Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O que fazer?

14 de abril de 2011 7

O bullying, que sempre existiu, só agora começa a ser notado e discutido por aqui. Antes tarde que nunca. Mas é discussão tão recente que ainda está na fase de discussão, não evoluiu para ações concretas.

O que fazer, em casos constatados? Mais: o que fazer quando o estabelecimento de ensino nada faz?  Ainda hoje uma senhora me contava, em prantos, a tortura que seu neto, de apenas sete anos, sofre em decorrência daquela prática nojenta. Num colégio particular, que até agora não teria movido uma palha para inibir os agressores.

Tenho por mim que os menores, intocáveis pela lei, devam ser impedidos através de seus pais e dos responsáveis pelos estabelecimentos de ensino. Denunciá-los seria um bom começo.

Comentários (7)

  • Natal Marchi diz: 14 de abril de 2011

    É sempre assim: enquanto não são registradas ocorrências horripilantes, os pequenos (?) problemas vão sendo empurrados com a barriga. Mas, quando o pior acontece, aí, então, é um deus-nos-acuda, com apavoramentos de todos os tipos. Está comprovado: muitos seres humanos são indolentes por natureza. Até que a água não atinja o pescoço, logicamente.

  • Paulo Curvello diz: 14 de abril de 2011

    Meus Caros , a receita contra o Bullying, é a criação. Eu sou mulato e por vezes era chamado de NEGÃO coisa que não era. Naquele tempo não tinha afrodescendente. Existia uma categoria intermediária era o moreno . Que nada mais é, do que o filho de um branco com um mulato. Sabe o que eu fazia respondi a altura, chamando o “bullyinista” de com de barata – branquelo – branco azedo , cor de peido , etc… Em fim ensinem seus filhos a se defenderem, não criem maricas, mimandos e digam NÃO sempre que for necessário. A culpa do Bullying está mais na parca criação dos pais , do que nos colegas.

  • Charles R.K. diz: 15 de abril de 2011

    Mais uma prova de que educação vem de casa. Quem em casa recebe uma educação com base no bom senso, sabe que ridicularizar os outros é uma tremenda falta de educação. Além do mais, sabe também que ele próprio não iria querer passar por isso, então pq sentir prazer vendo a desgraça alheia?

  • Ada diz: 15 de abril de 2011

    Eu sofri com isso… muuuitos anos. Sempre a mais gordinha e cdf da sala. Mas nunca me afetou. Minha mãe sempre dizia que eu era melhor que eles. E era mesmo. Hoje sou algo que eles nunca sonhariam em ser.

  • Braz dos Santos diz: 15 de abril de 2011

    O bulying (que palavra hrrível) nada mais do que a exedriorizção da agressividade que existe dentro de cada um de nós. Nossos pais sabiam como controlar isso, e o faziam muito bem. E as escolas também. Como hoje os pais são reféns dos caprichos dos filhos, e os professores, se tomarem um atitude corretiva são considerados autoritários pelos pais incompetentes, deparamo-nos com uma situação que ninguém sabe como resolver, enquanto as vítimas se mutiplicam. E os orientadores educacionais ficam passando a mão na cabeça dos pequenos cafajestes considerando-os “vítimas do sistema”, quando na verdade eles são vítimas da nossa própria incmpetência. DÁ NOJO!

  • CURTO&GROSSO diz: 15 de abril de 2011

    Atualmente vivemos na era em que tudo se permite e nada se pode reclamar pois professsores apanham de alunos na própria sala de aula e nada se faz em definitivo para coibir esta prática absurda e imoral.
    Em virtude disso, práticas como a do “bullyng” acabam se tornando algo muito normal na cabeça dos menores infratores que na maioria das vezes batem até mesmo na cara dos pais, e o pior, com a aceitação destes.
    Na minha época, diferenças entre alunos na escola se resolviam no horário do recreio ou na saída das aulas e a porrada era de moleque para moleque até alguém sair machucado ou então resolver baixar o topete e ainda se tomava cuidado para os professores e os pais não tomarem conhecimento da briga.
    Realmente vivemos em uma sociedade de covardes e babacas que sózinhos não são ninguém e que se unem apenas para realizar o que não agrega valor e as lutas e reinvindicações justas são colocadas de lado.
    Percebendo esta índole deplorável, nossos governantes e políticos nos tratam com o atual e devido desrespeito que merecemos !

  • Marcos diz: 18 de abril de 2011

    Se professores que são professores não podem mais nada não há oque fazer.

Envie seu Comentário