Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Ecologia"

Mas não, hein?

02 de setembro de 2014 0

00a4ac4f

 

Foto: Jean Romano Mondini/ Divulgação

“Ah, uma bagana não vai sujar o mundo”, dizem alguns fumantes referindo-se às que espalham pelas ruas da cidade. Tem
lógica, uma não, mas milhares sim. Assim como uma única embalagem jogada ao chão não sujará o mundo, mas milhares…

Explosão demográfica

29 de agosto de 2014 3

00a48b01

Foto: Jandyr Nascimento/ Agência RBS

O Parque Ramiro Ruediger, em Blumenau, tem novos habitantes. Oito, para ser exato. Mãe e filhos passam bem. Roga-se aos frequentadores que os protejam e tratem com carinho. Afinal, eles estão lá para enfeitar o parque.

Quando setembro vier

27 de agosto de 2014 1

00a46ff9

Foto: Associação empresarial de Bombinhas/ Divulgação

No terceiro sábado do mês que vem o poder público e entidades civis de Bombinhas estarão novamente promovendo a limpeza da praia. Será a 7ª edição e todos estão convidados para contribuir com o evento que comemora a passagem do Dia Mundial de Limpeza de Praias.

Poderia ser em todos os meses. Todos os dias.

Mancha negra

21 de agosto de 2014 0

00a437b0

Foto: Elizabeth Kammer/ Especial

Dia de chuva, águas do Ribeirão da Velha barrentas, o que destoa é o líquido escuro que sai do tubo maior que ali escorre.

Por estas é que as cidades necessitam de todo o esgoto tratado. E um pouquinho mais de consciência ambiental das pessoas.

Vida moderna

21 de março de 2014 1

Até os pássaros têm que se adaptar às necessidades da vida urbana. Nesta barafunda de fio e cabos há, percebam, um condomínio de joões-de-barro.

Entrar e sair exige paciência e perícia, mas eles não reclamam. Fossem humanos, já teriam depredado a Celesc.

valther_joaodebarro

Descarte indevido

04 de fevereiro de 2014 6

Se fosse apenas um borrão estético e malcheiroso a gente dava um jeito, mas estas manchas de gordura na Rua Curt Hering, Centro de Blumenau, denunciam o despejo habitual de óleo no bueiro, contribuindo para sujar o rio e poluir a natureza. Não é o único na cidade. Dessa forma não há Foz que dê jeito.

Foto: F.C. Allende/ Especial

 

Pela vida

08 de fevereiro de 2013 1

Quarta-feira passada o pessoal da  Associação Catarinense de Preservação da Natureza (Acaprena) e da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Faema) de Blumenau terminaram os procedimentos de enxertia na tentativa de recuperar o Pau-Brasil que foi agredido por algum filho da mãe num processo chamado de anelamento. O ato criminoso consiste em retirar parte da casca da árvore com intenção de causar seu enfraquecimento e posterior morte. A árvore localiza-se na calçada da Avenida Brasil, em frente ao no. 340, no Bairro Ponta Aguda.

O curativo aplicado (enxertia) foi assim: pedaços de casca do tronco de outras partes saudáveis da árvore foram cuidadosamente retirados e encaixados na parte anelada, de maneira que ficassem bem justos. Após, amarrou-se a casca no local e passou-se fungicida na parte que cedeu a casca para o procedimento.

Os diretores da Acaprena já haviam tentado a técnica com árvores frutíferas de menor porte, obtendo êxito no processo.

Espera-se que a parte enxertada consiga ligar as duas extremidades do anel formado, de maneira que a seiva elaborada volte a circular, e que com o tempo a planta recomponha todo o anel de tecido que fora retirado.

(Fonte: Leocarlos Sieves)

(Fotos: Leocarlos Sieves)


Nosso flamboyant

19 de dezembro de 2012 1

“Olá,Valther.

Estou no Porto, em Portugal, e fiquei super feliz ao ver a foto do nosso flamboyant florido, na rua XV de Novembro , defronte  à  3ª Gerência Regional da Fazenda Estadual de Blumenau. Coloco “nosso” por ser de todos nós,  blumenauenses/residentes, e mais particularmente por ter ajudado a preservar o mesmo, de 2003 a 2010 quando estive como Gerente Regional da Fazenda Estadual de Blumenau e a copa do flamboyant ficava bem em frente da sala do gerente.

Na ocasião, além de não cortá-lo fizemos a sua manutenção. Alguns proprietários de imóveis cortaram as árvores plantadas em frente a seus imóveis/estabelecimentos sem dó e nem piedade com o planeta. Após a reurbanização da XV de Novembro queriam que seus imóveis, lojas ou vitrines ficassem vistosas ou para não terem nenhum trabalho com as folhas que caem na calçada ou calhas, dando um certo trabalho na manutenção. Trabalho este que compensa com a sombra, com o colorido, com os pássaros e insetos que ali passam e se alimentam da mesma, com o oxigênio gerado na fotossíntese, etc.

Um Grande Abraço.

Tair Duarte da Silva,  Auditor Fiscal da Receita Estadual”

Caldo

30 de agosto de 2012 1

O leitor Luiz Colombi, vizinho do Ribeirão da Velha, não se conforma com a negritude daquelas águas. Terça-feira passada registrou o fato, perto da ponte da Rua Paraíba.

– É lastimável, diz Colombi.

 

Águas negras.

(Foto: Luiz Colombi/Especial)

 

Bonito de se ver

23 de agosto de 2012 1

Dá gosto passear pelas cidades do Médio Vale, nesta época. A floração dos ipês é um espetáculo. Pena que dure pouco. É a eterna beleza efêmera.


É um show!

(Foto: Artur Moser/JSC)