Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ora, ora...

15 de maio de 2009 5

O senador Fernando Collor (PTB-AL), quem diria, é o mais arraigado defensor do terceiro mandato de Lula. O que surpreende não é seu desprezo pelas instituições, e sim a guinada ideológica.

Tem razão a poetisa Cleide Canton, no texto interpretado por Rolando Boldrin ali embaixo: “Sinto pena de ti, povo brasileiro…”

Postado por Valther Ostermann

Comentários (5)

  • Valdemir Nicoletti diz: 15 de maio de 2009

    Concordo plenamente com vc Julio.

  • Julio de Blumenau diz: 15 de maio de 2009

    “Sinto pena de ti, povo brasileiro”. Eu não.
    Bem feito. Faz um tempo, passei a defender o político brasileiro. O eleitor não sabe votar, faz a urna de pinico, vende o voto, troca por tijolo para fazer churrasqueira, cargo, emprego e outros favores desqualificados. Eleitor trapaceia o voto. Não existe figura mais imoral que ele. Sinceramente, tenho pena dos políticos.

  • Reni Martins diz: 16 de maio de 2009

    O curioso disto tudo é que todos se referem aos políticos como se fossem seres de outro planeta. Os políticos também fazem parte do povo, vêm do povo, e aposto que a corrupção deles não é muito diferente da corrupção de grande parte do povo. Durante o chamado mensalão um grande instituto fez uma pesquisa em São Paulo e em Florianópolis para ver qual percentual do povo aceitaria propina para mudar votos,caso fossem parlamentares. Em Florianópolis, 34% aceitariam, em São Paulo 45%!

  • Isabel Ferronato diz: 16 de maio de 2009

    Não sinto pena dos políticos, sinto desprezo. Desprezo por vê-los prometendo mundos e fundos mesmo sabendo que não cumprirão metade das promessas que fazem. O povo é obrigado a votar, e é só em parte culpado por um sistema eleitoral que elege até quem não recebe nenhum voto, como é o caso de suplente de senador. Os eleitores brasileiros renovam cada vez mais as bancadas. Em 2006, Norte e Nordeste renovaram quase 60% dos deputado, mais que o Sul (37,7%) e Centro-Oeste (36,5%). De quem é a culpa?

  • Isabel Ferronato diz: 16 de maio de 2009

    A média de renovação dos políticos. no Brasil, é alta, mas isso só não adianta. Se adiantasse, Rui Barbosa teria resolvido a questão. Precisamos é do fim do voto obrigatório, e da realização de plebiscitos para definir o número de representantes que queremos e até o salário deles. Mas vai ver se alguém é a favor do voto facultativo e de plebiscitos. É mais fácil dizer que o povo é culpado do que debater os assuntos com o povo. A gente vota num candidato honesto e acaba elegendo um desonesto.

Envie seu Comentário