Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Castigo que não castiga

03 de maio de 2010 9

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina multou o governo do Estado por não combater a prática da farra do boi entre 2002 e 2006.

A multa inicial de R$ 1,1 milhão foi reduzida para R$ 500 mil, porque os desembargadores reconheceram qu o governo tentou reduzir as ocorrências dos maus tratos aos animais, apesar de insuficientes.

Tudo bem, o TJ penalizou o governo do Estado, mas quem vai pagar, se pagar – o governo pode recorrer – seremos nós. Nem vai fazer cócegas no governante.

Então aqui vai uma sugestão para desestimular a barbárie: prisão para o governador e prefeitos dos municípios onde ocorrer a farra. Se possível, prisão também para os farristas flagrados. Prisão especial, a pior possível. E prisão para os políticos que apoiarem a farra em troca de votos.

Escrevi besteira, eu sei. Jamais os legisladores fariam uma lei dura assim, até porque na Assembléia, em certa ocasião, já houve tentativa de legalização da farra. Foi vetada pelo governador de então. Escrevi besteira, sim, mas traduzi o sentimento da maioria dos catarinenses e dos seres humanos em geral.

(Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Comentários (9)

  • Valdemir Nicoletti diz: 3 de maio de 2010

    É correto e justo esclarecer aqui, que o governador de então, que barrou a legalização da farra do boi pela assembléia legislativa da época, foi ESPIRIDIÃO AMIN, enquanto que o ex governador LUIZ HENRIQUE, em entrevista certa vez, disse que via a farra do boi como uma manifestação cutural açoriana.

  • Natal Marchi diz: 3 de maio de 2010

    Os governantes não vão querer igualar-se aos brutos, vão?

  • Pessoa Comum diz: 3 de maio de 2010

    Assino embaixo. O dinheiro dessa multa que deveria ir para Educação, Saúde ou Segurança Pública, vai para pagar por essa vergonha que é a farra do boi. Pior, há políticos que apoiam a bárbarie: uma turba correndo atrás de animais com o hediondo propósito de vê-los sangrando, sofrendo. Como podem fazer isso com os animais! Como podem se divertir causando tanto sofrimento! Que exemplo estão dando para as crianças! Aposto que esses farristas e os que os apoaim ainda vão na igreja para mostrar que são gente de bem. Hipócritas. Cadeia neles. E que a multa seja cobrada dos farristas e de quem os apoiam, e não de todos os contrbuintes. Quer dizer que uns bárbaros não cumpre a lei e o valor da multa sai do bolso de todos os catarinenses? Era só o que faltava! Cadê a justiça?

  • Mariana diz: 4 de maio de 2010

    Valter:

    Nós, defensores dos direitos animais temos essa indignação como uma luta diária. Um estado, uma nação, um municipio que nao respeita os animais, nao respeita seu cidadão.
    Isso nos envergonha, assim como a idiotice medieval da puxada de cavalos, que só prova como nós, os humanos, somos estúpidos.
    Um grande beijo e muito obrigada pelas suas sempre oportunas palavras quando se trata da proteção animal!!

  • Nadienne diz: 4 de maio de 2010

    Maravilha Valther… CONCORDO PLENAMENTE.. repito abaixo o parágrafo de sua autoria que combina perfeitamente com minha opinião.. pois, se a educação que possuem (governantes, políticos e outros farristas da farra do boi), não os ajuda a perceberem a diferença entre cultura, tradição, etc e SELVAGERIA… ESTUPIDEZ.. FALTA COMPLETA DE SENSO, então, só a punição, em um local no qual possam entender a linguagem reinante é que talvez funcione… Quem sabe na PRISÃO, pudessem adquirir um nível mais alto de compreensão… porque, afinal, se encontrariam por lá alguns de seus iguais.. também encontrariam alguns bem melhores com os quais, quem sabe, pudessem aprender alguma sensibilidade…

    Vou twittar o end de seu texto.. E se você usa twitter, gostaria de segui-lo.

    Seu texto maravilhoso, que vale ser repetido muitas vezes:
    “Então aqui vai uma sugestão para desestimular a barbárie: prisão para o governador e prefeitos dos municípios onde ocorrer a farra. Se possível, prisão também para os farristas flagrados. Prisão especial, a pior possível. E prisão para os políticos que apoiarem a farra em troca de votos.”

  • Alex Abreu diz: 4 de maio de 2010

    Como dizem, a lei é cega, surda e muda.
    Enquanto as leis não forem honestas, não haverá povo honesto!
    Uma lei como as nossas são distorcidas, sendo que a mesma lei que nos beneficia nos condena.
    É Lamentável

  • Curto&Grosso diz: 4 de maio de 2010

    Com certeza as atitudes de um povo refletem o caráter predominante.
    Santa Catarina vem sendo destaque na mídia por maltratar animais, por covardões baterem em mulheres nas manifestações pacíficas e por ai vai.
    Será que o nosso povo povo não consegue fazer nada melhor do que explicitar estes maus exemplos e atitudes mesquinhas ? Creio que será muito difícil se levarmos em conta a laia dos políticos que ultimamente tem sido eleita e principalmente em Blumenau, onde qualquer pé-de-chinelo cospe na cara do povo.

  • Bueno diz: 5 de maio de 2010

    As vezes da impressão que andamos em círculo.

  • nancy león diz: 5 de maio de 2010

    finalmente leio algo civilizado e coerente no jornal quando o tema é tortura aos animais. São comuns as notícias que nos contam sobre bois mortos ou agonizantes que, desconfia-se, foram usados na farra do boi, ou bois vivos não se sabe vindos de aonde que, desconfia-se, são para usar numa futura farra.
    Acho interesante que nunca se noticie que um responsável foi preso, ou que a polícia chegou antes da tal de farra acontecer. Depois, tudo é suspeita…
    Mas, com comunicadores que dizem precisar de provas científicas para certificar-se de que divertir-se às custas de um pobre animal indefeso é crueldade, y com um governador que declara sem constrangimento que tortura é cultura…
    Triste é saber que nosso belo estado caminha na contramão de uma lenta mas crescente tomada de consciência mundial em relação ao nosso papel de “reis da criação”, que segundo alguns entrega aos seres humanos o direito de usar como bem entender os seres que com ele dividem o planeta…

Envie seu Comentário