Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de setembro 2009

Você gosta, não gosta ou odeia?

30 de setembro de 2009 38

Amanhã, quinta, primeiro de outubro, começa mais uma Oktoberfest.

Tem blumenauense louco por ela, tem blumenauense que não gosta e tem quem odeie. Cada qual com seus motivos.

Não tenho lembrança de alguma pesquisa neste sentido.

Mas, mesmo que já tenham feito, que tal fazermos outra aqui, só para sentir o que os frequentadores deste blog pensam a respeito?

Combinado, então: se você tiver opinião formada, algum tempinho disponível e disposição para expor sua opinião e motivos, fique à vontade, comente.

Vamos ver no que vai dar esta pesquisa que nem de perto é científica. Mas pode ser divertida e surpreendente.

Ou não.

Postado por Valther Ostermann

Ana Arcanjo ensina a introdução e algo mais

30 de setembro de 2009 3

Ana Arcanjo, nascida em Santos (SP), foi membro da Cruz Vermelha durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e nos ensina algo mais do que a desconhecida introdução do Hino Nacional.

Postado por Valther Ostermann

Menos, Pelé, menos...

30 de setembro de 2009 12

Calado é um poeta./Divulgação

Os devotos da Igreja Maradoniana não concordarão, mas Pelé foi o maior jogador de futebol de todos os tempos. Atleta do século. Um fenômeno autêntico.

Jogando, porque falando é uma bobagem atrás de outra. A última foi dizer, lá em Copenhague, onde se encontra para apoiar a candidatura do Rio a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, que “está pronto para morrer pelo Brasil”.

Foi hoje, quarta-feira.

Postado por Valther Ostermann

1 x 2

29 de setembro de 2009 8

Caramba!/Divulgação

Meninos, eu vi: o Figueirense, nesta terça-feira, ganhou do meu Vascão, cereja do bolo da Segunda Divisão, e verdade seja dita, deu um show de tática e marcação.

Tonteou meu Vasco.

Ainda bem que foi um time catarinense. Doeu menos.

Postado por Valther Ostermann

Leia sem gargalhar, se puder

29 de setembro de 2009 12

Missão impossível/Valther Ostermann

Percebendo que vocês gostaram do post aí embaixo, a respeito da facilidade de aprender a língua alemã, ouso publicar outro texto, o meu preferido. Nunca consegui ler em voz alta, as gargalhadas atrapalham. Quem tem gato sabe como é, quem nunca teve aprenderá.

COMO DAR UM COMPRIMIDO A UM GATO

1. Pegue o gatinho e aninhe-o no seu braço esquerdo como se segurasse um bebê, tendo o comprimido na palma da mão esquerda. Coloque o indicador e o polegar da mão direita nos dois lados da boquinha do bichano e aplique uma suave pressão nas bochechas. Quando o felino abrir a boca, pegue rápido o comprimido da palma da mão esquerda e atire-o lá para dentro. Deixe o gato fechar a boquinha e engolir.

2. Recupere o comprimido do chão e o gato de detrás do sofá. Aninhe o gato novamente no braço esquerdo e repita o processo.

 3. Vá ao quarto buscar o gato e jogue fora o comprimido meio desfeito.

4. Retire um novo comprimido da embalagem, aninhe o gato no seu braço, segurando firmemente as patas traseiras com a mão esquerda. Obrigue o gato a abrir a mandíbula e empurre o comprimido com o indicador direito até o fundo da boca. Mantenha a boca do gato fechada e conte até 10.

5. Recolha o comprimido de dentro do aquário e o gato de cima do guarda-roupa. Chame a sua esposa para ajudar.

6. Ajoelhe-se no chão, tendo o gato firmemente preso entre os joelhos. Segure as quatro patas. Ignore os rosnados ameaçadores do gato. Peça à sua esposa que segure firmemente a cabeça do bichinho com uma mão e force a ponta de uma régua para dentro da boca do gato com a outra. Ela deve deixar rolar o comprimindo pela régua e esfregar vigorosamente o pescoço do gato.

7. Desça o gato de cima da cortina e retire outro comprimido da embalagem. Tome nota mental de que precisará adquirir outra régua e mandar consertar as cortinas. Cuidadosamente varra os cacos das estatuetas e dos vasos do meio da sala e guarde-os para colar mais tarde.

8. Enrole o gato numa toalha grande e peça à sua esposa que se deite por cima de forma a que apenas a cabeça do gato apareça por debaixo do sovaco dela. Instale o comprimido na ponta de um canudinho, obrigue o gato a abrir a boca e mantenha-a aberta com um lápis atravessado. Assopre o comprimido do canudinho para dentro da boca do gato.

9. Consulte a bula para verificar se comprimido de gato faz mal a ser humano. Tome uma cerveja para lavar o gosto da boca. Faça um curativo no antebraço da sua esposa e remova as manchas de sangue do carpete com água fria e sabão.

10. Retire o gato do galpão do vizinho. Pegue outro comprimido. Abra outra cerveja. Coloque o gato dentro do armário e feche a porta até o pescoço de forma que apenas a cabeça fique de fora. Force a abertura da boca do gato com uma colher de sobremesa. Jeitosamente, utilize um elástico como atiradeira para lançar o comprimido pela garganta do gato.

11. Procure uma chave de fenda e ponha a porta do armário novamente no lugar. Tome a cerveja. Procure uma garrafa de cachaça. Tome um traguinho. Aplique uma compressa fria na bochecha e verifique a data da sua mais recente vacina contra tétano. Aplique uma compressa de cachaça na bochecha para desinfetar. Tome mais um traguinho. Jogue a camiseta no lixo e procure outra no quarto.

12. Ligue para os bombeiros, pedindo que venham retirar o desgraçado do gato lá de cima da árvore do outro lado da rua. Peça desculpas ao vizinho que se machucou ao tentar desviar-se do gato em fuga. Retire o último comprimido da embalagem.

13. Amarre as patas da frente às patas de trás desse danado e prenda-o firmemente à perna da mesa de jantar. Nas mãos, ponha luvas de couro. Do quintal, puxe a mangueira. Empurre o comprimido para dentro da boca da besta, seguido de um pedaço de carne. Segurando firmemente a cabeça desse terror felino, mande-lhe meio litro de água goela abaixo, para que o comprimido desça.

14. Tome o que sobrou da cachaça. Peça à esposa que o leve ao pronto-socorro mais próximo. Agüente firme enquanto o médico lhe costura os dedos e o antebraço e retira os restos do comprimido de dentro do olho direito. Lembre-se: “homem não chora”. A caminho de casa, use o celular para falar com as casas de móveis para se informar sobre o preço de uma nova mesa de jantar.

15. Peça à Liga de Proteção aos Animais que mandem um funcionário com urgência para recolher o raio desse bichinho mutante. Ligue para a loja dos animais e pergunte se eles têm tartaruguinhas para vender.

Postado por Valther Ostermann

Alemão é fácil...

29 de setembro de 2009 10

Muitos conhecem, já rolou na internet, eu adoro este texto. Impagável! Resolvi registrar aqui. Para quem não conhece, uma delícia. Para os outros, vale a pena ler de novo.

“A língua alemã é relativamente fácil. Quem sabe Latim e está habituado com as declinações, pode aprendê-la sem grandes dificuldades – ao menos é o que os professores de Alemão dizem em suas primeiras aulas. Em seguida, quando começamos a estudar os der, des, den, dem, die, eles dizem que é moleza: tudo é apenas uma questão de lógica. Realmente é muito simples; podemos ver isso no exemplo que passamos a examinar.

Tomemos um honesto livro alemão: um volume magnífico, encadernado em couro, publicado em Dortmund, que descreve os usos e costumes dos hotentotes (em Alemão, hottentotten). O livro nos conta que os cangurus (Beutelratten) são capturados e colocados em jaulas (Kotter) cobertas de um tecido (Lattengitter), para abrigá-los do mau tempo. Essas jaulas são chamadas, em Alemão, “jaulas cobertas de tecido” (Lattengitterkotter); assim que botam um canguru dentro delas, ele é chamado Lattengitterkotterbeutelratten, “o canguru da jaula coberta de tecido”.

Um dias os hotentotes capturaram um assassino (Attentater), acusado de ter matado uma mãe (Mutter) hotentote – Hottentottermutter -, que tinha um filho tonto e gago (stottertrottel). Essa pobre mãe se chama, em alemão, Hottentottenstottertrottelmutter, e seu assassino é chamado de Hottentottenstottertrottelmutterattentater. A polícia prendeu o assassino e o enfiou provisoriamente numa gaiola de canguru (Beutelrattenlattengitterkotter), mas o prisioneiro escapou. As buscas mal tinham começado, quando surgiu um guerreiro hotentote, gritando:

- Capturei o assassino! (Attentater).

- Sim? Qual? – perguntou o chefe.

- O Lattengitterkotterbeutelratterattentater! – respondeu o guerreiro.

- Como assim? O assassino que estava na jaula de cangurus coberta de tecido? – perguntou o chefe dos hotentotes.

- É, sim, é o Hottentottenstottertrottelmutteratentater (o assassino da mãe hotentote de um menino tonto e gago) – respondeu o nativo.

- Ora , respondeu o chefe, tu poderias ter dito desde o início que tinhas capturado o Hottentotterstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentater. 

Como dá para perceber, o alemão é uma língua fácil; basta a gente se interessar um pouquinho…”

Postado por Valther Ostermann

Não aperte a mão de ninguém!

28 de setembro de 2009 3

Trocando bactérias.../Divulgação

Agora que passou a neura da gripe A, todo mundo aperta a mão de todo mundo novamente.

Mão é a parte mais cheia de bactérias que existe na nossa pele. Toca em dinheiro, maçaneta de banheiro, corrimão, direção de carro e tudo aquilo que você está pensando. E aí você está no restaurante, almoçando, e chega aquele simpático que vem te cumprimentar com a mão estendida. Sentiu?

Mão é ferramenta.

Costume e tradição à parte, bom conselho seria: não aperte a mão de ninguém!

Como este blog se acha cultural, aí vai a suposta origem do costume:

Aperto de mãos: utilizado como cumprimento e forma de selar contratos verbais há mais de dois milênios. O gesto demonstra que a mão não tem nenhuma arma, e é um símbolo de boa vontade e confiança. O costume era que a mão direita fosse usada para selar um acordo, e a esquerda para acabar com ele. Uma das teorias se refere à Idade Média, quando os cavaleiros ofereciam a mão direita em uma clara mensagem de que não pretendiam lutar, já que esta era a mão utilizada para empunhar a espada. Em muitas comunidades árabes acenar com a mão esquerda é uma grave ofensa, pois é considerada impura.

Postado por Valther Ostermann

"Não reeleja ninguém"

28 de setembro de 2009 9

Do leitor Roberto Kietzer recebo uma contestação que publico na íntegra, dado a importância do tema. Seria interessante que os leitores se manifestassem a respeito, já que de trata do futuro de nossa política… e nosso.

“Caro Valther

Quanto à questão da campanha “Não reeleja ninguém” (Santa de papel, edição do último do fim de semana) respeito a opinião de todos, inclusive a sua, afinal, democracia é isto: cada um vota em quem achar melhor. Mas, não posso deixar de comentar: campanha ingênua? Por quê? Os políticos devem ser renovados, SIM! A maior prova disto está na, aí sim, ingênua campanha “Fora Sarney”, onde questiono: por que tirar um político que foi eleito democraticamente pelo povo? Longe de mim defender o “ser de bigode”, mas questões como esta devem ser analisadas na CAUSA RAIZ: por que Sarney (nosso exemplo) foi (re)eleito? Porque recebeu considerável quantia de votos, ponto. Então, pergunto: elegemos qualquer um para depois lançarmos campanhas frustradas de “Fora Fulano”? Não, devemos conscientizar o povo antes das eleições. Devemos pensar em quem votar. Devemos ver menos TV e propaganda política, e acessar mais a internet. Fuçar a vida política daquele a quem pretendemos dar nosso voto. Ler as páginas de política dos jornais. E neste ponto vocês, colunistas, têm papel importantíssimo, pois são formadores de opinião. Salvo raras exceções, basta uma fruta podre, meu caro amigo, para estragar todas as demais. E quando você questiona se uma turma renovada vai deixar de lado as mordomias, pode ser que não, mas, corremos o risco de uma equipe renovada votar contra e colocar abaixo as tais mordomias, para que as futuras gerações de políticos não as possam usufruir.”

Postado por Valther Ostermann

A mais alfabetizada é daqui

27 de setembro de 2009 4

Menos de 1% da população com mais de 15 anos de São João do Oeste, município do oeste de Santa Catarina, é analfabeta.

A taxa é semelhante à do Japão.

Consta que a erradicação do analfabetismo, lá, se deve ao empenho de padres de origem alemã, que construíram uma igreja e uma escola na cidade logo que a região foi povoada, nos anos 30.

Postado por Valther Ostermann

É guerra?

27 de setembro de 2009 10

O presidente de fato de Honduras, o Micheletti, ameaçou, neste domingo, retirar o status da embaixada brasileira caso o Brasil não defina a situação do presidente deposto, Zelaya, aquele do bigodão e chapelão.

Em miúdos: retira o status e invade.  Esta é a ameaça.

O presidente do Brasil, Lula, rejeitou o “ultimato dos golpistas”.

É bom, portanto, apressar a compra daqueles submarinos e aviões franceses. Vai que o Micheletti cumpra a ameaça…

 

Postado por Valther Ostermann