Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2010

Cada um na sua

31 de outubro de 2010 1

Dilma foi eleita. Através do voto. Viva a democracia. Que se guardem as facas, então. Se queremos preservar o que para nós é relativamente novo, temos que respeitar e até mesmo louvar o resultado das urnas.

Ao povo cabe agora a cobrança das promessas de campanha. Aos partidos derrotados cabe a fiscalização dos atos do novo governo, ou, em outras palavras, ser oposição. Algo que Lula não teve, e que não é bom.

Aos políticos – todos – cabe aprender a fazer campanhas com alguma qualidade, ao contrário desta última, que foi lamentável em todos os sentidos.

E à Dilma cabe resgatar a liturgia do cargo. Ela foi eleita presidente do Brasil, não deve se comportar como chefe de partido político.

Vamos ver no que vai dar. Vamos torcer para que dê muito certo. E vamos cobrar, se nos deixarem.

Institutos de pesquisa

30 de outubro de 2010 5

Do resultado da eleição de amanhã, domingo, saberemos o futuro dos institutos que fazem as pesquisas eleitorais tão divulgadas quanto a propaganda dos candidatos.

Por elas, Dilma deverá ganhar a eleição por larga margem, não menos que 10%. Inaceitável será a alegação, em caso de vitória de Serra – ou vitória magra de Dilma – de que o eleitorado mudou de opinião no último minuto. Esta desculpa já foi usada antes.

Não se trata de eliminar as pesquisas do processo eleitoral, e sim da credibilidade necessária que os institutos devem ter.  A falta de memória dos brasileiros é cúmplice de resultados furados, mas é bom saber que amnésia tem cura.

Do resultado da eleição de amanhã saberemos o futuro dos tais badalados institutos. E do Brasil.

Halloween x Saci-Pererê

29 de outubro de 2010 7

Vem aí o Halloween, algo que a garotada conhece e curte, por indução inclusive de professores. Folclore estrangeiro que abafa o nosso. Tanto é verdade que devem ser poucas, ou nenhuma, as crianças brasileiras que sabem de Saci-Pererê, por exemplo.

Não se trata de aversão à coisa estrangeira. Conhecimento nunca é demais, mas quando vem para acrescentar, e não suprimir. Nosso folclore é interessante. E é nosso. Negá-lo às nossas crianças é crime cultural. Então, só para refrescar a memória dos que já o conheciam, e para informar os que nunca dele ouviram falar, aí vai um perfil do nosso Saci:

O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil. O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca. Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico. Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo e ganhou da mitologia européia, um gorrinho vermelho. A principal característica do saci é a travessura, muito brincalhão ele se diverte com os animais e com as pessoas, muito moleque ele acaba causando transtornos como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc. Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos. Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa. Diz também a lenda, que os Sacis nascem em brotos de bambus, nestes eles vivem sete anos e após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau.

Aborto

28 de outubro de 2010 6

O aborto está na ordem do dia. Virou argumento eleitoral. Uma pena que a discussão se dê neste forum inadequado e oportunista. Abaixo transcrevo um pequeno conto que, muitos dirão, é meloso e já correu a internet. Pode ser, mas faz pensar.


“Uma mulher chega apavorada no consultório de seu ginecologista e diz:

- Doutor, o senhor terá que me ajudar num problema muito sério… este meu bebê ainda não completou um ano e já estou grávida novamente. Quero outro filho, mas não em tão curto espaço de tempo.

O médico então perguntou:

- O que a senhora quer que eu faça?

- Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda.

O médico, depois de um tempo em silêncio, disse para a mulher:

- Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora.

A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido. Ele então completou:

- Veja bem minha senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora poderá descansar para ter outro, terá um período de descanso até o outro nascer. Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco.

- A mulher apavorou-se.

- Não doutor! Que horror! Matar um criança é um crime.

- Também acho, mas a senhora me pareceu tão convencida disso que por um momento pensei em ajudá-la.

O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva no seio materno. “

Criatividade é tudo

27 de outubro de 2010 1

Levem a sério, por favor.


Bancos no Brasil

27 de outubro de 2010 2

Nunca antes, na história deste país, os bancos foram tão lucrativos. Estão nadando de braçadas num mar de lucros astronômicos.

O Bradesco anunciou, nesta manhã, lucro líquido contábil de R$ 2,527 bilhões no terceiro trimestre, o maior da história dos bancos brasileiros de capital aberto.

Vou repetir: dois bi e meio num único trimestre. Lucro líquido.

País capitalista é isto aí. Banqueiro ama o Brasil, e tem motivos. Mesmo assim, não gosta de botar  a mão no bolso quando se trata de pagar salários. Aumentos quase sempre são precedidos de greve de bancários. Só se coça na pressão.

Um pouquinho de humor...

26 de outubro de 2010 1

DOZE MANEIRAS DE ENLOUQUECER SEU DENTISTA

  1. Chegue para a consulta com bastante gel no cabelo.
  2. Mostre o dente que dói colocando o dedo bem em cima.
  3. Tenha pavor de agulhas. Se puder, grite, esperneie e segure a mão do dentista na hora da anestesia, exija sempre a “pomadinha” antes.
  4. Não economize seu vocabulário. Chame gengiva de “gengiba”, raio-X de “rao x”, extração de “distração”, restauração de “obturação”, prótese de “perereca”… Insista, mesmo que seu dentista lhe corrija.
  5. Diga que na sua opinião, todo plano de saúde médico deveria ter plano odontológico grátis.
  6. Depois de seu tratamento ortodôntico de 5 anos, diga que preferia seus dentes como eram antes.
  7. Diga que não tomou o remédio que  lhe prescreveu porque o cara da farmácia achou melhor você tomar um outro.
  8. Interrompa a lua de mel ou as férias de seu dentista, ligando para dizer que seu provisório caiu.
  9. Tente falar alguma coisa sempre que seu dentista for colocar algo em sua boca.
  10. Sempre que encontrar seu dentista na rua ou em outro local público, inicie a conversa com a frase: “sabe aquele dente?”.
  11. Durante a consulta, nunca desligue o celular e fique aflito para atendê-lo.
  12. Sempre quando o dentista secar seus dentes com o ar, passe a língua neles, ou melhor, feche a boca.

Se tudo isso não adiantar, não desista, diga sempre que a anestesia não pegou, mexa-se na hora do raio-X, peça escova descartável para escovar os dentes antes da consulta, faça cara de que vai vomitar, leve a criançada junto à consulta, esqueça a carteira…

De volta para o passado

26 de outubro de 2010 1

Morreu o polvo Paul, aquele que adivinhava o futuro e dava um banho nas mães e pais de santos tupiniquins e pesquisas eleitorais. Fechou-se a derradeira janela em que era possível espiar o futuro. Só saberemos o resultado da eleição para presidente após a contagem de votos, não tem mais como antecipar.

E por falar em eleições, e em futuro, temos que admitir, com pesar, que o modelo de debates está esgotado. Neles, discute-se o passado. Quando sobra tempo, já que a maior parte do tempo é gasta com acusações e esculachos. Vote-se com um barulho destes!


Blumenauense típico

25 de outubro de 2010 1

O blumenauense é engraçado: tem o maior orgulho da Oktoberfest, fala de boca cheia da maior festa da cerveja da América Latina, dos recordes, da culinária, dos desfiles, da tradição. Tem mil motivos para se gabar de um evento que é, de fato, gigantesco e só existe aqui, porque aqui se faz bem feito. Fica feliz com os testemunhos extasiados de quem nos visita, e ao final da conversa não esquece do convite simpático e sincero: “Voltem sempre”.

Mas quando a festa termina solta um inevitável “Ufa, até que enfim!”

Foi o que mais ouvi nesta segunda-feira.

Preocupação

24 de outubro de 2010 1

Surgiu uma superbactéria, a Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC). Até ontem era uma notícia daquelas que não chamam muito a atenção.

As autoridades da área da Saúde, hoje, pediram tranqulidade em relação à proliferação:

“A população fique tranquila porque essa é uma situação que acontece apenas em ambiente hospitalar e em pacientes debilitados.”

Agora deu medo.