Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Drogas"

Maconha

11 de janeiro de 2016 3

Leitor indignado relata que “onde quer que eu vá, em Blumenau, me deparo com pessoas (ele usou outro termo, menos respeitoso) fumando maconha. Ora, é droga, é proibida, como podem consumir abertamente e de maneira arrogante?”.
É fato o que o leitor relata, o consumo é desinibido, não tem hora. Aqui e em qualquer outra cidade para onde se vá.

Maconha tem sido muito discutida, há uma razoável corrente pela sua liberação, há outra que não. Maconha faz mal, dizem uns, bacon também faz e ninguém proíbe, dizem outros. Maconha é natural, então não é droga, diz alguém entre uma puxada e outra, logo contestado por quem defende a tese de que ela é a porta de entrada para drogas mais pesadas.

Goste-se ou não, a tendência é pela legalização. O Uruguai é o pioneiro, e do que rolar por lá servirá como subsídio para decisões dos vizinhos. Ninguém garante que liberar resolve, mas todos sabem que proibir não inibe o consumo e, de quebra, faz a fortuna dos traficantes. Há argumentos consistentes nos dois lados da contenda, e há a realidade incontestável: ninguém sequer se aproximou de uma solução para o problema das drogas pelo singelo fato de que a humanidade adora se drogar. Vide tabaco, vide álcool.
Na opinião desse escriba, não há solução e nunca haverá.

Avalistas

27 de setembro de 2015 2

Em várias ocasiões, na coluna do Jornal de Santa Catarina e no Jornal do Almoço da RBS TV Blumenau, que eu manifesto minha versão: quem financia as drogas e toda violência que vem junto são os consumidores. Isto é um óbvio que grita, e mesmo assim sou contestado por quem supõe que a lei não permite tal afirmação. São irritantes, além de mal informados.
Claro que há consumidores e consumidores. Os dependentes necessitam de ajuda, droga é areia movediça, vai engolindo a pessoa, destrói vidas que só são resgatadas com a ajuda de mãos amigas.
Mas há o consumidor “esportivo”, consome “socialmente”, em festas sofisticadas ou raves, aquele que repõe seu estoque particular nas bocas ou através de seu fornecedor pessoal.

Pois bem, está no ar a campanha do governo de Santa Catarina alertando sobre o uso de drogas e os impactos negativos à sociedade e saúde pública.
Numa das peças publicitárias a campanha faz a mesma abordagem, o consumidor é quem garante a estrutura do tráfico e da violência decorrente. E afirma que o consumidor sabe disso. Claro que sabe. Recomendo prestar atenção e ignorar os que alegam que todo e qualquer consumidor é doentinho e só merece afagos.
Nem todo.

Droga de vida

23 de outubro de 2013 15

Em minhas andanças pelos bairros de Blumenau através do projeto JA nos Bairros (RBS-TV), e já foram sete, percebo que um problema recorrente é o das drogas. A coisa já chegou ao estágio de angústia coletiva. Muros são erguidos, praças são abandonadas, luminárias são destruídas para abrigo do consumo, há medo de sair às ruas nas horas noturnas pela possibilidade de encontro com desesperados por uma dose, dispostos a tudo para conseguir.

De uma professora ouvi o relato aflitivo:
- Antes de liberarmos as crianças para o recreio, vistoriamos os arredores para recolher agulhas; conferimos os brinquedos, pois já encontramos pedaços de vidro nos escorregadores.

A sociedade acuada não vê como mudar esta situação insuportável, teme o poder dos traficantes e o comportamento dos consumidores. Quando crianças têm que ser protegidas por cuidados extremos, quando contribuintes têm que se aprisionar em casas com grades nas janelas, alguma coisa está muito errada. E a vida está uma droga.

 

Recreativos?

03 de setembro de 2013 0

Olha isto: segundo estatísticas oficiais, oito em cada dez compradores de drogas são usuários eventuais ou recreativos, cada vez mais jovens, meninos e meninas entre 11 e 12 anos que começam a experimentar. Os demais são dependentes químicos, inimputáveis e passíveis de tratamento.

Quer dizer então que oitenta por cento que apenas “curtem” se drogar financiam toda esta cadeia de desgraças e violência. E há quem diga que esta é uma tese tola; eu digo que não é uma tese, é a realidade.

Crime financiado

25 de maio de 2013 7

Vou ser repetitivo: o envolvimento com as drogas é responsável por 80% dos crimes violentos no país, e o consumo de drogas é responsável por 100% do financiamento de toda esta violência. Separem-se os absolutamente dependentes dos que se drogam “por esporte”, por imitação ou por afirmação, e teremos uma legião de financiadores que sabem o mal que fazem, mas estão nem aí.

Os intocáveis

28 de abril de 2012 0

Peritos descobriram, em Indaial, uma droga inédita no Brasil. Mais uma para o controle da polícia. Dos consumidores, responsáveis diretos pelo tráfico, nada se diz ou pode dizer, já que drogar-se não é crime.

Mas são eles que financiam tudo, inclusive a pesquisa por novas drogas.

Assim fica difícil

26 de abril de 2012 6

A origem de toda a violência desenfreada de nossos dias é o narcotráfico, quem não sabe disto? E da leniência das leis.

Vai ser difícil sair desta, querem ver?

Lá vai: a 1ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu que um morador de rua tem o direito de circular a qualquer momento na cracolândia (região central de SP) sem ser abordado pela PM.

Ora, vida fácil para os consumidores, que sustentam o tráfico e toda violência que se sabe, não permite  ter nem esperança de luz no final do túnel.

Quanto às leis, bom… aí precisaríamos de legisladores sintonizados com as angústias da sociedade. Mas são tão poucos…

A gente quer ser otimista, mas dá?


Os financiadores

20 de março de 2012 5

Sinto pena das crianças dependentes do crack, sem presente e sem futuro. Mas desprezo até a última gota os bacaninhas de carrões importados que sobem o morro para comprar cocaína e maconha. As crianças são vítimas do tráfico, os filhinhos de papai são os financiadores do tráfico. Suas festinhas de embalo embalam o comércio da morte. Dá nojo.

Na última segunda-feira policiais militares flagraram fila de carros (carrões) no alto do Morro do 25, em Floripa. Caminhonetes importadas, inclusive. Movimentação de compradores de drogas, segundo a PM.


Agronegócio

15 de março de 2012 0

O comércio de drogas, por contar com um enorme público consumidor, é muito lucrativo. Prova disto é que até quem tem raiva do trabalho vira agricultor e planta maconha em casa.