Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Simpatias

31 de julho de 2009 8

Pretendo inverter este jogo/Divulgação

Minha batalha contra o tabagismo começa na próxima semana; depois conto o porquê. Até lá, quero agradecer as muitas manifestações de apoio, aqui e também recebidas através de e-mails.

A título de curiosidade, aí vão duas simpatias que chegaram e que, caso tudo falhe, lançarei mão. São trabalhosas. Até coqueiro exige uma, três luas cheias outra. 

Pegue um coco verde em uma sexta feira, fure sem deixar cair nenhuma gota da água. Escreva o nome da pessoa viciada em cruz em um papel branco, coloque dentro do coco e tampe o furo com gotas de vela. Enterre o coco debaixo de um coqueiro, reze 3 Pai Nosso e 3 Ave Maria. Diga em seguida: “Ofereço esta oração para o Anjo da Guarda do…. (dizer o nome) para que ajude a esquecer o vício de fumar. Amém.” Esta simpatia não pode ser feita pela pessoa que tem o vicio.

*

Pegar 7 bitucas de cigarro do viciado, guardar em um saquinho de pano e acrescentar um punhado de sal grosso. Jogar na água corrente e dizer: “Assim como a água corre, leve embora o meu vício e não volte mais.” Fazer a simpatia 3 sextas-feiras. Sempre na lua cheia.

Postado por Valther Ostermann

Comentários (8)

  • Curt Heise diz: 1 de agosto de 2009

    caro Valther – existe uma frase que diz ” não creio em bruxas – mas que elas existem – sim elas existem. Deixar de fumar exige uma montanha de força de vontade – a qual poucos fumantes possuem e/ou almejam ter. “Spare deine Spucke” poupes a tua saliva. É cavar burraco em água persuadir o cara deixar de fumar.

  • Mariza D Mittersteiner diz: 1 de agosto de 2009

    Valter, se quer algo que funcione mesmo faça o seguinte. Tome todo dia chá de tansagem, é um “mato” se jogar sementes no seu jardim vira uma praga de tanto q dá, vc vai achar fácil por aqui…
    Meu pai tomou isso um tempo e ele disse que nos dias que ele tomava o chá o cigarro ficava com um gosto nojento, aí ele deixou de fumar.
    Abs
    Mariza

  • Isabel diz: 3 de agosto de 2009

    Georgia, a presença de cigarros acesos em ambientes culturais fechados é um dos motivos pelo qual costumo não participar desses eventos. Conheço várias pessas que também preferem ficar em casa, a respirar mais fumaça. Pelo que vc escreveu, deduzo que tens a mesma aversão q tenho. Então, para nós, não-fumantes, o evento poderia chamar-se ¨Nosso Inferno¨ (rsrs).

  • Georgia Paula Martins Faust diz: 3 de agosto de 2009

    Por falar em tabagismo, estou indignada com o festival Nosso Inverno. Você esteve lá???
    Otima a iniciativa, mas… Onde ficou a lei que proíbe fumar em ambientes fechados?
    O péssimo hábito de 95% dos “artistas” blumenauenses espantou quem estava afim de curtir uma noite de cultura, e não de fumaça.
    Será que eles acham que fumar é bonito? É charmoso? É “francês”? Combina com poesia?
    Pra mim, combina com idiotice e falta de respeito ao próximo. Estava IMPOSSIVEL ficar dentro do teatro.

  • Georgia Paula Martins Faust diz: 3 de agosto de 2009

    Ainda sobre o Nosso Inverno…
    Tentei resistir, fiquei 20 minutos. Voltei para casa com roupas e cabelos fedendo, como se tivesse passado a noite “na balada”.
    E fica a promessa de nunca mais repetir a dose. Nosso Inverno, nunca mais. Só quando for organizado por pessoas que respeitem o proximo (e a lei).

  • Isabel diz: 2 de agosto de 2009

    A 2ª dica é lembrar q há pelo menos 10 mil anos a.C, índios da América Central utilizavam o tabaco em forma de cigarro em rituais religiosos. Mais viciante q o álcool, cocaína, crack e morfina; a nicotina atinge o cérebro em até 20 seg. O homem branco viu e pensou em ganhar muito dinheiro industrializando a droga misturando outras p/ficar ainda + ¨prazerosa¨. Daí passou a patrocinar eventos artísticos-esportivos e desenvolveu propagandas c/mulheres ¨sensuais¨. E os homens cairam como patinhos…

  • Edu Leon diz: 3 de agosto de 2009

    Quanto à sua decisão em largar o cigarro, não vou dar palpites porque é algo individual.
    Não sou fumante, detesto o cheiro do cigarro, mas essas campanhas antitabagistas são o “ó do borogodó”. As raízes desse movimento remontam à Alemanha de Hitler, e o mais engraçado é que o mesmo pessoal que quer proibir o cigarro quer legalizar as drogas.
    Cada vez mais o Estado-Babá, protetor da saúde pública, se mete na vida individual, através de leis ridículas.
    Um grande abraço, de seu leitor assíduo!

  • Isabel diz: 2 de agosto de 2009

    Parabéns pelo Blog! Gostei, e passei a acessar todos os dias. S/as simpatias: a 2ª tem + chance de dar certo se o fumante engolir as 7 bitucas ao invés de jogá-las na água corrente que vai para o rio…Por mais difícil que dizem ser livrar-se de vícios, jamais entenderei como as pessoas conseguem adquirir um e depois não conseguem se livrar dele. Mas deixo duas dicas: 1ª – o Extrato de Aveia já foi muito utilizado para tratar o vício do ópio. Deve funcionar tbm para o tabaco. Continua…

Envie seu Comentário