Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ora, ora...

01 de maio de 2010 7

O projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) que incluia todos os políticos na malha fina do Imposto de Renda foi rejeitado já na Comissão de Constituição e Justiça. Previa a inclusão automática de parlamentares, governadores, prefeitos, presidente, ministros, magistrados.

Imaginem se passaria! O senador Cristovam é muito ingênuo mesmo.

Coerente, a atitude dos políticos: pimenta, só no dos outros. Os outros somos nós, os contribuintes.

Óbvio também que se fosse a plenário, seria derrotado por aclamação.

Comentários (7)

  • Curt diz: 1 de maio de 2010

    Lobo não come lobo – v. esperaram uma outra solução?

  • Natal Marchi diz: 1 de maio de 2010

    Caro blogueiro: nós somos “cidadãos comuns”. Eles, os políticos, são “cidadãos especiais”.

    Então, eu pergunto: para que serve a Constituição? Acaso nela não está escrito que todos temos os mesmos direitos? Pois olha só! Quanta incoerência!

    E depois, dizem: vote certo, cidadão! Esse “certo” se refere à correta digitação, ou acertar na escolha dos candidatos? Onde estão eles? Descubra, cidadão!

  • Curto&Grosso diz: 2 de maio de 2010

    Em um país onde o povo em sua maioria é composto de alienados, coniventes e trouxas, é lógico que as raposas acabam tomando conta do galinheiro e além de comer as galinhas, ficam até mesmo com os ovos.
    A atitude do senador Cristóvão Buarque por muitos encarada como ingenuidade ou hipocrisia, na realidade pode ser mesmo é um grande tapa na cara de todos nós !

  • Isabel diz: 2 de maio de 2010

    Ou o senador Cristovam Buarque é muito ingênuo ou anda apresentando projetos só por apresentar e ganhar simpatia. Outro dia foi passar filme brasileiro nas escolas para que os brasileirinhos conheçam o Brasil pelos filmes, agora esse de todos os políticos na malha fina. Inconstitucional. Só cai na malha fina quem a Receita Federal jogar. Numa Democracia, o que vale para os políticos, vale para o povo (o inverso nem tanto, eu sei). Já pensou se todos os declarantes da sociedade, na qual se criam os políticos, fosse incluída na malha fina antes da apuração pela Receita Federal? Seria o caos.

  • Bueno diz: 2 de maio de 2010

    Cristovam Buarque é um dos poucos políticos sérios deste país.
    Foi ele o único a tentar a revolução pela via da educação.
    Foi defenestrado do poder por isso.
    Eu acredito em Cristovam Buarque.
    Mas somos tão poucos.
    :-(

  • Sidnei Venturi diz: 3 de maio de 2010

    QUER VER UM POLÍTICO TRABALHAR ??
    NAO O ELEJA !!

  • Charles R. Kuhlmann diz: 4 de maio de 2010

    Ora Senador Cristovam, vê se cria vergonha na cara. Aonde já se viu submeter uma classe tão nobre a um constrangimento deste? Imagine se este tipo de gente deve enfrentar o bafo quente do leão? Calúnia, tudo gente de bem!!!

Envie seu Comentário