Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 29 julho 2009

Te cuida, Schumy!

29 de julho de 2009 8

Michael Schumacher: louco ou gênio?/Divulgação

Schumacher vai substituir Massa na Ferrari.

Bom para Massa, ser substituído por ninguém menos que o maior campeão da Fórmula Um. Maior moral, não?

Mas será bom para Schumacher?

O alemão saiu do circo coberto de glória. Schumacher, o invencível. Detentor de recordes. O maior entre os maiores, admitido até pelos fãs de Senna.

E agora volta para um mandato tampão, numa Ferrari que já não é a mesma do tempo em que com ele formava uma dobradinha perfeita. Vai que, por limitações técnicas do carro, pela equipe trapalhona que já tirou um campeonato de Massa, e até por seu tempo longe do cockpit, ele faça um resto de temporada medíocre?

Dele não se espera menos que feitos extraordinários. Schumacher tem pouco a ganhar, muito a perder.

Logo saberemos.

Postado por Valther Ostermann

Para, mundo, que eu quero descer

29 de julho de 2009 7

A Constituição garante, de fato, o direito de ir e vir. Mas a coisa anda tão violenta que ir não é garantia de vir. Sair de casa, em certos horários – quase todos – é ato de coragem. As ruas quase não nos pertencem mais. Nem os parques públicos. Quando o fato não se dá conosco, ainda pode sobrar uma bala perdida.

No Rio, estão construindo condomínios com um novo apelo de venda: tem tudo o que você precisa para não sair de casa. Em outras palavras, presídios para o cidadão de bem. Confortáveis, porém presídios. Mas só para quem tem grana. Ao contrário dos que o governo não constrói, são feitos para que o bandido não entre.

E como tem gente preocupada com os direitos dos bandidos!

São os que invocam a garantia de ir e vir para manter arruaceiros de todas as idades na rua, no parque, em todos os lugares, em todos os horários.

 

Postado por Valther Ostermann

Falou em vão, Cícero!

29 de julho de 2009 4

   Busto de Cícero /Divulgação

“O orçamento nacional deve ser equilibrado, as dívidas públicas devem ser reduzidas, a arrogância das autoridades deve ser moderada e controlada, os pagamentos a governos estrangeiros devem ser reduzidos. Se a nação não quiser ir a falência, as pessoas devem novamente aprenderem a trabalhar, em vez de viverem por conta pública”.

Trecho de discurso do Senador romano Marcus Tullius Cícero, no ano de 55 A.C.

Como se percebe, a História não ensina, os homens não aprendem, os governantes são surdos e os pensadores pensam à toa.

 

Postado por Valther Ostermann