Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Pés no chão

12 de maio de 2011 4

Os preços dos combustíveis estão diminuindo, diz o noticiário. E aí a gente fica com a impressão de que estão barateando. Só que não estão.  Os combustíveis ficaram menos caros, o que ainda não é satisfatório.

O etanol, que depende de volume de safra, está absolvido. Não pode o governo interferir na iniciativa privada – ele tenta, sempre! – e fabrica álcool o usineiro que quiser.

Mas a gasolina, esta sim, está inteirinha nas mãos do governo. Com autosufissiência de petróleo, pois não? Com preços irrisórios, no comparativo com o que pagamos aqui, quando se trata de vender para outros países. Com pré-sal. E com uma gasolina que não é aquilo tudo em termos de qualidade.

Entonces, meus caros, teria que ser barata. Aliás, até que é, antes de sofrer acréscimo de uma montanha de impostos.

A gasolina não está barateando. É cara, não é das melhores e, sendo realista, vai continuar pesando demais no bolso e na economia. Não dá nem para sonhar.

Tudo o mais é economês para nos enrolar. E nos garfar.

Comentários (4)

  • junior diz: 12 de maio de 2011

    Eu me pergunto porque o pato é tão caro se temos, em Indaial, a autosufissiência de pato com a maior industria de pato da américa latina? Como assim?

  • Pericles Sevegnani diz: 13 de maio de 2011

    Valther, tambem acho isto tudo um absurdo.
    Mas eh o preco que se paga por causa da regulacao internacional dos precos, das chamadas commodities.
    Produzimos carne, cafe, acucar, entre outros, mas quem dita o preco eh a bolsa de Chicago…
    Obvio que o produtor vai preferir vender para quem paga mais.
    Quem pode resolver isto ai sao os economistas do governo, que sao extremamente eficientes em cobrar impostos de tudo que produzimos ou ganhamos, mas sao pessimos em perceber quando as decisoes tomadas por sua equipe prejudicam o pais, gerando “n” efeitos colaterais na economia interna.
    Como disse o ministro outro dia, “importamos” inflacao de outros paises, gerada por fatores externos que nao nos competem, como a crise do petroleo no oriente medio.
    Mais um detalhe: somos auto suficientes em petroleo, mas nao somos auto suficientes em refinarias. Ou seja, exportamos petroleo e importamos gasolina.

  • C.Minc diz: 13 de maio de 2011

    Concordo Valther! Tem que legalizar tudo que aí cada um tem sua safra e fim de papo! Nd de pagar pra esses ladrões!

  • Braz dos Santos diz: 13 de maio de 2011

    Realmente, o que torna a gasolina cara no Brasil é quantidade de impostos e taxas que incidem sobre ela. E tiremos o cavalinho da chuva, porque reforma tributária não haverá nunca, haja vista que os gestores públicos não estão dispostos a abrir mão dessa mina de ouro. Mas volto a fazer a pergunta: por que não se produz etanol a partir da mandioca, fácil de plantar – dá em tudo quanto é lugar – e mais fácil ainda de colher – e então deixaría\mos os usineiros livre para enderem para que bem entenderem o açúcar. Só que aqui, Valther, é que vem uma questão que não engulo. Quando os preços do açúcar no mercado internacional não não estao atrativos, o governo dá uma mãozinha aos usineiros, aumentando o percentual de álcool na gasolina. Essa troca de favores não é boa para o país, porque quando há problemas como os ocorridos este ano, sempre se afirma que não é conveniente o governo interferir na iniiativa privada. Por isso mesmo, o governo deveria incentivar a produção de álcool a partir de outros produtos, deiaxando que os usineiros se virem, arcando com os prejuízos quando a instabilidade atingir o merado açucareiro.

Envie seu Comentário