Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Do avesso

01 de março de 2015 1

Relembrando o fato recente: em Cubatão, semana passada, um casal acompanhado de seu filho de oito anos, ao chegar em casa de carro, sofreu tentativa de assalto à mão armada. Dois bandidos, um deles chegou atirando. O cidadão, colecionador de armas e frequentador de um clube de tiro, reagiu, baleou um dos criminosos, foi ferido – na perna e na cabeça – mas salvou sua vida, da mulher e do filho. E aí, por não ter o porte da arma com que se defendeu, foi preso junto com a esposa. Ela foi trancada junto com outras detentas.

É a lei. As autoridades recomendam não reagir a assaltos, a possibilidade de ser morto é enorme, bandidos não temem a lei nem respeitam a vida, atiram até em bebê no colo de mãe assaltada porque o choro lhes incomoda. Tudo bem, é de bom senso não reagir. Mas quando a vítima reage e o bandido é que leva chumbo, como foi o caso de Cubatão?

Se é de bom senso não reagir, muito mais o é atender e dar assistência ao cidadão ferido pelos bandidos, e à sua mulher e filho traumatizados. Ah, mas a lei manda prender, não tinha porte daquela arma. Neste país em que leis pegam ou não, ela é sempre rigorosa com o cidadão indefeso perante a bandidagem e às leis, que se dane o bom senso. Tornamo-nos uma sociedade desarmada à mercê de bandidos desalmados, e tudo bem?

O fato de Cubatão deixa um gosto amargo na garganta, uma sensação de desamparo que chega a doer fisicamente. O desamparo é real. Tão real que houve uma greve no transporte urbano de Blumenau causando o sofrimento de sempre, por causa da atuação de baderneiros nos terminais urbanos.
Quando gangues juvenis – os intocáveis – alteram a vida de uma cidade e quando o cidadão que defende sua vida e de sua família vai em cana, resta uma certeza: está tudo errado.
As leis, as leis…

 

Comentários (1)

  • Rogério Dias’ diz: 3 de março de 2015

    Simples Valther, nosso país como você pode notar através de muitas manifestações e violência de todo tipo está longe de ser um país pacífico. Nosso país vive pequenas guerras diariamente, nosso país como você bem sabe têm uma quantidade enorme de bandidos e só a população carcerária já beira os recordes.
    A população revoltada como anda nos últimos tempos, agora some tudo isso a população “armada”…….Fica fácil imaginar o trabalho que o governo teria……..Além do mais o dinheiro do governo vem das massas e é justamente essa massa que precisa ficar no cabresto.

Envie seu Comentário