Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ibsen ao telefone

05 de junho de 2012 9

Ibsen é um norueguês que teima em entender o Brasil, vive me importunando com ligações telefônicas internacionais, fazendo perguntas irrespondíveis. Ah, claro, ele fala português fluentemente, com pouco sotaque. Pelo menos isto. De nossa língua ele entende um pouco.

Ligou-me hoje, cedinho:

- Gostei de saber que vocês cuidam de suas florestas nativas. O parque Nacional Serra do Itajaí é bem grandão, não é?

- É, sim, Ibsen.

- Pois então! 57 mil hectares é mata que não acaba mais. Parabéns.

Enfim um elogio no lugar de perguntas constrangedoras, pensei.  Mas aí veio o de sempre:

- É verdade que apenas DOIS fiscais cuidam de tudo? Tenho certeza que li errado.

- É verdade, Ibsen.

- Mas só dois?? Eles dão conta?

- Bem…

Mais uma vez o universo conspirou em meu favor: a ligação caiu.

Deixei o telefone fora do gancho. Ibsen não tem o número do meu celular.



Comentários (9)

  • Caroline diz: 5 de junho de 2012

    Adorooooo quando a ligação cai
    Maneira mais rapida de cortar uma ligação

  • Schmitt diz: 5 de junho de 2012

    dois fiscais para 57 mil hectares são reflexo da população, Valther
    o povo do vale ainda acha que mato é sinônimo de retardamento, uma nítida herança da colônia

    o país do Ibsen preserva 15% de sua área, enquanto que o brasil, bem maior, fica nos 25% (metade desse percentual é terra indígena)

  • joao diz: 6 de junho de 2012

    25% é terra indígena (?), onde essa vagabundagem chamada indígena, desmata, acaba com tudo, vende e troca por cachaça que é a unica coisa que sabem fazer e dormir em redes o dia todo. Nós não não podemos nem olhar atravessado para uma árvore que ganhamos 500 anos de prisão. Esses vagabundos trocam por cachaça. Que Brasil é esse ? Obs. Espero que eu não seja rastreado e preso por esse comentário…

  • Se o João será rastreado ou não, eu não sei. Mas que deveria, ahhh, deveria. Ele deve ser maior, vacinado, branco e bem nascido, para escrever sem pensar, deste jeito. diz: 6 de junho de 2012

    Se o João será rastreado ou não, eu não sei. Mas que deveria, ahhh, deveria. Ele deve ser maior, vacinado, branco e bem nascido, para escrever sem pensar, deste jeito.
    Até parece pertencer àquele estado da federação onde corre sangue azul nas veias.

  • Weimar diz: 6 de junho de 2012

    O sr. joao ali esqueceu que os indígenas preservaram durante 500 aquilo que meia dúzia de ‘civilizados’ destruíram em apenas 30 anos. Lamentável sua manifestação.

  • Fabricio diz: 6 de junho de 2012

    Impressionante como mesmo com tanta evolução, tanto conhecimento, tantas conquistas do mundo “moderno”. Continuamos a ler e ver pessoas sempre pensando e agindo ao seu favor, não se importando com o próximo.
    Pensam que se para elas esta bom o resto não importa.
    É assim no transito, na política, no mercado de trabalho.
    Vivemos em uma sociedade que não vive em sociedade.
    Sociedade do latim: societas, que significa “associação amistosa com outros”.
    Que tal começarmos a pesar em viver nossos poucos anos nesse planeta com o objetivo de ajudar ao próximo e mudando à forma que pensamos e agimos na sociedade.
    E principalmente deixamos algo de bom em nossa jornada.
    Sem pensar só na questão financeira, pesar mais em ser do que ter.

  • Clóvis Coradini diz: 6 de junho de 2012

    Amigos,vejam vocês se concordam comigo.: Não deveria o exército treinar suas Táticas de combate na mata ajudando a cuidar do parque?Afinal de contas estes sim comem as nossas custas apenas para desfilar no 7 de setembro.

  • C.Minc diz: 7 de junho de 2012

    O exercíto de Blumenau conta com dois caças escondidos em um galpão no quero-quero.

    eles ficam de prontidão caso o espaço aério da Prefeitura seja invadido por inimigos.

    Ouvi boatos que a EMBRAED de Balneário irá construir um condomonío habitacional no Parque Serra do Itajaí

  • CURTO&GROSSO diz: 7 de junho de 2012

    Apenas 2 fiscais colocam a cabeça a prêmio para cuidar desta enorme e preciosa área e de outro lado, muitos fiscais se esbarram nas cidades perdendo tempo e importunando criadores legalizados de pássaros e visitando petshop’s.
    Isto está me parecendo a história da “casa muito engraçada” do governador Perillo/Cachoeira que pelas versões apresentadas até agora já foi vendida por várias vezes em cheques e em dinheiro e isto senão aparecer uma outra moeda de troca nesta grotesca comédia.
    Será que a Receita Federal também só tem um fiscal prá cuidar de toda aquela politicalha reinante em Brasília ?
    Sobra dinheiro sim, só falta vergonha na cara !!!

Envie seu Comentário