Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Não dá para ser otimista

26 de fevereiro de 2010 5

Alguém aí já percebeu que Blumenau empata com qualquer grande centro em matéria de (in)segurança pública?

Assaltos à mão armada a pedestres! Era só o que faltava para fechar o círculo. Já não falta mais.

Como tanta violência chegou aqui? Esta é fácil: veio com as drogas. Mais exatamente com o consumo delas. Sem procura não há oferta. O dependente faz qualquer coisa por uns instantes de euforia. Quando a grana acaba, parte para o furto. Do furto ao roubo é um pulinho. E do roubo ao latrocínio a distância é curta.

Uma vez que o consumidor de drogas é tratado como doentinho, que precisa de carinho e assistência – quem dá? -, e como ainda pretendem, no Congresso, tirar qualquer punição do chamado “pequeno traficante”, anotem: a violência veio para ficar, e vai piorar.

Postado por Valther Ostermann

Comentários (5)

  • Leandro Karasinski diz: 27 de fevereiro de 2010
  • Cidadão Comum diz: 26 de fevereiro de 2010

    Sinto saudades da Blumenau da década de 80 onde realmente nos sentíamos seguros ao passear pela cidade. Antigamente a polícia colocava o marginal no seu devido lugar, mesmo que para isso tivesse que ser dura. Agora é só um tal de faz-de-conta que não sei onde isso vai parar e tudo com o aval de nossas autoridades políticas. É, realmente será muito difícil serem criadas leis que realmente punam a bandidagem, até porque é muitos deles é que as elaboram !

  • Charles diz: 26 de fevereiro de 2010

    É direito do cidadão se defender. Se o Estado não tem condições de defender o cidadão, vale a lei “bandido bom é bandido morto”.

  • Leandro Karasinski diz: 26 de fevereiro de 2010

    FHC é a favor desses doentinhos. Ler em http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac322187,0.htm

  • Rafael diz: 27 de fevereiro de 2010

    “FHC é a favor desses doentinhos. Ler em http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac322187,0.htm

    E a grande Mulla é contra? Se é, porque não revogou isso?

Envie seu Comentário