Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Dos mesmos criadores de...

17 de agosto de 2012 0

Um dos assuntos que comento na coluna da próxima quarta-feira na ZH impressa é o Medium, uma plataforma de publicação online lançada nesta semana por Evan Williams e Biz Stone, que têm no currículo a criação do Twitter (também trabalharam juntos no desenvolvimento do Blogger, plataforma de blogs criada por Williams e depois vendida para o Google).

À primeira vista, não achei o Medium – por si só – digno de muito burburinho online. Claro, reforça a tendência de uma internet mais visual, combinando elementos de sucesso já consolidado por aí, como a aposta em coleções e no voto popular para determinar a relevância de um conteúdo. Pense em uma mistura de Tumblr com Pinterest.

Embora a ferramenta não tenha me empolgado, reconheço que tem potencial, mas digo isso mais por acreditar no que é capaz o time responsável pelo projeto. Aí na imagem, uma das coleções do Medium.

Crédito: reprodução

Notem que volta e meia estamos fazendo um auê online por certos sites ou apps com base apenas no seu criador, não por ser algo inovador. Dois exemplos recentes que me vêm à cabeça:

Airtime

Aplicativo de videochat lançado por Sean Parker e Shawn Fanning, os mesmos caras que revolucionaram a indústria fonográfica com o Napster. É inspirado em um serviço bem similar chamado Chatroulette.

Amazing Alex

Game lançado pela Rovio, a desenvolvedora finlandesa responsável pelo fenômeno Angry Birds. É baseado no jogo Casey’s Contraptions, cujos direitos foram adquiridos pela Rovio.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário