Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Falta um mês para o lançamento do Windows 8

26 de setembro de 2012 0

A um mês do lançamento do Windows 8, fica o aviso: não se engane com a lindura da nova geração do sistema operacional da Microsoft. A nova interface é de encher os olhos, mas a experiência de uso – pelo menos no começo – tende a ser frustrante.

Ao misturar ambientes de desktop e tablet em um único sistema, o Windows 8 é ousado. Ao inovar tanto assim, traz um desafio de mesmas proporções aos seus usuários: será preciso reaprender a usar o Windows em um PC.

As descobertas começam pela morte do menu Iniciar. Agora, a tecla Windows no teclado, por exemplo, leva à tela Iniciar (imagem acima), um mosaico de aplicativos com informações que vão se atualizando na tela, como últimos e-mails ou notícias. A busca (imagem abaixo) se torna um recurso ainda mais central na sua experiência de uso da plataforma.

Pense no Windows 8, que estará disponível para download em 26 de outubro, inclusive com versão em português, como um sistema operacional dois em um. Ele traz um ambiente melhor desenhado para telas sensíveis ao toque, em que você acessa os aplicativos em tela cheia. É onde melhor se nota como o Windows ficou elegante. Até ações singelas como procurar um arquivo no computador para anexar a um e-mail tornam-se visualmente atrativas:

Mas o Windows 8 traz também um modo desktop, em que é possível colocar ícones na tela e rodar aplicativos que ainda não foram projetados para a nova interface. Lá você vai se sentir mais familiarizado. Mesmo assim, terá de se acostumar com ações como passar o mouse pelos cantos da tela (dependo do que você quer, à direita ou à esquerda) para acessar a ferramenta busca, ir para a tela Iniciar ou para outro aplicativo aberto – como na imagem abaixo. Por isso, para quem vai encarar o Windows 8 em telas comuns, vale a pena investir em um mouse com superfície sensível ao toque, para assim tirar melhor proveito da plataforma.

Há um ano

Em setembro de 2011, eu contava aqui no blog minhas primeiríssimas impressões sobre o Windows 8, ao experimentar uma versão prévia liberada pela Microsoft. O salto de lá para cá em usabilidade foi gritante, mas sou obrigada a admitir que ainda não me sinto tão confortável com o sistema operacional como eu gostaria. O menu Iniciar não faz nenhuma falta (principalmente para quem está familiarizado com o ambiente Mac). O que mais me incomoda é o acesso aos recursos que ficam “escondidos” nos cantos da tela, como a busca ou configurações (à direita). É algo interessante se formos considerar que isso não ocupa a tela e então dá para aproveitar melhor os apps em tela cheia, mas isso pode ser um pouco chatinho principalmente para quem vai usar o Windows com mouse e teclado. Não é o tipo de sistema operacional que eu recomendaria para minha mãe.

O Windows 8 requer a adaptação dos seus usuários, e nem todo mundo encara mudanças tão profundas com naturalidade.

Tenho certeza que o Windows 8 vai angariar adeptos, impressionados com o seu design apurado e a ousadia proposta pela Microsoft, mas também não tenho dúvidas de que muita gente vai acabar fazendo o caminho inverso – um downgrade para o Windows 7 – após experimentá-lo.

Windows Store

O maior ganho do novo Windows é ter uma loja de apps, que permite facilmente encontrar aplicativos e instalá-los na máquina. Vejam só um exemplo:

O problema é que a oferta de apps disponíveis ainda deixa a desejar. Como o Windows é o sistema operacional mais popular do planeta, deverá haver uma corrida para criar aplicativos para a plataforma, mas os usuários terão de ter um pouco de paciência no início. Este aí é o app da Wikipedia, bonitinho, mas nada funcional:

A era PC+

O Windows 8 é a concretização da visão da Microsoft para o futuro da indústria de computadores pessoais. Enquanto a Apple vê ambientes de tablets e desktops como coisas diferentes, embora cada vez mais integrados, e fala em “era pós-PC”, a Microsoft prefere o termo PC+ e defende que não importa a forma assumida pelos computadores pessoais, nem se você vai usar o dedo, uma canetinha Stylus, mouse ou teclado para interagir com eles.

Como resultado, o Windows 8 dá destaque a uma nova categoria de hardware, que só faz sentido com um software assim: os híbridos, mistura de laptops e tablets ou até mesmo de desktops e tablets (leia mais sobre o assunto neste outro post).

Como venho dizendo, o hit do Natal deste ano serão os híbridos.

* Texto, com adendos, da coluna Tecnologia na Cabeça desta semana

Leia também:

A reinvenção da Microsoft

Híbridos: o grande hit da era Windows 8

Bookmark and Share

Envie seu Comentário