Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O pior dos mundos

18 de março de 2013 4

Escolas já não são mais as ilhas de segurança que eram. Além das ameaças internas há as agressões do lado de fora. Hoje recebi telefonema aflito de uma mãe de estudante que foi assaltado na porta da EEB Padre José Maurício, no Bairro Progresso, por pivetes.

Ameaçado por facas, entregou a mochila, o telefone celular e o sossego. Traumatiza.

Chegamos ao ponto em que cada escola tem que ser protegida por uma guarnição armada?

Comentários (4)

  • Luciano de Blumenau diz: 18 de março de 2013

    Isso não é somente nas escolas Valther !!

    Sou da seguinte opinião….criança que não aprende a respeitar e não apanha desde cedo em casa quando faz algo errado….tem que apanhar na rua !! E se os pais reclamarem….apanham também !!! Haaaaaa mas não pode bater nos filhos !!!! Tudo bem então, aqui esta as trouxas do meu filho !! Ja que nós que somos pais não podemos educar da forma correta, então o estado e o governo que criem !!! Depois que todos estão virados em marginais, não me venham reclamar !!!!

  • Andre L. diz: 18 de março de 2013

    É a geração “estatuto”, crescendo.

  • Darci diz: 19 de março de 2013

    Sejamos francos! Todos reclamam, inclusive as universidades federais ensinam que a educação deve ser maleável, mas no vestibular elas exigem muito e os que passam são os oriundos das escolas privadas. Basta ver os resultados do ENEM: alunos de escolas privadas disparados na frente. Transformaram as escolas públicas em privadas. Professores mal remunerados/despreparados/descompromissados que não repassam conteúdo suficiente. Diretores que fazem vista grossa para a algazarra de delinquentes. O governo querendo impor tempo integral para ficar fazendo o que mesmo na escola o dia todo? Já não basta o deficitário ensino de meio período? É um faz de conta que acontece. Enquanto isso o governo federal busca uma fórmula para melhorar o ensino nas escolas públicas: está debaixo do nariz dos governantes.

    Para meditação, de Cristovam Buarque
    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/02/09/beijo-do-desprezo-por-cristovam-buarque-485467.asp

  • edgar diz: 19 de março de 2013

    Olha Valther, violência nas escolas “públicas”, é a coisa mais normal em Blumenau e região. Imagina só nas cidades maiores.
    Traficante vendendo drogas nas escolas também já é super normal nas “nossas” escolas principalmente no período noturno, e muitas vezes no diurno também.
    Hoje tenho 27 anos mais quando eu tinha uns 14 eu mesmo já fui assaltado por muleques com faca na porta de uma escola particular em Blumenau.

Envie seu Comentário