Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Crueldade (mais uma)

10 de janeiro de 2011 11

O abandono de animais domésticos é uma prática muito em voga em Blumenau, mas não é a mais cruel. Há quem os atire pela janela de um carro em movimento, como conta o leitor Marco Demarchi.

Foi na Rua Guilherme Poerner, domingo de manhã. Um Corsa branco cuja placa, infelizmente, não foi anotada.

Deixa estar, somos consequência de nossos atos. O bárbaro do Corsa purgará, em algum lugar do futuro e de alguma maneira, a crueldade de seu ato.

Como pode um ser humano jogar um bichinho assim pela janela de um carro em movimento?

(Foto: Marco Demarchi)

Comentários (11)

  • Alessandra Luize diz: 10 de janeiro de 2011

    oie alguem já se prontificou a adota-lo?
    eu fico na fila

  • CURTO&GROSSO diz: 10 de janeiro de 2011

    A besta covarde que pratica este tipo de idiotice muitas vezes é a mesma que frequenta a sala de cinema que você utiliza, que frequenta o mesmo restaurante que você, que trabalha(?) na mesma empresa na qual você trabalha e se duvidar, tem o filho matriculado e estudando na mesma escola de seu filho.
    O pior de tudo é que muitas vezes a família e amigos de um traste destes encobrem as safadezas ou ainda acham tudo normal e é aí que entra a falta de escrúpulos e de vergonha na cara.
    É por essas e outras que enfatizo que a qualidade dos nossos governantes e políticos é o espelho de uma sociedade e infelizmente a nossa caminha para isso que estamos vendo !

  • Rita diz: 10 de janeiro de 2011

    É uma atitude que dói na alma e faz, mais uma vez, eu me envergonhar de fazer parte da raça humana…

  • Rita diz: 10 de janeiro de 2011

    Esqueci de perguntar se o cachorrinho já foi adotado.

  • Luciana Testoni diz: 10 de janeiro de 2011

    Olá caro amigo,
    Infelizmente esta cena se repete a todo momento. Você deve se lembrar do ocorrido no ano passado quando flagrei o mesmo acontecimento. Mas e o que dizer das pessoas que, se não “jogam” aqui, acabam levando para a praia e “jogando” por lá? Me deparo todos os anos com vários animais jogados à sorte em Navegantes/Gravatá, rondando de um lado para outro, mendigando um pouco de atenção. Vale saber, neste caso, quem realmente é o animal irracional. E o pior nisso tudo é que não sabemos a quem recorrer. Ainda bem que temos as ONGs, que, com o apoio de populares, conseguem a muito custo, dar a estes “desabrigados” uma nova oportunidade. É uma pena, mas acredito na educação, que vem de casa e leva-se para a vida toda. Seria neste caso, a falta dela? Mande meus sinceros votos de cordialidade ao leitor Marco Demarchi – pessoas como você, valem à pena!

  • Natal Marchi diz: 10 de janeiro de 2011

    Quando se diz que alguns seres humanos são inferiores aos brutos, há quem esperneie.

  • Marco Demarchi diz: 10 de janeiro de 2011

    Pra quem quiser adotar, favor enviar email com contato para marco@valtextil.com.br

    Grato.

    Obrigado Valther.
    Abraços

  • Liana Formento diz: 10 de janeiro de 2011

    o cachorrinho tá comigo. ele é apaixonante!!! não da pra acreditar que fizeram isso com ele. muito triste, realmente, pessoa sem coração!

  • Ada diz: 10 de janeiro de 2011

    Eu choro por causa dessas coisas, nem vou xingar pq já vi aqui que tem gente fazendo isso. Mas vou contar uma história triste com final feliz. Semana passada adotamos a Fifi e a Fofa, ambas filhotinhas que correram atrás da minha moto, aqui perto de casa. Bem pequenas, como o da foto. Levamos pra casa, demos comida, abrigo, vermífugo, vacina…. estão fortonas e bem cuidadas agora. Aproveito o espaço desejar um infeliz e desgraçado ano novo pra quem soltou elas aqui, mas deixo claro a alegria q proporcionam a nós.

  • Charles R.K. diz: 11 de janeiro de 2011

    Quem é mesmo o animal da história?

  • Rita diz: 11 de janeiro de 2011

    Oi, Liana!
    Fico muito feliz em saber que o cachorrinho já foi adotado por alguém de bom coração! Também tinha me colocado na fila de adoção, mas se vc vai dar a ele o carinho que ele merece, já me sinto satisfeita!

Envie seu Comentário