Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Não é o momento

07 de dezembro de 2014 11

O deputado catarinense Rogério Peninha Mendonça (PMDB) quer porque quer revogar o Estatuto do Desarmamento. Tudo bem, há argumentações de sobra para quem é a favor e quem é contra. A dúvida é: diminuiria ou aumentaria a violência?

O momento está mais para o reforço das polícias, aprimoramento da legislação penal e o fim da impunidade.

Comentários (11)

  • Anderson diz: 7 de dezembro de 2014

    O engraçado é q eh uma resposta que já deveria existir, pois ja vivemos o antes e o depois do estatuto.

  • carlos r diz: 8 de dezembro de 2014

    Vai reduzir sim a violência. Bandido não compra arma no comércio legal nem faz registro na delegacia.

    Quantos bandidos participaram da campanha do desarmamento? Zero.

  • Gerson Luiz diz: 8 de dezembro de 2014

    Acho que esse deputado queria revogar o Estatuto do Desarmamento só para garantir a sua reeleição.
    Quanto às armas é óbvio que se forem liberadas como ele quer isso só vai aumentar a violência, pois certamente vai aumentar ainda mais o número de mortes por motivo fútil e que já acontecem mesmo com o Estatuto em vigor. Brigas entre marido e mulher, entre vizinhos e no trânsito seriam resolvidas à bala com maior frequência porque o sujeito teria uma arma à mão. Isso sem contar que seria um chamariz a mais para os bandidos assaltarem as casas e as pessoas. Há algumas semanas uma residência foi assaltada em Blumenau com arma de brinquedo e além dos pertences da família os assaltantes levaram as armas “de verdade” que tinham na casa também. Adiantou ter uma arma nesse caso?
    E quanto ao fato da maioria da população ser contra o Estatuto do Desarmamento isso não significa nada, pois Jesus Cristo também foi condenado por uma maioria burra.
    O que estão querendo é transferir a responsabilidade da Segurança que é do Estado diretamente para o cidadão comum e isso é muito temerário.

  • Ermenegildo diz: 8 de dezembro de 2014

    É quando será a hora ??? Acho sim que essa revogação já deveria ter acontecido a muito tempo, ou nem ter acontecido o desarmamento. Policiamento não existe, contingente que proporcione uma efetiva proteção, menos ainda. Policiais despreparados e com MEDO de bandidos, isso tem. Basta serem acionados para alguma ocorrência. Vejam quanto tempo eles demoram para chegar no local, isso quando chegam…a população tem que se armar sim….e bala neles….principalmente nesses bandidos mirins…

  • Raio X diz: 8 de dezembro de 2014

    Ok, qual a providencia efetiva tomada pelos nossos governantes para garantir a nossa seguranca?. Segundo levantamentos dos seus colegas o numero de policiais em atividade hoje sao praticamente a mesma quantidade da existente na decada de 80. E agora o numero do povo aumentou em quanto neste periodo?. Pior: o bandido sabe que estamos desarmados e eles deitam e rolam…. Alguem poderia nos tranquilizar???

  • Luciano de BLUMENAU diz: 8 de dezembro de 2014

    Se é uma coisa que me enche o saco é o pessoal do contra dizendo….MAS SE FOR APROVADO AS PESSOAS PODEM SE MATAR POR QUALQUER BRIGA !! Claro que isso pode acontecer, mas além da liberação da compra e posse de armas pela população, também exigimos que a lei seja mais dura ! Cometeu crime com sua arma (Não sendo defesa) ? CADEIA PESADA PARA O CIDADÃO !

  • Paulo diz: 8 de dezembro de 2014

    Engraçado que até hoje ninguém teve a coragem de dizer que a criminalidade reduziu graças à campanha do desarmamento.
    Justamente porque não houve nenhuma redução. Assim como nunca tiveram razões plausíveis para fazer o estatuto do desarmamento. Bandido não compra arma no comercio!!!
    Mas os cidadãos de bem e os agentes da PF (agora responsáveis pelo SINARM pagam por essa conta)
    Antes era feito pelo exército, funcionava e não custava nada a mais por isso. Antes tivessem admitido a incompetencia de não saber lidar com a criminalidade.

  • Ronald diz: 8 de dezembro de 2014

    Demagogia. No nosso feudo chamado Brazil, a nobreza está preocupada exclusivamente com seu umbigo. É só lembrarmos o que foi dito na campanha e notarmos que o pós eleição é um tanto diferente. Enquanto a sociedade não mudar, o cenário será este.

  • Luciano de BLUMENAU diz: 9 de dezembro de 2014

    Gerson !
    Concordo com você que muitas casas foram assaltadas e tiveram as armas roubadas !
    Também concordo quando dizem que acidentes em casa com crianças podem acontecer !

    Isso ocorre sabe porque ?
    Porque o proprietário é um jumento em não saber guardar da forma correta e também não teve treinamento ! E isso queremos que seja exigido caso a pessoa queira adquirir um arma ! Incluindo uma lei mais severa (apesar de eu achar que isso vai ser dificil, sendo que nem pra bandido a lei não é cumprida).
    haaaaa Luciano mas dae se tiver arma tem que guardar ela sem estar municiada !!
    Claro com certeza…..dae quando o bandido aparecer vocês deverão dizer para o bandido SENHOR BANDIDO, O SENHOR PODE ME DÁ UM TEMPINHO PARA EU CARREGAR MINHA PISTOLA ?

    Como podem ver, é um assunto bem complicado de se discutir !
    Se não quiser ter arma respeitamos, agora quem quiser, que faça do jeito certo e seja instruido para tal. COmeteu crime com sua arma ? XIlindró pesado para o cidadão ! Não guardou da forma correta e aconteceu algum acidente domestico ? que seja punido também !! Só não acho justo que pessoas capacitadas para tal, sejam prejudicadas em não poder adquirir seu meio de defesa !

  • Álvaro José Mondini diz: 9 de dezembro de 2014

    Muito embora tenha sempre defendido o desarmamento, nos últimos tempos, temos verificado, pelas noticiais policiais, que os homicídios continuam em alta, só que não mais com armas de fogo, mas com armas branca(facas). Consultem a coluna policial do nosso Santa dos úlmos dias!

  • Homero Buzzi diz: 9 de dezembro de 2014

    Até hoje já foram aprovados no Congresso seis projetos alterando o Estatuto do Desarmamento, em vigor desde 2003 com critérios mais rigorosos para registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo e munição. Uma dessas modificações, com a aprovação da Lei 11.501/07, ampliou o porte de arma para mais de 20 mil profissionais como auditores fiscais e analistas tributários da Receita Federal. Mais 73 projetos com alterações no estatuto tramitam no Congresso e 40% deles visam ampliar o porte para fiscais de trânsito e advogados. Hoje, muitos que não entregam suas armas ficam em situação irregular, por dificuldades de renovar o registro na PF. O exame de acuidade visual é requisito ao registro d’armas e reduz a burocracia pra renovação, assim como a comprovação de capacidade técnica e de aptidão psicológica para ter arma de fogo. Restringir o acesso legal a armas de fogo não reduz a violência e o caminho não é o desarmamento. A leve queda na taxa de mortalidade por armas de fogo nos últimos anos deve-se às políticas públicas em São Paulo e Rio de Janeiro, refletidas nos dados nacionais. Nações altamente armadas têm baixos números de homicídios, como a Suíça e a Finlândia, onde o acesso às armas é fácil e o número de homicídios é ínfimo se comparado ao do Brasil. Inglaterra, Austrália e Canadá, que endureceram as regras de acesso a armas, registraram aumento nos índices de invasão a residências e latrocínios. O caso norte-americano mesmo é bom exemplo, porque no país há cerca de 300 milhões de armas nas mãos da população e a taxa de homicídio chega a ser cinco vezes menor que a brasileira. Aqui a impunidade e a idéia que o crime compensa estimulam bandidos. Seria bom fiscalização intensa das fronteiras para evitar a entrada de armamentos e munições ilegais no país, mas 78% das armas de bandidos são nacionais. O que falta é policiamento, fiscalização e dureza nas leis. O PT – formado por ex-guerrilheiros, claro que deseja a população totalmente desarmada e com a Polícia batendo pra valer na população em geral. Óbvious. É necessário educação de qualidade, criação de mais empregos, endurecer e respeitar as Leis. Norte-americanos garantem que três mil marines tomariam o Brasil em três horas e meia. Mas os gringos nem querem mais problemas dos que aqueles que já tem. E por lá, em muitos condados, os xerifes-delegados são eleitos. Aqui usa-se esquadrões da morte e/ou milicianos. Até nisto somos uma sociedade hipócrita. Espera-se que as mudanças na Lei não sejam um TIRO NO PÉ, porque há projeto que obriga o cidadão a refazer anualmente todos os testes pra renovar porte. Quem ganhará serão os despachantes e clubes de tiro. Precisa-se Educação de qualidade, muito, mas muito Trabalho, e Boa Renda, pra acabar com boa parte da violência. A questão é cheia de sofismas. Mas…Na dúvida, ‘atire’ primeiro. Bang!

Envie seu Comentário