Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Gastronomia"

Antes e depois

06 de outubro de 2015 3

A série “Blumenau sem Oktober” que o Jornal do Almoço de Blumenau produziu e exibiu resgatou a importância desse fenômeno chamado Oktoberfest. Fenômeno porque começou despretensiosa, festa de família que virou um evento de proporções internacionais, incrementou o turismo, inventou a Vila Germânica, as cervejarias artesanais, resgatou valores culturais e irradiou-se em outras festas no Vale. Mesmo para os que reclamam da interferência da festa na rotina da cidade – 19 dias por ano – a realidade é incontestável: sem ela Blumenau seria apenas mais uma boa cidade catarinense. Com ela é uma estrela.

Pão, pães

15 de junho de 2012 2

A respeito de minha incapacidade de distinguir o gosto de um e de outro, eis que recebo de um amigo que é do ramo e tem credibilidade o esclarecimento necessário: os pães de batata e aipim contêm batata e aipim na composição. Purê de batata e fécula de mandioca, respectivamente. Admite, porém, ser necessário um paladar apurado para distinguir um de outro.

Considerando que o produto final sempre é saboroso, me dou por satisfeito.

Acho estranho...

14 de junho de 2012 5

Meu paladar não deve ser dos melhores. Sabe distinguir, até no escuro, o sabor batatas e aipins cozidos, menos quando são acrescentados aos pães. Pão de batata e pão de aipim tem exatamente o mesmo gosto, para mim. Até no claro. Considerando que deveriam ter sabores específicos, concluo que o responsável é o meu paladar.

Certamente só acontece comigo.

Ou não?

Aipim ou batata, tanto faz...

(Foto: Valther Ostermann)


Que país é este?

14 de janeiro de 2012 4

O blumenauense Evandro Scussel há dois anos mora em Madri e percorre a Europa pilotando sua moto BMW 1200 cc.

Mandou-me esta foto.

Nem ousei perguntar o país.


Rollmops

20 de outubro de 2011 15

Não é de hoje que luto para resgatar a iguaria alemã que, parece, está quase esquecida em Blumenau. Não é, como pode parecer, por ser louco pelo dito cujo, e sim pelo desprezo imerecido. Tudo bem que o Rollmops é para quem aprecia sabores fortes, mas, convenhamos,  ele faz parte da cultura gastronômica dos colonizadores do Vale.  Frequentava balcões de bares e botecos, era companhia de papos regados à cerveja com uma cachacinha rebatedora. E, como dizem seus agora poucos defensores, “tem ômega 3, as vantagens da cebola e da sardinha para a saúde, e afina o sangue”.

E de repente, sem ter nem porquê, ele some da praça. Da praça de Blumenau, porque em Balneário Camboriú e Joinville é produzido em escala empresarial.

Vou radicalizar: ou resgatamos o Rollmops ou paramos com este papo de que Blumenau é uma das cidades mais alemãs do Brasil.



Rollmops com cebola produzido no Brasil na região de Joinville, em Santa Catarina


(Foto: Divulgação)

Para ter em casa

08 de julho de 2011 0

Máquinas podem fazer quase tudo o que se pode imaginar. Esta aí, que já existe, seria uma mão na roda se houvesse por aqui.

Torresmo do futuro

16 de maio de 2011 4

Vamos considerar que alguém se enganou na data. Vamos conceder-lhe o benefício da dúvida, porque não é compreensível que pretendesse, de maneira absurda, iludir o cliente.

Mas, considerando o que diz a embalagem, eis aí um milagre: algo que ainda será fabricado já está à venda. Talvez seja um torresmo à frente de seu tempo.

Ou talvez, na pior das hipótese, contava o fabricante – ou seja quem for que o datou – com a conhecida displicência do consumidor brasileiro.

Resta um bom conselho: confira tudo, desconfie sempre.

(Foto: Valther Ostermann)

Os 10 piores alimentos

26 de abril de 2011 4

Que atire a primeira pedra quem não se rende a um fast food, salgadinho ou cachorro-quente e depois fica preocupado com as calorias que ingeriu. Mas o que pouca gente sabe é que os perigos desses alimentos vão muito além da questão estética e podem ser um risco para a saúde. Para esclarecer esses problemas, a nutricionista Michelle Schoffro Cook listou os dez piores alimentos de todos os tempos.

10º lugar: Sorvete

Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.

9º lugar: Salgadinho de milho

De acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento por causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor, ganho de peso, irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios.

8º lugar: Pizza

Michelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue.

7º lugar: Batata frita

Batatas fritas contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, como também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite.

6 lugar: Salgadinhos de batata

Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena.

5º lugar: Bacon

Segundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão.

4º lugar: Cachorro-quente

Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebes. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal.

3º lugar: Donuts (Rosquinhas)

Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essa substância está relacionada a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contém, em média, 300 calorias cada.

2º lugar: Refrigerante

Michelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr. Joseph Mercola, “uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos”. “Somente isso já deveria fazer você repensar seu consumo de refrigerantes”, diz a nutricionista. Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 30 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, ela informa que os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas.

1º lugar: Refrigerante Diet

“Refrigerante Diet é a minha escolha para o Pior Alimento de Todos os Tempos”, diz Michelle. Segundo a nutricionista, além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte. “Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio. É por isso que eu dou ao Refrigerante Diet o prêmio de Pior Alimento de Todos os Tempos”, conclui.

(Postado em Vida e Saúde em 08/04/2011)

Aí não, violão!

24 de novembro de 2010 4

De um empresário do ramo de restaurantes recebo um descritivo da dificuldade de encontrar quem queira preencher as vagas que oferece. O empecilho não é o salário, afirma, e sim exigências que fogem ao senso comum.

“Recusam-se trabalhar à noite ou nos fins de semana, não gostam da localização do restaurante, preferem não usar a touca obrigatória na cozinha e alguns exageram: nada de elaborar o tradicional marreco recheado conforme a receita da casa. Exigem que o restaurante compre marreco pré-temperado e recheado, pronto para ir ao forno.”

Convenhamos, aí é sacrilégio!

Tem que ser conforme a receita. Nossa receita.

(Foto: Divulgação)

Faz falta

22 de outubro de 2010 6

Blumenau é uma cidade interessante, uma das poucas em que não existe praça central. Consequência da topografia – quase não há planície – e da cultura local, mais apegada aos stammtisches e menos a espaços de convivência popular. Também não tem Mercado Público, e este faz falta. Sou plenamente convencido de que um espaço assim se tornaria, ao natural, o ponto de encontro dos blumenauenses. Mercados Públicos são irresistíveis por todos os motivos, inclusive pela mistura de aromas.

O de Florianópolis é um bom exemplo, quem não o conhece?

O nosso, quem sabe um dia…