Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Um pouquinho de história

26 de fevereiro de 2010 7

O protesto popular./Acervo histórico.

Em 1933 Vargas nomeia como Interventor de Santa Catarina o Coronel Aristiliano Ramos. Na época, o então prefeito de Blumenau, Antônio Cândido Figueiredo, contrário a esta nomeação, envia telegrama ao Governo do Estado renunciando ao cargo, porque não concordava em estar sob comando indireto do político Nereu Ramos.

O povo da região também não se alinhava ao novo presidente e dá maioria de votos na eleição parlamentar de 1933 ao Partido Republicano. Como represália a esta posição política, no ano seguinte o Interventor Aristiliano Ramos desmembrou os distritos de Blumenau, criando assim os municípios de Indaial, Gaspar, Timbó e Dalbérgia (Ibirama).

Reduziu, desta forma, o território da cidade a menos de um terço de seu tamanho, prejudicando Blumenau política e economicamente.

Como reação, a população blumenauense saiu às ruas em passeata de protesto. “O comercio e as indústrias paralisaram suas atividades durante vários dias e a cidade entrou em convulsão, motivando a exoneração do prefeito Jacob Schmidt”. Em seu lugar assumiu o capitão Antônio Martins dos Santos, da Força Pública do Estado. Ele veio com a missão de reprimir os protestos e manter a ordem. Após seis meses, transmitiu a posse a João Gomes da Nóbrega.

Ramos não revogou os decretos.

Postado por Valther Ostermann

Comentários (7)

  • Homero Gastaldi Buzzi diz: 27 de fevereiro de 2010

    E pra puxar o saco d`autoridade a maioria dos municípios do vale – mesmo do Estado, tem avenidas com o nome de Aristiliano, nomeado interventor federal em substituição ao gaúcho Rui Zobaran,e candidato ao governo de SC em 1934 derrotado por seu primo Nereu. Pra não entregar o governo ao primo e inimigo político, renunciou à interventoria, passando a Fontoura Borges do Amaral Mello.

  • JORDAN LUCAS TIEDT diz: 27 de fevereiro de 2010

    Interessante história essa, eu não conhecia. Mas mostra que o povo de Blumenau não é burro, e não é fadado aos desmandos de Floripa.
    Fiquei empolgado com os protestos deste mês contra o aumento do transporte público.
    O que mostra que a esquerda é viva em Blumenau.
    Um abraço

  • Bueno diz: 27 de fevereiro de 2010

    Até 1934 o território de Blumenau somava 10.610 km². Hoje se resume a 519,8 km². Trinta e oito novos municípios resultaram de sucessivos desmembramentos. Pois é. Blumenau ia de lá até lá longe.

  • Oswaldo Rocha diz: 28 de fevereiro de 2010

    Gostei muito do “pouquinho de história”, entretanto ainda espero a 2a. parte, pois o mote do jornalista ainda deixou muito curioso sobre este período da história de Santa Catarina e a ascensão de Vargas. Há Pouca história sobre a resistência dos Catarinenses a Vargas; Como foi? onde? em quais localidades?. Visto que as tropas gaúchas se dirigiam para o Paraná e SP. Qto ao poder da famosa Blumenau, ressalta-se que, embora o governo de SC, natural desta, fez carreira política em Joenvile.

  • Isabel diz: 28 de fevereiro de 2010

    Ve que desde aquela época já existiam conchavos políticos e protestos. Os conchavos continuam, os protestos também. Mas o primeiro, em 99,99% das vezes, se impõe ao segundo.

  • Leandro Karasinski diz: 26 de fevereiro de 2010

    O que prova que o povo blumenauense já não manda nada em SC faz tempo.
    E o LHS ainda fica bravo depois que apanha.

  • Zoltan Bergmann diz: 26 de fevereiro de 2010

    Atitude típica de ditadores. O covarde ditador suicida Getúlio Vargas, cuja estatura moral era proporcional à física e intelectual, aparelhou o Estado para permanecer no poder. Quando o seu mundo ruiu, não teve coragem de enfrentar as consequências suicidando-se.

Envie seu Comentário