Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "1"

Sobrenatural da Silva

12 de setembro de 2014 0

Em minha coluna de hoje, sob o título de FLORES NO PARQUE saiu um texto de nota antiga, nada a ver. Alguma coisa ensurubou nas entranhas da tecnologia, sei lá, mas os leitores que me honram com a visita diária no SANTA devem estar pensando que endoidei, delirei ou senilizei.

Para que não pensem assim, aqui vai o texto correto, que também retificarei amanhã na coluna:

Flores no parque

 Tem um pessoal que gosta de Blumenau se movimentando para plantar flores em todo Parque Ramiro Ruediger, e abertos a adesões de quem queria deixar aquele local todo florido na abertura da primavera que está batendo na porta.

O único receio deles é com o vandalismo, tão em voga, que pode estragar o esforço. Mesmo assim farão, contando com a sorte.

 

 

Mina de ouro

25 de abril de 2013 0

Esta é daquelas músicas que eu gostaria de ter sido o autor, por motivos egoisticamente financeiros.  Viveria dela, numa boa, para sempre, pois é sucesso que se repete indefinidamente nos EUA e Europa.

Gravada em 1963, para seu primeiro álbum, “Samba Esquema Novo”, a canção é o primeiro grande sucesso de Jorge Ben (seu nome artístico na época), “Mas Que Nada” também é uma das canções brasileiras mais conhecidas no exterior, particularmente nos Estados Unidos da América, quando foi gravada pelo pianista e compositor brasileiro Sérgio Mendes. O balanço inovador dos arranjos fez da canção um grande sucesso no Brasil.

“Mas Que Nada” não é uma canção que se enquadre na bossa nova tampouco no samba tradicional. Não por acaso, ela demorou para ser aceita pelo meio musical brasileiro, sendo gravada primeiramente pelo grupo Tamba Trio, em 1963. O sucesso da canção nos Estados Unidos viria após uma excursão de três meses naquele país, no qual Jorge Ben se apresentou em universidades e clubes, em 1965. No ano seguinte, Sérgio Mendes lançou uma versão da canção, em seu álbum “Herb Alpert Presents Sérgio Mendes & Brazil ’66 “. Foi aí que se tornou grande sucesso nas paradas norte-americanas, alcançando a posição número quatro na parada “Adult Contemporary” e 47 na parada “Pop Singles” – ambas da Billboard. A importância da versão de Sérgio Mendes é traduzida por inúmeras versões feitas por artistas como Ella Fitzgerald, Al Jarreau, Trini Lopez e José Feliciano.

Em 2006, “Mas Que Nada” foi remixada e regravada pelo grupo Black Eyed Peas com o próprio Sérgio Mendes, chegando a posição de número 13 na parada “Hot Dance Music/Club Play” da Billboard.

Troca-troca

31 de março de 2013 2

Valdemar, um dos últimos profissionais da graxa em Blumenau, é cheio de estilo. Às vezes cobra em serviço seu serviço. É o caso: engraxou os pisantes do saxofonista Lino em troca de uma audição particular.

Não é um charme?

(Foto: Valter Ros de Souza)

E nós?

28 de fevereiro de 2013 1

Floripa saiu na frente, está instalando lombadas eletrônicas na Avenida Beira-Mar. O equipamento outrora tão xingado agora é uma exigência da sociedade, que não aguenta tanto abuso de velocidade na área urbana. Enquanto isto, aqui em Blumenau, amargamos a longa espera. E, pelo amor de Deus, só não vê os abusos quem fecha os olhos. Ou nunca passou pela Rua 7, entre outras, nas horas mortas.

Permitam-me

28 de janeiro de 2013 2

A capa do Santa do último fim de semana, com  montagem fotográfica mostrando duas realidades separadas por 43 anos, é coisa para se guardar.

Criatividade de fazer gosto.

Só dói quando me lembro

28 de janeiro de 2013 0

Isto é algo que sempre intrigou a mim também: quando o Judiciário condena um órgão do governo a pagar multa, o pagamento é feito com dinheiro público.

Em outras palavras, vira, bate, mexe e sempre acaba no nosso.

Nosso lombo.

Um pila, dois pilas

07 de dezembro de 2012 1

Cláudio Wagner mandou estas duas cédulas de dinheiro antigas, tão antigas quanto eu, pois me lembro do tempo em que circulavam. Valiam quase nada, mas facilitavam o troco. Estas, do Cláudio, pertenciam a seu tio Ricardo, irmão de seu pai, e contém as assinaturas de Juscelino Kubistchek e Nereu Ramos. Os autógrafos teriam sido obtidos em Lages, em 1955.  Uma raridade, pois.

E para a moçada que nunca viu, vale como curiosidade. Nota de “um pila” e “dois pilas”, como eram conhecidas. Frente e verso.



Trinta dias

03 de dezembro de 2012 0

Num mês acontece uma vida. Na minha ausência (em férias) houve aquele horror de ônibus incendiado, o prefeito eleito compôs seu colegiado, a magia de Natal já encanta lá na Vila Germânica, o Supremo condenou, sentenciou e dosimetrou figurões, o Lula está dando mil explicações para dona Marisa, nenhuma convincente.

Muita coisa aconteceu, menos o que nunca acontece. A duplicação da BR-470, por exemplo.

Férias...

10 de novembro de 2012 0

… até começo de dezembro.

Eleição

29 de outubro de 2012 6

Pronto, está feito, há um novo prefeito eleito, assume dia primeiro de janeiro.

Guardei a edição de ontem, do Santa, com o rol de promessas para cobrar até 2016. Presumo que vocês também. É nossa parte no processo democrático, obrigação para garantir nossos direitos.

Se nada for cobrado, prefeito e vereadores ficam desobrigados.

E nós, desamparados.