Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ibsen, o norueguês

29 de setembro de 2013 7

O norueguês, aquele, parece brasileiro, não desiste, sempre por telefone:
- É fato que em teu país criar um novo partido político é tarefa complicada?
– É, sim, Ibsen. Exigem milhões de assinatura e mais um bocado de providências.
– Então por que criam tantos?

Desta vez eu tinha resposta:

- Porque vale a pena, Ibsen, vale a pena…

Comentários (7)

  • CArlos diz: 30 de setembro de 2013

    Uma vez você disse que educação não resolveria esses problemas a curto prazo apenas a longo prazo e que precisamos de medidas drásticas algo que precisa ser feito
    agora. Em uma entrevista Ciro Gomes disse que nossas leis só servem pra dar dinheiro pra advogados. Nosso judiciários está entulhado, temos muitos processos. Temos o governo recorrendo sempre pra não pagar oque deve. Temos leis morosas e lentas e erradas e burras. Não sabemos da missa a metade sobre acontece nos bastidores do nosso desgoverno. Educação, segurança e saúde nunca funcionaram.
    Governantes recebendo super salários, aliás acho que lá em Brasilia todos recebem super salários.
    Ou seja está absolutamente tudo errado. E não temos nenhuma perspectiva de mudança.

  • Ronald diz: 30 de setembro de 2013

    75% de analfabetos funcionais em idade ativa explicam muita coisa. É o atestado necessário para subsidiar este nosso caos.

  • WALDIR diz: 30 de setembro de 2013

    DOIS comentarios acima já diz tudo querem que eu acrescentam mais alguma coisa? então la vai olha só o nivel de escolaridade de nossos vereadores,dá para conar nos dedos os que concluiram a pós graduacão.

  • Adair diz: 30 de setembro de 2013

    E ainda tem aqueles retrógrados e acomodados que defendem uma grande quantidade de partidos porque isso mostra a diversidade cultural de uma país, blá blá blá blá blá blá……….! No Brasil temos partidos demais, muita gente mamando nas tetas do governo(políticos, comissionados e funcionários públicos com estabilidade), muito papo furado e pouquíssima qualidade e produtividade dessa gente toda. Essa diversidade toda deixou o Brasil no atoleiro e de lá só sairá com a ajuda de um possante “trator”, ou seja, o povo em massa nas ruas protestando como aconteceu em junho passado. Nada menos que isso.

  • Jorge diz: 1 de outubro de 2013

    Valther, diz pro Ibsen que o Brasil já era.
    A “casa da mãe joana” agora é uma republiqueta bananeira bolivariana.
    Somos todos comunas de carteirinha com estrelinha vermelha.
    Esse negócio de pluralidade partidária é só prá inglês ver.
    E, Waldir, além de se contar nos dedos de uma mão, nossos (?) vereadores fizeram pós graduação a distância, a cada três meses, e no sábado a tarde de um feriadão com chuva.
    Esse povo ignorante (o brasileiro…) há de pagar caro pelas “escolhas” que vem fazendo.
    Depois não adianta chorar.
    Tenho cidadania europeia e pulo fora dessa canoa furada rapidinho. E o resto?

  • Miguel José Teixeira diz: 1 de outubro de 2013

    Penso em propor um novo: o Partido dos Sem Partido – PSP.
    Em uma das cláusulas constará:
    “Todo cidadão brasileiro portador do título de eleitor, que não estiver filiado a partido algum, automaticamente estará filiado ao PSP”.
    Assim, não precisarei falsificar as assinaturas exigidas na lei, como ocorreu com o PROS e o SOLIDARIEDADE.

  • marisa diz: 1 de outubro de 2013

    Por falar em vereadores, quando é que criarão vergonha na cara e pedirão perdão à Polícia Militar pela tal moção de repúdio que editaram ano passado?
    Pois é, Sr. Presidente (leia-se Vanderlei…), o senhor sendo um dos signatários do esdrúxulo “documento” deveria mostrar que honra as calças que veste e tomar a iniciativa.
    Somente homens verdadeiros reconhecem os erros e pedem perdão em público.
    Numa ação legal e legítima, reconhecida pela justiça do Estado, o 10º BPM cumpriu suas atribuições de polícia administrativa naquela ocasião. Não têm culpa (os PMs…) que os vereadores da cidade não conhecem o direito administrativo pátrio e cometeram a arrogante asneira de censurá-los publicamente.
    Um tiro no pé, convenhamos. Uma lástima…
    Por outro lado, nas inúteis e infrutíferas manifestações populares juninas (banânia somente piorou de lá para cá…), o supracitado presidente não pestanejou em solicitar a proteção do 10º BPM à “casa do povo” e com o rabo entre as pernas encastelou-se, com outros, covardemente atrás de um cordão de policiais militares que impediu a massa de aproximar-se do lustroso palacete legislativo. Coisas de ditadura, parece-me. Isto sim, merece uma “baita” moção de repúdio popular!
    Pois, é…!
    Sr. Presidente e demais edis, milhares de homens e mulheres da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina aguardam o merecido pedido público de perdão.
    Fiquem certos que aqui estaremos a lembrar-lhes desta DÍVIDA para com a instituição policial militar e com o povo de Santa Catarina.
    Demorou, mas antes tarde do que nunca.

Envie seu Comentário