no judô. Já tinha uma relação legal com ela. Desde que ela começou a competir no UFC ela veio conhecer o Reação”, explicou Flávio. Segundo ele, após a vitória na Arena da Barra, a equipe de Ronda entrou em contato com o instituto.

“Acabou a luta com a Bethe ela ligou e a assessoria disse que ela queria ir no Reação. Mas não sabíamos que ela ia deixar o cinturão”, revelou o ex-judoca. Flávio disse que ainda argumentou com a campeã sobre a atitude reconhecendo o trabalho que ela teve ao conquistar o cinturão, mas ouviu de Ronda a seguinte frase: “É um pedaço de metal que não significa metade do que significa o que acontece comigo. Para mim é uma maneira de devolver o carinho do Brasil. Nem nos EUA o pessoal me aplaude deste jeito”.

Flávio Canto disse ainda que o instituto ainda avalia o futuro do cinturão. Ronda sugeriu que ele fosse vendido para que o dinheiro arrecadado fosse revertido para melhorias no Reação, porém, o ex-judoca avalia que a instituição não pode se desfazer da peça. O futuro do cinturão dos galos do UFC deve ser definido nas próximas semanas.

Conheça mais sobre o Instituto Reação

Descrição oficial da instituição carioca:

Criado pelo medalhista olímpico Flávio Canto em 2003, o Instituto Reação é uma organização não governamental que promove o desenvolvimento humano e a inclusão social por meio do esporte e da educação, fomentando o judô desde a iniciação esportiva até o alto rendimento. A proposta é utilizar o esporte como instrumento educacional e de transformação social, formando faixas pretas dentro e fora do tatame.

O Instituto Reação trabalha há mais de 10 anos com a missão de promover o desenvolvimento humano através do esporte e da educação, e transformar o conceito de responsabilidade social em ação na vida do maior número de pessoas, integrando diferentes classes sociais pelo esporte.

Cerca de mil crianças, adolescentes e jovens a partir de quatro anos são beneficiados em seis polos – Rocinha, Cidade de Deus 1(Freguesia), Cidade de Deus 2 (Polo Avançado), Tubiacanga, Pequena Cruzada e Reação BVO – Deodoro.

A entrevista completa você ouve no sábado, às14h, no Trocação Pura!

Ronda pede para lutar no Brasil e UFC confirma combate contra Bethe Correia

20 de março de 2015 0

11027926_1038398262841452_4016825373629233106_n

Agora é oficial. Ronda Rousey vai defender seu cinturão contra a brasileira Bethe Correia. As especulações já eram grandes desde a vitória da campeã sobre Cat Zingano. Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, para a promoção do UFC 189, que terá José Aldo e Conor McGregor, Ronda apareceu junto com Bethe e Dana White confirmou o combate.

O evento vai ocorrer em 1º agosto no Rio de Janeiro. Dana White confirmou que Ronda pediu para lutar contra Bethe, no Brasil, para acabar com a invencibilidade da brasileira. “Ela desrespeitou minhas amigas”, disse a campeã se referindo às amigas Jessamyn Duke e Shayna Baszler que foram vencidas e provocadas por Bethe.

“Quero dar um presente, coisa que ela nunca viu na vida. Um soco pesado na cara”, respondeu Bethe. O UFC 190, ocorrerá na Arena da Barra.

Ronda quer enfrentar brasileira Bethe Correia na Paraíba

06 de março de 2015 0
11044632_10153208311564382_3209547670238634021_n

Ronda finalizou mais uma adversária

Ronda Rousey parece que já definiu qual adversária quer enfrentar na sua próxima defesa de cinturão. Como antecipamos no Trocação Pura, Bethe Correia é a favorita para ser a próxima desafiante. Tudo leva a crer que a luta será confirmada para o segundo semestre deste ano. Até aí, nada de novo. Mas Ronda falou ao Jay Mohr Sports onde gostaria que fosse esse combate: na Paraíba.

“Quero ir lá e enfrentá-la no Brasil, vencê-la em sua cidade”, disse Ronda desafiando Bethe para um duelo na cidade natal da brasileira, que é Campina Grande. A campeã parece decidida a tirar a invencibilidade da adversária que já vinha pedindo uma chance pelo cinturão. Mas, a luta no Brasil é improvável. Ronda é uma das estrelas do UFC e rende muito dinheiro à companhia não só no dia da luta, mas também nos eventos de promoção. Por isso, o duelo deve ficar pelos EUA.

O UFC deve confirmar o combate nas próximas semanas. Seria a sexta disputa brasileira por um cinturão confirmada para 2015.

Bethe está pronta para o duelo

Bethe está pronta para o duelo