Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A culpa é sempre da mulher...

28 de novembro de 2009 11

Pandora, a curiosa, liberando as desgraças.../Divulgação

Alguns leitores me perguntam o que significa o nome escolhido pela Polícia Federal para a operação – Caixa de Pandora – que está investigando a possível existência de um “mensalãozinho” no governo do Distrito Federal.

Vem da mitologia grega, é uma história longa, mas muito parecida com a de Eva, que debita à mulher a origem dos males do mundo. Vamos a ela, de maneira resumida:

Pandora, mulher criada por Júpiter e oferecida a Epimeteu (que nome!), era dotada de beleza, sedução, alegria e persuasão. Epimeteu guardava uma caixa que fora proibido de abrir. Certo dia, tomada pela curiosidade, e na surdina, Pandora abriu a caixa que, segundo o relato, continha todos os males do mundo. Assim, escaparam-se todas as desgraças. Assustada, fechou a caixa, onde só restou a esperança, que não teve tempo de sair.

É isto. Também os gregos jogaram nos ombros da mulher tudo o que de ruim existe. Tenho para mim que os caras que inventaram estas histórias não eram muito chegados. Na verdade, odiavam as mulheres. Ou morriam de medo delas. Ou…

Postado por Valther Ostermann

Comentários (11)

  • Pessoa Comum diz: 28 de novembro de 2009

    A bancada do DEM é majoritária no DF e o sobrenome do governador é Arruda, mesmo nome daquela planta que afasta todos os males. Vai acabar em pizza sabor arruda. A próxima…

  • Bueno diz: 28 de novembro de 2009

    Que os gregos não gostavam de mulher “praquilo” não é novidade. Pareciam de Pelotas, esses gregos. Tanto é que, na mitologia, a mulher veio como castigo, pros gregos. Epimeteu é irmão de Prometeu, que foi o cara que trouxe o fogo aos homens (fogo no sentido literal). Por causa disto, foi acorrentado, pra deixar de ser metido. Já a caixa de Pandora…ah, essa caixa é forte…tem muita desgraça nela…que vai abalar a democracia grega, isso vai. Que Zeus tenha piedade de nós.

  • Isabel diz: 29 de novembro de 2009

    O Correio Braziliense INFORMA: ¨PF e Justiça apuram suposto esquema de propinas a parlamentares¨. Então o caso é SUPOSTO? É essa a informação. Por estas e outras q os pobres e analfabetos não podem ser considerados culpados pela eleição de políticos corruptos. O DEM filiou o Arruda e este foi eleito mesmo tendo renunciado ao cargo de senador p/não ser cassado. Isso aconteceu no DF, povo letrado. Tenho dúvidas se a imprensa de Brasília informou seus leitores da cassação, na época. Penso que não.

  • Pessoa Comum diz: 28 de novembro de 2009

    O Arruda ajudou o ¨saudoso¨ ACM a violar o painel do Senado, em 2001, p/saber como seus colegas tinham votado na cassação do senador Luiz Estevão. Descoberto, chorou na tribuna do Senado e renunciou p/evitar a cassação. Depois disso o DEM o lançou a governador do DF. Não entendo como o DEM aceitou a filiação de um senador que violou o painel e renunciou para não ser cassado. Se 1 partido político de intelectuais como o DEM lança o candidato, é claro q o povo vai pensar q ele é é ético. Ou não?

  • Cidadão Comum diz: 28 de novembro de 2009

    A operação da PF coloca em polvorosa alguns setores da Ilha da Fantasia, digo de Brasília. Infelizmente transformaram a capital do país no maior antro de corrupção e sacanagens que possamos ter conhecimento e o pior é que nesta história, apenas alguns serão exonerados mas sairão com os bolsos cheios de dinheiro e nem aí para o povo e para a justiça. Se o ex-governador-incompetente-ladrão-safado Joaquim Roriz mandou no pedaço por décadas, quem mais não irá roubar e se aproveitar da impunidade ?

  • Guto Oliveira diz: 30 de novembro de 2009

    Continuação:

    - Lince: extração ilegal de diamantes
    - Lince 2: adulteração de combustíveis e roubo de carga
    - Farol da Colina: remessa ilegal de dinheiro para o exterior
    - Soro: falsificação de leite em pó
    - Sucuri e Trânsito livre: facilitação de contrabando
    - Pandora: extorsão de empresários
    - Vampiro: fraude em licitação de hemoderivados
    - Isaías: extração ilegal de madeira

  • Guto Oliveira diz: 30 de novembro de 2009

    Eis alguns nomes das operações da PF:
    Têmis, Hurricane: venda de sentenças judiciais favoráveis aos jogos ilegais
    - Sanguessuga: compra superfaturada de ambulâncias com dinheiro público
    - Hidra: combate ao contrabando
    - Anaconda: venda de sentenças judiciais
    - Águia e Planador: tráfico internacional de drogas
    - Zaqueu: corrupção nas delegacias do trabalho
    - Matusalém e Zumbi: fraudes no INSS

  • Guto Oliveira diz: 30 de novembro de 2009

    Imagina a cena: diversos agentes federais reunidos, discutindo as medidas a serem tomadas em determinada ação prestes a ser deflagrada. Um deles fala: Qual vai ser o nome dessa operação? Pronto… começa a discussão! Porque, vai ter imaginação fértil assim lá no Alto Vale…

  • juca deschamps diz: 30 de novembro de 2009

    Razão tinha o Xandóca, o saudoso Alexandre Gomes, quando escreveu os versos abaixo:
    “Das mulheres, feias ou belas,
    Fujo delas depressinha,
    Das feias, com medo delas,
    Das belas, com medo da minha!”

  • Leandro Karasinski diz: 28 de novembro de 2009

    A caixa de Pandora é uma expressão muito utilizada quando se quer fazer referência a algo que gera curiosidade, mas que é melhor não ser revelado ou estudado, sob pena de se vir a mostrar algo terrível, que possa fugir de controle. Pelo menos nossa polícia federal acerta em todos os nomes das operações que faz.

  • Isabel diz: 29 de novembro de 2009

    Valther, na tua coluna no Santa, sobre a nota ¨Informação é tudo?¨, que o eleitor não poderá alegar desconhecimento do desempenho de seus representantes, pois a imprensa acompanha e informa, há controvérsias. Acessei sites de jornais de Brasília p/ler sobre a Operação Pandora. Pelo conteúdo das notícias a imprensa do DF está noticiando a ação da PF mas já livrando o governador. Uma frase chama a atenção, diz que Barbosa: ¨teria gravado uma conversa com o governador Arruda¨. TERIA? Não gravou?

Envie seu Comentário