Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sugestão

25 de abril de 2015 8

O imenso estrago de um tornado em Xanxerê deixa claro mais uma vez que o país carece de um fundo emergencial para encarar desastres naturais, que não são poucos. Algo que poupasse os atingidos da burocracia que torna o socorro demorado e, de quebra, o “tragédiatur”, aqueles sobrevoos de autoridades que nada acrescentam, a não ser a despesa.

Comentários (8)

  • Ronald diz: 26 de abril de 2015

    Só que isto não irá acontecer, pois alguém precisa aparecer. E o público espera por isto. É quase como uma novela. E também se não tiver visibilidade, como fica o jogo do poder? É só observamos as coisas aqui no vale do Itajai, os desmoronamentos, o histórico de enchentes, etc. Bastou ficar um tempo sem um evento, que parece que nunca aconteceu. É o próprio caso do tornado. É fenômeno normal naquela região. Enfim, é complexo. Não basta um fundo, precisa de um projeto sério e de pessoas sérias. E precisa principalmente de educação, ética e consciência.

  • Michel diz: 26 de abril de 2015

    A questão reside no fato de que jogar pedras ou criticar o governo federal é fácil e todo mundo o faz como se isso resolvesse todos os problemas.
    Encarar os descasos locais e dar nome aos bois, já é outra conversa !

  • Cledson José dos Santos diz: 26 de abril de 2015

    Acredito que as autoridades do estado maior deveria parar de roubar o dinheiro público e preparar abrigos seguros para abrigar parte da população mais sensível como crianças e idosos e preparar a população para esses desastres que irão ocorrer com muito mais frequência daqui em diante ,o planeta está em colapso ,social, econômico , ecológico e um futuro de vários catacismos está na nossa porta .
    QUe o criador do universo guarde as almas boas desse mundo .

  • Carlos Alberto diz: 26 de abril de 2015

    Infelizmente não temos políticos preocupados com a população, pelo contrário, pensam apenas em como encherem seus bolsos, e quais as vantagens que terão com o dinheiro de nossos impostos.
    Não é só as catástrofes que atingem nosso estado, é a saúde, educação, que o ajuste fiscal cortou recursos, mas o Fundo partidário triplicou. Uma vergonha.

  • Ermenegildo diz: 27 de abril de 2015

    Muita falacia e pouca ação. Sigam o exemplo do Japão, que em seis meses já estava reconstruído. So que la tem uma diferença…não tem ladrão ou se tem matam…e e pais de primeiro mundo. Aqui e de quinto. E pior….com uma quadrilha governando.

  • IEDA diz: 27 de abril de 2015

    0 GRANDE PROBLEMA DESSE PAÍS É A SONEGAÇÃO(R$500 bilhóes em 2014), QUE CHEGA A SER 6 VEZES MAIOR QUE TODA A CORRUPÇÃO. QUEM DEVERIA PAGAR IMPOSTOS SIMPLESMENTE NÃO PAGA, DAÍ TODA A CARGA TRIBUTÁRIA RECAI SOBRE OS MAIS FRÁGEIS.MAS ESSE ASSUNTO PARECE NÃO SER DE MUITO INTERESSE DA IMPRENSA ,SERÁ PORQUE ,HEIN ?

  • inken pfuetzenreiter diz: 28 de abril de 2015

    “Existe um ditado em castelhano que se refere à “gata Flora”. Na realidade não vou escrevê-lo por respeito ao leitor. Acontece que tem colunista que me lembra muito esse ditado. Vejam, por exemplo, na coluna de Valther Ostermann, a nota que se intitula “Sugestão”, faz com que eu tenha que perguntar: afinal, o que é certo?? Se não vão olhar, é porque não se importaram. Se vão, estão fazendo “tragédiatur”. Durma-se com um barulho desses, sr. Valther. Ou será que é somente pelo prazer de criticar?”
    Mandei para a seção “Leitor”, mas, logicamente não foi publicado. Afinal, trata-se de um jornal “de direita”.

  • Cidadão Comum diz: 28 de abril de 2015

    Infelizmente a esquerda que aí está no poder e a promover todo esse estrago no país conseguiu fazer com que grande parte parte do povo perdesse a noção do que é correto e com isso atualmente ele até confunde retorno de arrecadação com “favores” ou “esmolas” (politicagem).
    No fundo parece que o povo gosta mesmo é de viver de esmolas e de politicagem barata !

Envie seu Comentário