Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Blablablá

31 de julho de 2009 17

Toque de recolher em Blumenau: não vai passar.

Guarda municipal em Blumenau: não vai passar.

Como ficamos?

Ficamos na estaca zero.

Não que estejamos a defender um ou outro, os dois ou nenhum. Mas é que, na hipótese provável de nenhum passar, se terá discutido um bocado, por um bocado de tempo, para nada.

Estaca zero, pois.

Postado por Valther Ostermann

Comentários (17)

  • Mariza D Mittersteiner diz: 6 de agosto de 2009

    Cara Isabel (não informou o sobrenome) o Blog por enquanto é aberto para cada um expressar sua opinião, não para fazer disso uma “queda de braço” para ver quem tem razão. Estou certa Valter? Me corrija se não… Boa semana pra todos vocês.

    Do blogueiro: virou foro, Mariza. Não deixa de ser interessante.

  • Mariza D Mittersteiner diz: 1 de agosto de 2009

    Olha, eu acho o seguinte. O Toque de recolher, restringe a liberdade dos cidadãos de bem. Pq a bandidagem não se intimida. O que precisa mesmo é reduzir a idade penal. Se julgam que com 16 anos tem dicernimento para votar e decidir o futuro do pais, o mesmo se aplica à responder pelos seus atos perante a Lei.
    Isso sim iria inibir (ao menos um pouco) a criminalidade e punir quem de fato está agindo contra a lei.

  • Mariza D Mittersteiner diz: 2 de agosto de 2009

    Que adianta emanciparmos nossos filhos enquanto os bandidos usam os menores no tráfico pois não vão presos, são protegidos porque são “crianças”…?
    Eu emanciparia meus filhos sim, mas ainda assim não resolveria o problema, pois a bandidagem continuaria “protegida”.
    Comecei a trabalhar aos 13 anos (na época era permitido por Lei) e já nesta época era cobrada na responsabilidade pelos meus atos. Não me tornei uma delinquente, ao contrario aprendi desde cedo a ser responsável.

  • Ivan diz: 2 de agosto de 2009

    Qualquer coisa que tencione colocar um MÍNIMO de ordem nessa bagunça que chamam de país é vista como “atentado às liberdades”. Assim é com o toque de recolher. Na terra da irresponsabilidade, da chacota à ordem e da ojeriza à disciplina, eu não esperaria outra reação. Deixem que se faça o que quiserem, de repente com sorte esse arremedo inútil de nação seja varrido da face da terra pela própria leniência de seus patrícios…

  • Valdemir Nicoletti diz: 2 de agosto de 2009

    O Ivan fez uma colocação importante e bem realista da coisa. É mais fácil rejeitar qualquer tentativa de por ordem na casa, com a desculpa que estão tirando a liberdade, doque colocar a mão na massa e ajudar a fazer alguma coisa. Isso porque as vezes é necessário cortar na própria carne. E assim a sociedade, digo os defensores da anarquia em nome da liberdade, empurram o problema com a barriga, e depois ficam a reclamar daquilo que eles próprios se omitiram de fazer.

  • juliano diz: 1 de agosto de 2009

    Toque de recolher? Tem guerra em Blumenau? Uma grande parte dos jovens não respeitam os pais e nem a polícia porque o ECA é intepretado de forma errada, hoje em dia jovens fazem o que querem dentro das escolas e por consequência na rua porque simplesmente sabem que não serão puninos. Politicos tiraram a autoriade dos professores e dos pais. Podem sair de madrugada, mas também devem ser punidos se cometerem besteira na rua. Toque de recolher é só mais uma politica ridícula e populista…

  • Ilze Agostini diz: 1 de agosto de 2009

    Pois é valther,se colocassem esses pivetes pra trabalhar não teriam tempo de fazer baderna…pois estariam cansados e iam pra casa dormir em vez de ficar encomodando na rua…é isso ai….

  • Valdemir Nicoletti diz: 2 de agosto de 2009

    Walter, obrigado pelas felicitações!!! Grande abraço! Me parece que vc também é do mes de agosto… ou não?

  • Valdemir Nicoletti diz: 1 de agosto de 2009

    Esse blablablá todo, é coisa de quem acha muito bonito falar contra o toque de recolher alegando que o mesmo tira a liberdade de ir e vir de certos grupos. Eu entendo e defendo, que com o toque de recolher, os menores, pelo menos eles estarão mais a salvo da bandidagem nas ruas nas madrugadas. E casa, perceberão melhor o valor da familia. Eu sempre tive horário determinado pra estar em casa a noite, e nunca me senti privado da liberdade por causa disso. Walther, em tempo, hoje é meu aniversário!

    Do blogueiro: Feliz aniversário, Nicoletti. Saúde e prosperidade.

  • Greice V F Hoffmann diz: 2 de agosto de 2009

    Estaca Zero, mesmo. Pois onde há muita discussão à pouca ação… Muito fácil falar, quero ver a ação…

  • Isabel diz: 9 de agosto de 2009

    Mariza D Mittersteiner (Domingo – 02/08/2009 às 15h56min), qdo vc escreveu no comentário anterior: ¨Que adianta emanciparmos nossos filhos enquanto os bandidos usam os menores no tráfico pois não vão presos, são protegidos porque são “crianças”…?¨, eu poderia ter pensado q vc estava fazendo uma ¨queda de braço¨, mas não pensei. Entendi q vc expressava sua opinião, assim como expressei a minha. E o blog não tem regras dizendo ser obrigatório usar nome ou sobrenome. Aliás, nem tem regras…hehe

  • Angelo diz: 1 de agosto de 2009

    É uma pena que não passe o toque de recolher, pois em algumas cidades está comprovado que a violência diminuiu consideravelmente. Detalhe, deveriam apoiar mais a profamilia, pois absorve grande parte desses adolescentes e prepara para mercado de trabalho.
    Gosto dos seus comentários no Jornal do almoço.
    Abraços

  • Mariza D Mittersteiner diz: 2 de agosto de 2009

    Os “maiorais” da nossa turma,que tinham tudo o que queriam, não se esforçaram para ter uma profissão,estudar,etc.Os que como nós deram duro desde cedo,sacrificaram algumas coisas em função disto,mas são os mais bem-sucedidos da nossa turma,tanto na vida profissional como na pessoal. Uma dose de responsabilidade não faz mal à ninguem,podem ter certeza. Com 16 anos os adolescentes já estão (ou deveriam estar) um pouco mais preparados para a vida. Devemos prepará-los para a vida “real”.

  • Juliano d oliveira diz: 1 de agosto de 2009

    Concordo com o Colunista Carlos tonet se os pais nao dao conta de criar os filhos entao que ja entregue direto para o conselho tutelar.

  • Isabel diz: 2 de agosto de 2009

    Concordo. Os pais q são contra o toque de recolher, q concedam EMANCIPAÇÃO a seus filhos menores. Que se altere a lei: 1) Emancipação a partir dos 12 anos de idade. 2) Menor emancipado responde por seus atos, civis ou criminais. 3) uma vez concedida a Emancipação pelos pais, esta não poderá ser cancelada. 4) Se um menor tem autorização dos pais p/ficar pelas ruas de madrugada, pode tbm trabalhar c/carteira assinada em qualquer período, inclusive de madrugada. É de pequeno que se torce o pepino.

  • Isabel diz: 3 de agosto de 2009

    Mariza D Mittersteiner: os bandidos usam os menores pq sabem que eles não serão punidos. C/a Emancipação, os menores seriam responsabilizados por seus atos civis e criminais. P/isso, teria de mudar a lei. Resolveria um problema, pois os pais q não emanciparem seus filhos, assumiriam a responsabilidade p/atos deles. E os filhos q forem emancipados, seriam responsabilizados. Todos estariam sujeitos à Lei. E esse assunto de ¨ninguém mais pode com os menores ¨ não é de hoje. Vem desde a Antiguidade.

  • Ivan Naatz diz: 15 de julho de 2010

    lamento profundamente a posiçao do colunista no santa de hoje “tudo e tao dificil” n coluna Informe do “santa” “Tudo é tão difícil” de (15/06) produzida por Valther Ostermann, que foi repetido no Jornal do Almoço, anoto que este é um país em que imperam os princípios da legalidade, se admitirmos que as coisas possam ser conquistadas a todo custo, logo estaremos instituindo o AI5, como querem os que combatem o enfrentamento. Não se constrói uma Nação sem os princípios legais de direito, por isso o controle e o debate social são tão importantes para crescimento do país. Lamentável que o colunista de jornal como o “santa” defenda a repressão e os movimento da sociedade. O debate constrói, melhora, amplia e divide o poder. Veja o caso da passagem de ônibus, antes era decidida num dia, hoje, já se convoca a sociedade para discuti-la, não é bom ?.

    Ivan Naatz
    Coordenador Juridico do Comitê Contra a Privatização do Esgoto
    Advogado

Envie seu Comentário