Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cruzamento perigoso

19 de maio de 2010 15

“No cruzamento das ruas Heinrich Hosang e Max Hering, no Victor Konder, são constantes os acidentes. Hoje (18) ocorreu mais um (foto).

Tenho várias outras, de acidentes anteriores. Ontem também houve acidente. Todos graves e que poderiam causar vítimas. Nenhuma providência é tomada pela Secretaria de Planejamento em relação à questão. Os próprios bombeiros e os agentes de trânsito reconhecem que é um dos cruzamentos mais perigosos da nossa cidade, mas nada se faz. Será que vão esperar morrer alguém? Quero crer que com uma menção na sua coluna ou blog podemos sensibilizar o pessoal da SEPLAN para que alguma providência seja tomada.

Anderson Barg”

Comentários (15)

  • Silvério diz: 19 de maio de 2010

    É um dos piores por ser um pouco fechado de visibilidade e com transito constante nos quatro lados, o problema é que falar a palavra “semáforo” essa semana nesta cidade é motivo de linchamento.

  • Schmitt diz: 19 de maio de 2010

    aqui sim poderiam implantar um semáforo…

  • Charles Ringenberg diz: 19 de maio de 2010

    É necessário fazer algo ali sim. Dá um frio na espinha quando se chega nele pela Heinrich Hosang. Sempre parece que alguém vai surgir de repente.
    Mas eu sugiro uma rotatória. Semáforo jamais ! Vide o exemplo do semáforo da beira-rio.

  • Maria das Dores diz: 20 de maio de 2010

    Passo alí nesse cruzamento mais ou menos uma vez por semana, e sempre tem vestígios de que houve um acidente. Eu considero um descaso o que está acontecendo com a nossa cidade em muitos aspectos. A lista aqui de reclamações seria enorme. Tenho colocado aqui nos blogs minhas reivindicações e vou continuar reclamando sim, aliás toda população deveria cobrar dessa e de outras administrações o que nos prometem durante o período eleitoral. É muito fácil para os políticos se nós ( o povo) ficar bem quietinho no cantinho dele, sofrendo baixinho, sem reclamar, aceitando tudo de boca fechada. Espero que mais Blumenauenses ” abram olhos e ouvidos” para os descasos administrativos que estão acontecendo. Temos o direito de reclamar sim, porque fomos nós que colocamos eles lá ( os políticos) e quem é que paga os altos salários deles????

  • Aline diz: 20 de maio de 2010

    Aqui em blumenau é a unica cidade que coloca cruzamento aonde não se quase nenhum visibilidade.
    É mais um exemplo de que eles não sabem o que fazer, pq com certeza uma rotatória, seria muito melhor ainda..mas infelizmente alguém sempre tem que perder a vida para eles começarem a se mexer.

  • André diz: 20 de maio de 2010

    Alguém perguntou pro advogado que dirigia o C3 porque ele, apesar de toda a sinalização existente, não parou no referido trevo?

    Esse é o trevo mais bem sinalizado de toda a cidade, como pode alguém que se diz motorista, não parar nele? Ainda mais um advogado, que teóricamente conhece as leis.

  • Ada diz: 20 de maio de 2010

    Sempre que eu passo ali, dou uma paradinha, uma olhadinha…. pode ser que quem venha atrás se zangue, mas minha moto e eu somos frágeis a um abalroamento lateral.

  • Otavio diz: 20 de maio de 2010

    Acho importante a idéia de implantar um semáforo neste cruzamento, pois é de extremo perigo. Entretanto sugiro para melhorar o fluxo desta região uma mudança um pouco mais abrangente, o qual poderia ser a transformação da rua Max Hering em mão única no sentido Centro – Rua Antonio da Veiga, o que também iria simplificar o cruzamento, com a Heinrich Hosang, pois seria um semáforo de apenas dois tempos. Vamos ver se a PMB ouve a comunidade desta vez e acata estas sugestões.

  • Renato Weisser diz: 20 de maio de 2010

    É, não há outra solução senão a instalação de semáforo com boa sinalização, rotatória impossível pois não há espaço físico para tanto e ademais, se o grau de dificuldade para a leitura e interpretação de cores de um semáforo é tão grande, que garantia há de que com uma rotatória neste local seria diferente?

  • janilson diz: 20 de maio de 2010

    Sou professor de matemática e penso que o transito tem que fluir. Teoricamente entre voce ficar parado 2 minutos e andar a 40 km/h ou andar constantemente a 30km/h, por exemplo, faz com que o transito fluar melhor e o tempo final seja reduzido.Por isso o semaforo nem sempre resolve. O que falta em Blumenau são vias alternativas que voce possa ir de um lado para o outro, mesmo com velocidade baixa, mais constante. TEm coisas que eu ainda não entendo, por exemplo na 1ª de janeiro se fizesse o tunel no fim dela, acredito que mudaria muito o transito para que vai para as itoupavas. A rua conhecida como RUA da Coca, na fortaleza, se tivesse asfalto reduziria o fluxo na região, e assim temos outras ruas na cidade. Penso que as autoridades deveriam para um pouquinho e pensar a cidade como um todo.

  • Alfredo Lindner jr. diz: 20 de maio de 2010

    Valther, este problema vem se arrastando há anos e a resposta do Planejamento é sempre a mesma: “O cruzamento está sinalizado corretamente!” Há uns dois anos tive até uma discussão polemica em entrevista numa rádio com os responsáveis, depois fiquei calado, apenas lendo as cartas regulares que são publicadas às dezenas na Coluna do Leitor do Santa. Há uns 30 dias, em nova consulta de uma emissora de rádio, desafiei o Seterb a divulgar a média mensal de acidentes naquele cruzamento. Ou o total. Aposto qualquer coisa que ele é o cruzamento “campeão” da cidade (já que estamos perto da Copa…). Alguma atitude urgente precisa ser tomada, independente do sistema (rotatória seria o ideal). No mínimo a desapropriação daquele terreno que impede a visão da Rua Max Hering.
    O local é uma armadilha mortal para quem nunca passou naquela área. Imaginem então os turistas da Oktoberfest ou da Texfair. De quem é a responsabilidade?

  • Gerson Luiz – Blumenau, diz: 20 de maio de 2010

    Esse cruzamento pode até ser perigoso, mas mais perigosos ainda são os motoristas que não respeitam e ignoram a existência de uma certa placa de sinalização de trânsito, onde está escrito PARE.

  • Bueno diz: 20 de maio de 2010

    O problema não tá no cruzamento.
    Tá no trajeto.
    Aqui vale a máxima de que acidentes não acontecem. Eles são construidos passo a passo.
    Neste caso, metro a metro.
    Os condutores se aproximam por ruas pavimentadas, arborizadas, residenciais, tranquilas…e derepente surge o cruzamento.
    Quem passou uma vez neste cruzamento, atento, ligado na sinalização, passou tranquilo.
    Mas quem veio apenas com a visão periférica, distraído, sossegado, e não tava na via preferencial, se deu mal.
    A sinalização tá lá e é mais que suficiente. Mas ela se perde no contexto e passa despercebida.
    Quem bateu que me desminta.
    Solução: uma lombada física, na via que deve dar a preferência.

  • Charles R. Kuhlmann diz: 21 de maio de 2010

    Hoje passei em um semáforo lá na Vila Nova, e me lembrei que isto só existe porque há alguns anos uma jovem morreu em um acidente de trânsito naquele cruzamento. Acho que realmente só vai acontecer se alguém morrer por lá também. O mesmo vale para o cruzamento da Johann Ohf com a José Reuter na Velha Central.
    Enquanto isto, temos semáforos que não serviram pra nada, e estão sobrando no centro da cidade.

  • Curt diz: 23 de maio de 2010

    Passo algumas vez por semana neste cruzamento. Mesmo convergindo para a direita, paro o carro, pois já me aconteceu que um menos avisado, me cortou a frente. Na minha opinião – das duas uma:uma bruta de uma lombada em cada sentido e/ou uma rótula – mas não uma daquela do início da R. Estanislau Schaette. Quem está dentro da rótula, tem a preferência – e não como na rua citada – v. aguarda para entrar e ahí v. entra e já tem que parar pois a Rua Estanislau Schaette tem a prefrência e a seguinte a Almte Tamandaré, também. Coisa de doido?

Envie seu Comentário