Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Para pensar

26 de fevereiro de 2016 5

Itajaí discute redução do número de vereadores, Balneário Camboriú pode estar indo na mesma toada. Recado claríssimo da população que não mais se sente representada e um bom tema para reflexão dos políticos.
Só tem o seguinte: reduzir cadeiras sem reduzir o repasse (duodécimo) não reduz a despesa.

Comentários (5)

  • Rafael diz: 26 de fevereiro de 2016

    Valther, resido em uma pequena cidade do vale e posso lhe afirmar (pois muitas vezes assisti as sessões da câmara) a completa falta de necessidade de vereadores, pois os temas discutidos eram quase em sua totalidade coisas do tipo: cargas de barro, trocas de lâmpadas na rua X, tubos na rua Y, ações essas que podem e devem ser realizados pelas secretarias do município. As despesas com tais cargos poderiam ser aplicadas em serviços essenciais, tais como creches e escolas bem como na saúde. Para quem acha que sem vereadores o prefeito “faria o que bem entende” a Lei da Responsabilidade Fiscal (LRF) em vigor não permite que os investimentos sejam realizados de acordo com sua preferência, mas sim de acordo com índices definidos.

  • Ronald diz: 26 de fevereiro de 2016

    É que de repente o pessoal está no limite da paciência, com razão, e resolveu cobrar mudanças. Umas delas seria a redução do número destes funcionários que, convenhamos, não geram os resultados que a sociedade tanto clama. Mas concordo que não é suficiente apenas tirar as pessoas. A legislação e a dinâmica das coisas devem ir na mesma direção. Quem sabe uma administração profissional da coisa pública, onde o politico teria apenas uma função de fiscalização – não mais de projeto e execução? Até porque, hummm, temos exemplos bem perto que a coisa não funciona!

  • Michel diz: 27 de fevereiro de 2016

    Quando o povo de Itajaí embarcou nessa canoa furada de aumentar o número de vereadores, fiquei pensando até onde a maquiagem dos números do governo e o cenário mentiroso criado a respeito dos royalties do petróleo iriam sustentar tanta farra, e diga-se de passagem com o apoio da imprensa. Sim, apoio ou será que todo mundo na imprensa é analfabeto em tudo é até mesmo em economia e bom senso ?
    Felizmente em Blumenau existe a Sra. Alcione Kleine, uma dona-de-casa que resolveu sair às ruas e com o auxílio de apenas 0,28 % da população conseguiu acabar com a descabida proposta de aumento do número de vereadores em nossa cidade.
    Alguém pode perguntar por que 0,28% e onde estava a quase totalidade dos outros munícipes ?
    Respondo: – 0,28% era o percentual da população que se fez presente no teatro Carlos Gomes naquela noite e que literalmente deu o seu recado enquanto o resto e em casa apenas assistia tv com a palermice de sempre, fazendo de conta que nada daquilo lhe dizia respeito !

  • Michel diz: 27 de fevereiro de 2016

    E por falar em canoa furada, quem disse que quem é do mar não enjoa ?

  • Conrado diz: 29 de fevereiro de 2016

    Olá Valther !
    Se eu der a minha opinião vou dizer coisas que poderei me comprometer pois sei que quem fala a verdade é que acaba sendo punido.
    Só vou deixar registrado :
    A política hoje me causa N O J O

Envie seu Comentário